História Zootopia - Casos de uma dupla animal! - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Zootopia - Essa Cidade é o Bicho
Tags Judy, Judy Hopps, Mistério, Nicholas Wilde, Nick, Zootopia
Exibições 111
Palavras 2.398
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoje vai ser uma chuva de capitulos, pretendo no minimo escrever 3! Mas como sabemos imprevistos podem acontecer, então nao prometo nada kkkkk.

Boa leitura a todos S2!!!

Capítulo 9 - A pista que faltava


Fanfic / Fanfiction Zootopia - Casos de uma dupla animal! - Capítulo 9 - A pista que faltava


Judy

- Um afrodisiaco? - Perguntei.
- Exatamente isso! 

A voz de Bogo não era a de alguem brincando ou fazendo piada. 

- Se tem trafico é por que tem alguem disposto a comprar! - Nick afirmou ao se aproximar para ouvir melhor o que o chefe tinha a dizer.

- Esse é o ponto! - Disse a ele - Mas se esta sendo vendido de maneira ilicita e ainda por cima por um preço tão grande... Não tem como ser apenas um afrodisiaco comum, estou certa?

- Absolutamente - Respondeu Bogo - Não é comum! 

- E... o que ele tem de especial afinal? - Perguntou nick - O que isso faz alem de deixar o animal que toma mais... ativo? 

- Segundo a analise dos nossos cientistas, esse "Doce", alem de ser algumas vezes mais forte que um afrodisiaco comum, tem a capacidade de aumentar drasticamente as sensações de quem o ingere, isso coloca o animal em um estado de transe alucinogico. 

- Entendi - Disse enquanto tentava encaixar essa informação em algum lugar - Quer que eu e Nick nos dirijamos para a central, senhor? 

- Não será necessário Hopps - Disse ele - Conseguiram alguma informação sobre a morte das zebras na cena do crime? 

- Infelizmente não senhor - Respondi um pouco triste - Mas iremos continuar a procurar até que encontremos alguma pista! 

- Não Hopps - Disse o chefe - Você e Wilde terminem o que estão fazendo ai na praça central e vão para casa descansar, se não conseguiram encontrar nada é por que nao havia nada lá para ser achado. 

- Mas senhor eu sei que nós...

- HOPPS - Gritou - Não to nem ai, vocês vão para suas casas e amanha reassumem o caso! 

Ele desligou o telefone sem nem me dar uma chance de insistir. Mas ao olhar para o céu percebi o que ele quis dizer, ja haviam se passado horas, a noite ja havia chegado e estavamos cansados depois de tudo que aconteceu hoje. 

Meu rosto e estomago ainda doiam um pouco devido a briga que tive mais cedo e minha cabeça ainda estava muito bagunçada. Se eu continuasse a investigar em meu estado atual seria o mesmo de não fazer nada! 

Nick percebeu que eu havia ficado incomodada com a situação e decidiu tentar aliviar o clima. 

- Os animais atualmente estão tão sem criatividade hoje em dia que precisam tomar um desses para terem novas ideias do que fazer na cama? - Perguntou Nick em um tom debochado. 

- E o que você faria se estivesse sem ideias senhor bom de cama? - Respondo pensando que dessa vez eu havia vencido. 

- Sei la - Disse ele - Talvez eu tentasse uma relação hibrida.

Mais uma vez aquele raposo idiota me fez corar, bem quando eu pensava ter vencido ele faz isso. 

- Vo... Você não presta Nicholas Wilde - Digo enquanto meu pé batia no chão em uma velocidade altissima. 

- E eu alguma vez disse que prestava? 

Ele se aproximou, bagunçou os pelos da minha cabeça e foi na frente em direção de onde haviamos deixado a nossa viatura.

- Vamos pra casa cenourinha - Disse ele.

- Vamos.


--

 

A manifestação ja havia terminado quando chegamos até nossa viatura, no chão haviam cartases espalhados, faixas brancas com palavras pintadas com tinta vermelha, provavelmente tentando simbolizar o assassinato sangrento de um casal tão puro, mas isso era só o que me veio a cabeça quando olhei para isso.  

Entramos na viatura e eu comecei a dirigir de volta para o Dpz. 

Pelo caminho mais papel ainda, ao que parecia o numero de manifestantes estava cada vez maior. 

Chegamos rapidinho, não tinha muitos carros na rua e nick conhecia um atalho que nos levou para o DPZ na metade do tempo normal. 

Estacionei o carro e comecei a juntar minhas coisas.

Nick fechou a janela e retirou o cinto de segurança, pegou seu café e tomou o ultimo gole.

- Esses manifestantes estão se tornando um problema - Disse nick meio indignado - Alem de sujar o chão das ruas, ainda atrapalham a locomoção dos policiais pelas ruas. 

- Tem razão, nos poderiamos tentar falar com o organizador e...

- Cenourinha, se tem uma coisa que nós policiais nao temos como fazer, é impedir o povo de pedir justiça... Se queremos faze-los parar, temos que pegar o culpado disso e joga-lo na cadeia. 

