História Zugzwang - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Criminal Minds
Personagens Dr. Spencer Reid
Exibições 93
Palavras 1.932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Queria agradecer do fundo do meu coração todos os comentários. Significa mto pra mim.
Esse está mais fofo, assim como esses últimos, espero que estejam gostando:

Capítulo 35 - Trinta e Cinco


Spencer acordou por volta das onze horas. Há um bom tempo não acordava tarde. Há um bom tempo não dormia bem assim. A primeira coisa que viu quando acordou foram os cabelos de Charlie caídos sobre seu ombro. Ela estava de costas para ele, mas estavam próximos e mantinham os pés entrelaçados. Charlie segurava a mão de Spencer, que estava por cima de sua cintura. Ele tinha o rosto afundado no pescoço dela, gostando do ar quente que inspirava. Reid tirou o cabelo de seu pescoço e depositou alguns beijos suaves, não querendo acordá-la e a segurou mais perto. Não soube dizer quando tempo ficou assim - meia hora, aproximadamente -, até a sentir beijando a palma de sua mão.

— Bom dia. - ele disse baixinho. 

— Oi. - Charlie se virou para ver seu rosto. - Dormiu bem?

— Ótimo. - Spencer olhava para o pequeno sorriso nos lábios dela. - Você?

— Também. Sabe, para quem ficou recoso quando me abraçou no elevador do shopping, Spence, ontem você...

— Charlie. - ele a interrompeu rindo. Ela deu de ombros, como dizendo "é a verdade", o que fez Spencer sorrir e beijar de novo. Quando se afastaram, ela tinha as mãos em seu cabelo. Spencer gostava quando Charlie fazia isso e ficou feliz quando percebeu que era um costume dela. 

Charlie se virou para levantar, mas sentiu os dedos de Spencer em sua mão, fazendo-a voltar a se deitar.

— O que? - ela sorriu. Reid a puxou para perto, deixando o rosto dela próximo ao seu, que estava um pouco mais alto.

— Vamos só ficar aqui por um tempo. - ele respondeu, e não pôde deixar de se sentir mal quando seus dedos passaram por algumas cicatrizes nas costas dela.

— Eu iria fazer o café. - ela disse sorrindo, seus narizes quase se tocando. Ele semicerrou os olhos.

— Você cozinhando?

— Spencer! Eu sei cozinhar. Eu fiz panquecas aquela vez que você passou um tempo lá em casa, depois que eu passei em Yale. Estavam ótimas! - ela se defendeu quando viu a feição dele, que desviou o olhar, não querendo concordar, brincando. Spencer beijou a ponta do nariz dela e os dois voltaram a se abraçar. Charlie poderia ficar ali o dia inteiro, sentindo o toque macio de Spencer, os dois longe do frio que estava lá fora, a neve típica dessa época do ano ameaçando a cair. Ficaram por quase meia hora, conversando em uma voz suave.

— Ok, também estou com fome. - ele beijou a testa dela depois que falou.

— Sabia. - ela riu e procurou seu pijama, o colocando em seguida. Spencer fez o mesmo. O apartamento estava frio fora do quarto dele, fazendo-o voltar para o cômodo, procurando sua blusa do pijama. Quando chegou à cozinha, Charlie havia colocado duas canecas lado a lado no balcão da cozinha, assim como dois pratos. A cafeteira já estava trabalhando.

 - E o que teremos hoje? - ele perguntou se sentando em uma das banquetas.

 - Waffles. - ela sorriu. - Congeladas, porque eu não faço milagres.

Ele sorriu mais e, quando tudo estava pronto, se sentaram lado a lado, conversando sobre coisas sem importância e rindo distraidamente. O cheiro do café que Charlie havia feito enchia o olfato de Spencer. Ele passava a mão carinhosamente pela perna dela, enquanto Charlie brincava com os cachos de Spence que estavam mais bagunçados que nunca. 

O cabelo solto de Charlie estava mais armado e enrolado do que o normal, todo jogado para o lado oposto de Spencer, deixando que ele visse seu rosto com clareza. A janela atrás deles estava aberta, deixando uma brisa leve e fria entrar no apartamento. Ela não se importava de que a cortina estava aberta, na verdade até se sentia aliviada ao ver luz natural.

