Jornal Bruise Violet


Por: ~


Bruise Violet

Eu não pretendia contar isso porque é quase irrelevante, mas: ontem à noite, nas minhas andanças com meu namorado (já era um tanto tarde e nós estávamos indo para casa depois de jantar por aí), nós passamos por uma rua mais vazia onde um cara falava com uma menina, aparentemente.

Sabe quando você percebe que o cara não está conversando "amigavelmente"? Perto demais, expressão de raiva, a menina acuada contra um muro. Tinha um bar na esquina, e o barulho encobria os gritos que ele parecia soltar. A força com que ele apertava o braço da moça com toda certeza estava machucando, dava para ver. Nós notamos que aquele cara podia fazer algum mal àquela menina, e vocês devem imaginar o que a gente fez.

Nós chegamos perto, meu namorado perguntou se tinha alguma coisa errada, e eu fingi conhecê-la (ela entrou na farsa, fingiu que éramos colegas da faculdade), e fomos rumo ao bar, dobramos a esquina. Ela explicou que o cara era ex-namorado dela, que a seguiu quando estava voltando para casa. Ele não tinha aceitado o término e estava afim de "discutir" isso novamente (como vocês devem ter percebido, de maneira bem gentil). No fim, ela preferiu não ligar para a polícia como sugerimos e só a acompanhamos até a casa dela. O cara evaporou dali.

Eu teria ligado para a polícia e aprontado o diabo, vocês sabem (provavelmente teria batido no cara se deixassem, açs~sksjs), mas escolha dela e respeito isso. O fato é que a gente pode ter salvo alguém de uma situação ainda pior, e isso me deixa muito feliz. O olhar de gratidão daquela menina paga o esforço e o risco de termos sido seguidos e atacados, sem sombra de dúvida.

Eu contei essa história gigantesca porque queria pedir que vocês não se calem. Não finjam que não estão vendo, passem direto, virem o rosto, ignorem. Ajudem, mesmo que seja só de passar perto, olhar e dizer alguma coisa, isso pode fazer a pessoa recuar, ao perceber que existe uma testemunha ali, e já vale. Para quem ajuda, logo isso será esquecido porque parece irrelevante, mas para quem é ajudado, pode significar a vida, literalmente. Em alguns dias, eu nem vou mais lembrar disso, meu namorado também não, mas aquela menina não vai esquecer tão cedo daqueles dois punks malucos que se meteram com um cara de quase dois metros para livrar uma desconhecida de sofrer alguma violência.


O título, "Bruise Violet", é o nome de uma música do Babes in Toyland. Já a imagem pertence à By Stella Blu.By Stella Blu (Instagram) Bruise Violet


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...