História Z nation - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Carl Grimes, Daryl Dixon, Glenn Rhee, Rick Grimes
Tags Ação, Mistério, Policial, The Walking Dead
Exibições 10
Palavras 921
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


No capitulo anterior você ficou se perguntando se foi mesmo o governador que mandou explodir Atlanta.
Neste capitulo você vai descobrir se realmente foi ele e o que Eyda vai fazer em relação a tudo isso!
Ela vai conseguir salvar Chicago e a si mesma ?

Capítulo 6 - Nesta triste vida


Fanfic / Fanfiction Z nation - Capítulo 6 - Nesta triste vida

- ME RESPONDA LOGO!

- Senhorita Eyda eu nem sei por onde começar!

- É mesmo? Mais eu sei! Que tal você me responder se você tem alguma coisa haver com Atlanta ter sido explodida! (perguntava cada vez mais nervosa).

- Sim fui eu sim! Eu mandei porque era a única solução, não temos o conhecimento como esse vírus se espalhou se foi pelo ar, pela comida ou até mesmo a convivência das pessoas uma perto das outras.

- Então você está me dizendo que todas as pessoas estão infectadas! Se uma pessoa morrer sem ser atingida na cabeça ela vai virar um zumbi?

- Sim! É isso que eu estou dizendo.

- E você vem me falar isso nessa calma? Você quer mesmo explodir Chicago?

- Senhorita Eyda acalme-se! Isso só ira acontecer se acontecer se Chicago tiver o mesmo rumo que Atlanta!

- Calma? Você me pede pra ter calma? Você não acha que quando todas as pessoas ficarem sabendo elas não vai ficar em pânico e mais pessoas vão morrer por medo, porque elas não sabem com o que estão lidando e não sabem se proteger? Por que logo vai sair na rádio o “incidente” de Atlanta e você será o culpado de tudo!

- Eu entendo a sua preocupação, mas eu lamento em informá-la que não tem mais jeito esse agora vai ser o mundo que teremos que viver, ou melhor, sobreviver.

- Você está calmo demais pra mim! Você não se incomoda em saber que todas as pessoas já estão mortas e que tudo não passara de uma questão de tempo?

- Mais aconteceu senhorita Eyda! Isso foi uma experiência mal sucedida!

- Para você tudo isso é uma experiência mal sucedida? Diga-me quem está por trás de tudo isso e quem fez essas experiências!

- Sinto muito senhorita, mas isso é sigilo do governo!

-COMO É? Quando você pretende contar para as pessoas?

- Senhorita a nossa conversa acaba aqui! E em breve eu vou precisar de sua ajuda e garanto uma coisa, a senhorita será bem recompensada!

- Mais do que você está falando?

Quando ia perguntar mais uma coisa a ele seus seguranças me tiram de sua sala!

- Senhorita saia, por favor, (falou o segurança do governador)

- Já estou saindo! E não pense que a nossa conversa acaba aqui “senhor” governador!

Sai do Palácio da Nova Ordem muito estressada e sem saber o que pensar sobre o que o governador tinha me falado.

Não sabia o que fazer com tudo que estaria por vir muito em breve. Será que eu conseguiria sobreviver e deixar meus amigos e família vivos e seguros até que alguém achasse uma cura?

Quando cheguei ao QG expliquei a situação e o que eu tinha conversado com o governador expliquei para toda tripulação. Eles ficaram espantados e com certeza sem saber o que fazer. “Às vezes o mais forte dos soldados acaba sendo o que mais se abala com situações complicadas, mas ele não pode desistir” é o que meu pai sempre me diz.

Assim que eu saindo do QG a capitã Carla veio falar comigo.

- Senhora Eyda? Eu sei que estamos todos apavorados, mas como à senhora sempre diz “temos que ser fortes e saber lidar com as situações”. Então a única opção é fazer o que fizeram com Atlanta e sairmos para procurar um lugar seguro fora da cidade. (disse a capitã Carla com a cabeça baixa).

- Sim infelizmente é o teremos o que fazer!... Mas vamos conseguir superar tudo isso e vamos esperar o inesperado com sempre fizemos. Daqui a alguns minutos a noticia vai sair nas rádios e jornais (falei com um ar triste sempre desfiando o meu olhar pra baixo).

A gente se despediu e não pude acreditar no que teríamos que fazer daqui a algumas semanas.

Fui para a casa da Tracy e quando cheguei lá a Elizabeth também estava.

- Oi Eyda! (as duas falaram ao mesmo tempo desanimadas).

- Olá meninas! Vocês ouviram tudo na radio né?

- Sim a gente ouviu e não sabemos o que fazer e nem onde mais é seguro! (disse Tracy bem cabisbaixa quase chorando).

- Olha Eyda a gente vai conseguir! (disse Elizabeth com um sorrido tentando nos animar).

Levantei-me do sofá de disse em voz alta e confiante como sempre faço.

- Não importa o que vier nos vamos sobreviver e lutar para vencer as dificuldades que estarão por vir. Todos nós, juntos. Aparte de hoje! Nesta triste vida.

 Assim que falei isso parece que alguém jogou uma granada perto de um caminhão de gás que explodiu imediatamente em frente à casa da Tracy. Fazendo assim com que os vidros das janelas da casa explodissem junto, e as cortinas, tapete e os sofás pegassem fogo e fomos pro chão no momento em que a granada explodiu.

-Droga a minha cabeça! (minha cabeça doía e não parava de sangrar assim como minha perna e meu braço esquerdo).

- TRACY, LIZA! Vocês estão bem?  (perguntei olhando prós lados ainda deitada no chão).

- Eu estou bem sim! (disse Tracy).

- Também estou Ey! (disse Liza).

Levantei-me e ajudei minhas amigas a se levantarem também. A sala da casa da Tracy estava toda destruída e pegando fogo. Saímos de dentro da casa para ver o que aconteceu.

Eu fui pro meio da rua mancando, pois estava com a cabeça, perna e braço esquerdo feridos e sangrando.

- Mais que droga aconteceu aqui? Porque explodiram esse caminhão?

- EYDA CUIDADO! (Gritou Tracy e Liza).


Notas Finais


Eyda realmente está a disposição do governador para uma futura explosão em Chicago?
Quem explodiu o caminhão e porque!
Qual o motivo de Tracy e Liza ter gritado?
O que aconteceu com Eyda? Quem vai ajuda-la?
Só no próximo capitulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...