História Yu-gi-oh! - Shards of Greed - - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yu-Gi-Oh!
Tags Ação, Dragões, Duelo, Jinzo, Mito, Originais, Romance, Yugioh, Yu-gi-oh!
Exibições 20
Palavras 2.782
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Ecchi, Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eai, mais um capítulo pra vocês.
Mais calmo, mas espero que gostem.
Boa leitura

Capítulo 14 - Convivendo com os Pecados


Fanfic / Fanfiction Yu-gi-oh! - Shards of Greed - - Capítulo 14 - Convivendo com os Pecados


 

Após o poderoso embate entre Yuka e Edward, o moreno, junto de Akemi, Daisuke, Misaki e Sakura, que assistiam o duelo, saboreiam uma porção de doces e bolos, feitas pela esverdeada, todos sentados no balcão, comendo e se deliciando. 

 

- Nossa... Yuka-san, eu posso morrer feliz se apenas comer isso pelo resto da vida - Daisuke comenta de boca cheia de bolo. - Pena que a Cris-san não pode provar também. 

 

- Obrigada, me alegra muito ter esse tipo de clientes - a moça sorri de olhos fechados, apoiada no balcão pelos cotovelos, vendo os demais provarem seus doces. - e a Cris prova sempre minha comida, então não se preocupe - ri leve - ela teve que ajudar o Kaito-san com o movimento lá encima. 

 

- Posso levar quantos pra casa? 5 ou 10 caixas? - Akemi fala logo após comer um bolinho rosa de morango, com um sorriso satisfeito no rosto e olhos fechados, como se apreciasse o sabor passando por si. 

 

- Hehe... desculpa, mas nada sai daqui de baixo que os clientes não tenham comigo. 

 

- Ah... que triste, queria levar só unzinho - Sakura murmura realmente triste por isso, assim como os outros. 

 

- Relaxa maninha, a gente volta mais vezes pra comer mais. - Misaki põe a mão no ombro da irmã, tentando conforta-la. 

 

- Isso ai! Venham mais - a esverdeada fala feliz - e não se segurem, podem comer o quanto quiserem que trago mais. 

 

- Mas ainda tem muito... - A morena fala voltando o olhar para o balcão, mas se cala, assim como todos, ao notarem que acabou todos... todos os vários doces que ali estavam. 

 

- Cadê... eles? - Akemi, Misaki, Sakura e Daisuke falam ao mesmo tempo, confusos com a situação. 

 

 O único pedaço de doce que sobrou na mesa é um pequeno bolinho rosa, aparentemente de morango, mais parecendo mais um último sobrevivente de um massacre, em meio a farelos dos outros doces. Antes que qualquer um pudesse ter alguma reação, uma mão pega o bolo e o come numa mordida só. 

 

- Hum... - a pessoa murmura terminando de mastigar e engolir o doce - Nossa, eu me sinto recarregado depois de tudo isso, mas também sinto que poderia dormir uma semana direto - Edward fala sorrindo largo, satisfeito e de olhos fechados, logo os abre e vê seus amigos o fuzilando com os olhos - O que foi? 

 

Os outros quatro clientes, o olham descrentes por ele ter comigo tanto assim em tão pouco tempo.

 

-  Hahahaha! - Yuka não aguenta e ri da cena - Sabia... Haha... ai ai - se acalmando, a moça vai até dentro da cozinha e volta com outra bandeja de doces, a servindo para os cinco - Esperava que fosse acontecer, depois de um duelo assim, gastamos muita energia - ela sorri gentil vendo seus clientes pegam mais doces e os saboreiam como antes. 

 

- Falando nisso - Sakura toma a palavra - foi o duelo mais intenso que eu já vi... vocês dois são incríveis - a púrpura sorri olhando para os dois. 

 

- É, preciso admitir que foi em um nível completamente diferente esse duelo - Daisuke fala cruzando os braços - não esperava que alguém conseguisse derrotar um Capital..  

 

- Obrigada, mas... - Yuka sorri leve, apoiando-se no balcão novamente - não somos invencíveis e nem seres de outro mundo... na verdade, sempre achei que um dia, alguém conseguisse fazer frente a nós... 

 

- Então... - Akemi chama a atenção da esverdeada, a olhando - Você é mesmo um dos Pecados, Yuka-san? 

 

- Uhum... Pecado da Gula, muito prazer - diz brincando e com uma piscadela. 

 

A loira se ergue apoiada no balcão - Então, por favor, me ajude a...

