História Z Apocalipse - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Alzack, Bisca Connell, Cana Alberona, Erza Scarlet, Eve Tearm, Evergreen, Freed Justine, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Hibiki Lates, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Natsu Dragneel, Ren Akatsuki, Rogue Cheney, Sherry Blendy, Sting Eucliffe, Wendy Marvell, Yukino Aguria
Tags Apocalipse, Fairy Tail, Gale, Gruvia, Jerza, Nalu, Zombie, Zumbi
Exibições 108
Palavras 2.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Outro capítulo para vocês...

Capítulo 10 - Capítulo 10


Pov’s Natsu

Natsu e seus amigos tinham entrado em uma farmácia que Levy disse que era onde pegavam os remédios para o refúgio e que tinham itens necessários para ela.

Levy já estava na sala com Laxus a mais de uma hora e isso o deixava cada vez mais preocupado... Por sorte aquela farmácia também funcionava como uma conveniência e ainda tinha algumas coisas por lá.

Natsu estava extremamente cansado e comia batata rufles com água quente.

- Você está bem? – perguntou Sherry.

- Só estou preocupado com Laxus e o resto do pessoal. – disse Natsu.

- Eles são casca grossa e sei que conseguiram passar por essa.

Natsu não tinha muita esperança.

- Aquela enorme explosão... Como alguém sobreviveria a alguma coisa assim?

Sherry deu um soco em Natsu.

- Escuta aqui Natsu, pode parar de ser tão negativo assim... Vamos acreditar neles, eu sei que todos estão bem.

Natsu se sentiu envergonhado com o que tinha acabado de pensar.

- Você tem razão Sherry... Eu tenho certeza que eles estão bem.

- É isso ai garoto.

Levy saiu da sala e estava com um grande sorriso no rosto.

- Deu tudo certo pessoal... O Laxus vai ficar bem, mas, vamos precisar que ele fique em repouso por alguns dias.

Pov’s Erza

Já fazia alguns dias que eles estavam em uma cabana na floresta e não tinham tido nenhum sinal dos amigos... A van em que eles estavam havia quebrado.

Erza tentava se manter de maneira mais esperançosa possível, queria acreditar que todos os seus amigos estavam bem e que todos haviam conseguido se safar de tudo, mas, ficava cada vez mais difícil...

Jellal entrou na cabana todo suado, havia acabado de vir de uma caçada.

- Hoje a caça foi boa, consegui pegar três esquilos... Acho que isso dá para nos manter vivos por hoje.

- Acho que sim... – disse Erza desanimada.

Jellal se aproximou dela.

- Ei... Não quero ver você com essa cara. – disse Jellal dando um selinho em Erza.

Erza ainda não conseguia acreditar que ela e Jellal realmente estavam juntos... Nos últimos dias tinham ficado cada vez mais próximos e acabaram chegando a esse ponto.

- Tem crianças aqui. – disse ela rindo.

- A Wendy está dormindo... E o Lyon ainda está caçando... Podíamos aproveitar esse momento juntos.

- Não sei...

Jellal começou a beijar o pescoço dela.

- Não venha querer dar uma de difícil.

- Idiota...

- Também gosto de você...

Pov’s Gray

Eles haviam todo esse tempo andado sem rumo algum... Dormiam dentro de carros e outros lugares que seriam mais seguros que dormir ao ar livre, não tinham absolutamente nenhum destino e nem sabiam o paradeiro de seus amigos.

Gray estava cansado de viver daquele jeito, mas, precisava se manter forte... Tinha feito uma promessa para Natsu e iria cumpri-la.

Quando chegava a madrugava sempre ia para um lugar isolado e chorava... Não chorava pouco, chorava muito... Sentindo a falta de todos os seus amigos e principalmente sua irmã.

Wendy era a única família que tinha restado para ele e se perdesse ela sua vida estaria arruinada...

Já era noite e Gray estava indo para uma de suas lamentações noturnas na floresta próximo a uma árvore. Naquele noite eles tinham feito um acampamento com barracas que tinham achado... Tinham cercado o lugar todo com latas para fazer barulho caso algum zombie tentasse entrar.

Gray estava recostado em uma árvore e as lagrimas caíram de forma rápida e continua... Gray sentia falta de tudo e não sabia por quanto tempo conseguiria se manter firme... Escutou barulho e quando viu que era Lucy, com suas roupas todas sujas e seu cabelo bagunçado ficou completamente sem reação.

Ficou completamente sem reação e tentou limpar suas lagrimas o mais rápido possível.

- Não precisa esconder seus sentimentos. – disse Lucy.

