~bolchevique

bolchevique
— may your god deny you +
Nome: ܟf̤υc̤k̤i̤n̤g ̤m̤e̤s̤s ̤s̤o̤m̤etimes || ̷p̷o̷k̷é̷m̷o̷n̷ τrainer™
Status: Usuário
Sexo: Masculino
Localização: Solidao, Pernambuco, Brasil
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

{{characters}}


Postado

Manicômio: Ficha

Nome:
Jonathan Saunders Browne

Apelido:
Jon

Idade:
Dezesseis

Sexo:
Masculino

Sexualidade:
Heterossexual

Data de Nascimento:
26/07/1941

Signo:
Leão

Cidade onde nasceu:
Birmingham, Inglaterra

Aparência:
Jon não é um garoto com a aparência de alguém de dezesseis anos, ele aparenta ser mais velho por conta de seu rosto. É dono de uma altura de 1,78, ombros e peito largos; pesa não mais do que sessenta quilos. Seu rosto é exangue com lábios sem cor, olhos profundos e muito escuros, com leves olheiras por baixo; o queixo é largo e forte como sua mandíbula. Jon tem cabelos louros que caem sobre sua testa e tocam os ombros, macios e leves, bagunçados, apresentando cachos suaves nas pontas.






Photoplayer:
Evan Peters

Personalidade:
Jon treme; suas mãos pálidas parecem não ter forças, elas são trêmulas e geladas, mas é coisa dele. Gosta de ficar só, de silêncio e de calmaria. O barulho alto o incomoda, faz sua cabeça doer e Jon se torna agressivo com multidões. Torná-lo agressivo é fácil; perturbá-lo é a maneira mais fácil, e ele explode como uma bomba poderosa. Sua força é destrutiva e ele não pensa nem um pouco em agredir qualquer um: para ele, todos são suspeitos. De quem desconfia, que são muitos, Jonathan pode ter medo ou a vontade de matá-lo; sua desconfiança quase dói. Não tem muito o costume de falar, gosta de ver os outros mexendo suas bocas e falando suas falas; quando é obrigado a falar ou quando tem vontade, sua grosseria e agressividade mostram o que Jon se tornou. Não gosta de toques das pessoas às quais não confia, e não hesita em espernear e usar de tudo para se afastar. Apesar de agressivo, Jon já foi uma pessoa que gostava de poemas e de humor, e talvez seja possível vê-lo, nas horas tardias da noite, inventando histórias e sendo um jovem inofensivo que gosta da fantasia.

História:
Sua história começa com seu nascimento, na Inglaterra. Nasceu numa família de classe média sem muita relevância na cidade de Birmingham, e foi lá que cresceu. Desde pequeno, apresentava um comportamento diferente do das outras crianças, já com dez anos, apresentava sintomas da paranoia e do déficit. Ia mal na escola por não conseguir se concentrar direito nas aulas, e chegou a perder a terceira série por sentir que um aluno o estava perseguindo.
Mesmo que seus pais percebessem que Jon não estava bem — porque se escondia no armário depois da aula com um pé de cabra nas mãos, alegando que o garoto de sua sala chegaria em casa para matá-lo —, ignoravam o pequeno garoto de onze anos.
Certa vez, indo para a escola, quando completara doze anos, encontrou o garoto que o "perseguia". Então, pela primeira vez, escutou as vozes que estavam em sua cabeça. Elas lhe disseram que deveria acabar com ele. Jonathan ficou confuso e com medo daquelas vozes, porém ele obedeceu; partiu para cima do garoto e bateu nele, em frente à padaria do pai de Drew, o garoto. Bateu nele até que sangrasse e ouvisse a polícia, que o levou para casa.
Pediu desculpas a Drew forçadamente, e um mês depois, mudou-se para o Arizona, Phoenix, uma vez que seu comportamento guinava bruscamente para o abismo.
Passou anos trancado em casa; havia saído da escola com quinze anos por ser oficialmente louco e ter reprovado por faltas. A família o escondia e Jon apenas enlouquecia; um ano em casa, dezesseis anos recém-feitos. Suas crises eram terríveis: jogava a cabeça contra a parede e chegou a esfaquear seu travesseiro com um canivete, mas seu maior crime foi quando suas vozes lhe disseram para que acabasse com seu pai; ele era um impostor, não era o seu pai de verdade.
De noite, quando Dorian, o pai, botou os pés em casa, Jonathan explodiu numa crise violenta e horrível. Apanhou o canivete e saiu do quarto; mãos apertando a arma e queixo travado, vozes ecoando na cabeça. Encontrou o pai na sala e o pegou pela blusa, girando seu corpo e atirando-o no chão; ele tentou resistir e chamar Jonathan, desesperado; a mãe tentava conter o filho, gritando, mas Jon abriu o canivete e a faca enterrou-se no abdome do pai pela primeira vez, de vinte e sete.
Deu golpes até sua mão doer, até picar o pai e cansar a mãe, que chorava, horrorizada num canto, até sentir o pequeno irmão tocar seu braço, pedindo para que parasse. Jonathan, noutra explosão, apanhou o pequeno pela nuca e atirou sua cabeça contra a parede pela primeira vez, gritando e chorando, até que completasse a quinta vez, não parou.
De repente, voltou a si. Viu o que causara, e teve o vislumbre de sua mãe olhando para a porta, vendo os policiais ali. Decerto o vizinho os havia chamado por conta dos berros e dos estrondos, e Jon foi carregado para fora de casa, onde sentiu-se ser sedado, para acordar num lugar branco e desconhecido.

