Notícia Pokémon Diamond & Pearl


Por: ~




Pouco mais de oito anos se passaram desde que o público ocidental teve o primeiro contato com as simpáticas criaturas de bolso. De lá para cá, cada novo título conquista novos fãs para séries, sejam eles treinadores de pouca idade ou os mais adultos - afinal, a fórmula apresentada aqui é cativante (e porque não dizer viciante?) e por isso o anuncio de um jogo que carregue o nome Pokémon arrasta multidões de fãs sedentos por diversão e novidades. Claro que com este aqui não poderia ser diferente, e você saberá um pouco mais sobre Diamond & Pearl através do nosso jovem treinador Vieira.



" Minha jornada para se tornar um mestre Pokémon começou de uma forma estranha. Numa certa noite, após assistir um documentário que retratava curiosidades sobre um Gyarados vermelho, recebi a notícia de que um amigo sairia para procurar esse fascinante Pokémon.

"Claro que minha curiosidade foi tamanha e resolvi seguí-lo para ver até onde tudo isso chegaria - só não entendi ao certo o motivo do Mongol (é assim que o chamo) começar a caçada justo no lago pouco acima da nossa cidade, a pacata Twinleaf, situada no continente Sinnoh".

"No local, qual não foi a nossa surpresa ao nos depararmos com o famoso professor Rowan (simplesmente a maior autoridade Pokémon do momento) e sua assistente - ou seria neta? Bem, isso não importa muito agora. Fato é que por algum motivo o professor esqueceu uma maleta quando saiu para sua cidade, Sandgem. Mongol, apressado como sempre, disparou em direção ao objeto (tudo bem, eu também corri). Inesperadamente, fomos atacados por dois Starly e a única saída foi abrir a mala para ver se de lá surgiria algo que nos ajudasse".

"Novamente fomos surpreendidos: em seu interior havia três pokébolas - era a nossa salvação. Pude avaliar cuidadosamente cada uma delas e o seu conteúdo: na primeira, um simpático Turtwig, um monstro do tipo Planta. Na segunda, labaredas saiam graças ao Chimdar que nela estava guardado, enquanto na última estava um Piplup pronto para a ação com os seus ataques aquáticos. Escolhi o último, e em pouco tempo derrotei o Starly que esboçou reação para o combate".

"Pouco depois, a garota retornou para pegar a maleta e notou que uma das pokébolas não estava lá - como não queria se meter em confusão, disse que nós dois deveríamos dar explicações para Rowan. Não havia outro jeito, fomos até ele. Surpresa número três: ninguém mais, ninguém menos que o famoso professor queria conversar comigo. Pediu que fosse até o seu laboratório, pois estava com um pouco de pressa. Meu dia não poderia terminar melhor: ele deixou eu ficar com o Piplup até a chegada ao laboratório. Seria esse o início de uma caminhada de sucesso?".



"Ainda que o professor esperasse minha visita para o dia seguinte, não agüentei a ansiedade e segui para o local minutos depois. Antes, minha mãe me deu um par de sapatos (os Running Shoes) para que me locomovesse mais rápido e um "Journal" (um item que marcava todas as minhas ações, desde a chegada em cada cidade até os Pokémons capturados a cada dia). No caminho, algumas novidades chamaram a atenção: criaturas que eu nunca ouvi falar surgiram, como um Bidoof e um Shinx (droga, ainda não tinha nenhuma Pokébola!). Pelo jeito, coisas boas me aguardam!".

"Chegando na cidade, a menina me esperava na entrada do laboratório. Antes de entrar, Mongol quase me atropelou (um dia ele vai deixar o cérebro para trás de tanta pressa!). A atitude dele deixou até Dawn - a auxiliar de Rowan finalmente decidiu se apresentar - nervosa, mas ela percebeu que isso não levaria a nada".

"Após um período de conversa, o professor me presenteou com Piplup e uma Pokédex. Estava pronto para começar a minha jornada, mas como minha curiosidade falou mais alto (de novo) resolvi checar o novo acessório. Era perfeito: continha todos os dados dos Pokémons, uma área onde poderia comparar o meu peso e o dos bichos que eu já encontrei e um menu onde podia ouvir os sons emitidos por todas as criaturas vistas - isso é muito divertido!".

