História Zombies - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Apocalipse, Sobrevivencia, Zumbis
Visualizações 11
Palavras 1.034
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Ô SUA MÔNICA

Capítulo 2 - Chapter two: we need to find food


Três dias se passaram, havia mais zumbis do que antes e todos famintos, não tinha mais água encanada e nem energia elétrica nas casa.

- Estamos ficando sem comida – disse Anna.

- Eu não tinha feito as compras desse mês – disse Brooke.

- Teremos que sair e procurar – falou Alex.

- É muito arriscado – disse Anna.

- É melhor arriscar do que ficar aqui esperando até morrer de fome – disse Brooke – Primeiro temos que ter um plano, senão vamos acabar sendo devorados pelos mortos vivos.

Alex fez uma cara de preocupação e abaixou a cabeça.

- Tem uma padaria na rua de trás, podemos ir lá dar uma olhada – sugeriu Anna.

- Temos que ter algo para nos defender dessas coisas.

- Você tem o machado, eu fico com o taco de basebol que está lá no seu quarto, e o Alex... Ele nem precisa de arma, vai ficar de motorista.

Ele parecia muito preocupado para quem só ia dirigir. Os três bolaram um plano genial, colocaram suas roupas mais grossas e as meninas pegaram suas armas.

- Olhe pela janela antes de abrir a porta Anna.

- Você acha que eu sou tão burra assim Brooke?

- Não comecem a discutir hein, foco.

Anna abriu a porta e todos ficaram olhando ao redor, a rua estava cheia de lixos que vieram com o vento, na frente da papelaria tinha a metade de um corpo. Alex ficou curioso e como queria saber mais sobre o que aconteceu, ele foi dar uma olhada no cadáver.

- Eu vou ver aquilo ali meninas, já volto.

- Toma cuidado em – disse Anna.

- Pode deixar.

Ele começo a dar passos lentos, olhando ao seu redor, estava confiante pois não via nenhum dos zumbis. O cheiro do corpo estava muito forte, não precisava nem chegar muito perto para sentir, ele tampou o seu nariz usando a mão e continuou indo em direção ao cadáver.

Não era completamente um corpo, era só metade dele, a barriga toda estava aberta, tinha marca de arranhado em um dos ombros, e a barriga, certamente foi comida por um dos mortos vivos. Alex abaixou para ver melhor, o cheiro estava horrível, mas ele persistia em continuar olhando. Ele parou por uns segundos, olhou o cadáver novamente e decidiu voltar para o carro.

Quando Alex se levantou, o cadáver agarrou seu pé com o único braço que tinha, Alex começou a gritar desesperado por ajuda.

- Brooke! Me ajude, essa coisa me agarrou!

Anna e Brooke foram correndo para ajudar. Brooke cortou o braço do zumbi, e levantou o Alex.

- Você está bem?

- Não esperava que isso ia acontecer, nem que essa coisa estaria “viva”.

- Olha gente, ele ainda está vivo – disse Anna.

- É como o que aconteceu com vocês lá, eles só morrem com uma pancada muito forte na cabeça – explicou Alex.

- Deixa que eu faço isso – disse Anna.

Ela acertou a cabeça do zumbi com o seu bastão e finalmente ele parou de se mexer.

- Isso é nojento – ela disse.

- Temos que voltar ao nosso plano, ou então morreremos de fome – Disse Brooke.

- Eu acho que ainda posso dirigir – disse Alex.

- Então está tudo certo.

- Vocês perceberam? O zumbi sentiu o cheiro do Alex e o atacou, eu acho que se eles nos ouvirem, vão acabar nos seguindo – disse Anna.

- É mesmo, não tinha pensado nisso – respondeu Brooke – Vamos andando, sem carro.

- E as coisas que vamos trazer? – questionou Alex.

- O que der a gente coloca nas nossas bolsas, se tiver mais, poderemos voltar outra hora – respondeu Brooke.

- Então vamos.

Alex pegou um pedaço de ferro que estava na rua e eles começaram a caminhar para a outra rua.

- É melhor fazermos silêncio, qualquer barulho pode atrair atenção.

Anna e Alex concordaram e continuaram seguindo o caminho, depois de três minutos eles chegaram na padaria.

- Está estranho, como não tem nem um zumbi aqui?

- Olha aquilo gente.

Brooke estava apontando para uma montanha de corpos.

- Eles não devem estar vivos – disse Anna.

- É melhor não ficar esperando pra ver, vamos logo! – disse Brooke

As portas e janelas estavam fechadas, nenhuma quebrada, tinha panos tampando a visão.

- O que vamos fazer? – perguntou Alex.

- A Brooke tem um machado, acho que ela pode derrubar essa porta – respondeu Anna.

Brooke apertou firme as mãos em seu machado e bateu na fechadura da porta.

- Foi fácil né?

- Isso está bem estranho, a porta estava trancada e tem panos na janela – disse Anna.

- Deve ter alguém ai dentro, tenha cuidado, ele pode estar armado – disse Alex.

Brooke fez um sinal para todos ficarem quietos, eles ouviram um barulho... Anna entrou primeiro e mandou os dois entrarem. O clima estava tenso, quando de repente Anna cai.

- Ai! O que é isso?

- É uma armadilha, estamos encrencados!

- Vamos! Temos que ir embora! – disse Alex.

Alguém tampa a saída com alguma coisa pesada.

- Quem está ai!? O que vocês querem? – disse uma voz masculina.

- O que vamos fazer? – perguntou Anna sussurrando para Brooke.

- Nós somos sobreviventes, não queremos ferir ninguém, só estamos a procura de comida! – disse Brooke gritando.

- Como podemos confiar em vocês? – perguntou a voz masculina.

Nenhum dos três responderam, eles estavam com medo do que poderia acontecer, não imaginavam que iam encontrar mais pessoas.

- Eles aparentam ser boas pessoas meu bem – disse uma voz feminina.

- Aquele homem também parecia, e você viu o que ele acabou fazendo – disse a voz masculina – Vamos abrir a passagem para vocês! Mas vocês devem sair e deixar suas armas no chão!

Anna estava quase desmaiando de tanto medo quando a porta abriu, eles saíram e encontraram um grupo de sete pessoas, com várias armas e bem equipados.

- Quais são os nomes de vocês?

Os três se olharam, e fizeram um sinal de concordância com a cabeça.

- Eu me chamo Brooke, essa é a Anna, e o rapaz é o Alex.

- Meu nome é Ruben Marshall, e vocês terão que obedecer as minhas ordens.

Sua mulher olhou para os três e deu um sorriso, parecia simpática...

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...