História Z Apocalipse - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Alzack, Bisca Connell, Cana Alberona, Erza Scarlet, Eve Tearm, Evergreen, Freed Justine, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Hibiki Lates, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Natsu Dragneel, Ren Akatsuki, Rogue Cheney, Sherry Blendy, Sting Eucliffe, Wendy Marvell, Yukino Aguria
Tags Apocalipse, Fairy Tail, Gale, Gruvia, Jerza, Nalu, Zombie, Zumbi
Exibições 93
Palavras 2.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pessoal, essa fanfic está planejada para ter mais de 60 capítulos, talvez eu faça mais ou não, mas, por enquanto é isso que está planejado. Boa leitra.

Capítulo 13 - Capítulo 13


Pov’s Loke

A vida de Loke tinha se tornado um inferno... Mal tinha feito um dia que ele estava naquele lugar, mas, já tinha noção de como era ruim.

Ele não tinha visto Lucy ou Gray desde o que aconteceu com eles na floresta. E Gajeel... Os dois deviam estar muito abalados, mas, Loke achava bem difícil que estivessem pior que ele.

Midnight dava para ele apenas ração de cachorro e fazia com que ele bebesse água em uma tigela e ainda por cima ele ficava preso no chão com uma corrente de cachorro. Nesse meio tempo ele tinha visitado Loke apenas umas duas vezes e ainda por cima para chicotear ele.

Loke passou o dia todo no canto daquele quarto, acorrentado como um verdadeiro animal... Mas, preferia ficar sozinho do que ter que conviver com aquele monstro, mas, nem sempre o que se desejava acontecia.

- Olá meu cachorrinho. – disse Midnight entrando com um sorriso psicopata no rosto e Loke se manteve calado. – Eu disse “Olá meu cachorrinho.” – gritou Midnight. – Quando eu falar com você, você tem que me responder. – Midnight começou a chicotear Loke diversas vezes. – Irei falar de novo... Olá meu cachorrinho.

- Olá. – respondeu Loke de maneira direta.

- Bom garoto. – Midnight deu dois tapinhas na cabeça dele. – Você deve estar preocupado com seus amigos não é? Te garanto que eles não estão nada bem, mas, o que acontece com eles não é problema meu...

Loke o olhou nos olhos.

- O que aconteceu com eles?

Midnight desferiu uma chicotada.

- O cachorro só fala quando o dono manda. E não interessa para você o que aconteceu com seus amigos... Apenas me obedeça, agora você é meu. Estamos entendidos? – perguntou Midnight.

Midnight deu uma forte chicotada no rosto de Loke que fez com que sangue começasse a escorrer pelo seu rosto.

- Vou perguntar mais uma vez... Estamos entendidos?

- Sim.

Pov’s Lucy

Lucy tinha perdido as contas de quanto tempo estava naquele lugar... Ela havia sido separada de Gray quando chegaram e colocada numa cela junto com uma garota de cabelo branco chamada Yukino... Elas não haviam conversado muito desde então. Todas as noites Lucy ouvia gritos de garotas, mas, ela nunca sabia o que acontecia. Ela havia sido obrigada a usar roupas brancas que na verdade não eram mais tão branca assim e uma pulseira com numeração.

Cansada e confusa finalmente resolveu falar com a garota.

- Com licença...

A garota olhou para ela assustada.

- Por favor não me machuque...

Lucy tentou manter um doce tom de voz.

- Eu não vou machucar você... Só quero que me explique o que acontece nesse lugar.

Os olhos da garota se encheram de lágrimas.

- Eles são uns monstros. Eles machucam as pessoas pelo puro prazer... Aqui nesse lugar só ficam garotas e todas as noites eles... Eles fazem coisas horríveis. Nossa hora vai chegar...

Lucy ficou perplexa.

- Não tem como a gente sair daqui?

Yukino começou a se tremer e chorar ao mesmo tempo.

- Impossível... Eles vão nos pegar e depois nos torturar e por fim nos matar, todos eles são monstros horríveis.

Lucy ainda não conseguia acreditar que realmente existiam pessoas que matavam e torturavam outras por puro prazer, mas, o que a mais preocupava é o que poderiam fazer com ela... A tal coisa que Yukino que disse que faziam com as garotas durante a noite... O que ela não esperava era que fosse descobrir mais cedo do que esperava.

Naquela mesma noite um dos guardas entrou em sua cela.

