~bolchevique

bolchevique
— may your god deny you +
Nome: — sh!t i got cyber bullied; ‣ leão do proerd
Status: Usuário
Sexo: Masculino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 15 de Março
Cadastro:

.personagens


Postado

Old Days






Sonserina

• Nome Completo:
Clarke Ackerman Marsh

• Apelido e motivo:
Não possui um apelido

• Idade:
Onze

• Sexualidade:
Heterossexual

• Qual foi sua reação quando recebeu a carta?:
Clarke ficou imensamente feliz; estava ansioso para a chegada da carta, mesmo sabendo que a receberia, no fundo, e quando ela finalmente veio, fez questão de comemorar e dançar pela casa.

• Personalidade:
Clarke anda com os passos silenciosos, numa caminhada onde os olhos vagueiam timidamente pelo ambiente em que se encontra. Sua combinação envolve introversão e timidez, e ele não consegue conter suas estruturas quando é o centro das atenções em algum determinado momento ou lugar; fica com vergonha e até mesmo constrangido, mesmo quando se destaca por alguma conquista ou ação positiva. É o tipo tímido que fala e articula e se expressa com desenvoltura e habilidade, mesmo que esteja com as mãos tremendo de vergonha. Não gosta de tremer ou de que os olhares se voltem para ele, então só se expressa quando é solicitado ou quando está num meio de amigos.
Seus sorrisos tímidos são reservados apenas para seus pensamentos uivantes em sua mente barulhenta; os pensamentos vão e vêm na cabeça de Clarke, sempre quieto e de ombros encolhidos com uma cabeça inquieta. Ainda, os raros, leves e acanhados sorrisos do garoto podem se voltar aos amigos, com os quais cultiva uma amizade de forma lenta e gradual. Os sorrisos para os outros são raros ou usados para causar uma primeira impressão positiva.
As relações de Clarke com as pessoas são, muitas vezes, inexistentes. Ele procura ficar sozinho porque não se sente bem num meio de pessoas, tudo culpa de sua introversão. Contato com os outros é quase uma coisa fora do normal para Clarke; sua timidez jamais permite que ele chegue nos outros para fazer amigos, e isso ocasiona em seu infeliz isolamento. Porém, não enxerga as boas intenções com um olhar cético; a perspectiva é um notável dom no garoto, além de sua percepção e esperteza. Logo, sabe diferenciar as boas das más intenções alheias. Para isso, precisa pensar, e Clarke pensa demais; sua esperteza, combinada com a percepção, faz com que ele enxergue muitos e muitos caminhos pelos quais pode seguir, seguindo sempre o que pode/poderá beneficiá-lo de alguma maneira. Ou seja, se está jogando, joga para ganhar; com uma boa estratégia e ambição, seu sucesso é certo, e se percebe que não irá ganhar, sequer tenta. O individualismo é automático, e a parte péssima de ser individualista, para Clarke, é que ele sequer tenta mudar; ele sempre pensa em si antes dos outros.
Por sua educação e hábito de causar uma primeira impressão realmente positiva, Clarke arruma amigos sem procurar, mas constrói relações lentamente por pensar bastante. Ri, compartilha piadas e pode estar disposto a ajudar nos estudos, além de compartilhar seu conhecimento de mundo com os amigos; revela-se, daí, que Clarke é um típico nerd. Ele não se orgulha disso, e acha que não tem fundo no orgulho, muito menos num rótulo, mas omite essa ponta de desgosto por ser tachado de nerd. A verdade é que ama estudar e ler; seu conhecimento é vasto e a inteligência é tamanha. Valoriza seu estudo e procura revisar uma matéria até onde der; a perfeição é um objetivo que Clarke gosta de chegar perto ou alcançar. Nota-se o lado insatisfeito do garoto. Nada está bom, e suas crises de reclamações e críticas jamais se cessarão até que tudo pareça perfeito aos seus olhos, e normalmente nada parece estar bom ao seu ver – e então reclama, reclama, reclama... –, seja uma cadeira fora do lugar, o jeito como está seu cabelo, uma mosca voando...
As coisas que esconde dentro de si são infinitas. Nunca demonstra seu afeto, ódio ou qualquer tipo de felicidade com o meio em que está inserido, reservando seus sorrisinhos para coisas que pensa ou para passar uma boa impressão de primeira; e jamais demonstrará, principalmente amor. Não diz que ama ou que odeia, esconde tudo e qualquer coisa. Não que seja contra a violência, ele sabe que alguns bem que merecem uns tapas ou serem ofendidos com tudo o que ele tem para falar, mas sua timidez não permite que ele esbraveje. O mesmo ocorre com o amor; coisas melosas enchem sua paciência até a tampa, e por mais que ame, Clarke irá reprimir e esconder.
Tem suas próprias opiniões acerca das coisas, e só consegue formá-las após analisar o todo – assim como em suas ações e caminhos que tomará. Fica longe, porém, de debates ou de discussões; por mais que seu instinto argumentativo seja forte, a timidez o atrapalha – ou o salva – a entrar numa conversa a qual seja contrária ao que ele pensa. Grita, xinga e expõe o que quer apenas em sua cabeça, ficando calado e reprimindo a vontade de entrar chutando o balde num debate.

