Jornal ― Kat ∴ Schulz ―


Por: ~


― Kat ∴ Schulz ―


Nome
Katharina Yeva Schulz
Katharina, que quer dizer "pura". Uma homenagem à sua avó.
Yeva significa vida.

Apelido
Kat, Kate, Yeva

Idade
24 anos, nascida em 24 de fevereiro, sendo do signo de Peixes.
sabe aquele signo trouxa? ele mesmo

Nacionalidade

Stuttgart, na província de Baden-Württemberg Alemanha
Alemã

Casta 3
Escritora


Aparência
Emilia Clarke

A beleza da moça é a primeira coisa a se fazer notar. Com seus um metro e sessenta de altura, seu corpo possui algumas curvas bem distribuídas, sendo seus peitos e bunda de tamanho mediano, um conjunto perfeito de certa forma com suas pernas pouco torneadas e braços finos. Seu rosto é levemente arredondado, com bochechas pouco rosadas, que entram em contraste com sua pele clara e se sobressaltam quando Kat abre um sorriso, deixando-a com um ar ainda mais fofo. Seus lábios são finos e naturalmente rosados, porém, a moça geralmente os cobre em batons vermelhos. Seu nariz é pequeno e redondinho, não chamando tanta atenção. Seus olhos são de um verde brilhante com um tom de castanho claro bem característico ao redor das pupilas. Certamente chamativos. Para completar, seus cabelos são castanhos, quase sempre abaixo dos ombros, chegando a bater no meio de suas costas, com suas ondas balanceantes a deixando ainda mais meiga do que parece.



Personalidade

Katharina tem um gênio tranquilo, nunca perdendo a paciência por coisas bobas. De início, ela é tímida, mas, assim que lhe derem confiança ou encontra uma oportunidade, mostra sua verdadeira natureza, e, nesse caso, chega a ser um Deus nos acuda. Ela é engraçada e brincalhona, não chegando a ser irônica, apenas faz piadas de coisas realmente engraçadas. É uma pessoa extrovertida, mas não irá brincar com todos a qualquer momento, apesar de ser totalmente bobinha em certas ocasiões. Quando o assunto lhe interessa, a moça acaba se empolgando demais e é difícil fazê-la se calar, sendo possível falar por horas sobre o assunto com a companhia certa. Sincera, Kat sempre diz o que realmente acha, mesmo que vá magoar alguém, mas, claro, tentando amenizar suas palavras. É dedicada aos seus entes queridos e pessoas próximas. Determinada e perfeccionista, tudo que faz tem que estar da melhor maneira possível, principalmente seus textos. Ela é carinhosa, meiga e gentil com todos à sua volta. Não é do tipo desbocada, deixando algum palavrão sair apenas quando está frustrada. Está sempre com um sorriso estampado em seu rosto, mesmo que nada esteja saindo como o planejado. Seu altruísmo é sempre presente, é raro um momento em que ela não pense nos outros, até mesmo quando escreve. Devido à sua ocupação, sua imaginação é extremamente fértil, tornando a moça corajosa e aventureira, porém, fica atrapalhada e risonha demais quando está nervosa. Sonhadora, Katharina é uma romântica incurável.



