Jornal Ladies...


Por: ~




[ 𝓝𝓸𝓶𝒆 𝓬𝓸𝓶𝓹𝓵𝒆𝓽𝓸 ]

Esmeralda Freya Chermont.


Esmeralda é um bonito nome de origem grega, que remete a um forte sentimento de afeto, que se dirige a alguém muito valioso e por quem se tenha muito amor. Ela recebeu esse nome por causa da verde pedra inestimada, já que seus olhinhos de bebê eram tão verdes quanto tal pedra.

Freya, de origem nórdica, mas comumente utilizado na Inglaterra, significa "deusa do amor". Esse nome lhe foi dado em homenagem a sua mãe, que carregava este mesmo nome, também pertencente a sua avó.



[ 𝓐𝓹𝒆𝓵𝓲𝓭𝓸 ]

Desde que se entende por gente, ela é comumente conhecida por Esme, apelido este dado por seus irmãos. Ela adora, e até prefere, que a chamem somente de Esme. E sempre que possível, ela faz questão até de se apresentar somente por este apelido.


[ 𝓓𝓪𝓽𝓪 𝓭𝒆 𝓷𝓪𝓼𝓬𝓲𝓶𝒆𝓷𝓽𝓸 ]

13 de Fevereiro, sendo assim do signo de Aquário ♒.


[ 𝓘𝓭𝓪𝓭𝒆 ]

Vinte e dois [22] anos.


[ 𝓒𝓵𝓪𝓼𝓼𝒆 𝓼𝓸𝓬𝓲𝓪𝓵 ]

( ) 𝓝𝓸𝓫𝓻𝒆 (X) 𝓟𝓵𝒆𝓫𝒆𝓲𝓪


[ 𝓞𝓻𝓲𝒆𝓷𝓽𝓪ç𝓪̃𝓸 𝓼𝒆𝔁𝓾𝓪𝓵 ]

Heterossexual.


[ 𝓟𝓪𝓻 ]

Sim, e se possível, poderia ser o Bash? Eu tenho um eterno crush por ele <3
Se não puder ser ele, eu deixo a livre escolha para vocês. Façam o que acharem melhor com ela :)


[ ℋ𝓪𝓫𝓲𝓵𝓲𝓭𝓪𝓭𝒆𝓼 ]

Curandeira Essa habilidade ela começou a aprender com a avó quando tinha 7 anos, e continuou aprendendo com a mãe depois que sua avó falecerá. Ela conhece vários tipos de chás e plantas medicinais, e sabe preparar diversas 'pomadas' para curar ferimentos abertos, ela já até mesmo ajudou sua mãe a amputar o braço de alguém, então ela aprendeu o que se fazer quando tiver que cortar algum membro de alguém. Ela tem um caderninho, que pertencia a sua avó, com anotações sobre plantas e métodos curandeiros que lhe auxiliam bastante quando ela não sabe mais o que fazer.

Artesã Esme aprendeu com sua mãe a fazer diversos tipos de artesanatos manuais simples. Ela sabe moldar vasos e objetos de argila, costurar roupas e bonecas de pano e sabe até mesmo entalhar bichinhos e outros objetos em pedaços de madeira com sua velha adaga. Esme também sabe fazer pulseiras, colares e enfeites de cabelo, como coroas de flores, com coisas que ela arranja na natureza, como conchinhas e pedras bonitinhas.

Cavalgar e Lutar É comum que uma pessoa criada em uma fazenda saiba montar a cavalo. Esme monta desde os 5 anos de idade, quando nem conseguia erguer as rédeas por conta própria. Hoje, com 22 anos, tendo vivido quatro anos como andarilha em cima de um cavalo, ela já domina a montaria com graça e atitude. Definitivamente, ela não tem medo de cair do cavalo e ama sentir o vento agitar seus fios ruivos enquanto ela cavalga por aí. Já como lutadora, sua carreira é menos promissora. Ela sabe apenas a autodefesa pessoal básica, mas já lhe é o suficiente para manter caras idiotas longe dela. Pode não parecer, mas ela sabe muito bem quebrar um braço e fingir que foi acidental. Ela também é boa com espadas e adagas, ela sabe manuseá-las com perícia. Geralmente ela opta por adagas, já que são mais leves.

Jogar Cartas Bem, isso não devia ser uma habilidade, mas ela diz que seu maior talento é quando ela tem um Ás na manga para ganhar uma partida. Ela aprendeu a jogar enquanto trabalhava com a noite na taverna com a família. Ela sempre foi muito boa com blefes, e quando aprendeu a jogar definidamente, ganhava de todos os fregueses da taverna. Essa habilidade lhe foi bastante útil depois que seus pais morreram, Esme jogava a noite em tavernas movimentadas e conseguia ganhar várias apostas, e com isso, arrumava alguns trocados ou lugares para ela e os irmãos passem a noite ou quem sabe a semana. Esme é tão boa com cartas que já chegou até a apostar sua virgindade em uma mesa de bar, e não a perdeu.