Era até dificil acreditar que era o nick falando, suas palavras carregavam um ar de seriedade e de comprometimento com o caso que eu nunca havia pensado que ele poderia ter. Bem, cada dia uma surpresa. 

- Quem é você e o que fez com o Nick que eu conheço? - Brinquei.

- Aaah você não vai querer saber - Disse ele enquanto se aproximava de mim com suas garras - Não vai querer saber o que fiz com ele.

- E o que você fez? - Perguntei enquanto mandava um olhar debochado para ele. 

Ele saltou quase que pra cima do meu banco e agarrou meus braços com suas patas e com seu rosto se aproximando a uma distancia perigosa. 

- Quer mesmo saber? - Disse ele com seu sorriso malandro.

Seu rosto estava perto demais e ainda se aproximava. 

- Nick... Para - Disse com um tom serio.

Desviei o rosto e voltei a falar.

- Eu não quero que brinque assim comigo denovo.

- Tudo bem eu... me desculpa - Disse ele depois de me largar e se afastar - Achei que...

- Achou que eu queria fazer aquilo denovo? - Disse um pouco aborrecida - Eu te disse nick, não era eu mesma naquele dia! 

Nick pareceu ter se abalado um pouco, mas logo voltou ao seu estado natural.

Percebi que eu havia sido um pouco dura demais com ele então decidi descontrair um pouco. 

- Ja disse que temos que arrumar uma namorada para você - Brinquei - Me parece que você esta desesperado por um pouco de afeto.

- Coelha tosca - Disse ele rindo.

- Raposa carente.

--

Achei que o clima entre nós ficaria estranho naquela noite, mas incrivelmente tudo estava normal. Nick pareceu ter respeitado o meu pedido e parou de fazer essas brincadeiras tão "intimas". 
 

Durante nossa caminhada de volta para casa nós conversamos um pouco sobre o caso, e nick ficou se gabando de como conseguiu dobrar os bandidos na base da conversa. Tudo foi bem e conseguimos chegar tranquilos no predio. Subimos até o décimo andar, demos boa noite um para o outro e entramos em nossos respectivos apartamentos e trancamos as portas. 

Tomei um banho, escovei os dentes e troquei a roupa.

Me olhei no espelho e percebi que o lugar onde havia sido o corte em meu rosto estava infeccionado e um pouco inflamado.

- Droga - Disse baixinho - Bem que ele me avisou que ia inflamar.

Passei uma pomada e logo em seguida pulei na cama. 

" O que ele estava pensando pra brincar comigo daquele jeito? Ele não ia realmente... Não Judy, você não quer isso e ele tambem não" - Pensei enquanto novamente eu era metralhada com aquelas memorias - " Mas... o que ele não estava se referindo a mim quando disse que tentaria uma relação hibrida, tenho certeza que não... ou, ou sera que estava?" 

E em meio a tantos pensamentos e duvidas, o sono finalmente me salvou daquela tempestade.

 
-- 
 

Segunda feira, 5:30 da manha. Meu despertador sempre tocava nesse horario, mas eu sempre acordava mais cedo e me arrumava antes mesmo do alarme! 

Desliguei o alarme, fui para a cozinha e comecei a pegar meus equipamentos. 

Ouço alguem batendo na porta e ja imagino quem era, quem mais bateria na minha porta a essa hora da manha? 
Destranquei a porta e sem nem olhar ja cumprimentei o animal que entrava.

- Bom dia Nick.

- Bom dia cenourinha - Disse ele enquanto se espreguiçava - Pronta pra voltar ao trabalho? 

- E você ainda pergunta?

Dou leves risadas, pego minhas chaves e saio do apartamento. Tranco a porta e junto ao meu parceiro saimos do predio em direção ao DPZ.

 
--

Chegamos ao DPZ e fomos ao encontro de Garramansa, como ja tinhamos um caso não era necessario ir até a reunião matinal do Chefe Bogo. 

- Garramansa, corre muito mas não me alcança - Disse nick ao cumprimenta-lo. 

- Nick... você gosta de piquenique - Disse ele tentando responder a saudação de Nick.

- Quase lá, talvez daqui a uns 100 anos você chegue no meu nivel - Disse Nick em um tom comicamente provocativo. 

- Deixa o coitado do Garramansa quieto Nick - Falei tentando segura as risadas. 

- E então, em que posso ajuda-los hoje Judy?

Garramansa fazia o que mais gostava de fazer todas as manhãs. Ele estava comendo uma caixa inteira de Dunnuts sozinho. 

- Precisamos acessar as informações sobre o assassinato do casal de zebras na tundralandia. 

- Por que vocês não usam o servidor na sala de vocês? 

- Na nossa sala? - Perguntamos em coro. 

- Por que acharam que o chefe Bogo lhes deu folga remunerada? - Disse ele sem conseguir conter o riso - Ele estava preparando essa surpresa pra vocês. 

Ele puxou uma gaveta e dela tirou uma pequena chave e entregou em minhas mãos. 

- A sala fica no bloco 3, primeira porta a direita antes do banheiro - Disse ele prevendo que perguntariamos onde ficava.

- Obrigado - Dissemos em coro novamente. 

Acenamos para ele em despedida e fomos andando até o bloco de salas. 