História
Originalmente romena, Violetta Rumancek é filha de um violoncelista e uma pianista, seu destino não era assim tão diferente de seus pais e aceitava isso, até que, numa apresentação, onde substituía sua mãe ao piano, um rapaz se aproximara nos bastidores para elogiar a performance. Ele acabou por se encantar pela moça e, com o incentivo do mais velho que em alguns anos se tornaria seu sogro, a convidou para um encontro. Um jantar foi o suficiente para que o jovem soubesse que sua vida não seria mais a mesma sem a moça. Tiveram seis meses de namoro à distância antes de finalmente se firmarem, já que ele morava na Alemanha e ficaria fora de mão para qualquer um dos dois se mudar naquela época. Aos 20 anos dele e 18 dela, se casaram e estabeleceram residência na Alemanha, onde ela começou a cursar a faculdade de direito, enquanto ele terminava a sua de letras. No ano seguinte, a mulher engravidou. Foi uma grande felicidade para o casal, principalmente para Klaus, que sempre quis sua própria família e agora começaria uma com o amor de sua vida. Amélie foi a anunciadora de alegrias para Klaus e Violetta. Formado em filosofia e humanidades com o plus de três idiomas, o homem fora convidado para dar aulas na faculdade onde se formara, a renomada Universidade Livre de Berlim, onde ensinaria latim, inglês e romeno em turnos noturnos, o suficiente para adquirir experiência, enquanto exercia filosofia pelas manhãs em colégios menores para crianças e adolescentes. Violetta se formou com louvor em direito, tendo sucesso em seus primeiros casos, apesar de pequenos. Com os quatro anos de sua primogênita, o casal recebeu uma ótima e uma péssima notícia. A mulher estava grávida novamente, porém, a mãe de Klaus estava muito doente, um câncer terminal a atormentava e não deveria aguentar até o nascimento de sua segunda neta. Katharina, uma mulher contente e sorridente, não se deixou abater pela doença e se aproximou ainda mais da nora para aproveitar os últimos meses de vida que tinha. Assim que se completaram os nove meses, o tempo de Katharina se esgotou. Ambas foram para o hospital, Violetta pelas dores causadas pelas contrações, Katharina por sua saúde agravada. Sua neta nascera forte e saudável. Katharina Yeva Schulz. Katharina, assim como o de sua avó, que significa pura e Yeva, pois sua avó sempre fora cheia de vida. Logo após ver sua pequena neta nos braços de sua nora, Katharina pôde descansar em paz.
A perda da mulher fora dolorosa, mas a pequena Kate não deixara que o sorriso sumisse de seus rostos. Assim como a avó, a menina, ainda que fosse um bebê, era cheia de vida. Risonha e brincalhona, sempre com seus olhos grandes e brilhantes iluminando o dia de seus pais e de sua irmã, agora com cinco anos, que sentia a falta da avó. Amélie, se sentindo mais contente próxima à irmã, passou a querer protegê-la do mundo. Estranhava todos que se aproximavam da pequena, principalmente quando seus pais não estavam por perto, não deixava que ninguém encostasse na menina. Os pais pensaram que seria algo momentâneo e que logo passaria, mas não foi o caso. Mais crescidas, estando com seus oito e três anos, Amélie contava para a irmã as mesmas histórias que sua avó a contava quando menor, pois queria que a irmã soubesse de tudo, embora não pudesse ter a mesma experiência que ela tivera. Não deixaria a memória de sua avó se apagar junto a ela. Era algo que Klaus sempre admirara na mais velha. Ele sempre incentivara suas filhas a lerem, desde pequenas. Sua coleção de livros sempre fora aberta a elas, vez ou outra, Amélie sempre pegava algum para ler para a irmã. Aos sete anos, Katharina já começava a ler grandes livros sozinha, usualmente falhando numa palavra ou outra, mas sempre procurava saber o que significava. Sua imaginação voava dentro do escritório e sala de leitura de seu pai. Por já terem amor por algo relacionado à família do pai, Violetta também fez questão de apresentar sua paixão às filhas. As levou num concerto de música clássica. No início, as meninas não gostaram muito, pois não podiam correr, ou brincar, mas, assim que se acalmaram e começaram a prestar atenção, tomaram gosto por tal coisa. Katharina sempre vira seu avô materno tocando piano e sempre admirara, mas não sabia bem o que era. Aos nove anos, a menina já tocava bem o instrumento, fazendo vários recitais durante sua adolescência. Sua relação com sua irmã e seus pais sempre fora perfeita. Eram uma família unida e as coisas eram muito mais fáceis com o incentivo de ambos para qualquer coisa que as meninas quisessem fazer, mesmo que ainda pensassem num futuro distante.
Próximo aos 16 anos, Kat vasculhava a biblioteca de seu pai atrás de algo para ler, seu pai a indicou um livro muito especial e com uma linda dedicatória. Era uma história de aventura e, logo atrás da capa, havia um pequeno texto que parecia ser de uma mãe para o seu filho. Após analisar a escrita e as palavras, descobriu que era de sua falecida avó, de quem herdara o nome. Seu pai disse que aquele fora o pontapé para toda a sua vida. Lendo o livro, reconheceu a maioria das cenas e situações. Ela conhecia aquela história. Era a mesma que sua avó contara para sua irmã, que acabou por repassar para ela. A história de um rapaz que viajou o mundo para encontrar a si mesmo, mas acabou por encontrar sua felicidade na fazenda ao lado a de seus pais. Uma bela moça que cantava para ganhar a vida para ela e seu pai doente. Os nomes eram diferentes, mas aquela história parecia bem real para a menina. Ao encontrar seu sobrenome no lugar do autor, foi quando descobriu de quem se tratava. O nome usado para descrever a mulher era Yeva, pois representava a vida que ela tinha. Era a história de seus avôs, o homem falecido em tempos pós-Guerra por alguma doença da qual ela não se lembrava, e a dedicatória escrita era de sua avó para seu pai, enquanto a impressa era para a mulher e filho do autor. Katharina buscou tudo o que pôde sobre o avô, outros livros, mas aquele fora o único. Sem saber, Klaus mostrou à filha caçula o que ela precisava para decidir seu caminho. Para começar, deu-lhe um diário para que desenvolvesse sua escrita, o que foi consideravelmente fácil a julgar os vários textos que lia.
Aos 20, ainda não perdeu seu jeito de menina aventureira, tendo viajado por diversas vezes atrás de suas próprias aventuras. Possui um livro publicado sob o mesmo pseudônimo de seu avô, K.A. Schulz, Katharina e Aaron Schulz, numa tentativa de continuar seu legado. A moça escreveu um belo romance sobre um casal que se conhecera na escola, mas, diferente da protagonista de seu livro, Katharina não obtém o mesmo sucesso em sua vida amorosa, sendo completamente inexperiente nesse quesito. O anúncio da Seleção a pegara num momento totalmente desprevenido, já que a moça estava se queixando à irmã sobre suas tentativas falhas de encontrar seu homem ideal. Tentando dar um empurrão na mais nova, ou talvez apenas para zoá-la, Amélie acabou por inscrevê-la no concurso, o que deixou a escritora de certa forma apavorada, já que não sabia o que fazer, mas viu como uma oportunidade única para uma história até interessante. Sua própria história.