[ 𝓓𝒆𝒇𝒆𝓲𝓽𝓸𝓼 𝒆 𝓼𝒆𝓰𝓻𝒆𝓭𝓸𝓼 ]

{𝓓𝒆} Impulsividade || Impaciência || Precipitação || Teimosia || Autoconfiança, ela é confiante demais para seu próprio bem, acha que nunca vai perder ou se machucar || Determinação excessiva, ela só desistiria de alguma coisa se estivesse morta.

{𝓢𝒆} Esme é uma garota cheia de segredos, tudo que ela viveu antes de começar a morar na paróquia de Paris é um completo borrão para todos que a cercam. Entre seus maiores segredos estão:


Apostar sua virgindade em um jogo de cartas mais de uma vez Só Louis sabe sobre isso, já que ele presenciou uma vez. Ela sabe muito bem que damas não frequentam tavernas e nem jogam cartas, e muito menos apostam virgindades com quaisquer bêbado, e que se descobrissem sobre isso, ela jamais arrumaria um bom marido.
Ser meio-inglesa Ela conta que cresceu em um vilarejo nos limites da França com a Inglaterra, e por trabalhar em uma taverna, tinha muito contato com ingleses refugiados e até mesmo soldados, por isso ela tem um "pouco" de sotaque britânico. Por seu pai ser francês, ela consegue esconder suas origens no sobrenome Chermont, mesmo que sequer tenha chegado a procurar o resto da família do pai. Esme sabe que se descobrissem que ela é meia-inglesa, poderiam acusá-la facilmente de traição ou espionagem, e em ambas as opções, ela e os irmãos acabariam decapitados.
A morte dos pais Ela definitivamente odeia tocar neste assunto. Além de ser muito doloroso, ela detesta os olhares de penas que as pessoas lhe lançam quando ela diz que é órfã, por isso ela parou de dizer que perdeu os pais e começou a dizer que ela e os irmãos fugiram de casa para tentar uma vida melhor em Paris. As pessoas reagem melhor quando pensam que Esme teria um lugar para voltar caso tudo desce errado.
Ela tem pesadelos com a noite do incêndio Esme já perdeu a conta de quantas vezes acordou no meio da madrugada suando frio e tremendo, em um estado de pânico deplorável. Ela sonha com sua casa pegando fogo e sua mãe tentando fazer com que ela e os irmãos cheguem até o porão inteiros, os gritos da mãe para que eles seguissem em frente quando um pedaço do teto caiu, impedindo Freya de seguir adiante. Os gritos de seu pai contra os soldados ingleses, os barulhos de espadas e luta, o fogo consumindo toda a velha taverna, os gritos de agonia de sua mãe queimando no fogo. Tudo isso continua vívido na mente de Esme, e as imagens a perseguem quando ela dorme. Ela não consegue mais dormir depois que tem um pesadelo desses, a dor de cabeça é grande e as lágrimas tomam conta dos olhos verdes dela.
Ela tem uma grande cicatriz na perna, que vai do meio da sua coxa até acima do tornozelo. Ela conseguiu essa cicatriz quando sua casa foi incendiada. Ela estava fugindo pelo porão com os irmãos, mas antes de conseguir descer até lá, o chão afundou sobre sua perna esquerda e ela desceu rasgando pela madeira. Louis a ajudou a desprender a perna, mas o ferimento era grande e ela não pode tratar na hora pois tinha que fugir. Esme achou que perderia a perna, mas Louis costurou sua perna, com ela bem acordada, com linha de pesca e graças as pomadas que Esme fazia com a ajuda do diário da avó, ela conseguiu com que sua perna cicatrizasse bem. Esme nunca sentiu um dor tão azucrinante quanto a de Louis costurando sua perna, e ela tem essa cicatriz como um "Marco de guerra".


[ 𝓟𝒆𝓻𝓼𝓸𝓷𝓪𝓵𝓲𝓭𝓪𝓭𝒆 ]

Esme é uma garota bem complicada. Ela tem uma personalidade bem forte, mas não deixa de ser doce e bondosa. A ruivinha tem uma alma aventureira, quer sempre estar em constante movimento e explorar o máximo de lugares que puder. Ela é uma garota que não abre mão do saber, que quer sempre retirar o máximo de aprendizado possível de cada lugar e situação que a cerca. Curiosa por natureza, Esme não consegue ficar com dúvidas, por mais boba que ela seja; ela vai ter que tira-la se quiser dormir a noite. O que nem sempre pode acabar bem para ela, como dizem por aí, a curiosidade matou o gato, então ela teve que aprender a conviver com suas dúvidas e resolvê-las quando ninguém estiver olhando. Extremamente intuitiva, Esme parece estar destinada a perceber as coisas antecipadamente, ela sempre percebe quando algo não está certo por mais que todos a sua volta digam que sim. Ela sente quando alguma coisa vai dar errado ou que estão tentando esconder algo dela, as vezes ela acha que é paranoia sua, mas ela sempre acaba dando razão a sua intuição e permanece em um estado de alerta incrível. Ela tem um instinto de caçadora, mesmo que caçar sempre tenha sido o forte de Louis, e quando ela sente que algo está errado, é porque realmente está. Então ela prefere, realmente, ficar em alerta do que achar que está ficando maluca/paranoica. Desconfiança é algo comum para alguém que viveu anos como andarilha, ela sabe muito bem que não se deve confiar em ninguém sem que este faça por merecer. Ela pode ser o mais doce possível com você, mas isto não significa que ela confia ou acredita no que você diz, ao mesmo tempo que ela sorri lindamente para você ela esconde uma faca nas costas, pronta para se defender. Hipoteticamente falando, é claro, se ela tivesse que esconder alguma arma seria uma adaga presa a sua perna. Sua desconfiança a mantéu viva e intacta durante muito tempo, e ela não está disposta a ignorá-la por um simples sorrisinho bonito e uma conversa galante.