 

- Sinto muito, mas não posso ajudar - a moça corta a fala da jovem - pelo que você me disse a uns dias, eu sei qual de nós você está procurando... você quer o Pecado do Orgulho, mas não posso ajudar a chegar a ele, nem a quase nenhum outro - a esverdeada suspira - hoje estamos separados com nossas próprias metas, carreiras e grupos, não há maneira fácil de chegar a algum deles, e, me perdoe, não posso nem dizer quem é ele nem os outros, para seu próprio bem, é melhor que saiba apenas quando chegar a hora - diz mais séria. 

 

Akemi, surpresa, sem reação nem palavras, apenas se senta novamente, entendendo o lado da garçonete, o que, infelizmente, deixa o clima do local um pouco tenso, mas não impedindo Misaki se bater as mãos na bancada e se levantar. 

 

- Não pode dizer onde estão nem que são, ok, mas pelo menos diga se um deles está aqui - a morena fala num tom sério e alto, se virando para Edward, que antes comia, agora a olha mordendo um pedaço de doce - Você é ou não é um Capital? 

 

A pergunta, junto do tom de voz e o clima do local, o deixam ainda mais pesado e misterioso, Akemi, Daisuke, Sakura e Yuka olham para a morena confusos, enquanto Edward pisca algumas vezes engolindo seu doce, limpa a garganta e olha nos olhos da jovem. 

 

- Eu já disse que não sou, lembra? Foi sua primeira pergunta pra mim - o moreno ergue uma sobrancelha, confuso com a pergunta. 

 

- Então, me diz, por que você tem o dragão de Dante, o Dragão Demônio Vermelho!? - agora, todos se surpreendem mais, assim como Edward, que não esperava que Misaki soubesse de Dante nem de seu dragão. 

 

Yuka e Edward se olham, por causa da pergunta e da coincidência, o rapaz olha novamente a jovem. 

 

- Ele me entregou... - diz sério e sincero, a deixando suspresa, assim como os outros, menos a garçonete - eu disse... Não sou um Capital - volta a falar sério, a olhando nos olhos. 

 

Misaki se senta novamente, impactada com a resposta, tentando por as coisas em ordem na sua cabeça. 

 

- Mas... como você não é ele? Você sabe tanto dos Pecados... é tão forte quanto um... com esse dragão ainda... eu não entendo - a garota pergunta, mas são perguntas mais para si mesma, que tenta compreender tudo. 

 

- Misaki-chan - Yuka chama a atenção da morena, que a olha - pensa, se ele fosse o Dante, ou qualquer um dos outros Pecados, eu o reconheceria na hora, não acha? - ela tenta acalmar a garota, com um sorriso gentil. 

 

- Espera, então... você conhece Dante sem a máscara? Achei que nenhum dos outros Pecados o viram sem ela... - Daisuke comenta. 

 

- Claro que já o vi sem máscara, todos nós vimos, muitas vezes - a esverdeada não segura uma leve risadinha - por que acharam isso? E também, como sabem tanto dele? 

 

- Por nada não... só boatos... - Misaki e Daisuke falam juntos e viram olharem mortais para Akemi, que se encolhe na cadeira toda sem graça e envergonhada. 

 

- Hehe... boatos... - A loira tenta disfarçar, cutucando os dedos um no outro sem graça. 

 

- Etto... - Sakura, meio perdida na situação, chama a atenção - É que a Akemi-chan falou que só se lembrava de um deles, que usava máscara, entre outras coisas... 

 

- Entendo... realmente é meio fácil lembrar dele - Yuka sorri leve ao lembrar de seu companheiro, consequentemente, acaba pensando nos outros também. 

 

- Yuka-san - O ruivo a chama - se não se importar com a pergunta, culpa da curiosidade - O rapaz coça a cabeça - Mas como era estar entre eles na época? Digo... como eram os 7 Dragões Capitais antigamente? 

 

Meio suspresa com a pergunta, que fez nascer essa curiosidades nos outros e os fazem olhar a garçonete, esperando uma resposta. Yuka suspira leve e sorri, apoiada com os cotovelos na bancada descansando a cabeça nas mãos. 

 

- Bem, por onde eu começo... Era complicado, todos nós éramos complicados, na verdade, mas tínhamos uma boa relação. - ri leve ao lembrar - de início, quando ganhamos esse título, era difícil, realmente, não nos dávamos muito bem, muitas brigas... e as extravagâncias do Dante não ajudavam - volta a rir leve, logo fica com um certo brilho no olhar e um sorriso sereno - Mas... fomos nos aceitando como equipe... depois como amigos.. e então família... estávamos juntos para tudo, mesmo com nossas lutas além do campeonato... nos apoiavamos, crescemos juntos, mesmo naquele pouco tempo... 

