História Zootopia - Casos de uma dupla animal! - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Zootopia - Essa Cidade é o Bicho
Tags Judy, Judy Hopps, Mistério, Nicholas Wilde, Nick, Zootopia
Exibições 95
Palavras 2.176
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capitulo pra vcs meus queridos e queridas, espero que gostem :)

Capítulo 10 - De volta as multas


Fanfic / Fanfiction Zootopia - Casos de uma dupla animal! - Capítulo 10 - De volta as multas


Judy 

 

- O resultado deve demorar uns 2 dias patra sair - Disse ao Nick quando sai do laboratorio. 

- E o que acha que devemos fazer agora? 

- O chefe disse que até os resultados das amostras que trouxemos sairem, não temos mais nenhuma pista para seguir - Nick tirou seu celular do bolso e desbloqueou - E ja está quase na hora de ir pra casa. 

- Então acho que podemos ir pra nossa sala e pegar nossas coisas - Digo com as orelhas abaixadas.

- É - Respondeu ele curtamente - Nem acredito que ja estamos tão perto de resolver o caso! 

Nick se espreguiçava enquanto andavamos até a nossa sala. Entramos, pegamos nossas coisas e fomos embora da delegacia rumo ao nosso prédio.

 
--

Estavamos a apenas uma quadra de casa quando vimos que a rua estava fechada por manifestantes. Sempre com seus cartazes, sempre com suas faixas e sempre clamando por justiça com gritos altos e cordenados.  

- Eu não entendo - Disse olhando para os manifestantes. 

- O que você não entende judy? - Ele me perguntou.

- Por quê os protestos so tem aumentado? A policia ja se pronunciou dizendo que estamos perto de alcançar o culpado! 

- Mas o caso ficou arquivado por dois meses antes de poder ser finalmente investigado - Disse ele - Muitos acham que o DPZ estava fazendo vista grossa por ter preconceito contra hibridismo! 

- Dois meses? - Disse um pouco surpresa - Por que o DPZ demoraria tanto para começar a investigar esse caso? 

- Falta de informação - Disse Nick - Os unico familiar do casal que concedeu informações sobre o casal foi o filho deles, um rapaz chamado Oliver.

- E esse Oliver é um filhote adotado ou...

- É um Hibrido entre lobo e raposa - Disse Nick fazendo uma leve careta.

- Um hibrido? Nunca vi um de perto - Admiti. 

- Nem eu, mas me disseram que causa certa estranheza olhar para ele... 

- Você realmente tem otimas fontes de informação senhor Wilde - Digo provocando-o.

- Eu conheço todo mundo - Afirmou.

Passamos pela manifestação com certa dificuldade. Sempre que alguem via nossas fardas vinha até nós, alguns até demonstravam certa agressividade, outros imploravam por justiça. Por todos os lados estavamos cercados por aquele sentimento de indignação e raiva. 

Enfim chegamos em casa, estavamos exaustos tanto fisica quanto mentalmente, varrer pedacinho por pedacinho daquele chão coberto de gelo foi algo muito desgastante. Nem tivemos forças para bater papo, apenas entramos em nossos apartamentos, demos boa noite um para o outro e fechamos as portas. 

Como sempre eu entrei, tirei minha farda e tomei banho. Eu estava tão cansada que nem mesmo coloquei meu pijama, deitei na cama de toalha e sem percener, adormeci. 

--

 

Acordei com o som do despertador, percebi minha situação e rapidamente pulei da cama para me arrumar. 

Coloquei minha farda, peguei o que era necessario e sai do apartamento encontrando-me com nick no corredor. 

- Acordou cedo hoje? - Perguntei.

- É, parece que hoje meu despertador resolveu me acordar mais cedo. 

Nick ainda parecia meio sonolento, provavelmente ainda estava com o corpo dolorido de tanto ficar agachado ontem. 

- O que acha de passarmos naquele café que você tanto gosta? 

- Não precisa perguntar duas vezes - Disse ele com um sorriso no rosto. 

Descemos pelo elevador e saimos do predio. Nas ruas estavam as sobras das manifestações de ontem, papel, faixas e até rojões estourados. 

Caminhamos até o DPZ e como haviamos combinado, passamos na cafeteria predileta de Nick e compramos aquele café caro. 

- Francamente, pagar 10 dolares em um copo de café... - Reclamei enquanto caminhavamos. 

- Para de reclamar e toma o café cenourinha, ele é delicioso.

- Ainda sim acho ele muito caro! 

- Vale a pena - Disse ele enquanto dava longas goladas em seu copo - Coelha sovina. 

- Raposa maluca - Respondi rindo um pouco. 

--

Chegamos até a delegacia e fomos cumprimentar o Garramansa que dessa vez comia uma enorme tijela de cereal. 