— No que está pensando? - Spencer tomou o resto do café que tinha em sua caneca e olhou para o lado, vendo Charlie morder o interior do lábio inferior sem perceber.

— Romeu e Julieta. - admitiu olhando para ele, a ponta de um sorriso envergonhado crescendo em seus lábios.

— O que sobre eles? 

— Romeu sorriu quando percebeu que Julieta estava viva, mesmo que ele estivesse morrendo. - Spencer sorriu quando ela começou a falar. - E histórias assim são tão... Como em Titanic. Perder quem você ama é uma das piores coisas que alguém pode passar, se não a pior. E nós dois passamos por isso, diversas vezes. - ela continuava olhando para a caneca em suas mãos, envergonhada por perceber aonde chegaria. - Meu ponto é: é loucura agradecer toda manhã por você ainda estar ao meu lado?

— Seria loucura eu não estar. - ele sorriu para a imagem dela corando e colocando mais café em sua caneca, e passou o braço pelos seus ombros, a puxando para perto. Ele maneou a cabeça quando ela ofereceu mais café. - Então, eu tenho uma semana fora, porque Hotch achou que você precisaria de alguém nesse tempo, e é verdade. 

— Tenho duas.

— Só duas?

— Não quero ficar muito tempo longe, sabe? Manter a cabeça ocupada. - ele concordou e se levantou, pegando a mão dela. - Vai onde?

— Temos planos. - ele disse como se fosse óbvio. Charlie sorriu surpresa e se levantou.

— E quais são, Dr. Reid? 

— Bom, nada específico, mas... - ele sorriu tímido, o que fez Charlie rir. - Mas tem milhares de lugares que eu quero te mostrar.

Spencer ouviu seu celular tocar no quarto e Charlie conseguiu ouvi-lo falar "Oi, Rossi". Ela tirava a louça quando Spencer apareceu na sala dizendo tchau e desligou o celular.

— Rossi nos convidou para almoçar na casa dele, daqui meia hora. - Reid contou. - Não precisamos ir, se você não quiser. Falei pra ele que o avisaria.

— Por que "não precisamos", Spence? - Charlie sorriu. - Você poderia ir sem mim.

— Não consigo imaginar ficar longe de você agora. - ele deu um sorriso tímido, mas ela identificou uma ponta de tristeza. Se tivesse passado pelo que ele passou, faria a mesma coisa.

— Vamos, sem problemas. - ela ficou na ponta dos pés e lhe deu um selinho. - Eu... Eu vou tomar um banho antes da gente ir, pode ser?

— Tá bom. - ele escondeu o receio por ela. Sabia que alguma coisa tinha acontecido naquele tempo com Blauman e que ela não havia contado. 

Charlie sorriu e andou até o quarto, onde sua pequena mala estava. Tirou algumas roupas e pegou Spencer a observando, mordendo o interior dos lábios.

— O que? - ela perguntou.

— Estou preocupado com você. - admitiu.

— É um banho. - Charlie deu de ombros. - Ontem foi... Eu me desequilibrei, Spence, só... Se está tão preocupado, vem comigo. - ela se interrompeu.

— O que...? - ela levantou as sobrancelhas quando viu a confusão dele, mas não precisou perguntar novamente. - É, ok. - respondeu algum tempo depois.

~*~

Não haviam muitas pessoas na rua, então Charlie, depois de olhar para os lados, pulava em montes de neve, querendo ver suas pegadas. Ela e Frances faziam isso o tempo todo. Spencer e Charlie haviam optado por não usar o carro. Ele usou suas estatísticas e porcentagens para mostrar quantos carros ficam presos na neve e Charlie apenas concordou, queria mesmo andar na neve, fazia um bom tempo que não fazia isso.

Eles andavam de mãos dadas, conversando e rindo de coisas aleatórias. Spencer percebia que o sorriso de Charlie se fechava toda vez que um homem passava e olhava para ela por mais de um segundo. 

— Ignore-os. - sussurrou para ela. - Você está linda, por isso estão olhando. Sei que não é argumento, mas eu estou me segurando para não ficar parado olhando pra você por horas.

Ela sorriu envergonhada e abaixou o olhar para sua bota, que afundou um pouco na neve.

— Spence? - ela tentou chamá-lo casualmente algum tempo depois, quando desviou os olhos de uma vitrine de roupas.

— Sim?

