Lista de Leitura: B.A.P.

Lista criada por: ~
1 história
Fanfic / Fanfiction Not that Inocent - Imagine Zelo (B.A.P)
Terminada
Capítulos 1
Palavras 4.834
Atualizada
Idioma Português
Categorias B.A.P
Gêneros Ecchi, Festa, Hentai, Romance e Novela
Imagine / PWP / +18 / Imagine Zelo (B.A.P)



Cinco anos. Cinco demorados anos longe de todos os meus amigos e familiares presa num colégio interno no meio do nada. Motivo? Minha mãe tinha achado um vibrador dentro da última gaveta do meu armário do canto, e bem, ela não era nem de longe a pessoa com a mente mais aberta que eu conhecia. Principalmente porque eu só tinha 14 anos. Mesmo que o vibrador nem fosse meu. E eu sabia muito bem de quem era, só não entreguei o culpado porque se minha mãe mandou a filha para um colégio no meio do nada por achar aquilo no quarto dela, imagina o que ela faria se descobrisse que o pequeno objeto sexual cor de rosa na verdade pertencia ao seu filho mais velho. Youngjae. Quem muito provavelmente não viria se assumir para a família nunca.
Mas mais difícil de ter que ter aturado toda essa futilidade, foi ter esquecido de como era sair todo dia para brincar com o meu primo mais novo e voltar só as 23h da noite. Principalmente porque eu tinha uma paixonite secreta por esse primo, e por toda a animação que aquele garoto esbanjava. Ele não parava quieto, até brincava de casinha comigo quando não estava me chamando para fazer alguma coisa perigosa. E eu apenas o acompanhava. Numa dessas eu até quebrei o braço, mas quem disse que eu liguei? Quando o loiro me lançou aquele olhar preocupado e me carregou no colo até em casa foi a primeira vez que senti aquela volta estranha no estômago. A primeira vez de muitas. Então imagine só a dor que foi ter que deixar de ver aquele garoto quem eu estava acostumada a ver todos os dias para ir morar com um monte de menina besta. Foi horrível. Zelo, como ele gostava de ser chamado, foi de quem eu mais senti falta.
Felizmente não fora apenas coisas ruins no internato. Já no meu penúltimo ano eu fiz algumas amizades que minha mãe muito provavelmente consideraria inapropriadas. E com isso eu quero dizer que essas amizades me ensinaram o que era um orgasmo, tanto com uma mulher quanto com um homem. Eu não era mais aquela garota inocente que não fazia ideia do porque ter sido mandada para longe de todo mundo por ter uma espécie de "caneta" no fundo do armário, tinha adquirido experiência, vários tipos de experiência, e estava doida para usá-las. Então enquanto o avião pousava eu tentava me decidir se falava primeiro com o culpado de tudo isso, meu irmão, ou se eu arranjava alguma desculpa para ir direto visitar meu primo. Queria matar as saudades.
  • 107
  • 17