As salas dos policiais eram todas localizadas em Blocos de divisorias, eram num total 3 blocos. Toda dupla de Oficiais tinha sua sala, mas por causa do padrão de altura do DPZ , eu e nick ainda nao tinhamos a nossa, bom... até então.

Abrimos a porta com a chave e entramos em nossa sala.

Não era pequena mas tambem não era do tamanho de uma sala padrão. mas para nós era confortavel o suficiente. 

A sala possuia duas mesas com computadores, uma impressora multiuso grande e um bebedouro com varios copos descartaveis sobre ele. Ainda cheirava a coisa nova. 

- Acho que vai servir - Disse nick em um tom debochado. 

- É... é perfeita! 

Sentamos em frente a nossas mesas e entramos no sistema, em busca de qualquer informação a mais sobre o caso que estivesse disponivel. 

- Ei cenourinha, acho que achei algo. 

Empurrei minha cadeira até que ficasse ao lado de Nick.

- Vamos ver o que você achou.

Era uma ficha do casal assassinado. Seus nomes eram Duck e Emma Zebrosa, haviam acabado de sair de lua de mel. Seus corpos foram encontrados na manha de domingo em um beco proximo a praça central de tundralandia. 

Causa da morte: Perda significativa de sangue causada por uma facada proxima a cintura para o senhor Duck e a senhora Emma tambem por hemorragia causada por multiplas facadas nas costas. 

- Isso é horrivel - Disse levando a mão a boca - Eles não foram só assassinados, eles foram deixados para morrer enquanto agonizavam. 

- Pelo visto o assassino deveria guardar algum rancor contra eles - Sugeriu Nick. 

- Sim mas eu sinto como se algo não encaixasse ainda.

Levei a mão até o rosto e comecei a pensar. 

- Eles não tem parentes na cidade correto? - Perguntei ao Nick. 

- Não, seus parentes vivem em uma campina a mais de 1000 Km de distancia de zootopia. 

- E eles não vão vir velar o corpo?  

- Eles foram avisados mas pediram que os corpos fossem enviados para serem velados e enterrados por la mesmo. 

Comecei deslisar meu dedo sobre o corte em meu rosto que ja estava parcialmente curado. 

- Acha que vai ficar cicatriz? - Perguntou Nick.

- Não, e mesmo que fique meu pelo vai cobrir.

Nesse momento algo me veio a mente como num flash, analisei novamente as palavras que havia falado e as repeti em voz alta.

- O meu pelo... meu pelo vai cobrir! - Digo elevando o tom de voz. - É isso Nick. 

- Pelo visto você não gosta de cicatrizes mesmo - Disse ele meio desentendido.

- Não é disso que estou falando Nick  - Passo a mão no rosto e continuo - Quanto tempo demorou até os corpos deles serem encontrados? 

- Algumas horas, segundo o que esta no sistema o sangue ja havia secado o que indica que foram mortos pelo menos 3 a 4 horas antes de serem encontrados - Disse ele olhando para a tela do computador - Mas o que isso...

- A area onde os corpos foram encontrados estava limpa pois os investigadores ja haviam coletado amostras e outras provas, mas e o resto do lugar? - Disse a ele - Haviam marcas de garra pelo corpo das zebras correto? 

- Sim mas... - Nick parou a frase quando finalmente entendeu - Houve uma briga, e se o criminoso sangrou...

- Vai estar conservado debaixo da neve que não foi remexida - Termino. 

Nick e eu pegamos nossas coisas e quando ele estava abrindo a porta, se virou e com seu habitual sorriso disse...

- Coelha esperta.

- Raposa burra - Finalizei.

 
--

Chegamos novamente na cena do crime em poucos minutos. Nick havia insistido para que ligassemos a cirene para que os carros abrissem espaço para nós. E como era um bom motivo eu dei uma abusadinha nas vantagens que uma viatura lhe concede. 

- Temos que correr, ainda tem muito chão pra ser investigado - Disse Nick ao sair da viatura. 

Nos dividimos e cada um começou a revirar a neve com muita delicadeza. Foram horas de muita tensão e atenção. Cada minuto parecia se estender por horas a fio enquanto varríamos a neve com minusculos pinceis. 

E depois de 5 horas de interminavel e agonizante busca...

- Cenourinha - Nick chamou minha atenção - Acho que achei alguma coisa.

Me aproximei lentamente e vi que no chão logo a frente de Nick havia uma pequena mancha avermelhada, ja congelada de sangue. 
Coloquei toda a amostra que encontramos em um saquinho de evidencia e junto um pedacinho de algodão

- Hora de resolvermos esse caso! - Disse a ele confiante!  

- Vai na frente, você é a chefe.

Entramos na viatura e fomos com pressa para o DPZ. 


Notas Finais


Desculpem pela piadinha do Garramansa, comedia não é meu forte... kkkkkkk

Espero que tenham gostado.

Como de costume esperarei ansioso por seus comentarios, criticas, dicas, elogios e se quiserem me bombardear com xingamentos e ofensas ta valendo tambem (Faz isso não gente kkkkkkkkk)

Um grande abraço a todos e nos vemos nos comentarios!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...