• Aparência:

• 11 anos:


Clarke é um garoto sem muita altura, está na margem dos 1,42. Sua magreza é uma magreza saudável, mas que faz com que pareça menor do que realmente é. Clarke tem a pele clara com alguns sinais róseos no nariz; seu rosto tem um formato delicado e pueril, com o queixo estreito e o maxilar afilado. A boca é rosa e de lábios finos que mostram um sorriso de dentes um tanto separados. Possui, ainda, cabelos castanhos-claros com cachos e caracóis que se formam aleatoriamente, suaves e leves. Os olhos são sua principal marca: azuis e brilhantes, com o contorno mais escuro dando um destaque ao claro que fica perto do centro.
Photoplayer: Levi Miller

• 14 anos:


Clarke logo ganhou mais altura, chegando a beirar os 1,74, sendo razoavelmente alto. A diferença mais notável são seus cabelos, antes acastanhados, passam para um tom louro, além do fato de possuir caracóis evidentes e dourados. O rosto desenvolveu-se para um formato não muito infantil, mas ainda carrega os dentes separados e os lábios pueris; seu maxilar fica mais marcado, assim como sua fisionomia se desenvolve para algo mais esbelto e charmoso.
Photoplayer: Levi Miller

• 17 anos:


Clarke crava sua altura nos 1,84; possui o peito e os ombros largos, proporcional a todo seu tamanho. O rosto mantém o mesmo aspecto delicado, mas com traços mais adultos. Os cabelos mantém a coloração loura e seus caracóis, ajeitado num topete em vez de caírem sobre sua testa como quando era jovem.
Photoplayer: Daniel Sharman

• História:
Clarke nasceu em Godric's Hollow, uma vez que nasceu de uma família completamente bruxa, com uma ascendência marcada por sua "pureza de sangue". Cresceu no meio bruxo – não que não fosse curioso a respeito dos trouxas – desde seu nascimento, e quando sua carta chegou, não ficou muito surpreso.
Antes mesmo de receber sua admissão na escola de magia e bruxaria, Clarke viveu uma infância vazia e um tanto sombria para suas memórias. Os conflitos no casamento de seus pais eram visíveis, e ele se lembra de várias discussões que tiveram, nunca terminando em boa coisa. Não sabia exatamente o motivo das discussões e das brigas, afinal, uma criança de cinco anos não compreende o que os adultos discutem entre si. Embora não tivesse uma casa estável, seus pais faziam com que ele ficasse, de certa forma, bem em meio a tudo, com o afeto e atenção recebidos deles. Enquanto saía com seu pai, a mãe não se intrometia; quando saía com a mãe para ir à doceria, o pai ficava de lado; o conflito era visto até mesmo naquelas horas.
Cresceu sem muitos amigos por ser recluso por conta de seus problemas com os pais, até que seu tio, Colin, foi buscá-lo para que passasse um tempo fora. Foi morar em Londres quando fez seis anos, no centro da cidade, e pôde ter a alegria de não presenciar uma briga por cinco anos. No fim, quando completou onze anos, voltou a casa dos pais. Sentia a situação um pouco mais calma quando pôs os pés em casa, finalmente. Uma semana depois, Wendy, a mãe, simplesmente não voltou para casa numa noite, permanecendo daquela maneira. Clarke, assim como o pai, abalou-se consideravelmente. Buscaram-na por muito tempo, um mês, mas nada deu frutos; ninguém sabia onde ela havia parado. Mas Clarke, meses depois, com a empolgação de ter recebido sua carta de Hogwarts, pôde se desligar da tristeza de ter "perdido" a mãe por um tempo.