- Olá minhas queridas.

- O que você quer? – perguntou Lucy furiosa.

O guarda se aproximou e deu um choque em Lucy.

- Me respeite sua vadia... Ou vou ter que te ensinar da pior.

Naquele momento tudo que Lucy sentia é raiva.

- Vai se foder.

- Veremos quem será fodido.

O homem se aproximou de Lucy, quando ela se levantou para correr ele a puxou pelo cabelo a jogou pelo chão.

- Se você der um passo eu te mato. – disse o guarda se referindo a Yukino que se encontrava em um canto se tremendo. – Agora vamos voltar ao nosso assunto.

Lucy estava fraca, pois, eles a alimentavam poucas vezes no dia, e não é como se ela já tivesse tanta força. Lucy se virou de frente para o homem e ele foi para cima dela segurando seus braços.

- Se você não se mexe será tudo mais fácil.

O homem rasgou sua blusa com uma faca que estava na sua mão direita... Enquanto com a outra segurava as frágeis mãos de Lucy.

- Eu não sou sua vadia. – gritou Lucy dando uma joelhada no saco do homem.

O homem urrou de dor e seus olhos se encheram de lágrimas e mesmo assim partiu para cima de Lucy acertando um soco no rosto da garota.

- Isso só deixou tudo mais excitante.

O homem puxou pelos cabelos e a jogou de costas pro chão.

- Vamos lá... Seja boazinha.

Lucy se sentia tonta com o soco que tinha levado... Seu nariz sangrava e sentia seu rosto latejar.

O homem tinha começado a tirar sua calça branca de pano e quando ela estava seminua partiu para tirar sua calcinha... O homem se distraiu achando que Lucy não resistiria mais, porém, ela estava mais determinada do que nunca... Levantou a parte de cima de seu corpo e cravou seus dentes na bochecha do homem, arrancando um grande pedaço e logo cuspindo no chão.

O homem gritou de maneira descontrolada enquanto sua bochecha não para de sangrar.

Lucy pegou a faca que ele tinha deixado cair no chão quando foi pegar na sua bochecha arrancada e cravou na sua cabeça... Pela primeira vez Lucy se sentiu forte e independente e sentiu como se não precisasse de ninguém para defende-la.

Lucy vestiu sua calça e foi até Yukino.

- Vamos sair daqui Yukino... Agora.

Lucy conseguiu sentir um pouco do gosto de sangue na sua boca não importava o quanto ela cuspisse.

- Não posso sair daqui. – dizia Yukino chorando. – Eles vão nos pegar.

- Você quer passar sua vida presa nessa porra de lugar? – gritou Lucy. – Esse mundo não tem mais lugar para covardes... Vamos sair daqui logo.

Yukino secou suas lágrimas e se levantou até Lucy.

- Então vamos.

As duas correram pelo corredores... Haviam várias portas e com certeza outras garotas também estavam ali dentro. Lucy agora só queria dar um jeito de salvar ela e Yukino, não podia se dar ao luxo de tentar salvar outras pessoas.

Com o molho de chave do guarda abriu a porta que a tirava da ala de celas, mas, todas suas esperanças sumiram quando viu o que estava a sua frente.

Uma mulher bem bonita por sinal... De cabelos brancos armada com uma escopeta e com guardas atrás estava de frente para ela.

- Olá querida... Sinto lhe informar, mas, você não irá fugir daqui.

Pov’s Gray

Mesmo tempos depois Gray ainda sentia uma leve dor em algumas partes do corpo devido a surra que tinha levado.

Eles faziam Gray trabalhar para eles todos os dias... Não era bem um trabalho, mas, na cabeça daqueles doentes aquilo era trabalhar... Gray e mais ou menos umas duas dúzias de outros garotos e homens tinha que carregar uma pedra pesada no lado de fora daquele lugar, que Gray já tinha certeza que era um hospício que tinha sido modificado para se tornar um inferno.

Após mais um dia de trabalho sem sentido algum e pesado... Gray teria sua única refeição durante a noite junto com seus companheiros de cela Rogue e Sting, cujo qual só sabia o nome pois via os dois falarem entre si. Gray não sabia muito deles e não gostava de se comunicar, mas, pelo o que Gray tinha percebido o dois já se conheciam de longa data.