Excessivamente Confiante, Esme confia demais em suas habilidades e experiência de vida, acha que vai conseguir fazer qualquer coisa, mesmo que esteja obvio as outras pessoas que ela não conseguiria. Ela é confiante demais para seu próprio bem, ela seria capaz de entrar em um campo de guerra somente com uma adaga achando que ia sair vitoriosa de lá. Seu altruísmo também é um grande defeito dela, ela não tem medo da morte, e se sacrificaria fácil, fácil por qualquer pessoa com que ela se importe ao menos um pouco. Independente e Orgulhosa, Esme acha que pode fazer tudo sozinha, que não precisa da pena ou preocupação de ninguém. Ela é o tipo de pessoa que não admitiria que precisa de ajuda nem que estivesse com uma espada sobre meu pescoço, seria preferível para ela morrer a admitir uma fraqueza. A ruiva é dona de uma enorme Determinação, se ela quer alguma coisa, ela quer e ninguém vai conseguir fazer com que ela desista. Teimosia é algo que se destaca nela. Ela não aceita ser estar errada ou perder, ela é muito persistente para desistir; Não aceita "não" como resposta e não suporta ouvir "nunca" e "conseguir" na mesma frase, para ela, por mais que pareça impossível, sempre haverá um jeito de resolver as coisas, só precisamos de um pouco de força de vontade para descobrir o caminho, e isso ela tem de sobra.


Super Inteligente e de um raciocino extraordinário e rápido, Esme tem grande facilidade para armazenar lembranças e resolver problemas, enquanto você pensa na melhor maneira de fazer uma coisa ou na melhor resposta para dar a alguém, ela já o tem feito; o que nos leva a outro ponto: ela é extremamente Decidida e dificilmente alguém a fará mudar de decisão ou de opinião, isso seria para ela como está errada e admitir tal erro, e ela detesta estar errada. Ela tem uma excelente memória, então muito dificilmente ela esqueceria ou perderia alguma coisa. Ela tem uma facilidade incrível para lembrar de coisas que viu ou leu nos mais mínimos detalhes, o que chega a ser bem irritante ( e futuramente ficaria conhecido como memória fotográfica). Ela parece que sempre está com a memória fresca, como se tivesse acabado de ver tal coisa para descrever tão minimamente, certamente é muito irritante e assustador de vez em quando. Muito criativa e comunicativa, Esme possui um charme especial que cativa as pessoas a sua volta, que as prende em suas palavras e gestos com uma magnitude incrível. Sociável e Gentil, Esme não perde a chance de conhecer novas pessoas e conversar, e mesmo que não confie plenamente em ninguém, ela gosta de ser agradável e fazer amigos. Afinal, é bem melhor ter amigos do que inimigos, e definitivamente Esme odeia se meter em desavenças sem necessidade. Por mais que Esme não vá com a sua cara, ela vai ser gentil com você em nome da boa educação que seus pais lhe deram. Esme trata com gentileza até uma porta, mas se a ofenderem ou tentarem abusar da sua boa vontade, ela não responde mais por suas atitudes. Apesar de ser bem complicadinha de vez em quanto, Esme gosta de ser carinhosa e atenciosa, ela costuma ser carinhosa e paciente em seus gestos. Não suporta ver alguém triste ou abatido, ela sente a necessidade de ir lá e ajuda-lo, dizer belas palavras, abraçar e dizer que tudo vai ficar bem. Ela é uma garota que prefere plantar compaixão e amor, o mundo já é muito ruim por si só, não precisa que ela complique mais ainda coisas que podem ser resolvidas com um pouco de atenção e gentileza.