• Família:

Felix Faulkner Marsh – pai – vivo – bruxo – trinta e cinco anos – colunista do Transfiguração Hoje – Sonserina
Seu pai era/é uma das pessoas que mais traz luz à vida de Clarke. Um homem amável e, mesmo assim, de rigidez incontestável. Clarke admira sua paciência e seu autocontrole, mesmo depois de ter perdido a mulher para o que jamais conheceu; ela simplesmente sumiu. Clarke sabe da desconfiança do pai acerca das filiações às artes das trevas da mulher, mesmo que o homem não admita. Ao contrário de Wendy, a esposa, nunca teve vínculos com as artes das trevas, quebrando um pouco o pensamento comum de que todo sonserino tem de virar Comensal.


Photoplayer: Garrett Hedlund

Colin Faulkner Marsh – tio – vivo – bruxo – vinte e oito anos – batedor do Pegas de Montrose – Sonserina
O tio é uma peça muito preciosa para Clarke. Uma pessoa sem muitos escrúpulos, de mente brilhante e carisma admirável; Colin tem muita afeição pelo sobrinho, e o trata como se fosse seu segundo pai. Leva o garoto para a Dedosdemel nos fins de semana, e foi ele quem tirou Clarke da tristeza quando a mãe desapareceu. É certo que o jogador de Quadribol não fica muito tempo com o sobrinho, e por mais que resida na mesma casa que o irmão mais velho, o encontro entre Colin e Clarke é quase raro depois que voltou a casa do pai.


Photoplayer: Bradley James

Wendy Frank Ackerman – mãe – possivelmente morta – bruxa – trinta e quatro anos – trabalhava no Ministério da Magia – Sonserina
Sem dúvidas, uma mãe que amava de fato sua cria. Tentava mostrar as coisas boas que existiam ao filho, e Clarke se sentia muito mais feliz após um passeio ou uma conversa com Wendy. Uma pessoa atenciosa, mas muito fechada e reclusa. Rumores de que Wendy trabalhava numa loja na Travessia do Tranco se provavam reais quando fofoqueiros comentavam dela com Felix.


Photoplayer: Evan Rachel Wood

• Gostos:
Assistir a jogos de quadribol;
Seu time preferido de quadribol são os Pegas de Montrose, time no qual seu tio joga;
Sua cor preferida é o verde e o azul;
Estudar lobisomens;
Estudar;
Aula de Poções e Transfiguração;
Neve;
Gatos;
Ficar em frente a uma lareira;
Ler.

• Desgostos:
Lesmas;
Que baguncem seus cabelos;
Ser subestimado;
Ser menosprezado ou incompreendido;
Banho gelado;
Pudim de leite;
Morangos;
Não gosta de amarelo;
Não tolera estupidez humana.

• Amigos:
Ainda não fez amigos por ser completamente tímido.

• Inimigos:
Alvo Potter. Não gostou dele e de seu comportamento logo no primeiro dia, tudo o que o garoto faz o incomoda profundamente, e pensa que se ele não existisse, seria muito melhor.

• Como age com:

◯ Amigos: Com os amigos, Clarke compartilha as coisas que sabe ou que ouviu, do tipo piadas ou histórias; sabe falar sobre tudo um pouco. Pode ser que aja para si e somente para si na maioria das vezes, mas caso algum amigo precise de ajuda com estudos ou até mesmo estiver com problemas, Clarke se dispõe a ajudar. Para os outros é praticamente impossível saber se sua palavra é verdadeira, e com o tempo, percebem que ele pode ser até confiável.

◯ Inimigos:
Detesta puramente o que fazem ou como agem, nunca consegue enxergar aspectos positivos nas figuras. Qualquer coisa que façam, deixam Clarke irritado, e se fizerem qualquer movimento para cima dele, será respondido na mesma moeda.

