História Zootopia - História Retorçida - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Zootopia - Essa Cidade é o Bicho
Personagens Bellwether, Benjamin Garramansa, Bogo, Bonnie Hopps, Finnick, Flecha, Fru Fru, Gazella, Jack Savage, Judy Hopps, Leãonardo, Nick Wilde, Personagens Originais, Sr. Big, Stu Hopps
Tags Judy Hopps, Nick Wilde, Nicudy
Visualizações 71
Palavras 2.084
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


bem gente ai está outro Cap

Capítulo 33 - O Plano - Culpa e Pedido


Fanfic / Fanfiction Zootopia - História Retorçida - Capítulo 33 - O Plano - Culpa e Pedido

Narrador P.o.v

Havia um grupo gigantesco de animais, ambos falavam em voz alta e ao mesmo tempo, estavam com medo, preocupados e assustados, haviam sido resgatados, mas por terem presenciado a morte de seus amigos ou entes queridos, sendo baleados, esfaquados, queimados e até devorados.


Finnick, Lobato, Zebrano, Pontas e Narcisas estavam na frente do população, a raposa usava um casaco da Polícia, o que pra ele era estranha, haviam outros policiais tentando manter a calma e ordem.


- Merda, isso é um pouco desconfortável de se usar. - resmungou a raposa irritado.


- Bem, temos que ser rápidos, já fui anunciado o início da segunda fazê do plano. - falou o cervo sério.


- Todos fomos, mas não como vamos fazer todos eles seguirem o caminho sendo que estão todos num desespero? - perguntou a loba.


- Não é óbvio, vocês tem autoridade, simplesmente mandem neles. -falou o Finn como se fosse óbvio.


- Não estamos no estado de existir autoridades. - disse o cervo.


- Sim, mas estamos numa situação que precisasse de alguém com autoridade. - disse o baixinho.


- Eu concordo com o baixinho. - falou o outro lobo.


- Primeiro: Vai a merda, segundo: obrigado. - disse ele.


- Na realidade, o que você está fazendo aqui? Você é só um cidadão também. - perguntou a zebra.


- Sou sim, e respondendo a pergunta estou aqui porque eu quero. - respondeu se virando pra eles.


- Pois peso-lhe que não se envolva em assuntos policiais. - falou o cervo arrogante.


- Que foi? Não tinha dito que não estamos no estado de existir autoridades? - perguntou ele sorrindo de deboche - Em presta isso aqui. - pediu pegando a arma do Lobato sem esperar sua resposta.


Ele pega um alto-falante e sobe em cima de um capô de um carro, ele ergue a arma com a mão direita e o alto-falante, dá três tiros no céu, eles soaram num eco forte e repetitivo, os animais haviam se silenciado, olharam na direção da raposa, o mesmo respirou fundo e ligou o alto-falante.


- VOCÊS TEM MERDA NA CABEÇA, O QUE PENSÃO QUE ESTÃO FAZENDO?! - perguntou ele furioso, deixando todos surpresos com a pergunta - DEPOIS DE UM TRABALHÃO ELES CONSEGUE TIRAR VOCÊS DAS GARRAS ESCAMOSAS DOS PUTOS DOS RÉPTEIS, ELES PODEM MUITO BEM NOS ENCOTRAREM A QUALQUER MOMENTO, VOCÊS QUEREM ISSO?! QUEREM QUE UM EXÉRCITO DELES APAREÇA, MATE A MIM E OS OUTROS QUE ESTÃO TENTANDO SALVA-LOS?! QUEREM SEREM TORTURADOS, UM POR UM E NO FIM SEREM DECORADOS SEM PIEDADE ENQUANTO OUTROS DELES FICAM OLHANDO E RINDO COMO SE FOSSE NATURAL?! VOCÊS QUEREM ISSO?! SE NAO QUEREM ENTAO EU ESPERO QUE NA PROXIMA VEZ QUE SUAS VIDAS ACABAREM DE SEREM SALVAS VOCÊS PODERIAM NO MÍNIMO CALAR A BOCA E SEGUIR AS ORDENS, NÃO ESTOU FALANDO ISSO POR ABUSO DE PODER, PORQUE, VAMOS SER SINCEROS, PODER MANDAR EM TODO MUNDO IA SER ALGO BEM FODA PRA MIM, MAS NÃO É POR ISSO QUE ESTOU FALANDO ISSO, MAS SIM PORQUE, COMO ESSES POLICIAS, EU QUERO VOLTAR A MINHA VELHA E NATURAL ROTINA DE DOIS DIAS ATRÁS, PORRA. - disse ele sério.


Viu o olhar atento de todos, ninguém se mexia, esperavam que ele voltasse a falar, ele sorri ao ver que chegou ao nível de atenção que ele desejava.