Realista e nada sonhadora, Esme busca conquistar as coisas através de trabalho duro, não fica apenas vivendo um sonho, pois sabe que precisa correr atrás se quiser alcança-lo. Versátil, ela tem uma facilidade enorme em se adaptar a qualquer tipo de situação ou circunstância, o que faz com que muitas pessoas a julguem como manipuladora e falsa, porém quem a conhece de verdade sabe que ela não é nada disso. Honrada e Fiel, sua palavra é uma dívida. Quando promete algo, ela cumpri, por que ela pode ter todos os defeitos do Mundo, mas ela nunca vai quebrar uma promessa. Trair também é algo totalmente fora de cogitação para ela, ela tem seus próprios princípios, ideias muito bons até, e virar a casaca para alguém que a acolheu não é algo que ela faria já que vai contra todos os seus ideais, seria como trair a si mesma e sua maneira de pensar. E a sua honra é algo que ela jamais trairia. Esme não gosta de demonstrar tristeza ou outros sentimentos negativos, mesmo que esteja se sentindo mal, ela não vai demonstrar. Ela detesta que sintam pena dela ou tentem levantar seu ânimo com conselhos bobos. Ela prefere sempre aparentar estar Feliz e pronta para a próxima Aventura.



[ 𝓐𝓹𝓪𝓻𝒆̂𝓷𝓬𝓲𝓪 ]

Esme tem uma beleza única e bem especial. Excêntrica e magnetizante. Uma beleza que atraí olhares aonde quer que ela vá, seja de homens ou de mulheres, de cobiça ou inveja. Ela não passaria despercebida nem que tentasse, em todo lugar as pessoas a reconhecem como a garota dos cabelos de fogo.
Os fios de Esme são em um tom peculiar de vermelho aloirado, o conhecido "Cor de fogo", que há séculos atrás condenavam suas donas como bruxas. Seus cabelos caem como cascatas de cachos perfeitos até a metade de suas costas. Sempre bem cuidados, macios e limpos, com um leve cheiro de flor de laranjeira, já que é de tal flor com que ela prepara loção para lavar seus filhos avermelhados. Seus olhos são de um verde magnífico, tal como a pedra que inspirou seu nome. Um verde vívido e hipnotizador. Os olhos são o portal para a alma, e isso se aplica bem a Esme. Quando irritada, brava ou triste seus olhos podem transmitir o ódio mais puro ou a dor mais profunda. Em dias normais, seus olhos transmitem seu típico ar de orgulho ou simplesmente a alegria de uma criança. Essa é uma das características mais marcantes da ruiva, independentemente da pose que ela queira passar ou o que ela queira esconder, independente de tudo que ela já tenha visto e sofrido, seus olhos ainda transmitem a doçura de uma criança ou a calma de uma mãe. Seus olhos são marcantes. Seus olhos são muito bem adornados por cílios espessos e sobrancelhas escuras, bem desenhadas e arqueadas naturalmente. Seu rosto é bem emoldurado, com traços delicados e elegantes. Suas bochechas são bem salientes e coradas por natureza, com leves covinhas que aparecem quando ela sorri. Sua pele é extremamente alva, pode julgar-se até pálida demais, e, consequentemente, fica rosada ou corada por qualquer coisinha boba, o que contribuí para que sempre a julguem tímida e envergonhada demais; coisa que ela dificilmente seria.
Esme tem lábios cheios e avermelhados naturalmente, e aparentemente são muito macios e convidativos. Seus lábios costumam ser muito hipnotizantes enquanto ela fala, coisa que a deixa extremamente envergonhada, já que ela não faz por querer, não é nenhum jogo de sedução, mas mesmo assim tem olhares sobre sua boca. Já o seu sorriso não tem nada de sedutor, muito pelo contrário, ele é extremamente fofo. Com muitos dentes brancos e perfeitamente alinhados, lábios majestosos e covinhas fofas. Um sorriso doce e tão encantador quanto ela ao toda.




Esme sempre teve um corpo bonito, um corpo tipicamente escultural. Altura, na realidade, ela nunca teve muita. Nunca passou dos 1.60 de altura, fato este que sempre lhe rendeu apelidos ridículos, dados por Louis, com "inha" no final. Baixinha. Ruivinha. Esmerzinha. Anãzinha. Fadinha. Lindinha. Bonequinha. Irmãzinha. Pequenininha. Esme sente que poderia matar Louis a cada apelido ridículo que ele usa para se dirigir a ela. Em seu favor, ela também é bem magra, nunca passou dos 50 kg, o que sempre contribuiu para seu corpo curvilineio. Seus seios são, consideravelmente, fartos para seu corpo, assim como seu bumbum, que é bem avantajado e firme naturalmente. Sua cintura é bem definida, bem marcada em relação a seus quadris e ombros. Suas pernas e coxas são finas, mas bem torneadas graças aos anos que passou viajando a cavalo pela França. Seus braços também são finos, e suas mãos são pequenas e um pouco calejadas por conta das rédeas do cavalo, e seu toque é pouco suave. Suas unhas tiveram a chance de crescer desde que ela parou em Paris, e agora parecem unhas de uma legítima dama nobre, grandes e fortes o suficiente para rasgar a palma da mão. Outro fato curioso é que ela tem cicatrizes mínimas nas palmas das suas mãos, marcas de unhas que rasgaram a pele com ferocidade. Acontece que Esme tem a mania, infeliz, de apertar suas unhas contra as palmas das mãos quando está irritada ou nervosa demais. Sua pele branca como porcelana e macia, delicada e suave.