Família:

Pai – Dorian Pauling Browne – empresário – morto aos cinquenta anos

Um homem sério, sem muita disposição e preguiçoso. Costumava usar seu lado autoritário em casa, o que foi o suficiente para que Jonathan se sentisse perseguido e fizesse o que fez. Dorian não dava muita atenção aos filhos.

Mãe – Arianne Saunders Browne – cabeleireira – viva, quarenta anos

Uma mulher rígida e não muito afável com a família. Tinha certo sentimento de superioridade com relação aos outros por razão nenhuma e com certo preconceito com relação aos deficientes mentais, e foi este o motivo pelo qual sempre rejeitou Jonathan.

Irmão – Hansel Saunders Browne – estudante – morto aos dez anos

O irmão tentou defender o pai, e por isso acabou morto. Mesmo assim, não tinha qualquer desavença com Jon, e não entendeu quando o irmão o empurrou e acertou sua cabeça pela primeira vez na parede.

"Crime" que cometeu:
Matou o pai e o irmão

Diagnóstico:
➡️ Esquizofrenia: Suas alucinações são terríveis e sombrias, Jon ouve vozes em sua cabeça e enxerga coisas que não estão exatamente naquele lugar ou sequer existem. Quando tem alguma crise, tende a ter atitudes suicidas ou age de forma violenta, acertando murros em sua cabeça, espremendo-a ou tapando os ouvidos, até mesmo chegando a bater a própria cabeça contra uma parede.
➡️ Transtorno de déficit de atenção: Ele, basicamente, é desatento e incrivelmente quando está fazendo algo, muda de repente.
➡️ Paranoia: Qualquer coisa pode fazê-lo entrar numa crise de desconfiança, e ele já é desconfiado por natureza; qualquer um que fizer qualquer movimento pode estar contra ele em sua cabeça.

Quanto tempo está em Varlak:
Quatro dias

Gosta:
Gatos;
Chá com leite;
Caminhar;
Árvores do tipo pinheiros, seu cheiro agrada Jon;
Azul;
Banhos frios;
Roupas confortáveis.

Não gosta:
Barulho;
Multidões;
Falação;
Se sentir ameaçado;
Ficar preso em um lugar desconhecido;
Se perder;
Ficar encurralado;
Ter uma crise de esquizofrenia.

Defeitos:
Agressivo;
Violento;
Tende a se isolar;
Desconfiado;
Impulsivo.

Qualidades:
Quieto;
Observador;
Intuitivo.

Traumas:
Não tem

Fobias:
Tem climacofobia, medo de cair da escada.

Sonhos:
Quer ter um gato peludo, isso Jon chama de sonho, mas fora isso, não tem.

Tiques:
Não é exatamente um tique, porém Jonathan tem mãos muito trêmulas.

Manias:
Balançar as pernas quando está sentado;
Enrolar uma mecha cacheada de seu cabelo quando está pensativo.

