História Yuki significa verão, não inverno - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Oneshot, Originais, Poesia, Selfinserction
Visualizações 5
Palavras 361
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Poesias
Avisos: Sadomasoquismo, Self Inserction
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Eu devo ser meio masoquista, mas adoraria que você me batesse agora. Você sempre me diz que no dia em que nos encontrarmos, um tapa me daria. Por todas as merdas que já disse e fiz. Até pelas que já pensei em fazer, mas nunca consegui.

Esse tapa provaria que você está aqui, bem ao meu lado, pertinho de mim. Que eu poderia segurar tua mão, te abraçar, te dar um beijo, e quem sabe te acariciar. Sem malícia alguma, apenas carinho.

O carinho que acumulo por ti. O amor também, óbvio. Isso é o que não falta. Tu me fizestes tantas vezes persistir no que acreditava. E mesmo quando deixava de acreditar, quando tudo estava a falhar, você sempre esteve lá.

De repente a tela piscava, o celular vibrava, e a notificação chegava. “Você tem uma nova mensagem”. E quando eu menos esperava, era você dizendo que com saudade estava. Saudade de mim, de nós. Das nossas conversas de horas – que, se possível, durariam dias. Nós apenas conversávamos, seja sobre o que nos acontecia, afligia, alegrava, ou entristecia; desde como aquele novo álbum daquela banda que você havia me falado estava inovador, até sobre como aquela vilã da novela das seis era narcisista – mesmo eu não assistindo novela, e você tendo de resumir todo o enredo para mim.

Mesmo eu tendo essa “memória-de-peixe”, ainda lembro de quando nos conhecemos. Você perguntou se eu gostava de rock, eu disse que sim; me perguntou se eu gostava da língua japonesa, e eu disse que sim, novamente. Não demorou nem uma hora e eu já chamava sua mãe de tia e você de prima. Trocamos músicas, números, gostos… Mas o que eu mais queria era dividir uma bebida contigo. Uma quente com gosto de matte, entende? Não importando se estivéssemos mais ao Norte ou ao Sul. Porque você sempre será o meu Nordeste.

E se ainda tens dúvidas se estou a falar de você, lembra daquela dedicatória que te prometi? Então, no fim dela estará escrito: “Meu floco de neve”. Porque foi com esse nome que a conheci.

E se foi por meio dessa coisa louca chamada escrita que nos conhecemos, nada melhor do que nela eternizar meus sentimentos.


Notas Finais


Acho que é a primeira vez que escrevo algo fluffy haahahahah Espero que tenham gostado ^^
Também espero que ela tenha notado que escrevi pensando nela (mesmo que o título já seja um puta d'um spoiler haahahaahah)
Sim, selfinserction, sou eu escrevendo para ela. E não, não é esse tipo de amor, que costumamos ver em relacionamentos amorosos. Como eu disse antes, não há malícia, apenas carinho. É mais como uma puta amizade que evoluiu pra uma conexão mais psíquica, em que não há a mínima necessidade que atos carnais, apenas a presença e a voz/escrita dela já me satisfaz.
Te amo, Juju ❤ Espero que tenha gostado (^^) Ando muito melosa ultimamente ≈(°–°≈)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...