[ By Holland Roden ]

[ ℳ𝓾́𝓼𝓲𝓬𝓪 𝓺𝓾𝒆 𝓪 𝓭𝒆𝒇𝓲𝓷𝒆 ]

Ela tem três músicas temas:


Eu não irei apenas sobreviver
Oh, você vai me ver triunfar
Posso escrever minha história
Eu sou algo além do ordinário...


Com cada pequeno desastre
Deixarei as águas se acalmarem
Leve-me a algum lugar real
Porque dizem que lar é onde o coração se grava em pedra...


Ei irmão, há uma estrada infinita para redescobrir
Ei irmã, você ainda acredita no amor? Eu me pergunto
Ah, se o céu vier caindo em você
Não há nada neste mundo que eu não faria
...



[ ℱ𝓻𝓪𝓼𝒆𝓼 ]

"Melhor lutar por algo, do que viver para nada"
"Gosto daquele que sonha o impossível"
"Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal"
"A vida me ensinou a dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração"
"Minha liberdade é um preço que eu não estou disposta a pagar"


[ ℱ𝓪𝓶𝓲́𝓵𝓲𝓪/𝓹𝒆𝓼𝓼𝓸𝓪𝓼 𝓲𝓶𝓹𝓸𝓻𝓽𝓪𝓷𝓽𝒆𝓼 ]


Thierry Olivier Chermont | Pai | Faleceu com 37 anos | By Daniel Gillies.
Thierry era um pai maravilhoso. Era integro, justo, paciente e amoroso. Nunca fez distinção entre seus filhos, nunca teve um favorito, apesar de Esme ser sua princesinha por ser a única garota. Ele a ensinou a montar e se defender com espadas e adagas, ele não a fragilizou por ser uma menina, ele a criou como criou Louis e Isaac. Mesmo tendo criado-a para ser independente, Thierry ainda a protegia com todas as suas garras, e Esme sente saudades de se sentir protegida, de se sentir segura.
Ela sente muita falta dele, embora sinta mais da mãe. Ela consegue falar sobre ele com mais calma do que quando fala sobre a mãe. Ela gosta de lembrar como ele sempre foi seu herói até seu último momento de vida.



Freya Eleonor Chermont | Mãe | Faleceu com 34 anos | By Isla Fisher.
Freya tinha um coração de ouro. Era bondosa, paciente e caridosa, a melhor mãe do mundo, segundo sua família. Esme era muito ligada a sua mãe, e é de longe, a que mais sente sua falta. Por serem as únicas mulheres da casa, elas faziam quase tudo juntas, e Esme ainda estudava Latim para ser uma sacerdotisa assim como sua mãe era. Freya não era só uma mãe e professora para Esme, ela era sua melhor amiga também, e perde-lá da forma que a perdeu foi como se arrancassem o chão dela, seu porto seguro.
Esme não gosta de falar sobre a mãe, pois ela sempre se emociona demais e quase não consegue parar de chorar.



Louis Henrique Chermont | Irmão | 27 anos | By Chace Crawford.
Louis e Esme sempre tiveram muito a ver, por isso sempre foram muito grudados. Enquanto Isaac era bem mais calmo e caseiro, Louis e Esme gostavam de correr e cavalgar por aí, nadar no lago mais próximo e se aventurarem na floresta mesmo depois que seu pai dizia que não podiam. Louis sempre foi mais compreensivo com Esme, sempre entendeu suas versões da história e a maneira como ela se sentia. Louis sempre foi muito protetor com Esme, ele podia levá-la a mil lugares, mas sempre tentaria evitar que desconhecidos se aproximassem dela, especialmente rapazes. Para Louis, Esme nunca precisaria de um marido em sua vida, ela era independente o suficiente para viver sozinha. Louis faria qualquer coisa por Esme, e Esme faria qualquer coisa por Louis. E os dois, juntos, fariam qualquer coisa pelo bondoso Isaac.



Isaac Olivier Chermont | Irmão | 25 anos | By Andrew Garfield.
Isaac sempre foi um garoto muito bom e caridoso. Bonzinho até demais, segundo Esme e Louis. Isaac era o irmão que fazia todas as vontades de Esme, ele brincaria de qualquer coisa, a ajudaria no que quer que fosse e a encobria quando fosse necessário. Isaac, facilmente, morreria por Esme e Louis, e por isso sempre foi tido como o mais vulnerável dos irmãos. Esme tem um carinho enorme por ele, e gosta de demostrar todo seu afeto com muitos abraços e beijos na bochecha, embora sempre se irrite quando ele tenta aconselha-la a virar freira. Mas ela nunca consegue ficar chateada com ele por muito tempo, e por mais que se recuse a falar com ele de vez enquanto e o chame de idiota, ela não deixaria de cair matando em qualquer um que se metesse com seu 'santo' irmão.




