Jornal Para Esther ♡


Por: ~


Fazer textão pra Esther é estranho, nosfa. Mas já tamo aqui mesmo. Agora vai.

Esther

Eu queria começar com uma coisa fofa e meiga, com uma escrita super rica e floreada, contando nossa história e tals... Mas aí não seria um texto meu, então eu vou contar do jeito maluco porque é mais legal.

Era uma vez... Em um reino muito, mas muito distante... Duas pessoinhas . Essas pessoinhas estavam fazendo o dever de geografia, mas o que acharam que era só um dever chatinho acabou ficando mó legal porque as duas tem uma imaginação muito fértil. Elas viram a foto de uma ilha, só que em vez de responder a questão, o que as duas fizeram? Isso mesmo. O que qualquer pessoa faria: Criaram uma realidade paralela onde a Terra tem outra divisão e as Américas Central e do Norte são na verdade um reino povoado 50% por batatas humanóides e 50% por humanos selecionados por um critério super rígido. Não, pera. Acho que pessoas normais não fazem isso; sabe o que quer dizer? Isso mesmo, somos estranhas e anormais (como se nós não soubéssemos). Aaah, eu falei que elas são as rainhas e que o palácio (que é preto, roxo e rosa) tem vinte andares de pura fantasia e maluquisse? Não vou descrever porque se eu fizer isso vou ficar escrevendo até o aniversário do ano que vem. Mas voltando pra história... Esse reino se chama Potatoland, e tudo que as rainhas querem que aconteça lá, simplesmente acontece porque elas são incríveis e poderosas, e elas que mandam na budega toda. Tudo que as majestades mais gostam está lá porque aquele é o paraíso delas, e lá elas são tudo que não podem (ainda) ser aqui no mundo ‘normal’.
Fim.

Mentira. Essa história está beeem longe de acabar.”

Resumi Potatoland pra poder começar de verdade, porque, na minha opinião, nossa amizade começou de verdade nessa aula de geografia; então nada mais justo do que o textão começar assim. E se prepara que vai ser textão mesmo. Já pega um copo de suco, um pacote de Oreo, umas paçocas, vai no banheiro, se alonga e senta.

Lembra de quando a gente mal se falava? De quando éramos do mesmo grupinho mas mal trocávamos um “Eae? Beleza?”? Então, se você me falasse que em apenas um ano nós viramos isso que somos hoje, eu não acreditaria. Mas foi assim né? Eu tava meio insegura no começo, com medo de você voltar pro grupo e me abandonar (aconteceu, mas mais por minha culpa), aí o destino me prega uma peça, e no dia 29/02 eu chego na sala e seu nome tá na lista de chamada. Eu fiquei meio “Puts mano, sério isso?”, mas aí você foi se aproximando de mim com o passar dos dias e no final, vem esse dever, essa ilhazinha, e por fim, veio a amizade. Aí não deu mais pra parar. Desde então muita coisa aconteceu. Nós fizemos amigos, perdemos alguns, nossa panelinha muda o tempo inteiro; mas ainda assim, ela sempre tem nós duas. Nós sorrimos, choramos, gritamos, pagamos mico… Você me trouxe muita coisa, carinhas, músicas boas, livros, amigos, expressões roubadas, inglês (Isuítifut), nossa, eu descobri tanta coisa com você que tá difícil lembrar.

E os nossos apelidos e códigos? Aquela olhadela que diz mais que mil palvaras? A quele momento em que pensamos na mesma coisa no mesmo instante? “Ai meu Deus, Milena... Você entendeu a referência?”, mano somos muito telepáticas. Somos Marlee e America, Sam e Lottie, Jason e tijolo, Eadlyn e poder, Nárnia e Aslam... Eu tô falando demais, nosga. Sabe quando eu fico nervosa por qualquer coisa ou faço um desafio mental estranho e etc? Como diria Justin, o pensador: Soooorryyyyyyy. Desculpa os meus vacilos, as mancadas, a lerdeza, e não desiste de mim. Cara, é difícil fazer textão. Mas é pra você, então vale a pena. Você é uma pessoinha maravilhosa e mesmo não aceitando seu lado purpurina, é isso que você é.

Sabe essas coisinhas fofas que você manda? Eu amo todas. E quando você tá precisando de companhia? Conta comigo. Os ataques de ciúme? É amor mesmo. Quando cairmos? Vamos levantar juntas e fingir que foi de propósito. Quando você diz que vai me fazer virar uma bolinha? Eu rio. As músicas que você envia? Escuto todo dia. Quando eu estou jogando truco e você fica lá do meu lado mesmo sem entender direito o que tá aconteceno? Valeu! Nossas histórias malucas serão contadas pros meus filhos.

Você é quase da família e só não somos irmãs de sangue porque ninguém ia aguentar. Mas, saiba que você, Srta. Marques, tem um apartamento duplex aqui no meu coração. E tem que ser muito louca pra conseguir isso.

Te amo muitão, te considero pacas. Curta seu dia e seja feliz. Tinhamu, batata :3

“Can you be my nightingale?” Não, pera. “Can you be my potato kawaii?” @lindwyrm


Agora, pra você ficar feliz, olha os pugs.


Escutando: Strange Love - Halsey

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...