História Zaptoss e a Maldição do Leão - Capítulo 20


Escrita por: ~

Visualizações 36
Palavras 2.094
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá senhores uwu. Turubom?
Enfim, me desculpem pelo tempo sem postar um cap, mas como eu disse no último cap eu estaria estremamente ocupado e com extrema pressão. Eu até andei escrevendo, mas acabava não saindo do jeito que eu queria então não postava.
Mas o bom é que eu estou de volta uwu
Postarei até com mais frequência pelo aumento significante do meu tempo livre.
Então é isso, tenham uma boa leitura uwu.

Capítulo 20 - A última batalha da arena: Dor e angústia.


P.O.V Belial

– Belial? Por que não o ajuda Belial? Onde está a sua força? Onde está todo aquele poder que você me mostrou? - Dizia aquela voz demoníaca.

O tempo estava parado, lá no meio da arena eu conseguia ver Timothy, Sheila e Yuukino a centímetros de se chocarem. - Por que você está aqui de novo? - Perguntei.

- Eu estou aqui para te ajudar. - Disse ele se revelando a meu lado, como sempre com o corpo coberto por seu manto negro.

- Me ajudar? Como você poderia me ajudar agora? - Perguntei curioso com a resposta que o mesmo poderia me dar.

- Eu posso te dar poder… - Disse ele sumindo e reaparecendo mais próximo a mim.

- Poder? - Perguntei baixinho.

- Sim poder. O poder que você pode usar para acabar com toda essa luta, com todo esse sofrimento, o mesmo poder que você já experimentou uma vez. Você se lembra da sua luta, não lembra? - Disse ele se sentando bem próximo a mim.

Todas aquelas palavras me fizeram pensar, me fizeram lembrar o poder que eu tive contra Dylan. Aquele poder realmente poderia me ajudar, aquele poder realmente poderia fazer com que essa luta acabasse e que toda a dor que eu sentia e sinto acabe, pois finalmente serei reconhecido, não mais serei ferido com palavras e olhares de julgamentos.

- Belial, você não pode aceitar esse poder… - Disse uma voz muito familiar, olhei para o outro lado e lá estava Alastor, com um leve sorriso e me olhando com seus olhos nos meus. - Você sabe Belial que você nunca realmente precisou desse poder para ser forte, para ser capaz de mudar tudo. - Disse ele calmamente.

- Cale-se maldito leão, sempre nos atrapalhando a conseguir todo o poder que podemos ter. - Disse irritado a voz demoníaca.

Tudo me parecia muito confuso, por um lado eu realmente precisava de poder, mas por outro eu poderia apenas lutar com tudo o que tenho e tentar mostrar meu valor a todos.

- Por que ainda está com dúvida? - Perguntou a voz. - Por que resiste tanto a ser poderoso? Por que você não aceita o seu destino?

- Belial, você sabe que não precisa de nada disso, nunca precisou. - Disse Alastor, logo a seu lado apareceu Ariel com um sorriso leve e com um olhar um pouco preocupado.

- Ele tem razão Belial, você nunca realmente precisou de poder para ser especial. Você é diferente de todos nós, seus antecessores, você vai mudar tudo aquilo que tentamos e falhamos durante milhares de anos. - Disse Ariel calmamente, sua voz estava leve e sem nenhuma pressão.

- Ah, ótimo mais um leão maldito. Engraçado, vocês falam isso para ele, mas todos seguiram os meus conselhos. Todos escolheram o poder e agora estão ai fazendo com que o pobre Belial não tenha o mesmo poder que vocês tiveram. - Disse a voz demoníaca a meu lado soltando uma gargalhada. - Mas bem, eu não vou mais segurar você Belial, a escolha é sua. Você que deve escolher o caminho que deve seguir, o caminho de sofrimento mais longo ou o caminho que acaba com seu sofrimento agora mesmo, até que você decida vamos deixar a luta continuar. - Disse ele batendo palma duas vezes.

Logo que ele bate as duas palmas todos desaparecem, e novamente o tempo começa a rodar, no meio da arena ocorre um choque poderoso que levanta uma imensa poeira, a força era tão grande que quando a pressão chegou a mim eu senti o poder que foi emanado e fechei meus olhos para que os mesmos não se machucassem, após alguns segundos abro meus olhos novamente e finalmente pude ver os três ao meio da arena, Sheila sorrindo, Timothy sem expressão e Yuukino cheio de cortes por seu corpo. A imagem de Yuukino todo ferido me chocou, meu peito se apertou, me veio uma vontade imensa de chorar naquele momento, era como se eu sentisse que ele poderia escapar de minhas mãos, era como se eu pudesse perder ele.