[ ℳ𝒆𝓭𝓸𝓼/𝒇𝓸𝓫𝓲𝓪𝓼/𝓽𝓻𝓪𝓾𝓶𝓪𝓼 ]

{ℳ𝒆} Cobras | Tempestades - Raios | Lugares fechados, ela é um pouco claustrofóbica.

{𝓣𝓻𝓪} Ela tem trauma de fogo. Ela o acha letal e torturante, uma forma horrível de se morrer. Ela tem sonhos com o incêndio em sua casa até os dias de hoje, e por isso quando vê fogo de verdade acaba entrando em estado de choque e suar frio. Ela perde totalmente a noção da realidade e por algumas vezes acaba colocando a mão no fogo por alguns segundos, quando a dor começa, ela acorda da "transe" e percebe o que está fazendo, então ela grita e saí correndo para um lugar que o fogo não consiga consumir, o que é quase sempre próximo da água.


[ 𝓖𝓸𝓼𝓽𝓪 ]

Inverno | Neve | Cavalos | Liberdade | Doces | Morangos | Chuva | Café | Chá | Acordar cedo e ver o sol nascer | Lagos | Cheiro de florestas e campos | Vinhos, ela é realmente um boa apreciadora de tal bebida, e por ter crescido cercada por eles, entende bem do assunto e dos variados tipos | Flores | Animais, principalmente gatos | Passeios ao ar livre | Ler | Entalhar objetos de madeira | Criar coisas, artesanatos, principalmente bonecas de pano, pulseiras e colares e coroas de flores.


[ 𝓓𝒆𝓼𝓰𝓸𝓼𝓽𝓪 ]

Ficar presa dentro de casa | Fogo | Comidas apimentadas | Pessoas grudentas | Drama | Pessoas falsas | Cobras | Injustiças | Futilidades | Sermões | Tédio | Ficar sozinha - parada | Saladas - Legumes - Vegetais | Silêncio | Interrupções | Que mexam nas suas coisas | Perguntas pessoais - ou invasivas, como ela prefere | Mentiras | Manipulação.


[ ℋ𝓲𝓼𝓽𝓸́𝓻𝓲𝓪 ]

O típico frio matinal cortava as montanhas britânicas, quando no dia 13 do segundo mês do ano, o choro de um bebê se fazia mais alto que as rajadas de vento. Uma garotinha com cabelos de fogo e olhos tão verdes quanto os campos da Inglaterra acabava de nascer na família Chermont. A única garotinha de Freya e Thierry Chermont, tão preciosa quanto a pedra que inspirara teu nome. Esmeralda. Meia inglesa, meia francesa. Esme sempre seria a garotinha diferente, que falava francês com magnitude na terra onde os franceses não eram bem vistos. E mesmo que atravessasse a divisa para o país do pai, jamais deixaria de lado o inconfundível sotaque inglês, que era tão odiado na França. Ela poderia nunca ser aceita por completa em nenhum lugar, mas ela tinha orgulho de suas raízes, e do amor de seus pais, que superou até o ódio entre suas nações, e o dever que deviam prestar.

Thierry era um soldado francês, que foi enviado juntamente a um grupo de 40 soldados para uma missão em território inglês. Os soldados franceses entraram em conflitos, além de sua missão, com os ingleses, e por estarem em menor número, os franceses foram abatidos. Thierry tinha sido ferido, mas conseguiu fugir antes que os reforços britânicos chegassem e a situação ficasse pior. O francês desmaiou a uma hora e meia do local onde o conflito se instalara, sua perna gravemente ferida. Mas Thierry teve a sorte de ser encontrado por um pequeno grupo de sacerdotisas, que cultuavam os deuses da floresta para obterem uma boa colheita, e entre essas mulheres estavam a jovem Freya, e sua mãe, Meredith Freya, que se apiedaram do rapaz e decidiram ajudá-lo, mesmo que suas colegas fossem contra tal ato. Meredith e Freya carregaram Thierry até sua casa, que ficava no 1º andar da taverna da família, a poucos minutos da capital inglesa. E mesmo sabendo que elas seriam acusadas de traição se apanhassem o francês em sua residência, as duas inglesas não deixaram se intimidar por isso e ajudaram o rapaz a se curar. Para a sorte de Thierry, Meredith era uma curandeira tão boa que conseguiu até amputar sua perna, que estava altamente infecionada, e com a ajuda de Freya e suas habilidades de artesã incríveis, substituiu a perna perdida por uma de madeira. O francês obviamente não gostou de ter perdido a perna enquanto estava desacordado, mas não tinha mais o que se fazer. Algumas semanas depois do conflito que custará sua perna, Thierry descobriu que havia sido dado como morto e por essa razão, ele não quis retornar a sua família. Ou talvez teria se apaixonado pelos cuidados de certa artesã ruiva, e estava disposto a esquecer sua noiva de elite para ficar ali, em uma pequena casa/taverna/fazenda ao colo de Freya.