"Ao sair do laboratório, Dawn me mostrou os principais locais para um mestre Pokémon: o mercado e o Centro Pokémon. Como eu não agüentava mais lutar contra os bichos e não capturá-los, decidi comprar umas pokébolas e partir para a caçada. Quando fui guardá-las, percebi que minha mochila possuía vários compartimentos (desligado, eu? Imagina!): um perfeito para pokébolas, um para itens de cura e outro para os de recuperação, mais um para acessórios de batalha, outro para TMs e HMs, e nos últimos espaços para cartas e itens especiais - espero não perder no meio das várias opções".

"Após um período de caçada, meus Pokémons precisavam se recuperar no Centro Pokémon. Não imaginei que fossem tão gigantescos: eram divididos em três pisos, sendo que o principal estava reservado para a recuperação dos monstrinhos. No superior, havia três mulheres: a primeira perguntou se gostaria de assinar o meu cartão de treinador - é claro que disse sim. Havia um espaço em branco que ficou com o meu Šutógrafo' - quem sabe um dia eu lhe dê um desses? Além disso, ele contém informações adicionais como os líderes que eu encontraria no caminho e as insígnias obtidas".

"A segunda era responsável pela entrada no Pokémon Wireless Club Union, local onde os outros treinadores fazem trocas de Pokémon, batalham entre si usando criaturas que tenham até o nível 30, gravam seus recordes em uma rede mundial e conversam sobre vários assuntos (nota do redator sobre neste último ponto: é possível dialogar antes, durante e depois dos combates)".

"Por fim, a terceira é quem cuida do modo de combates completo: para dois treinadores, há o modo de luta para simples, em duplas (de Pokémon) e o Mix Battle, onde os oponentes escolhem três Pokémons e antes de começar o duelo cada um escolhe um monstro do outro para integrar temporariamente a sua equipe. A última opção é o Multi Battle para quatro treinadores, no qual todos se enfrentam usando um Pokémon por vez".

"Após conferir todas as opções, segui para o nível inferior, onde funciona o Pokémon Center Wi-Fi Club. Aqui é uma área restrita a todos os amigos registrados em seu Pal-Pad (um item que adiciona contatos manualmente ou usando o Friend Code), na qual você pode travar duelos ou trocar Pokémons".

Decidi caminhar por alguns lugares até chegar à cidade de Jubilife, onde após conversar com algumas pessoas, consegui um moderno relógio, que além de marcar as horas (este fator influência muito nos tipos monstros que você encontrará), possui uma calculadora e uma área onde posso ver quantos passos dei durante a jornada. Isso não é tudo: existem outras opções, mas não vou revelá-las".

"Com, chegou o momento de rumar para o primeiro ginásio. Muitos Pokémons me aguardam, entre eles os lendários Lucario e Manaphy, além de vários desafios e surpresas. Nos vemos por aí!".



"Além de todas as novidades ditas pelo nosso Correspondente", Pokémon Diamond & Pearl apresenta ainda a possibilidade de jogo completo utilizando a Stylus. Na parte gráfica, há muitas melhorias - quando você anda em uma área com areia, as marcas dos seus passos permanecerão nela por um tempo. Há ainda a possibilidade de utilizar as criaturas das aventuras pra GBA usando o slot específico para jogos do console. As coisas ficarão ainda mais divertidas quando você perceber que a Pokédex nacional já ultrapassou 480 Pokémons - destes, mais de 80 são criaturas novas, prontas para captura. Para concluir, um detalhe curioso: o cartucho do jogo chegou aqui na redação em plena sexta-feira 13. Que azar, não?


IMAGENS AQUI

Fonte: Nintendo World


Gostou da Notícia? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Para ter acesso a todas as funções disponíveis no Spirit, é necessário que você esteja cadastrado no nosso site e esteja logado no sistema.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...