Família

Josh Holloway
Klaus Schulz 46 anos Casta 3 Professor de filosofia e idiomas Pai
Um homem carismático e brincalhão, está sempre de palhaçada, com sua família ou com seus alunos. Katharina realmente ama seu pai. Tudo o que ela é ou faz deve a ele, pois descobriu sua paixão pela escrita graças aos livros que ele lia e dava a ela. São muito chegados ao ponto de fortes abraços apenas por passarem o dia separados.



Evangeline Lilly
Violetta Rumancek Schulz 44 anos Casta 3 originalmente, Casta 5 Promotora Mãe
Uma mulher simpática e sorridente. Não é séria e carrancuda como a maioria das mulheres que possuem seu cargo ou algum parecido, está sempre aberta a brincadeiras em seu ambiente de trabalho, o que a ajuda a aliviar a tensão. Apaixonada por música graças aos pais, que eram musicistas, acabou compartilhando este amor com as filhas. Amélie aprendera a tocar violão, enquanto a mais nova optara pelo piano. Sempre foi presente na vida das filhas, as incentivando e aconselhando a seguirem seus caminhos.



Ashley Greene
Amélie Schulz 25 anos Casta 3 Advogada irmã mais velha
Uma moça ajuizada, séria e até um pouco sem graça. Amélie nem sempre foi assim. Antes de ter que estudar pesado para conseguir seu emprego dos sonhos e o respeito que o mesmo exigia, Amélie era festeira e tão tagarela quanto a irmã, mas, atualmente, ela só se permite ser assim com a família. Foi com a irmã mais velha que Katharina aprendera a ser falante e brincalhona, já que o relacionamento das duas é cheio de brincadeiras. Suas brigas eram totalmente fúteis, logo, não passavam mais de uma hora sem se falarem. Até hoje, Katharina conta tudo para a irmã, que considera sua melhor amiga. Amélie ainda é super-protetora com sua caçula.