Nick ja estava rindo quando chegou no DPZ, eu ja sabia que ele estava planejando implicar com o garramansa denovo mas não quis para-lo, ver os dois interagindo era algo muito divertido. 

- Garramansa, Garramansa, nem corre e ja se cansa, como anda o segurança mais feliz da vizinhança?  - Disse nick com suas infaliveis rimas.

- Nick nick... - Tentou Garramansa - Não, eu desisto! 

- Um dia chega lá parceiro - Disse nick. 

- O chefe Bogo está aqui? - Perguntei. 

- Não - Garramansa respondeu-me - Ele tinha uma entrevista marcada para agora então precisou sair. 

- É sobre as manifestações denovo? - Perguntei.

- Sim, os reporteres estão tentando arrancar qualquer informação dele - Disse Garramansa - O coitado do chefe não pode nem espirrar sem que um dos reporteres pergunte se isso tem ligação com o caso. 

- Sei bem como são os reporteres - Digo me lembrando da minha primeira entrevista coletiva. 

- Aah, quase esqueci, o chefe deixou uma tarefa para vocês dois enquanto não saem os resultados das amostras de sangue.

- Que tarefa - Perguntamos em coro. 

- Acho que vocês não vão gostar...

- Que tarefa Garramansa - Insistimos 

- Bem... 

--

Eu e nick haviamos estacionado o carro em una vaga proxima a calçada. Ajeitamos os coletes e colocamos os chapéus de guarda de transito. 

- Não acredito que o chefe Bogo nos botou de guardas de transito - Disse indignada - Poderiamos estar investigando a cena do crime! 

- Não tem nada para investigar lá cenourinha - Disse Nick - Já reviramos aquele lugar de cabeça para baixo literalmente e nao achamos nada além de um pouco de sangue congelado.

Abaixei minhas orelhas e respirei fundo.

- Acho que você tem razão, 

- Eu sempre tenho ra...

Enquanto Nick falava ouvimos o som de uma janela se partir e dela saia uma hiena com uma bolsa quase toda fechada.

A janela quebrada era de uma farmacia, varias pessoas ficaram assustadas quando alguem saiu la de dentro gritando.

- Socorro - Disse uma lhama tambem saindo da farmacia - Pega ladrão. 

Sem nem pensar duas vezes eu e nick saimos correndo atrás do bandido que avançava rapidamente entre os carros que estavam na rua. 

- Nick eu vou na frente, chame reforços - Disse enquanto aumentava o passo.

- Só tome cuidado - Disse Nick.

- E quando que eu não tomo - Brinquei enquanto avançava atrás do ladrão.

A perseguição se extendeu por alguns minutos enquanto o ladrão desviava-se dos carros que passavam nas ruas, quase sendo atropelado uma ou duas vezes. 

Vi que seria muito dificil atravessar as ruas correndo, tinham muitos carros se amontoando depois que um motorista girou na pista ao tentar desviar do bandido. 

Usei minhas pernas fortes para pular e pegar impulso em um carro que estava estacionado na calçada, pulei por cima de outros dois carros tomando impulso novamente no terceiro e em seguida rolei no chão antes de continuar a correr atrás da hiena. 

A distancia entre mim e o ladrão havia sido reduzida graças as minhas acrobacias. Peguei minha disparadora de dardos e mirei. 
Atirei a primeira vez mas ele conseguiu desviar. Na segunda tentativa eu peguei meu comunicador e o joguei nele, fazendo-o desviar para a direita, em seguida com minha outra mão mirei enquanto ele ainda estava no ar e atirei.

O dardo acertou-o bem nos gluteos fazendo-o cair no chão. Me aproximei dele e chequei o conteudo da bolsa. 
Eu esperava encontrar dinheiro la dentro mas tudo que encontrei foram remedios de todos os tipos. Pililas, xarope, remedios injetaveis e etc. 

- O que esperava fazer com isso? abrir uma farmacia? - Me perguntei enquanto procurava qualquer coisa em seus bolsos. 

Tudo o que encontrei foi um papel amassado. Nele estava escrito apenas duas coisas. 

- Terça feira 4:45 da tarde, savana central? - Me perguntei enquanto lia o pequeno pedaço de papel. 

Nick chegou em nossa viatura e acompanhado dele estavam os oficiais Delgato e Francine. 

- Cenourinha trouxe o reforço mas parece que você ja resolveu o caso - Disse ele com um sorriso no rosto - Parabéns.

- Obrigada agora podem me ajudar com essa hiena? - Pedi a eles.

Oficial Delgato algemou-o e colocou-o dentro da viatura. Enquanto isso eu e nick voltamos para nossas atividades. 

- Acho que o dono da farmacia vai ficar satisfeito em saber que recuperamos os itens roubados - Disse nick. 

- É mas só depois do ladrão ser interrogado - Completei. 

- E tinha mais alguma coisa com ele ? 