- Agora não é o seu turno, me deixe sozinho. – disse Gray.

Lucy se sentou ao lado dele.

- Estou sem sono... Vou ficar aqui com você.

- Faz o que quiser.

- Sabe... – começou Lucy. – Você não é o único que está sofrendo com tudo isso e não precisa ter vergonha.

- Eu não tenho vergonha, mas, eu tenho que me manter forte, se não ninguém poderá fazer isso no meu lugar.

Lucy deu um sorriso, mas, seus olhos estavam cheios de lágrimas.

- Gajeel e Loke podem fazer isso por nós... Mas, será que por agora eu poderia chorar aqui com você?

Os olhos de Gray também começaram a sim encher.

- Acho que sim...

Os dois ficaram abraçados ali por um tempo... Por um momento Gray começou a entender o porquê de Natsu gostar tanto de Lucy... Ela passava conforto para qualquer um.

Pov’s Laxus

O braço de Laxus ainda doía bastante, mas, não se comparava nem um pouco a dor que tinha sentido nos dias anteriores.

Eles já estavam a mais de uma semana na farmácia e no dia seguinte iriam partir para outro lugar, já que os suprimentos dali já estavam acabando... Laxus se juntou aos outros que se encontravam comendo algumas coisas que ainda haviam sobrado na farmácia.

- Precisamos pensar no que iremos fazer daqui para frente. – disse Sherry.

- O mais importante é achar um lugar seguro.

- Primeiro precisamos achar os outros. – disse Natsu. – Eles podem estar por ai assim como a gente.

- Eu concordo com a ideia do Natsu. – disse Sherry.

- Mesmo que eles estejam vivos como diabos vamos encontra-los?

- Precisamos dar algum sinal sei lá... – sugeriu Natsu.

- Que tal um sinalizador? – perguntou Levy.

- Precisamos de algo mais obvio... – disse Natsu.

- Tipo o que? – perguntou Sherry.

Natsu ficou algum tempo pensado, até que finalmente conseguiu pensar em uma brilhante ideia.

- Laxus... Lembra quando a nossa escola fez uma gincana e nós até ganhamos? Lembra qual era a cor da nossa classe?

- Verde... – respondeu Laxus.

- Isso mesmo. – disse Natsu animado. – Se enchermos vários balões verdes e lançarmos no céu tenho certeza que os outros vão entender.

- Mas, isso não é 100% de certeza. – disse Laxus não querendo desanima-lo e sim querendo mostrar a realidade.

- É uma ótima ideia... – elogiou Sherry. – Além do que se usássemos sinalizadores outras pessoas poderiam vir até nós, mas, se usarmos esse tal balão verde que vocês falaram, apenas o pessoal vai entender certo?

- Isso ai. – respondeu Natsu.

Levy deu um sorriso.

- Então vamos começar.

Laxus esperava que tudo desse certo, mas, ele não queria que nenhum de seus amigos alimentassem falsas esperanças sobre aquilo.

Pov’s Gajeel

Gajeel se sentia muito culpado... Ele ainda não havia contado para Loke sobre a morte de seu avô e o garoto ainda alimentasse esperanças de que ele estivesse vivo.

Mas, já tinha tomado sua decisão... Gajeel iria contar hoje para Loke o que havia acontecido com seu avô mesmo que isso significasse que Loke fosse espanca-lo.

Gajeel se aproximou de Loke que estava comendo carne de uma cobra.

- Podemos conversar?

- Claro. – respondeu Loke.

- Bem... É sobre o seu avô. – começou Gajeel. – Eu não fui completamente sincero sobre o que aconteceu com ele...

- Como assim?

- É que... Depois que matamos todos... Seu avô... Ele não quis vir comigo, ele quis ficar lá... Disse que já estava na hora dele partir.

Loke fez um olhar chocado por um momento, mas, depois deu um sorriso.

- Aquele velho idiota... Fazendo besteira até o final. – Loke deu um triste suspiro. – Eu já sabia que ele iria fazer algo do tipo, mas, eu não tenho direito de obriga-lo a viver nesse mundo, mas, agora eu estarei vivo por ele.

Gajeel se sentiu aliviado.

- Fico feliz por isso.

Gray e Lucy corriam na direção dos dois de forma desesperada.

 - Precisamos sair daqui. – gritou Gray.

- O que está acontecendo? – perguntou Gajeel.

- Vários zombies estão vindo nessa direção.

- Droga.

Os quatro correram sem rumo pela floresta deixando tudo o que tinham para trás... Gajeel já estava achando aquela vida muito cansativa... Não aguentava mais ter que ficar fugindo o tempo todo.