— Lá no hospital, quando Garcia brincou sobre a gente se casar. Você ficou nervoso e... Eu só estava me perguntando se... Um dia, você se vê casado?

Ele a olhou com um sorriso no rosto. Os dedos da outra mão de Charlie batiam levemente em sua calça jeans.

— Sim. - ele respondeu. - Eu quero me casar e ter filhos.

Ela se voltou para Spencer e assentiu, segurando um sorriso. Estavam quase na casa de Rossi. Não era muito longe, mas demorava um pouco para chegar andando. 

— Estava pensando sobre o que você disse no café. - ele admitiu uns dez minutos depois, quando ela terminara de falar sobre o livro que começou a ler, um dos que Spencer havia lhe dado. - Sobre você agradecer que estou do seu lado.

— Foi idiota, não foi? - ela riu envergonhada.

— Não. Foi idiota eu não dizer o quanto eu agradeço por não ter te perdido. 

Charlie não respondeu, só parou de andar e ficou na ponta dos pés, puxando o rosto dele para perto.

— Bom, eu estou aqui. - ela sussurrou e juntou seus lábios enquanto os dois ainda estavam sorrindo. - Vamos, estou morrendo de fome.

Ele riu, pensando que eles mal havia acabado de tomar café. Quando chegaram à casa de Rossi, Henry foi o primeiro a correr para fora quando os viu. Esticou os bracinhos para que Spencer o pegasse no colo e em seguida quis que fosse Charlie que o segurasse. Ele não queria sair de perto deles e só fez isso quando Jack o mostrou um novo boneco do Batman que havia ganhado do pai.  

— Elizabeth e Darcy! - Penelope se levantou do sofá quando os viu entrando. Charlie levantou as sobrancelhas surpresa ao ver o interior da casa e eles riram. 

— Oi. - Spencer levantou a mão para eles. JJ estava ao lado de Will e sorriu para a imagem de Reid tão feliz. Garcia tinha puxado Charlie para seu lado, no sofá branco gigante, e elas começaram a conversar alegremente, enquanto Spencer ficou ao lado dela, falando com Hotch, Beth e Blake. Rossi apareceu na sala e desviou dos brinquedos de Jack e Henry. Ele cumprimentou Spencer e abraçou Charlie, o que fez Reid franzir as sobrancelhas. 

— Tenho uma foto que gostaria de mostrar. - Dave chamou a atenção de todos quando disse isso e pegou um porta-retratos, com a primeira foto da equipe junta, desde que ele havia se juntado a UAC, e entregou para Charlie, que sorriu surpresa quando viu. Garcia riu, também.

— JJ, seu cabelo estava um amor! - Penelope disse e a outra loira olhou para os lados, envergonhada ao se lembrar da franja. - Ah, eu sinto falta de Emily. Você ia se dar bem com ela, Charlie, ela também falava francês e sei lá mais quantas mil línguas.

Eles riram e concordaram.

— Spencer, por que eu nunca te vi assim? - a boca de Charlie estava em um "o", que se abriu para um sorriso depois quando o viu na foto, com um sorriso tímido. - Você parecia assistente de professor! Sabe? Aqueles de quando a gente tinha oito anos.

— Obrigado, Rossi. - Spencer murmurou e todos riram.

— Você era muito fofo, deveria voltar para os óculos. - Charlie entregou o porta-retratos para JJ, que pediu e continuou falando com Reid.

— Pretty Girl, certeza? - ouviram a voz de Morgan. - O amor é cego, mesmo. 

Spencer abaixou a cabeça, um pouco tímido, mas Morgan colocou a mão em seu ombro, batendo levemente.

— Estou brincando, Reid! - ele riu e se virou para Garcia, piscando para ela. Charlie sorriu, adorava a amizade deles. Morgan a chamou algum tempo depois. - Bem-vinda à família, Dra. Reid.


Notas Finais


A fic tá acabando, já estou com o coração na mão kkkk
Faltam um ou dois capítulos ainda, mas já quero agradecer todo mundo que acompanhou, recomendou e comentou! Sério, minha primeira fanfic que realmente deu certo. Não teria dado se não fosse por vcs (coisa mais clichê de dizer? Sim, mas é vdd kkk)
Mto obrigada pelos comentários no último capítulo!
Espero que tenham gostado desse


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...