◯ Professores: Seu respeito pelos professores é notável. Clarke nunca deixou de admirar cada um deles pelo que fazem pela escola e pelos alunos, além de achar uma profissão muito importante. A relação com eles é sempre de respeito, até porque o garoto tenta não aprofundar uma amizade com eles.

◯ Par: Primeiramente, Clarke detesta coisas melosas. No começo, aprecia conversas de todo o tipo; sabe que quer ficar perto da pessoa, mas não ousa falar isso para si mesmo. Faz questão de mostrar e contar coisas para o par, normalmente sempre trazendo algo novo; também faz questão de fazer brincadeiras bestas apenas para ver um sorriso no rosto, mas pode ser difícil confessar que realmente está gostando dela. Normalmente é uma questão de tempo para começar a andar com o relacionamento.

• Tipo de sangue:
Puro

• Varinha


Mogno; núcleo de fibra de dragão; vinte e oito centímetros; meio maleável.

• Par?:
Queria um par, sim, e poderia ficar a sua escolha, se for conveniente.

• Segredos:
Mantém o segredo de que gosta de estudar e que estuda apenas por gosto, não necessariamente quando há uma prova/teste.

• Habilidades/manias/traumas:

Habilidades:
Clarke tem aptidão para transfiguração;
Tem uma grande habilidade para aprender coisas novas;
Habilidade em charadas e jogos de adivinhação.

Manias:
Balançar os pés quando se senta sobre qualquer superfície;
Abotoar camisas de baixo para cima;
Suspirar quando nervoso.

Traumas:
Não tem

• Algo a mais?
Clarke é alérgico a gatos, embora goste deles.
E não está muito completo o tópico de "amigos", porque não tenho uma ideia concreta das fichas.


Don't forget that I'm the one who made you
The one who's always going to crave you
Pull you in, you're my muse
I know you love to be abused
I can show you off like a trophy
Pull you in while you're on both knees
Let me show you the way
Cause you're the only want I ever want to stay"

–– My Muse – Dropout


Black High School



Acredito que Narcos seja minha série preferida


➡ Nome Completo:
Ethan Maxwell Volanski Salkov

➡ Apelido:
Coelho – por motivos de seus cabelos serem louros muito claros com um aspecto esbranquiçado, os alunos decidiram chamá-lo dessa maneira; não que Ethan odeie, ele aceita o apelido.
Barbie – possui cabelos claros e olhos claros, portanto, alguns acharam que ofenderiam seu jeito e sua aparência chamando-o de Barbie, mas Ethan achou graça e não liga muito que o chamem desse jeito, mesmo que prefira "Coelho" a "Barbie"

➡ Idade:
Dezessete

➡️ De qual ano é?
3° ano

➡ Data de aniversário:
30/11/1999

➡ Aparência:
Com uma altura de 1,90, Ethan é realmente bem grande. Seu tamanho não é apenas de músculos; possui uma magreza esguia e esbelta, apesar da palidez de sua pele. O rosto tem um formato suave, com a mandíbula marcada e bem desenhada; os lábios são róseos e não muito espessos. Ethan possui um par de olhos azuis; olhos hipnotizantes e brilhantes, emoldurados por cílios suaves e louros. Assim como os cílios, os cabelos são claros quase em demasia, lembrando o branco, porém ainda são louros, raspados dos lados com um comprimento maior em cima e na franja; esta é longa, e ele a arruma para o lado.









➡ Pais:

Franke Aleksander Salkov – pai – cinquenta e dois anos – físico teórico
Franke sempre esteve com Ethan a vida toda, e construiu uma ótima relação com o filho. Trata-o com bastante carinho, mesmo que seu jeito sério seja inabalável, e Ethan adora passar o dia com o pai tão atarefado.


Anne Volanski Salkov – mãe – cinquenta e três anos – clínica geral
A mãe é uma mulher um tanto quanto assustadora. Briga demais com Ethan por ele ser um poço de preguiça, e mesmo que brigue, continua sendo o maior amor dela. Gosta quando ele cozinha biscoitos, mas não hesita em dar-lhe uma ótima bronca quando Ethan tira zero nas provas.