Freya e Thierry apaixonaram-se e casaram-se dois anos depois de terem se conhecido. Thierry cuidava da safra de vinho e dos animais da fazenda, e Meredith e Freya cuidavam da taverna, que um dia pertencerá ao pai da ruiva, mas este havia morrido há muitos anos, vítima de uma doença desconhecida (que futuramente ficaria conhecida como câncer). Freya e Thierry tiveram três filhos: Louis, Isaac e a pequena e doce, Esmeralda. Ambos os filhos foram criados com muito carinho, esforço e tiveram uma excelente educação. Esmeralda cresceu cuidando dos animais com o pai e os irmãos e aprendendo coisas como cultos religiosos e habilidades de curandeira e artesanato com a mãe. Esme sempre foi uma garota muito inteligente, além de conhecer diversos cultos religiosos celtas, também falava, além do inglês, francês e Latim, este último ela aprendeu por causa dos cultos. A ruiva cavalgava com agilidade, curava com magnitude, assim como sua avó, produzia artesanatos com graça e delicadeza e era boa até mesmo nos jogos que eram comumente praticados na taverna de sua família. E além de fazer tudo isso, era bonita e simpática. Se ela tivesse permanecido na Inglaterra, teria arrumado um marido excelente com toda certeza. Mas não pode.

Esme tinha 16 anos quando sua vida começou a dar errado por conta dos conflitos e da bondade de sua família. Os conflitos entre Inglaterra e França estavam cada vez mais violentos e letais, e muitos soldados de ambas as nações, eram deixados para trás para morrer em campo de batalha. E Esme e sua mãe estavam sempre ajudando-os, não importasse a nação que eles pertenciam. Esme e sua mãe eram bem diferentes da maioria das pessoas, elas cultuavam outra religião, eram curandeiras excelentes e tinham cabelos avermelhados. E pessoas assim, há muito tempo atrás, já foram acusadas de bruxaria. E por serem tão habilidosas e diferentes, Esme e Freya foram acusadas de bruxaria,e traição, pelos soldados inglesas que elas salvaram. E alguns dias depois, no meio da noite, esses mesmos soldados incendiaram a taverna onde eles moravam. Louis, Isaac e Esme conseguiram fugir, graças a seus pais, que se sacrificaram para salvá-los. Freya conseguiu salvar todo o ouro, mesmo que fosse pouco, que a família tinha e o entregou a suas crianças, mas a ruiva mais velha jamais conseguiu sair da casa em chamas. Thierry conseguiu sair da casa, mas entrou em conflito com os soldados que atearam fogo a sua moradia, e este padeceu em combate para dar a chance de seus filhos fugirem intactos. Louis, Isaac e Esme fugiram a cavalo, floresta adentro, mas ainda ouviram os gritos em agonia da mãe que queimava até a vida deixar seu corpo.

Esme e seus irmãos cavalgaram por semanas pelo interior do país, até chegaram a divisa da Inglaterra com a França. E demoraram mais alguns dias para conseguirem atravessar os limites dos países sem que nenhum soldado os visse. Louis, Isaac e Esme viveram quase três anos como andarilhos, vagando por todas as cidades e povoados existentes na França. Durante esses anos, os três ganharam a vida fazendo bicos em fazendas e tavernas, ajudando no que fosse preciso por qualquer mixaria. Esme não consegue mais nem contar quantas foram as vezes que eles tiveram que montar acampamento em florestas e ela acordou com insetos em seus fios ruivos. Medo e nojo nunca foram uma opção para ela. Ela não ligava para o quão feia a situação estava, ela ainda tinha seus irmãos e seu fiel cavalo, Six. Ela gostava da vida de andarilho e da liberdade que essa vida lhe proporcionava, mas seus irmãos pensavam diferente, e queriam oferecer uma vida descente a sua amada irmã caçula. Queriam que Esme tivesse uma casa, arrumasse um bom marido e formasse uma família. Mas Esme nunca pareceu querer isso, ela nunca havia sequer parado para pensar nessas coisas. E foi pensando em ofereceu uma vida melhor para Esme que Louis se alistou a guarda real francesa, e logo foi aceito para trabalhar no castelo. Isaac, que sempre foi um garoto mais centrado e culto, se envolveu com a igreja, e começou estudos para ser padre. E Esme, sem muitas opções, acabou tendo que morar em um desses abrigos para crianças da igreja, mesmo que já tivesse 19 anos. Ela queria ficar perto do seu irmão, e uma freira conseguiu que ela pudesse ficar com as crianças da igreja temporariamente. E este temporariamente durou mais três anos. Isaac tentou durante muito tempo que Esme virasse uma freira, e a ruiva ficava furiosa com o irmão toda vida que ele sugeria isso. Mas Esme sabia que teria que fazer alguma coisa, as freiras já não queriam permitir que ela dormisse no abrigo de crianças e ela não tinha nada mais que seu cavalo e irmãos que agora ela mal via. Ela sabia que nenhum homem descente ia querer desposar uma garota com o histórico dela, ainda mais ela sendo legalmente inglesa e tendo um sotaque britânico tão forte e irritante. Ela tinha que tomar um rumo na vida.