A comida era servida para eles no chão e eram obrigados a comer com a mão... E uma vez na semana eles tinham que ser chicoteados por 5 minutos sem parar... Como Gray só tinha sofrido isso uma vez, imaginou que estava lá a pelo menos uma semana.

Não conseguia entender o porquê de tudo aquilo, o porquê daquelas pessoas fazerem tudo aquilo... Não havia nenhum um prazer no ponto de vista de Gray em torturar as pessoas.

Sentando em seu canto após ter comido sua refeição e depois de um longo tempo os dois garotos vieram conversar com Gray.

- E ai cara. – disse Sting de forma tímida.

Gray ficou bem desconfiado.

- Oi.

Sting coçou a nuca.

- Eu sei que é estranho a gente só vir falar com você depois de tanto tempo, mas, só queríamos ter certeza de uma coisa antes...

- O que? – perguntou Gray.

- Que você é uma pessoa confiável.

- E eu sou? – perguntou Gray.

- Você é? – perguntou Sting.

- Eu me considero.

- Então acho que você é.

Rogue estava olhando para Gray com um olhar assustador.

- Não acho que seja sensato confiar em alguém assim Sting.

Sting revirou os olhos.

- Que escolha nós temos? Precisamos de mais alguém para o nossos plano dar certo... Se for só nós dois nunca vamos conseguir.

- Do que vocês estão falando? – perguntou Gray.

Sting olhou para Rogue.

- E ai? Como vai ser?

- Tanto faz.

Sting deu um sorriso.

- Então eu vou contar... Temos um plano para fugir desse lugar... Tá afim de participar?

- Por mim tudo bem... – Gray faria de tudo para sair dali, mas, ele ainda teria que salvar Lucy e Loke no qual não fazia a menor ideia do que tinha acontecido com eles.

Pov’s Natsu

Eles passaram todos esses dias planejando as coisas nos mínimos detalhes... De acordo com Juvia o lugar era bem protegido e eles não estavam em uma situação tão boa assim. Precisavam pegar armas e fazer estratégias de como invadir o lugar.

- Vamos repassar o plano apenas mais uma vez. – disse Juvia. – Não podemos deixar nada dar errado se não tudo irá por água a baixo. Lyon e Laxus vocês virão comigo e nós iremos em busca de armas...

- Onde exatamente? – perguntou Lyon.

- Eu conheço uma delegacia... Não é nada perto. Vai demorar uns 2 dias andando e teremos sorte se encontrarmos alguns veículos... Mas, eu sei que ainda tem armas lá porque foi onde eu e o meu antigo grupo pegamos... E só por precaução deixamos algumas escondidas.

Laxus deu um sorriso.

- Ótimo.

- E os outros vão ficar aqui na farmácia esperando enquanto nós voltamos. – disse Juvia.

Natsu não gostava nenhum pouco da ideia de ficar esperando, mas, resolveu não discutir.

Pov’s Levy

Levy estava sentada sozinha em um canto da farmácia... Às vezes ela queria ser boa em usar arma também... Mas, tudo o que ela sabia era um pouco sobre medicina que ela tinha aprendido lendo livros.

Levy não tinha muitos amigos mesmo antes do mundo ficar desse jeito... Tudo que ela tinha era sua família e seus livros... Ela amava ler e lia qualquer tipo de coisa, por isso que sempre ela foi uma garota prodígia...

- E ai baixinha. – disse Laxus a tirando de seus pensamentos.

- Ah... Oi.

- Não vai me desejar boa sorte na minha busca?

Levy revirou os olhos.

- Mas, vocês vão ir atrás das armas só amanhã.

- Você pode me desejar um boa sorte antecipado. – ele riu.

- E eu acho que amanhã eu vou lhe dar um boa sorte.

- Estarei esperando ansiosamente por ele. – disse Laxus indo embora.

Levy tinha ficado muito próxima de Laxus... Devia ser porque ela havia salvado a vida dele o ajudando com seu ombro ou porque eles tinham ficado um bom tempo juntos quando todos haviam se separado.

Mas, ela não podia negar que gostava um pouco disso... Apesar de Laxus aparentar ser um cara durão ela sabia que no fundo toda pessoa tinha um lado sensível.

Levy cortou seus pensamentos e foi pegar alguma coisa para comer... Amanhã seria o dia que o plano teria início, e como ela não podia lutar... Estaria torcendo por seus amigos.


Notas Finais


Então pessoal... O que acham que estar por vir nesse novo arco?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...