- Olha só, parece que o gatinho não aguenta dois de uma vez não é? Tá todo machucadinho. - Diz Sheila com um sorriso no rosto, um sorriso largo de prazer por ver a imagem ferida de Yuukino. Logo com o mesmo sorriso ela olha para Timothy, mas vendo que o mesmo não expressava nada se irritou e torceu a boca rangendo os dentes de raiva.

- Cof. Cof. Eu posso até não conseguir aguentar vocês dois, mas sozinhos vocês não conseguem me vencer. - Mentiu Yuukino tossindo um pouco de sangue e abrindo um leve sorriso, apenas provocando mais a raiva de Sheila.

- Maldito… - Sussurrou Sheila irritado rangendo mais ainda os dentes. - Pois bem, será como disse, iremos te humilhar então. - Disse ela torcendo um sorriso de raiva. - Timothy, você lutará com ele sozinho, use todo o seu poder e acabe com esse maldito. - Disse ela em alto e bom som para que todos da arena pudessem ouvir, logo que todos ouviram isso se calaram. Pensei eu que eles ficaram com medo e impressionados com aquilo, mas não. Logo após alguns segundos gritos de felicidade foram se juntando e entraram e uníssono, ou seja, entraram mais uma vez em euforia.

Após isso, Timothy começou a andar e ficou frente a frente com Yuukino, ambos se entre olhando e ao fundo estava Sheila que se sentou no ar os observando com um sorriso no rosto. Yuukino abriu um leve sorriso para Timothy e novamente se preparou para a luta liberando todo o seu poder, seu corpo entrou em chamas novamente e logo seus machucados começaram a se curar lentamente. Sheila que os observava torceu novamente seu rosto, desmanchando seu sorriso e rangendo seus dentes. Timothy por sua vez juntou seus pés e alinhou sua coluna, colocou seus braços a cima de sua cabeça e no céu começou a se formar uma nuvem nimbus e dela saiu um raio que o atingiu, o mesmo absorveu toda a energia liberada pelo raio, e a transformou em sua armadura completa, assim que sua lança foi formada em sua mão um som de trovão ensurdecedor ecoou por toda a arena, fazendo com que todos da plateia gritassem e tampassem seus ouvidos. Eu até mesmo fechei meus olhos por não conseguir me mover. Minha cabeça, com aquele som, parecia que poderia explodir a qualquer momento. Assim que eu abri os olhos notei que Timothy estava totalmente envolto com sua armadura dourada, totalmente eletrizada, já Yuukino com um leve sorriso no rosto, estava em combustão constante.

- Vamos começar. - Disse Yuukino ainda preparado para a luta. Logo que Timothy escuta isso o mesmo gira sua lança e a aponta para Yuukino preparado-se para lutar.

Como esperado, ambos avançaram em um único pulo e se chocaram violentamente no centro da arena e logo se repelindo. Assim que ambos sairão do meio da poeira que levantaram notei que Yuukino segurava duas lâminas feitas com suas chamas negras, mas o mesmo novamente estava com seu braço ferido. Já Timothy não sofrera nenhum arranhão, sua armadura estava perfeita.

- Por favor, não vamos usar armas. - Pediu Yuukino. - Não é permitido matar nos jogos, não é mesmo diretor! - Gritou Yuukino para Aslan que estavam os observando, desconcertado o mesmo foi até o microfone e disse.

- Como dito por Yuukino armas são proibidas, por favor, as desativem ou serão desclassificados. - Disse Aslan um pouco envergonhado ao microfone.

Dito isso Yuukino desmanchou suas lâminas e Timothy jogou sua lança para perto de sua irmã. Logo depois ambos se preparando e avançaram um contra o outro e logo seus punhos se chocaram no meio da arena, rachando um pouco do chão da arena, a pressão aumentou e consecutivamente uma cratera se formou. Ambos se repeliram e dessa vez nenhum dos dois saíram machucados, mas Yuukino começa a demonstrar traços de cansaço, afinal o mesmo estava lutando sozinho contra dois lutadores absurdamente fortes, entretanto em nenhum momento ele desmanchou seu sorriso, mesmo cansado, mesmo notando que não venceria, mesmo ferido, em nenhum momento ele fechou o seu sorriso. Ele olhava para mim várias vezes seguidas, e cada vez mais eu notava seu cansaço, sua angústia, sua preocupação. A luta continuou, diversas vezes ambos se chocaram com seus punhos no meio da arena aumentando bruscamente o tamanho da cratera. Depois de um tempo a luta se tornou mais intensa, não somente se chocando e se separando, mas também trocando rapidamente diversos socos e chutes. Até que finalmente ficaram ambos ofegantes, era notório o cansaço em ambos, Yuukino ofegante, respirando forte e rapidamente, já Timothy respirando levemente, entretanto o mesmo também estava ofegante.