E foi quando ela ouviu as freiras falando sobre a rainha escocesa e noiva do príncipe herdeiro do trono francês precisar de damas de companhia. Ela sabia que não era uma perfeita dama da nobreza, mas tinha educação, inteligência e simpatia o suficiente para servir e puxar o saco de uma princesa. Se ela conseguisse ser escolhida, poderia até ver Louis com mais frequência e tentar arranjar um marido bom partido, mesmo que essa não fosse sua prioridade no momento; ela só queria mesmo sair do âmbito religioso e parar de ouvir Isaac tentando fazer com que ela vire freira. Esma, então, falou com o padre da paróquia de Paris sobre a princesa Mary, e pediu-lhe ajuda para que conseguisse o emprego. O padre, que sempre gostará muito da ruivinha, prometeu que faria uma boa indicação sobre ela para seus superiores, e prometido isto, o padre falou com o Bispo francês sobre a irmã de um de seus melhores frades está interessada em ser dama de companhia da rainha escocesa, e o Bispo disse que tentaria conseguir o emprego para a jovem moça. Esme ficou imensamente feliz com a notícia, seria bom para ela que depois de 7 anos de ter perdido seus pais e ter vivido como andarilha, tivesse finalmente algo para se agarrar e defender. Algo para chamar de seu. Seu trabalho.

[ 𝓐𝓰𝓸𝓻𝓪 𝓿𝓪𝓶𝓸𝓼 𝓹𝓪𝓻𝓪 𝓪𝓼 𝓹𝒆𝓻𝓰𝓾𝓷𝓽𝓪𝓼 𝓭𝒆 𝓼𝓲𝓶 𝒆 𝓷𝓪̃𝓸 ]


[ 𝓖𝓸𝓼𝓽𝓪 𝓭𝓪 𝓶𝓸𝓷𝓪𝓻𝓺𝓾𝓲𝓪 𝒆 𝓸𝓾 𝓬𝓸𝓷𝓬𝓸𝓻𝓭𝓪 𝓬𝓸𝓶 𝒆𝓵𝓪 ]

Ela não gosta e nem odeia, mas certamente vai contra todos os princípios 'mesquinhos' que a realeza preza. Ela acha que a realeza favorece muito a si mesmos e as pessoas da alta classe, deixando de lado os plebeus e seus problemas. Mas ela também conhece o mundo afora e a ganância do povo, e sabe que estariam bem pior se a monarquia não existisse.


[ 𝓥𝓲𝓻𝓰𝒆𝓶 ]

Sim. Ela nunca pensou muito sobre relacionamentos, ela é até um pouco medrosa e receosa em se envolver com alguém, mas pode se dizer que ela não tem medo de perder a virgindade, considerando que ela já a apostou em um jogo de cartas; mesmo que no fundo ela soubesse que iria ganhar, ela nunca apostaria em algo que ela não tivesse a certeza da vitória. Em todo o caso, ela não se entregaria a qualquer um, assim como toda garota, ela quer que sua primeira vez seja com alguém que valha realmente a pena.


[ 𝓔𝓼𝓽𝓪́ 𝓬𝓲𝒆𝓷𝓽𝒆 𝓭𝒆 𝓺𝓾𝒆 𝓹𝓸𝓼𝓼𝓸 𝒆 𝓿𝓸𝓾 𝒇𝓪𝔃𝒆𝓻 𝓸 𝓺𝓾𝒆 𝓺𝓾𝓲𝓼𝒆𝓻 𝓬𝓸𝓶 𝓪 𝓼𝓾𝓪 𝓹𝒆𝓻𝓼𝓸𝓷𝓪𝓰𝒆𝓶? ]

Claro :)


[ 𝓔𝓼𝓽𝓪́ 𝓬𝓲𝒆𝓷𝓽𝒆 𝓭𝒆 𝓺𝓾𝒆 𝓼𝒆 𝓼𝓾𝓶𝓲𝓻 𝓭𝓸𝓼 𝓬𝓸𝓶𝒆𝓷𝓽𝓪́𝓻𝓲𝓸𝓼 𝓹𝓸𝓻 𝓽𝓻𝒆̂𝓼 𝓬𝓪𝓹𝓲́𝓽𝓾𝓵𝓸𝓼 𝓼𝒆𝓻𝓪́ 𝓫𝓪𝓷𝓲𝓭𝓸(𝓪) 𝓭𝓪 𝓱𝓲𝓼𝓽𝓸́𝓻𝓲𝓪? ]

Sim, e se por acaso eu tiver que sumir por algum tempo, avisarei previamente.



[ 𝓘'𝓶 𝓠𝓾𝒆𝒆𝓷, ℬ𝓲𝓽𝓬𝓱 ]



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...