Alergias:
Não tem

Relação com:

➡️ Irmã Constance:
Tem medo do que ela pode fazer, e nem nenhuma pessoa causa tantos arrepios em Jon do que Constance.

➡️ Irmã Grace:
Enxergou-a pela primeira vez e a viu como uma espécie de figura materna, então correu e enterrou o rosto em seu peito e começou a chorar. Logo foi tirado de perto dela, porém gosta muito de vê-la pelos corredores, e fica muito abalado quando vê Constance mandando nela.

➡️ Sophia:
Não a vê como uma ameaça, mas uma vez, quando estava em surto, em seu segundo dia em Varlak, deu-lhe uma chave de braço e a prendeu contra a parede por algo que disse, acabando na cama de contenção. Talvez tivessem sido inofensivas as palavras dela, contudo, Jonathan a agrediu. Mesmo depois disso, ainda não sente que ela pode querer acabar com ele por conta da agressão.

➡️ Monsenhor Nicolas:
Pensa que ele é um impostor, acha que as vozes não gostam dele nem um pouco, e sabe que quer jogá-lo da escada, mas quando ouve seu nome, tudo o que tem é curiosidade sobre sua pessoa.

➡️ Outros Pacientes:
Tem receio de falar com eles, sempre na defensiva. Quando algum se aproxima, Jon tem medo é só quer fugir dali.

➡️ Sua família depois de ser internado:
A mãe, o que lhe restou, não fala mais com ele, então não tem mais família.

➡️ Sua família antes de ser internado:
O tratavam como um bicho estranho, e mesmo que Jon ficasse triste, eles não ligavam. Desprezavam o garoto e ele cresceu num meio em que era diminuído e menosprezado, então o que sentia era ódio deles.

Algo Mais ?
Não



Fortunately or Unafortunately Twins?: Ficha
Stewart Carter twins


Nome:
Nathanael Stewart Carter | Ele prefere ser chamado de Nate

Idade:
Dezesseis

Sexo:
Masculino

Opção sexual:
Bissexual

Aparência:
Sua estatura, assim como a do irmão, é dita como 1,83. Nate tem os braços, os ombros e o peito fortes, não muito diferente, óbvio, de seu irmão. A pele é azeitonada e sem muitos sinais avermelhados; seu rosto tem o queixo não muito afilado, o maxilar bem marcado e a boca com o lábios superior maior do que o inferior. Seu nariz é empinado, mediano e arredondado; possui olhos verdes hipnotizantes com cílios leves e suaves escuros, longos, com sobrancelhas escuras e não muito espessas. Nate possui os cabelos mais curtos do que o irmão, mas é quase imperceptível, no mesmo tom castanho-escuro e levemente ondulados, e talvez o único modo de diferenciá-los seja pelos brincos: Nate usa muito brincos de cabeça de gato, e Lucas usa brincos quadrados.



Personalidade:
Nate é o mais extrovertido dos irmãos. Caminha olhando o ambiente de cabeça e queixo erguidos, ombros relaxados e para trás, com um andar aparentemente seguro de si. Nunca foi muito tímido, Nate gosta de cumprimentar os outros, de conversar e de conhecer as pessoas que o cercam; muito simpático e gente boa, as pessoas que o conhecem realmente possuem uma boa alma por perto. Assim, conclui-se que sempre arranja amigos muito depressa. É uma pessoa que gosta de realizar pequenas gentilezas para os outros, como carregar coisas ou ainda pequenos favores diversos; gosta de ajudar as pessoas.
Tem uma alma livre, ativa e de emoções intensas, que não admite ficar parado. Para ele, sair da rotina é bom, convidativo e animador; tudo pode acontecer, o que mais importa é o presente. De fato é mais idealista do que pessimista, e admite que vive no presente e que no futuro tudo pode dar certo. Suas emoções são intensas e sinceras. Muitas vezes, Nate se expressa com sinceridade, e isso acaba por ofender algumas pessoas, mas sua sinceridade impede que ele diga coisas que não são verdade ou que finja o que não é; esta é a razão pela qual é confiável, e como amigo – e irmão – jamais mentiria. Seu ódio pode acabar sendo bem sincero; quando não gosta, não gosta, e se pedirem, ele fala. O ódio, quando ocorre, é intenso, terrível e duradouro, violento; ata-se um sentimento de rancor e vingança, então nunca é bom fazer inimizades com Nathanael. Assim como intenso é o ódio, são os sentimentos positivos. A amizade tem o máximo do companheirismo e da lealdade. No entanto, Nate odeia coisas melosas, grudentas e cheias de açúcar; seu romantismo é um abraço forte ou uma tirada com a cara.
Desorganização é seu segundo nome. Perde coisas direto, e raramente sabe onde deixou seus brincos ou suas roupas; nunca, nunca mesmo tem nada organizado.