- ISSO, ASSIM TA MELHOR, VIRÃO COMO PODEMOS RESOLVER TUDO COM CALMA? AGORA EU VOU TENTAR SER O MAIS CLARO POSSIVEL, NÓS VAMOS GUIAR TODOS POR DENTRO DA SAIDA SUBTERRÂNEA DE ZOOTOPIA, NÃO VAMOS DEMORAR PRA CHEGAR, ENTÃO, MAS VAI DEMORAR UM POUCO PRA CHEGAR NO OUTRO LADO, ELE NOS LEVARA PRO OUTRA UM CAMPO VERDE NÃO TÃO LONGE DAS TOCAS, FICAREMOS POR LÁ POR DOIS DIAS, DEPOIS VOLTAREMOS. - disse ele sorrindo, fica um tempo de silêncio - O QUE ESTÃO ESPERANDO? TODOS SE MEXENDO, RAPIDO! - apressou tanto os cidadãos quanto os policiais.


- Mandou bem. - falou o lobo.


- Como eu disse: precisasse de alguém com autoridade. - falou ele sério - E eu também disse "todos se mexendo" quero dizer TODOS. - disse apressando o lobo.

Enquanto isso, na estrada a caminho da Savana, Nick e Judy estavam sentados, estavam bem fardados, igual aos demais, Jack estava sentado ao lado de Nick, tinha uma expressão de confiança, a raposa notou isso.


- Parece confiante, isso é confiança baseada na raiva ou na felicidade? - perguntou a raposa sorrindo de canto.


- Bem-


- Entendo, é de felicidade. - disse ele sorrindo.

- M-mas eu bem terminei. - falou ele corado.


- Olha só, seu rosto ja te entregou. - falou ele, o mesmo virá a cara emburrado - Ah coelhos, é só dizer a coisa certa que eles já dão sinais prejudiciais pra eles. - falou ele sorrindo de deboche.


- Eu estou normal. - falou ele sério, Judy ri da expressão dele.


Mas na cabeça do coelho passava o que havia acontecido a meia hora atrás.


Flashback Off


O carro forte onde estava Leona, Thommas e Cynthia havia chegado aonde os outros seis carros haviam parado e permaneciam a espera, mas quando foram alertados, todos começaram a se movimentar.


O coelho foi até o carro, entrou nele, se não fosse pela raposa o veículo estaria vazio, ela estava sentada em um dos bancos, cabisbaixa, ele chegou mais perto, quando ele já estava numa distância que desse pra encostar nela que a mesma percebeu a presença do coelho.


- Jack... não vi você entrar... - disse ela seria.


- Sério é? Pensei que não tinha como não notar. - falou ele sorrindo, ele se sentou ao lado dela.


Ficam em um longo silêncio, se ouvia os oficiais se movendo la fora, ele não gostou desse silêncio, onde estava a raposa que o enchia o saco com brincadeiras e deboche...


- Você... esta bem? - perguntou ele.


- Eu preferia não está do que ter que sido respondavel pela morte de outro... - falou seria.


- A Judy me contou sobre o que o Thommas disse a ela... você não tem culpa pela morte dele.


- Não tenho culpa? Eu me descuidei, por conta disso ficamos cercados e eles tiveram que ir nos salvar, mas por conta disso ele morreu... o que me deixa mais triste é que eles era gêmeos... Quando um morre, mesmo se odiando, o outro sente a dor... eu fui responsável por essa dor...


- Deixa disso, você não tem culpa, olha, você acha mesmo que ele não teria pensado nessa possibilidade? - perguntei calmo - Ele foi salva-la também porque escolheu isso, sim, ele morreu, mas partiu de um jeito que honroso. - falou, ela o olhou triste.


- M... mas e o Thommas? Como espera que eu chegue perto dele agora sendo que por-


- Como eu disse, ele escolheu salva-la, ele não pode culpa-la por algo que o irmão escolheu, e eu suponho, que o ele, mesmo doendo nele admitir, que não havia jeito mais grandioso de alguém com os pecados dele sair desse mundo, se não lutando pelos outros. - disse ele sério.


Ela volta a olhar pro chão, ele havia dito coisas que a fizeram se sentir melhor.


- Obrigada. - disse ela.


- De-


Em havia o segurado pelos ombros e o beijado, ele ficou surpreso na hora, mas acabou correspondendo, estava sendo a primeira vez que beijava outra espécie, mas isso não atrapalhava, havia sentimento naquele momento que ultrapassava isso e até mais, ele sentiu que agora entendia a relação entre a Judy e o Nick.


Ele ficaram naquele beijo selvagem e novo por um bom tempo, por mais odioso que tinha sido para os dois, eles tiveram que se separar.


- Cara... tipo, wow, maneiro... - disse ela sorrindo.


- É... foi tão novo e bom... - falou sorrindo de canto - Então... estamos tendo algo ou foi só uma experimentada pra matar a curiosidade? - perguntou coçando a nuca.


- Acho que você já sabe a resposta - falou ela sorrindo e roubou um selinho.


- Ok... acho melhor eu ir, tenho que me preparar... - falou se levantando e caminhou até a porta.


