Jornal Saudades


Por: ~


Saudades

Olá!

Nem sei muito bem para que servem os jornais. Mas tenho talvez a ideia errada de que me possa apróximar dos meus leitores e de outros escritores.

Hoje tive saudades de duas coisas. A primeira do tempo em que tinha tempo para escrever as minhas fics e para ter uma paixão arrebatadora por Naruto, o mundo então era muito simples. E em segundo tenho saudades do sentimento que a paixão nos proposiona.

Aqui fica uma passagem do meu próprio diário. De uma altura em que sonhava alto e tentava escrever sobre o que devia de dizer à outra pessoa. Estou a passar para aqui apenas porque achei bonito e podia ser de uma qualquer fanfiction, mas é só da minha vida "pacatamente" real.

" Quero olhar para ti e sentir alegria. Quero olhar para ti e sentir orgulho. Quero observar cada segundo do teu ser. Quero ver as curvas que o teu sorriso provocam no teu rosto e registá-las no meu olhar. Não preciso de te conhecer por inteiro, quero que me surpreendas com as coisas que podes oferecer. Não me quero incomodar com a tua perfeição ou imperfeição, pois sempre estarei disposta a adaptar-me.

Desejo aqueles abraços simples debaixo dos lençóis que me fazem sentir segura, mesmo que não saibas gosto desse lugar, quente e aconchegante. Mas não sou frágil, não ajas como se me fosse partir, age apenas como cola quando precisar de me reconstruir.

Podemos ser iguais na vida. Não digas sempre que sim aos meus pedidos, porque podem ser egoístas e podes não gostar. Eu não tenho medo de um “não”, mesmo que magoe. Sê verdadeiro. Promete-me que vamos discutir, que vamos ultrapassar obstáculos e construir escadas para subir. Não quero promessas vãs. Quero apenas lágrimas que valem a pena, sabes que não me importo de chorar.

Não prevejo o tempo, não faço ideia do que vem ai. Gosto de viver o presente, não espero o futuro com impaciência, portanto saboreia comigo este momento, não apresses as coisas naturais. Falemos do que pode ser bom, esperemos pelo que pode ser mau, não percamos a esperança. Mesmo longe lembra-te do meu toque, lembra-te que eu sei o teu de cor.

As palavras normalmente só as tenho nos dedos, mas se precisares delas faladas, pede simplesmente. Não sou um mostro que fala, desdenho mais do que acalmo. Deixa-me aprender contigo a arte de te fazer feliz. Fica contente com os meus ganhos como se fossem os teus. Sê um trampolim, incentiva-me a trabalhar mais em mim mesma.

Vamos instigar loucuras e incendiar fogos. Não desistas. Não seremos um, pois cada um é o que é. Seremos unidos. Uma equipa da qual uns saberão apreciar e outros terão inveja.

E, se por acaso, deixares de me querer como parceira, dá-me o desgosto de te deixar de amar, mas não me dês a raiva de te passar a odiar como pessoa, pois primeiro foste meu amigo. Não me traías. Sou crescida o suficiente para saber que os sentimentos mudam, não os controlamos. Sou crescida para saber amar, para saber lidar com a dor de amar, e com a dor de deixar de amar. Acredita que não vou cair.

Ciúmes nunca combinaram comigo, sentimentos profundos também não. Aceito as tuas amigas, como se fossem teus amigos, pois então aceita os meus da mesma forma. Quero confiança entre nós, quero que respiremos entre nós. Quero ter o meu tempo, quero que tenhas o teu tempo.

Conta comigo, mesmo que atrasada. Conta comigo, quero contar contigo. Vamos discutir ideias, vamos viajar, vamos viver. Vamos ser nós."

Também estou a escrever este jornal para que, enquanto não trago atualizações, vão sabendo de mim e o que ando a fazer. A imagem tem 2 anos (acho) e é um pequeno spoiler do futuro de One Step at a Time. Aguardem, esperem, e tenham paciência comigo.

Por agora, é tudo.
Beijos, abraços e muitos palhaços

Escutando: Turning Tables - Adele

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...