Manias
Morder a tampa da caneta enquanto pensa no que escrever
Estalar os dedos antes de fazer alguma lê-se qualquer coisa

Medos
Medo de palhaços Medo de acidente, apesar de sempre pensar que o pior pode acontecer Medo de perder sua família

Fobias
Apifobia medo de abelhas Mictofobia medo de escuridão

Traumas
Quando pequena, seus pais visitaram a fazenda de um amigo. A menina ficara encantada por um dos cavalos e pedira para montar, mas não saiu como o planejado, pois o animal a derrubou, a deixando com uma fratura no braço. Desde então, mantém distância da espécie, apesar de ainda os achar encantadores, está sempre apreensiva quando algum se aproxima.


Qualidades e Defeitos
Qualidades
Divertida Extrovertida Gentil Romântica Sincera Aventureira Dedicada Determinada Atenciosa
Defeitos
Um pouco tagarela Perfeccionista Sonhadora até demais Sensível Apreensiva

Gostos e Desgostos
Gostos
Leitura Idiomas Literatura Música Animais, principalmente cães Comidas gordurosas Frio Neve Chuva Suco de limão Chocolate
Desgostos
Doces demais, costuma ficar enjoada só de olhar Bebidas alcoólicas Pessoas mal agradecidas Falsidade Calor excessivo Café

Hobbies
Leitura, pela profissão de seu pai, acabou desenvolvendo sua paixão por leitura e idiomas

Desenhar, sua paixão escondida, já que morre de vergonha dos mesmos

Correr, adora se exercitar, consegue sincronizar sua mente e seu corpo


Talento
Piano
Desenvolveu amor pelo instrumento graças à mãe.


Príncipe, coroa ou outro?
Katharina é uma escritora dedicada, sua ideia inicial sobre a Seleção era para que pudesse escrever uma história realista sobre a nobreza, sem pontos imaginários, mas sim algo concreto. A Seleção era sua melhor chance de ver isso de perto.

Príncipe Escolhido

Príncipe Richard Andersen

Relações
Reis
Admira cada um deles por seus feitos para o Grupo dos Seis. Apesar de não entender muito de política, sempre ouve as conversas dos pais sobre o assunto, então, costuma saber uma coisa ou outra. Nunca se interessou tanto, mas sabe e entende sua importância.

Rainhas
Belas, elegantes e generosas, mulheres que servem de modelo para tantas, incluindo a senhorita Schulz. Sempre elogiaria suas vestimentas, esperando não soar puxa-saco. Katharina as respeita acima de tudo e não acha que as interromperia ou contrariaria, a menos que elas estivessem dizendo ou fazendo algo que não julga certo.

Príncipe Richard Andersen
Mesmo não sendo tão interessada por política, a moça sempre esteve por dentro dos assuntos do momento, se mantendo antenada, logo, não perdia uma notícia sobre o G6 e sempre via uma imagem ou outra do rapaz em revistas e jornais. Sempre fora encantada por sua beleza. O tratará com todo o respeito e tentará manter a calma perto dele mesmo que seja quase impossível.

Demais Príncipes
Noah Heckmann

Um rapaz quieto e uma moça tímida. Não é uma amizade confirmada, porém, Katharina conhece os boatos sobre o rapaz e jamais acreditou neles. Sabe que ele não tentaria conversar com ela, ainda mais por nunca terem se visto, então ela engoliria sua timidez e tomaria a iniciativa. Adoraria ser sua amiga e daria o seu melhor para que ele confiasse nela.

Bernard Seydoux

Aventureiros, os dois já têm um ponto comum para um bom início de conversa. Mesmo que a timidez do rapaz se faça presente, a moça assim como com Noah tomaria a iniciativa e tentaria se aproximar, tanto para saber das aventuras dele, quanto para contar sobre as suas. Se dariam bem tanto pelos gênios tranquilos quanto pelos espíritos valentes.