 

As palavras saem da boca de Yuka com uma calma e paz, que as tornam boas e gostosas de se ouvir, brotando um sorriso no rosto de cada um. 
 

 

- Mas... tudo começou a mudar... - o sorriso da jovem some, assim como dos demais - como íamos crescendo juntos, ficamos mais fortes... Mas chegou um ponto onde nos tornamos tão forte, que quando os duelos não eram mais problema nenhum, os outros "problemas" ficaram ainda piores... além de surgir outros como... - A moça suspira leve - estávamos quebrando por dentro... paramos de ver o duelo como paixão e ver a equipe como um todo, como uma família, no significado dos Dragões Capitais que tínhamos - essa frase, faz os demais pensarem em seu sentido, mas não por muito tempo, já que a garçonete continua a falar - Então chegou um momento que tivemos que escolher entre continuar a lutar e nos manter unidos, ou cada um seguir seu rumo e fazer seu próprio caminho... então fomos pela segunda opção... - rapidamente, ela passa a mão em seu olho, secando uma lágrima - não vou mentir... eu optei pela segunda opção também... pois estava odiando o que a equipe estava se tornando... então, comecei a odiar meu título também... e resolvi seguir outro prazer meu, cozinhar - sorriu leve, mas com tristeza - assim como uns seguiram outros caminhos além de duelos... e outros fizeram seu próprio nome nesse mundo através de suas cartas... cada um com seu próprio time agora... 

 

Os jovens não sabem como reagir, não esperavam algo assim, tentam pensar em algo, enquanto também pensam no quanto foi, e ainda é, difícil para Yuka esse assunto. 

 

- Por isso vou atrás deles... um por um! 

 

Todos voltam seu olhar para Edward, quem disse tais palavras, sendo que permaneceu sério e calmo toda a explicação, como se já soubesse. 

 

- Além de querer ser o mais forte de todos... Quero fazer cada um deles acordar e não desprezarem esse passado e título, que a tanto foram depositados esperanças, sonhos, admiração, até inveja... - diz sério - esquecer de todo esse vínculo, entre eles e os demais, fingir que não existiram ou odiar o que passou, acho inaceitável... os farei acordar e aceita-los, com minhas mãos e força, pra isso os superando! 

 

Os cinco encaram o moreno surpresos, até mesmo Yuka não imaginou que o rapaz se sentia assim sobre a situação, nem ao menos parou para pensar nisso dessa forma. 

 

- Mas... - o rapaz continua, mas dessa vez, mais calmo e com um sorriso leve - não posso fazer isso sozinho - os demais voltam a ficar surpresos - Como Yuka disse, eles estão agora em seus próprios caminhos e próprios grupos, e em como antes eles eram ainda mais fortes juntos, então com seus novos companheiros devem estar fortes... mais ainda - abaixa um pouco o rosto, ainda sorrindo, logo olha para os jovens - Akemi, Misaki, Daisuke - Ele os olha - me ajudam a enfrenta-los? 

 

- Q-QUE? - os três falam juntos, sendo a única reação possível. 

 

- Primeiramente, eu não chegaria até aqui e derrotaria Yuka sem vocês... além de abrirem caminho, me ajudaram a me superar, a me encontrar - nessa fala, ele olha para Akemi, que fica um pouco sem graça - Além de que... isso é algo grande e sério demais, que não posso ter ajuda de qualquer um, apenas de quem eu confio... que são vocês, que já me provaram seu valor, valor que já suspeitava que tinham - o rapaz volta a olhar todos, se levanta, afasta um pouco dos bancos e estica a mão para os três - Então veem comigo? 

 

Os três jovens ficam perplexos e sem palavras por um tempo, Yuka e Sakura apenas olham e esperam a resposta deles, assim como Edward, que sorri para todos. Por quase um minuto inteiro, ninguém da uma resposta, até uma pessoa se levantar de cabeça baixa e se virar para o moreno. 