- Ei, Jack. - chamou ela, ele se vira - Volta vivo ta... não me abandona. - pediu sorrindo meiga.


- Ok. - falou sorrindo corado e saiu.


Flashback On


Nick o olhava, parecia estar em um transe enquanto sorria, não queria tira-lo dele, então se virou pra coelha, ela segurava sua arma firme, mas ele viu ela tremer um pouco.


- Cenourinha. - chamou ele calmo, ela o olha - Você ta ok? - perguntou preocupado.


- Sim... só com um pouco de medo. - respondeu calma.


- Você com medo? Você é tão corajosa, isso é bem estranho vindo de você. - disse ele sorrindo, ela solta uma risada.


- Eu não sou tão corajosa quanto você pensa. - falou ela sorrindo tímida.


- Não, você é mais, e é agora que você tem que mostrar isso. - falou sorrindo amigável.


- Hm... - Ele notou que o que havia dito não ajudou.

- Judy, sabe por que eu me apaixonei por você? - perguntou sério.


- Por que?


- Você sempre permanece sorrindo, sabe, eu vi o quão você brilhava, você tem esse seu jeito tosco de sonhadora, animada e independente, eu vejo nos seus olhos a necessidade de ajudar quem não tem nada haver com você... você também me ajudou muito nesse tempo em que estivemos juntos, você me fez subir, me fez sonhar grande, algo que eu não fazia a anos... por mais que eu esteja namorando você agora, eu ainda sinto que não sei nada sobre você... isso me motiva a continuar com você, a continuar querendo ficar perto de você, a continuar te amando. Porque eu sinto que cada vez mais que te conheço, mas você demonstra o que havia me dito quando éramos filhotes... que você não é de desistir. Você não desiste de me surpreender, isso é o que eu amo em você. - falou sorrindo apaixonado.


Ele estava tão feliz de poder ter dito tudo de uma só vez que depois de voltou a si viu que a coelha estava com lágrimas escorrendo pelo rosto.


- Nick... isso foi tão... - tentou falar, mas a emoção a impediu.


- Bem, Judy, acho que eu agora estou fudendo pra o que vão pensar agora, não se sabe o que acontecerá quando chegarmos, então... - falou ele suspirando.


Ele se levanta, se coloca em frente a coelha e se ajoelha, o coelho que antes estava perdido em suas memórias, agora, igual a alguns ali, olhava a cena curioso.


- Cada dia que estive com você, mostraram ser os melhores que já tive, quero continuar ao seu lado pelo resto de minha vida, continuar tendo nossos momentos felizes e continuar te amando do jeito que você adora. - disse e tirou de um dos bolsos de sua farda uma caixa bordô - Judy Hopps, você casar comigo? - perguntou sorrindo apaixonado.


Todos olharam surpresos, era meio novo alguém fazer um pedido de casamento bem no meio de uma missão que dependerá o futuro da cidada.


- N-Nick... - ela tentou falar, mas não conseguia, então ela o abraça, não ligava pra quem estivesse vendo, se senti tão feliz - Sim, eu aceito, raposa boba. - aceitou sorrindo feliz o abraçando mais forte, ele se sentiu aliviado e feliz, retribuiu o abraço.


Os policiais e os bandidos bateram palmas e assobiavam, Nick desfez o abraço, segurou a pata da coelha e colocou o anel de ouro rodeado de pequenos rubis.


"O que esta acontecendo ai, C8? Câmbio? - perguntou o Garra."


- Oficial Hopps irá se casar! - disse o Jack sorrindo, tirou o comunicador, pois o tigre soltou um grito de felicidade.


Depois de um longo caminho, na metade dele dois carros pararam, eles seguiram até a Savana Central, onde seria decidido o fim daquela bagaça.


Eles chegaram a frente da prefeitura, formaram um tipo que muro com os carros e todos saíram, Chito olhava eles pelo terraço do prédio, a cobra e o lagarto forte o olharam esperando instruções.


- Eles já fizeram movimentos demais, não assumem a derrota, típico, não aceitam estarem por baixo e vão se rebelar. - disse o crocodilo sério.


- Qual sssão sssuasss ordensss, chefe? - perguntou a cobra.


- Chamem todos pra cá, vamos estermina-los de uma só vez. - disse ele frio - Mortraremos que não adianta tentar persistir, ele já perderam. - disse ele sorrindo malignamente.






Continua............


Notas Finais


bem aq está, e agr eu vou dar um pequeno SPOILER, se vcs n querem saber, então n parem de ler.


[SPOILER]: Bem, por mais tentador q seja, n vou matar o Nick nem a Judy, sabe, pra ter aquele momento de tristeza. Daí me perguntam: Por que? Se eu matar um deles realmente n viu ter ideia pro final da história e eu vou ser bem sincero com tds vcs, isso que tá acontecendo agr é td inprevisado, eu nem tinha isso em mente quando eu criei a história.

Obrigado por lerem a história e o mini SPOILER


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...