Markus Santini

Outro que ela só vê em revistas e jornais junto aos pais. Não tem um conceito pré-estabelecido sobre o rapaz por raramente ouvir algo sobre ele, mas isso não a impedirá de ser legal com o rapaz.

Tomás Castellanos & Christopher Samiotou

Por ser um pouco certinha demais, os rapazes podem não gostar nela de cara, mas ela fará o possível para que possa ter uma "relação" saudável com eles, mesmo que tenha que tentar encontrar algum ponto em comum com os dois para que possam conversar.

Guardas
É respeitosa e educada com todos, sempre desejando um bom dia, boa tarde ou boa noite. Acha que um cumprimento, até mesmo um simples sorriso, pode melhorar e muito o dia de alguém. Não é diferente com eles, que passam a maioria de seus dias assim, muitas vezes sendo ignorados ou passando despercebidos.

Outras candidatas
É simpática com todas, não as vê como concorrentes, estão todas ali por algum motivo e todas têm algum potencial especial para serem princesas e rainhas.

Jornalistas
É o mais educada possível, tenta responder o máximo de perguntas, mas não gosta de envolver sua família.


Criadas

Nikki Reed
Kensi Armstrong 28 anos Cuida de seus horários
Comunicativa, extrovertida e engraçada
Seus dias começam muito bem após uma conversa com Kensi. Uma grande companheira dentro do castelo. A mulher é sempre pontual, logo, Katharina também é. As duas se dão muito bem, o que facilita muito suas vidas, já que precisam se falar todos os dias.



Rachael Taylor
Megan Pride 32 anos Cabeleireira e estilista
Simpática, tranquila e atenciosa
As duas têm uma relação consideravelmente ótima. Não é sempre que Kat precisa dos cuidados de Megan, mas, quando precisa, sempre deixam a outra a par do que está acontecendo em suas vidas, seja sobre algo importante, ou um cachorro que viram na rua. Megan sempre tem ótimos conselhos para a moça.


O que acha da Seleção?
Não acha que é algo tão necessário, mas entende que algumas pessoas têm mais dificuldade para se relacionar amorosamente do que outras, um caso parecido com o dela.


Como reagiria a um ataque rebelde?
Tentaria manter a calma e resolver tudo com um bom diálogo, tentando fazer algum acordo favorável para ambas as partes.

Prejudicaria alguma outra selecionada para seu benefício?
Não, do mesmo jeito que não gostaria de ser prejudicada.

Sua personagem já namorou antes? É virgem?
Sim, namorou um rapaz na faculdade por dois anos, mas terminaram pois ela não era tanto liberal como ele queria. Sim.

Bebe coisas alcoólicas? Se sim, apenas socialmente? Ao ponto de ficar bêbada?
Sim, apenas socialmente, porém, com moderação.

Músicas que definem a relação com o par
Troye Sivan & Alessia Cara Wild
James Bay If You Ever Want To Be In Love
Dua Lipa Be The One
Ed Sheeran Thinking Out Loud

Objeto especial?
Três diários artesanais de couro

Pode parecer exagero, mas a moça gosta de estar preparada. Possui três diários e utiliza os três. O azul é onde ela escreve sobre os seus dias, sendo este o seu diário mais do que pessoal. O vermelho é onde sua imaginação transborda e ela anota todas as possíveis ideias para suas histórias. O preto é seu pequeno xodó e não mostra a ninguém, já que é onde ela deixa sua criatividade transbordar e desenha o que vier à mente, objetos, animais ou pessoas.

o príncipe pode entrar na lista de desenhos, ok?

Roupas
A moça é usualmente vista de saia acima dos joelhos, não tão curtas, meia-calça e scarpin. Suas roupas são sempre neutras, se adequando a qualquer ambiente. Apesar de ser discreta, ama usar vermelho, tendo sempre uma blusa, blazer ou vestido da cor no armário. Preto, cinza, branco e azul marinho são as cores mais recorrentes. Estampas não são o seu forte, mas não recusa um bom desenho. Não é tão menininha, então também possui encanto por pelos vestidos e saltos, não passando despercebida quando a moça está mais do que bela.


Algo a mais?
I'll be the queen.

Lendo: Empire

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...