 

- Só pode.. estar brincando... - a pessoa ergue o rosto e da sua resposta olhando o rapaz nos olhos - Não, valeu - diz Daisuke, surpreendendo os demais - Primeiro, você quer nossa ajuda para enfrentar os melhores do mundo inteiro, ou seja, para te ajudar com apenas seu interesse... nós também temos nossas ambições, nossas lutas, que vão além de ajudar essa sua causa impossível - fala sério e meio ríspido, Edward fica sério também ouvindo atentamente, abaixando sua mão - Segundo, você confia em nós? Mas eu não confio em você... não sabemos nada de você direito, você não dá uma resposta direta e franca, e quer que lutemos por você? Não, obrigado. Vamos entrar logo no real mundo profissional, e, pelo menos eu, não quero perder tempo indo atrás de seus Pecados. - ao terminar de falar, o silêncio toma conta do local novamente. 

 

O ruivo suspira pesado logo depois do desabafo, pega sua mochila no pé do balcão e anda até a porta. 

 

- Obrigado pela comida, Yuka-san, até mais Akemi-chan, Sakura-chan - se vira para olhar e se despedir das meninas, e olha para a morena, como se também esperasse a reposta dela. 

 

- Eu...  - Misaki se levanta e olha nos olhos de Edward - Também recuso... - fala firme e seria, mesmo confusa, entre emoções, tentada pela oportunidade, a morena pensa logicamente e sabe que não pode negar as palavras de Daisuke, então, também não pode aceitar o pedido - Boa sorte, Edward-kun - A morena pega sua bolsa e anda até o ruivo, querendo ir embora logo. 

 

- E-Etto... - Sakura se levanta, sem graça e meio perdida - A-Ate mais a todos, obrigada pela comida - a púrpura se curva educadamente, pega sua bolsa e segue o casal de amigos, que atravessam a porta e deixam o local. 

 

Os estudantes deixam o local, Yuka olha para a porta que passaram, não esperando essa reação, logo volta o olhar para Akemi, que se levanta e se curva para si. 

 

- Muito obrigada pela comida, Yuka-san, e obrigada pelas respostas - diz calma e com um sorriso leve. 

 

- C-Claro... foi um prazer - responde o sorriso da loira com outro, mas não sabendo identificar o tipo de sorriso que a jovem possui no momento. 

 

- E, Ed-kun - a loira se vira para ele e se curva também - Foi um ótimo duelo, obrigada pela lição antes, por me mandar para cá e pela proposta, mas... - diz calma, se erguendo e o olhando nos olhos - Não posso aceitar... pois esse meu caminho, não é por mim, então não posso desviar dele. 

 

Edward não responde nada, apenas olha nos olhos da loira, que se fecham para dar um sorriso diferente, que ele tenta decifrar. Akemi pega sua bolsa, se curva novamente, e anda para fora do local. 

 

- Obrigada - diz uma última vez, saindo do porão, antes que sua cabeça entrasse em pane. Quer ter certeza que saiu de lá e recusou a oferta por ser o certo, não por dúvidas, medo, ou por ser um pouco levada pelas respostas dos outros dois. 

 

O moreno se senta novamente no balcão, ainda mudo, apoia um braço na bancada e suspira pesado. 

 

- Desculpa, aqui é uma cafeteria... então não posso te dar uma bebida pra te fazer sentir melhor - Yuka brinca, como se fosse verdade, fazendo o rapaz rir leve. 

 

- Que pena, tava precisando de umazinha... - Ele entra na brincadeira - Mas mesmo se tivesse, não poderia me vender, ainda não - volta a suspirar - Mas eu meio que já esperava isso... fui no "cinquenta cinquenta". 

 

- Vai fazer o que agora? - a moça se debruça na bancada, curiosa. 

 

- Continuar o que ia fazer... ir atrás dos outros - fala sério - e no processo... fazer eles aceitarem - ergue o olhar cheio de determinação, que faz a jovem sorrir leve. 

 

- Pois bem... então, boa sorte nisso, algum plano? 

 

- Na verdade... sim - o moreno sorri de canto ao responder, olhando Yuka de uma forma estranha, que ela não consegue perceber o que se passa na cabeça dele. 

 

- Er... hehe... "Algo me diz que não devia ter perguntado" - pensa um pouco arrependida. 




 

Continua... 





Notas Finais


Obrigado por lerem, espero que tenham gostado.
O capítulo anterior, parece não ter sido visto como antes, então se não leu, veja lá, está incrível!
Se curtiram, comentem e fav, por favor, isso ajuda demais, vamos fazer dessa historia uma das melhores de Yu-gi-oh do site!
Falando em histórias, outra recomendação, essa história ótima feita pelo meu amigo MacroGear, confiram lá pois vale muito a pena : https://spiritfanfics.com/historia/yu-gi-oh-reborn-8212296


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...