- Quer saber? Eu não vou fugir! – afirmou Gajeel correndo em direção aos zombies.

- Gajeel você está louco. – gritou Gray correndo na direção dele.

- Só tem algumas dezenas. Eu posso cuidar deles, estou cansado de fugir. – Gajeel cravava sua faca na cabeça de um e logo em seguida na de outro.

Gray com sua pistola atirava na cabeça dos zombies.

- Para de ser louco... Precisamos sair daqui, eu não tenho muita munição.

- Fuja se você quiser, mas, eu nunca mais irei fazer isso.

O número de zombies aumentava... Gajeel os matava de forma descontrolada... A munição de Gray tinha acabado e ele havia começado a usar um machado que tinha.

- Porra Gajeel... Precisamos sair daqui agora.

Um zombie foi para cima de Gray e o jogou no chão e logo depois outro foi para cima.

Gajeel queria ajuda-lo, mas, uma horda estava na frente dele... Continuava os golpeando da maneira mais rápida possível.

Gajeel tomou um susto quando um a um os zombies começaram a cair... E quando olhou para o alto de uma arvore... Uma garota de cabelos azulados os ajudava matando os zombies lá de cima.

- Corram seus idiotas. – gritou a garota atirando em mais três zombies seguidos.

Gajeel e Gray correram e a garotas foi logo atrás dele.

- Me sigam... Eu sei um lugar seguro.

Lucy e Loke estranharam quando viram a aproximação dos amigos com uma garota desconhecida, mas, não questionaram.

- Quem é você? – perguntou Gray.

- Juvia. – respondeu de forma seca.

Pov’s Lyon

Lyon estava na cabana com seus amigos... Mesmo que fizesse sua pose de forte a cada dia ele pensava em Sherry... Preocupado se ela estaria bem ou não...

Lyon sabia que a namorada era uma garota forte, mas, esse mundo não importava o quão forte você fosse... Sempre precisava ser mais forte do que era.

- Está pensando em Sherry? - perguntou Jellal sentando do seu lado.

- Estou preocupado com ela... – disse Lyon.

- A Sherry é uma das garotas mais fortes que conheço. – disse Jellal. – Tenho certeza que ela vai ficar bem.

- Eu também sei disso, mas, não consigo deixar de ficar apreensivo sobre o assunto.

- Eu entendo.

Pov’s Erza

Erza estava tomando banho junto com Wendy em um lago que tinha próximo a cabana... Erza estava bem suja e a garota não ficava muito atrás e seria bom tirar a sujeira do corpo.

- Tia Erza... O Gray está bem? - perguntou Wendy com os olhos brilhando.

Erza deu um sorriso confortante para Wendy.

- Eu já falei que ele está bem querida. – disse Erza em um doce tom de voz. – Ele está precisando resolver uns problemas no momento, mas, logo ele irá voltar para todas nós.

Erza esperava que tudo isso fosse verdade e que logo todos os seus amigos voltassem para ela e que eles pudessem sobreviver todos juntos... Cuidaria da pequena Wendy para Gray até a volta dele.

Quando terminaram de tomar o banho vestiram suas roupas e se dirigiram em direção a cabana... Os olhos de Erza brilharam com o que ela viu.

Vários balões verdes voavam pelo céu... A mesma cor que seus amigos tinham usado na gincana da escola. Mesmo que não fosse certeza aquilo poderia ter ao menos uma pequena a porcentagem de chance de ser o que ela estava pensando e serem seus amigos a estarem mandando aquele sinal para ela.

- Vamos correr Wendy... Precisamos falar com o Jellal e com o Lyon agora. – disse Erza com um sorriso completamente esperançoso no rosto.

Wendy fez um olhar confuso para Erza.

- Mas, o que houve?

- Explico no caminho. – respondeu Erza.

Wendy ainda se sentia um pouco confusa, mas, decidiu não discutir com Erza. E com um sorriso no rosto Erza seguiu em direção a cabana em que estavam Lyon e Jellal. Com certeza os dois ficariam felizes com a notícia de que poderiam reencontrar os amigos... E Erza esperava que tudo aquilo que ela pensasse fosse realmente.

 

 


Notas Finais


Para aqueles ansiosos pela aparição da Juvia ai está... Sobre o relacionamento Jerza, eu espero que vocês entendam... Terão alguns relacionamentos que de fato eu irei me apronfundar mais, porém Jerza não é um desses, então vou deixar para a imaginação de vocês como tudo aconteceu... E ai o que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...