História Z nation - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Carl Grimes, Daryl Dixon, Glenn Rhee, Rick Grimes
Tags Ação, Mistério, Policial, The Walking Dead
Exibições 11
Palavras 1.021
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


No capitulo anterior ocorreu um acidente com a Liza,a Tracy e a Eyda. E você ficou se perguntando o que aconteceu com a Eyda.
Neste capitulo você vai descobrir se ela está bem ou não e vai descobrir se alguma pessoa se quer foi ajuda-la.

Capítulo 7 - Internamento


Fanfic / Fanfiction Z nation - Capítulo 7 - Internamento

- EYDA CUIDADO! (Gritou Tracy e Liza).

- O que?! Mais que droga!

Um zumbi que estava em chamas por causa da explosão veio em minha direção e ele cai em cima de mim e me derruba no chão. Minha cabeça, braço e perna estavam sangrando muito então fiquei sem reação para me movimentar, mas tentava empurrá-lo com meu outro braço. Como o zumbi estava em chamas à manga do meu uniforme estava pegando fogo.

- EYDA! Vamos ajudá-la (disse Liza e Tracy vindo em direção a mim).

- Não venham pra cá vocês podem acabar se ferindo! (Disse isso já com muita dificuldade de conter o zumbi, pois o meu braço estava queimando).

Quando conseguir jogar o zumbi pro lado para eu me levantar uma flecha acertou sua cabeça.

- Mais que droga! (arranquei a manga do meu uniforme logo em seguida, mas eu já estava com queimaduras).

- Liza, Tracy de onde veio essa flecha? (perguntei ajoelhada no chão sentindo muita dor).

Tracy e Liza vieram para perto de mim me ajudar a levantar.

- Eu não sei eu... (antes que Liza pudesse terminar de falar um homem apareceu).

- Você esta bem? (ele perguntou se aproximando da gente).

Era um homem alto e que estava segurando uma crossbow, ou melhor, dizendo uma besta.

- Se você diz que está viva do jeito que estou é está bem, então estou ótima! Quem é você? Por que me ajudou?

- Meu nome é Daryl Dixon! Eu te ajudei porque você estava precisando de ajuda, só por isso mesmo. E você quem é? (ele me perguntou retirando a flecha da cabeça do zumbi).

- Meu nome é Eyda Walk! E obrigada por mi ajudar! (estava tentando levantar).

- Eyda não se esforce! (disse Tracy segurando no meu braço).

- Você deveria procurar um médico Eyda! Você não está bem! (disse Daryl agachado em minha frente com um sorriso irônico).

Quando ele disse isso eu também dei um sorriso irônico, quase caindo.

- Você acha mesmo que eu não estou bem? (quando disse isso cai no chão e desmaiei de tanta dor que sentia).

- Eyda! Eyda! (disse Lisa e Tracy).

-Vocês precisam leva-la ao médico. (disse Daryl).

Podia ouvir a voz da Tracy, da Liza e do Daryl bem distante quando os meus olhos iam se fechando.

Quando acordei havia uma luz bem forte em meu rosto, estava ainda meio tonta. Retirei o soro que estava em meu braço e me sentei na cama quando olhei pra frente vi umas flores e quando olhei pro lado Pedro estava dormindo sentando no sofá.

- O que? Pedro! Pedro acorde (me levantei da maca e o sacudir).

- Anh? Que? Eu só... Eyda! Você acordou. Graças a Deus.

- O que aconteceu? Por que você está aqui? (me sentei do seu lado e segurei sua mão).

- Você esteve em internamento. E passou dois dias dormindo. Os médicos cuidaram dos seus ferimentos e da queimadura em seu braço.  Mas agora você está bem! (ele sorriu enquanto falava comigo).

- O que aconteceu durante esse tempo que eu fiquei dormindo?

- Bem... Nada de tão especial e fora do normal, à contaminação está piorando cada vez mais. E o governador disse que daria no máximo uma semana para que as pessoas evacuassem a cidade.

- Eu tenho que falar logo com ele. Muitas pessoas já saíram da cidade?

- Muitas pessoas ainda estão arrumando suas coisas e estocando comida para que possam seguir caminho. (Pedro falou isso com um olhar triste).

- Mas... Pedro você ainda não foi arrumar as suas coisas?

- Bem eu? Seus pais estavam aqui, mas eu pedir a eles que deixassem que eu ficasse com você para eles descansarem. Eu fiquei tão preocupado com você que não pude lhe deixar aqui, e eu rezava para que você acorda-se.  

Assim que disse isso ele começou a chorar.

- Eu fiquei sem saber o que fazer e não queria te deixar aqui do jeito que estava. Eu precisava de alguém que sempre estivesse comigo me apoiando e me acompanhando e essa pessoas sempre foi você.

- Pedro... (sem pensar duas vezes o abracei) Obrigada por tudo.

Eu me troquei, quando sair do quarto o hospital estava meio vazio, mas os médicos ainda estavam aqui para cuidar das pessoas antes do plano de evacuação.

- Eyda vamos logo sair daqui. (disse Pedro segurando minha mão).

- Certo vamos logo!

Pedro tinha ido me deixar em casa. Assim que me despedir dele e abrir a porta a minha irmã deu um pulo em cima de mim e me abraçou.

- Eyda que bom que está bem, fiquei muito preocupada. Você gostou das flores que eu tinha deixado pra você?

- Claro que eu estou bem Katy. E sim eu amei as flores. (disse isso com um sorriso no rosto).

- Katy cadê a mãe e o pai?

- Eles saíram para pegar alguns recursos pra gente. Disseram que votariam logo. Eles estavam sem saber o que fazer quando ficaram sabendo que você estava no hospital. A mãe e o pai estavam lá com você, só que o Pedro disse que eles podiam ir que ele ia ficar lá com você até acordar.

- Eu tenho que agradecer muito a ele por tudo isso. Pois muito bem... Katy fala pra mãe e pro pai que eu sair para resolver algumas coisas.  

- Eyda espere... A Liza e a Tracy ligaram. Elas disseram que quando você saísse do hospital que elas queriam lhe ver.

- Diga a elas que depois falo com elas. (sair em seguida às presas para falar com o governador).

Telefonei para a capitã Carla me encontrar lá no Palácio da nova ordem.

Quando cheguei, ela já estava me esperando.

- Capitã Carla nós não temos muito tempo, vamos falar logo com o governador. (falei isso andando ligeiramente indo direto para a sala do governador).

- Senhoritas vieram falar comigo? (disse ele apoiando seus cotovelos em sua mesa).

- O que queria nós falar? (perguntei a ele impaciente cruzando os braços).

- Vocês estão dispostas para explodir Chicago daqui a uma semana?

 


Notas Finais


Quem é realmente esse cara que apareceu para ajudar a Eyda no último momento? O que ele quer?
Fora a isso parasse que a Eyda está bem.
Mas ela e a capitã Carla estão mesmo dispostas a explodir Chicago?
Só no próximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...