Gostos:
Andar a cavalo;
Esportes em geral;
Festas;
Música alta;
Música no geral;
Sua série favorita é Prison Break;
Qualquer coisa que envolva frutos do mar.

Desgostos:
Não gosta de gente que se faz de lerda ou de burra;
Bolo de banana;
Bacon;
Odeia cheiro de queimado;
Amarelo;
Ser empurrado.

Sonho:
Tornar-se um veterinário que trabalha para as forças armadas, cuidando dos cavalos da cavalaria.

O que acha do irmão gêmeo?
Gosta bastante dele, os dois sempre andaram muito juntos, mesmo que não goste quando o irmão lhe diz umas verdades ou se comporta de seu jeito muito chato.

O que acha das personagens principais?
Nate acha que são garotas legais. Sabe que quer conhecê-las melhor e acha que podem ser incríveis, mas Shin chamou mais sua atenção.

Traumas/Medos/Fobias
Tem medo de cair da escada – climacofobia
Medo de agulhas – aicmofobia

Segredos:
Já ficou com um namorado do irmão fingindo ser ele.

Par?
Se tiver mesmo que ter um par, pode ser, mas não faço tanta questão para o Nate, tanto faz se sim ou não.

Relação com par:
Nate não é muito grudento, até porque tem certa aversão a coisas melosas. Gosta de andar de mãos dadas, mas nunca falaria com vozinha de bebê, nunca. Gosta bastante de tirar uma com a cara dele/dela, pode ser extremamente chato quanto a isso; também gosta de compartilhar músicas e séries preferidas com ele/ela.

Talento:
Tem talento para tocar bateria

Passatempo
Tocar bateria;
Ouvir música.

O que achou da ideia de ir para o internato?
Achou uma ótima oportunidade para fazer amigos e conhecer pessoas novas. Para ele, a mudança é necessária e ele é muito versátil com relação a isto; no geral, achou a ideia boa e ficou animado para ir.
-------------------------------------------------------------------------------------

História:
Nasceram na Flórida, Cidade da Flórida, e lá cresceram por toda sua vida antes de virem para o internato. Os garotos sempre foram muito grudados; andavam junto o tempo todo, eram melhores amigos na escola e sempre foram amigos na vida. Por mais que Lucas fosse mais introvertido e com problemas de timidez quando jovem, Nate não o deixava para trás, sempre o inseria no meio de amigos, e quase nunca brigavam. São de uma família dona de uma famosa escola de equitação da região, e sempre tiveram contato com cavalos desde muito cedo. Lucas se mostrava mais apto para o hipismo aos sete anos, enquanto Nathanael gostava de cuidar dos cavalos. A paixão do garoto por animais crescia, é muito jovem, decidiu seu sonho de vida: ser veterinário.
Lucas gostava mais de filmes, cinema, e cresceu um grande apreciador dessas coisas, decidindo o seu sonho: ser diretor.
Os dois garotos cresceram lado-a-lado, numa infância quase perfeita se não fossem suas naturalidades e numa adolescência não muito perfeita, também devido aos seus companheiros naturais. Seguiam a vida normalmente até que o pai decidiu colocá-los numa escola interna, apenas para experiência. Os gêmeos tiveram diferentes reações; enquanto Nate amou, Lucas odiou, mas mesmo assim seguiram para o internato.