A chama de Yuukino começara a diminuir de intensidade, antes era maravilhosa e brilhante, agora está fraca e fosca. O mesmo acontecia com a armadura de Timothy, entretanto o mesmo poderia novamente pegar todo o poder perdido com apenas um raio.

- Bem… Parece que eu realmente não sou capaz de vencer… - Disse Yuukino quase perdendo sua chama, mas ainda sorrindo.

- É claro que você não venceria, somos os Enrich. - Disse Sheila ao fundo.

- Mas ainda sim eu vou tentar… - Ele abaixa a cabeça e foca seu olhar no chão. - Eu preciso continuar lutando… Eu quero continuar lutando, para que tudo mude, para que tudo melhore. - Diz ele levantando seu rosto com um olhar determinado e um sorriso largo e então olhou para mim, logo sua chama novamente volta a brilhar e crescer novamente.

Sua determinação e vontade fez com que seu poder aumentasse novamente. Então voltou seu olhar para Timothy, e avançou novamente sem pensar duas vezes, Timothy fez o mesmo e no centro da arena ambos se chocaram e trocaram chutes e socos, o chão da arena não aguentava tamanha pressão, então o mesmo começou a quebrar, as pedras soltas pulverizavam-se, a cada soco e chute uma rajada de vento se formava, as paredes começaram a sofrer danos, rachaduras começavam a se formar. A velocidade dos socos e chutes eram incríveis, impossíveis de se ver a olho nu. Tamanho poder sendo liberado e a arena poderia não aguentar, pela primeira vez uma das lutas está sendo mais intensa do que a luta de demonstração.

Ambos continuaram ali, trocando socos e chutes incansavelmente, até que Yuukino é acertado com um soco poderoso em sua face e o mesmo é lançado absurdamente rápido para a parede, o mesmo assim que se choca contra a parede forma uma cratera onde se afunda. Timothy após ter dado o soco apenas aterrissa no chão vagarosamente e caminha em direção ao buraco que o corpo de Yuukino fizera. Logo após alguns segundos foi possível ver a mão de Yuukino para fora do buraco e o mesmo sai de lá caindo no chão, seu corpo estava todo ferido e sua chama com apenas um soco se esvaiu, mas seu sorriso continuava ali exposto.

- É só isso que você tem? - Pergunta ele tossindo um pouco de sangue. Seu corpo todo ferido já não respondia totalmente aos seus desejos, mas ainda sim ele se levantou.

- Acabe logo com ele. - Diz Sheila em tom de comando.

Sem responder Timothy apenas avança e dá um soco no queixo de Yuukino o arremessando para cima e logo o mesmo se teleporta e começa a deferir socos e chutes contra Yuukino. Yuukino por si apenas continuava sorrindo, já não respondia mais a nenhum ataque. Eu vendo aquela cena não aguentei e comecei a chorar, meu peito estava doendo demais, eu tentei sair dali, mas a terra era forte, o que me restou foi apenas observar com dor. Logo Timothy começa a brincar dando socos e chutes fazendo Yuukino ser arremessado de um lado para o outro na arena, a plateia gritava com prazer de ver tamanho brutalidade, Sheila não se continha e gargalhava alto. Até que o último soco foi dado no abdome de Yuukino o arremessando no chão da arena com uma força brutal fazendo uma poeira intensa se levantar, fechei meus olhos e os abri após alguns segundos quando a poeira já tinha abaixado um pouco e vi Yuukino a alguns metros de mim, todo ensanguentado, com cortes em toda a extensão de seu corpo, o mesmo me notou ali, virou sua cabeça com o sorriso ainda estampado e fechou os olhos vagarosamente.

Não aguentei e finalmente gritei por seu nome, chorando com a dor de vê-lo em tal estado. - YUUKINO!!!!!!!!!!!!!!


Notas Finais


Bem é isso, espero que tenham gosta. Mudei o meu programa de escrita e espero que esse tenha me corrigido corretamente e que eu tenha feito tudo certo, caso algum erro apareça me desculpem.
Enfim, obrigado por lerem mais um cap e até o próximo uwu s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...