- Só um pedaço de papel dizendo 4:45 da tarde, Savana central - Respondi - Mas eu deixei com a francine. 

- Tomara que ela tenha uma memoria melhor do que a instrutora de Ioga do clube naturalista - Nick dava boas gargalhadas enquanto se lembrava daquele dia. 

- É, tomara mesmo - Digo rindo tambem.

--

Nas horas que se seguiram, continuamos a distribuir multas, resolver brigas entre motoristas e parar carros que se moviam acima do limite de velocidade. Um dia normal.

Faltava menos de duas horas para as 6 quando alguns manifestantes ja se juntavam na savana central. 

- Hoje denovo? - Perguntei ja sem paciencia.

- Vai acontecer todos os dias até que a policia pegue o culpado - Disse nick.

Algo estava martelando em minha mente, uma duvida, um pensamento de suspeita. 

- Nick - Chamo ele - Que horas são? 

- 4:40 da tarde por que?  - Respondeu. 

- 4:45 da tarde, Savana central! - Disse quase que gritando - É isso que aquele bilhete estava avisando, o criminoso sabia do horario da manifestação! 

- Estou impressionado cenourinha mas como isso ajuda? - Disse ele - Todo mundo que participa das manifestações sabe a hora e o local onde ira acontecer! 

- É verdade - Digo.

Mesmo que o que Nick disse tivesse sentido, algo dentro de mim dizia que havia algo errado. Aquilo martelou minha cabeça mesmo depois que voltamos para nossas casas. 

" O criminoso poderia ser um dos manifestantes? Ou ele estaria planejando usar a manifestação ao seu favor?" 

Esse pensamento se uniu a toda a investigação que estavamos fazendo deixando minha mente em um completo caos. 

Fui até o banheiro, tomei um remedio para relaxar e sentei no sofá para assistir televisão. E quando o remedio fez efeito eu adormeci.

--

No dia seguinte chegamos na delegacia bem animados, estavamos ansiosos para ver os resultados e por fim no caso do assassinato do casal de zebras. 

- Judy, Nick os resultados chegaram - Disse garramansa.

- Finalmente - Comemorei - Onde estão? 

Garramansa pegou uma pasta e entregou em nossas mãos. E logo em seguida abrimos rapidamente. 

- Mathew Longfang? - Perguntou Nick.

- Você o conhece? - Perguntei.

- Ja disse, conheço todo mundo! - Afirmou Nick - Esse cara é um lobo casca grossa que vive nos subúrbios da praça saara, sempre soube que ele era brigão mas nunca pensei que fosse do tipo que matava alguem. 

- Cada dia uma surpresa diferente - Disse a ele.

- É, mas nem sempre são surpresas agradaveis - Completou. 

Agradecemos ao Garramansa e fomos para a viatura. 

- Bom, acho que está na hora de fazermos uma visita ao senhor Longfang - Disse com uma expressão confiante no rosto. 

- Pisa fundo cenourinha! - Disse ele com seu sorriso malandro no rosto. 

-- 

O caminho até a casa do suspeito foi bem curto, graças aos atalhos de Nick chegamos em poucos minutos. 

A casa ficava na praça saara, a entrada era dentro de um beco escuro que ficava localizado atrás de um pequeno mercado. 

Nos aproximamos da porta, sacamos as armas e batemos na porta. 

- Aqui é do DPZ, abra a porta ou iremos entrar a força - Anunciei. 

Não houve resposta e nós tinhamos um mandato, por isso nick chutou a velha porta quebrando sua tranca. 

A casa estava toda apagada. Pedaços de jornais cobriam as janelas impedindo que a luz do sol entrasse. 

Observamos aos arredores mas não conseguimos encontrar o suspeito. Fui caminhando atentamente e nick continuou a observar aos arredores. 

Derrepente ouvi algo saindo de trás de uma porta e se aproximando de nick. 

- Nick cuidado ele...

Uma sombra se aproximou sorrateiramente de nick, saltou em sua direção e o atacou. Nick tentou reagir mas foi agarrado pelas costa e desarmado.

O enorme lobo de pelagem preta agarrou nick pelas costas e colocou sua arma apontada em sua cabeça. 

Nick tentava se soltar mas o lobo o segurava de maneira sufocante. Mathew se virou para mim, apertou ainda mais a arma contra a cabeça de nick que estava com os olhos arregalados e muito ofegante. 

- Abaixe sua arma Oficial - Disse Mathew - Ou eu mato seu parceiro! 

Minhas mãos estavam tremendo, meu coração acelerado e minha respiração estava pesada.

- E então? - Perguntou Mathew enquanto ameaçava Nick com a pistola - Vai abaixar a arma ou não? 
 


Notas Finais


O que sera que vai rolar? hehehehe

Nos vemos nos comentarios povo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...