-------------------------------------------------------------------------------------

Nome:
Lucas Stewart Carter

Idade:
Dezesseis

Sexo:
Masculino

Opção sexual:
Homossexual

Aparência:
Sua estatura, assim como a do irmão, é dita como 1,83. Lucas tem os braços, os ombros e o peito fortes, não muito diferente, óbvio, de seu irmão. A pele é azeitonada e sem muitos sinais avermelhados; seu rosto tem o queixo não muito afilado, o maxilar bem marcado e a boca com o lábios superior maior do que o inferior. Seu nariz é empinado, mediano e arredondado; possui olhos verdes hipnotizantes com cílios leves e suaves escuros, longos, com sobrancelhas escuras e não muito espessas. Seus cabelos são castanho-escuros, com suaves ondulações, e se colocados sobre a testa, estão um pouco compridos; os usa num topete bagunçado. Lucas usa brincos de brilhante nas duas orelhas.



Personalidade:
Lucas é o mais introvertido. Caminha olhando para baixo, evitando cruzar olhares com os outros por ser levemente tímido; no entanto, tem uma ótima postura, e um andar suave. Nunca foi muito extrovertido, mas não exageradamente tímido; tem certa vergonha, porém não implica em sua má educação, e alguns acham incrivelmente fofo quando Lucas ganha cor no rosto por conta da vergonha – mesmo que ele não seja muito fofo no geral. Lucas cumprimenta os outros com educação e um sorriso no rosto, até porque ele é realmente muito educado. Mesmo não sendo o cara que toma atitude e que sai do lugar para fazer amigos, ele é uma alma boa. Se expressa com desenvoltura e habilidade, sabe falar sobre tudo um pouco. Tem um lado mais sarcástico e irônico, liberando-o a torto e a direito, tanto para irritar e se defender quanto para divertir os amigos. Sabe ser divertido quando quer, e também sabe se mostrar amargo quando é obrigado a fazer algo; disso ele realmente não gosta. Também sabe ser carinhoso e afável; abraça os outros quando pedem, e não nega palavras gentis quando os amigos estão tristes.
Lucas não gosta de sair de onde está para fazer coisas novas; se está bom e funciona, então mantenha, assim que ele pensa, e fica realmente muito bravo quando tem de fazer alguma mudança naquilo que está funcionando. Para ele, sair da rotina é horrível, as coisas podem dar errado o tempo todo e ele mantém as expectativas baixas; pode parecer um garoto muito melancólico por culpa de seu pessimismo, porém é exatamente ao contrário. Ele é alegre, ri alto demais entre amigos e é amante de piadas sem graça.
Lucas não diz que ama ou que odeia, esconde tudo e qualquer coisa; se quiser saber, descubra sozinho. Não admite que gosta ou que odeia.
É desorganizado e preguiçoso. Se o irmão é apenas desorganizado, Lucas ainda veio com o quê a mais de preguiça, que impede que ele arrume suas coisas.

Gostos:
Música;
Tocar violão;
A banda Arctic Monkeys;
Gatos;
Sua cor preferida é azul;
Dormir;
Bacon;
Sua série favorita é American Horror Story.

Desgostos:
Multidões;
Lula;
Amarelo;
Ser obrigado a sair de casa;
Acordar cedo;
Que seu irmão pule em cima dele;
Crianças;
Cheiro de cigarro.

Sonho:
Ser diretor de cinema

O que acha do irmão gêmeo?
Gosta dele. São amigos e parceiros, mesmo que o irmão se irrite com o jeito de Lucas.

O que acha das personagens principais?
Pensa que podem ser amigos no futuro, mesmo que tenha vergonha de ir falar com elas. Acha que são pessoas interessantes e que elas e ele dariam ótimos amigos.

Traumas/Medos/Fobias:
Medo de terremotos

Segredos:
Ainda não contou para os pais que é homossexual, o irmão é o único que sabe de seus namoros secretos.

Par?
Sim, por favor

Relação com par:
Lucas tem um jeito meio tímido, e nunca será ele que tomará o primeiro passo ou fará o primeiro movimento. Como o irmão, não gosta de coisas melequentas, e talvez prefira uma noite agitada do que palavras, mesmo que goste de um passeio de mãos dadas.

Talento:
Toca violão razoavelmente bem.

Passatempo:
Ouvir música;
Tocar violão.

O que achou da ideia de ir para o internato?
Não gostou, achou que seria um saco e pensa que poderia ficar em casa, na escola normal, porém o irmão o animou um pouco e Lucas ficou um pouco de nada mais curioso a respeito do lugar, mesmo que pense que possa ficar sozinho lá e que possa ser extremamente chato se isso acontecer.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...