➡ Nacionalidade:
Russo, porém tem uma forte ascendência ucraniana

➡ Qual(is) aula(s) extracurricular(es) faz?

(x) Dança
() Teatro
() Música
() Grêmio estudantil
() Computação

➡ Novato ou veterano?
Veterano

➡ Personalidade:
Um cara simpático e de bem com a vida. Ethan tem muita facilidade para fazer amigos; extrovertido, simpático e carismático. Conformado com a vida, se alguém lhe der uma ordem, ele cumprirá, sempre tranquilo, obediente, fácil de lidar quanto a regras. Obediente, porém nada calmo. Ethan tem um nível de agitação quase hiperativo; fala demais e agita qualquer lugar onde estiver, e é por isso que tem amigos em todos os lugares. Ele realmente parece ter o rabo aceso, nunca para de fazer bagunça, de soltar piadas ou de causar tumulto. Parece viver para isso: causar, a coisa que mais gosta de fazer. Seja causar uma rebelião, uma briga ou risos, Ethan adora.
Ele faz amizades muito facilmente, mas não é alguém digno de confiança. Se há qualquer coisa que o ameace, desmotive ou motive, ele contará o segredo ou qualquer coisa que lhe foi confiado, e pode apostar que a escola toda vai ficar sabendo no dia seguinte. Por vários momentos é pego observando peitos e bundas, um tarado de primeira que só pensa nas partes interessantes. Quando quer alguma coisa, tem preguiça de persistir se a dificuldade for muita, mas se o assunto for alguma garota ou garoto de seu interesse, a preguiça será vencida. Ele joga charme e joga conversa para cima dele/dela num arroz infinito que só acaba quando ele consegue uma boa transa. Tem a mente mais poluída do mundo, qualquer coisa pode virar o objeto de fantasias, canudos, copos descartáveis, latas de refrigerante, etc. Ele malicia todas as frases, todas mesmo, e sempre se pega sonhando com qualquer pessoa por aí.
Dito o famoso preguiçoso que só pensa em dormir, Ethan desperdiça horas dormindo largado por aí ao invés de fazer coisas inteligentes; ele é inteligente e aprende as coisas depressa, mesmo que esteja perdido em seu mundo paralelo, viajando. Perde-se em tudo direto, mesmo que esteja prestando atenção, ele se perderá em algum momento da conversa e começará a viajar no mundo da Lua. É desatento, desorganizado e perde tudo em seu próprio armário.
Na sala de aula, é um completo babaca; faz barulhos, questionamentos inoportunos, dorme na aula... Simplesmente porque não gosta de estudar, por incrível que pareça, se algum professor muito autoritário lhe pedir para que cale a boca, ele o fará por ser obediente e não tão questionador quanto às regras.
Quando há confusões, ele alimenta para não perder nada, porque seu espírito de naja encrenqueira grita muito forte quando vê alguma confusão.

➡ Gosta:
Dormir;
Animais;
Jogar basquete e futebol;
Sua cor preferida é verde;
Seu animal favorito é o cavalo;
Usar toucas;
Ouvir música;
Cheiro de cereja.

➡ Não gosta:
Estudar;
Nozes do tipo amendoim;
Matemática;
Ser acordado cedo;
Balas de uva;
Não suporta chocolate;
Odeia roxo;
Chinelos.

➡ Medos:
Tem muito medo de mariposas;
Medo de águas profundas.

➡ Manias/Vícios:
Quando abre uma lata de refrigerante, sempre tira o lacre;
Arrumar o cabelo toda a hora;
Quando usa algum moletom de capuz, ficar tirando e colocando o capuz toda a hora.
Quanto a manias, ele não tem nenhuma.

➡ Hobbies:
Jogar basquete;
Praticar hipismo;
Ouvir música.

➡ História:
Nasceu em Murmansk, Rússia. Mudou-se para os Estados Unidos quando ainda era um jovem de quatorze anos. Fez amizades por onde passava e trocava de escola com muita frequência por atrapalhar as aulas em demasia. Nunca teve uma fase rebelde por não se interessar por isso, só se interessava por meninos/meninas. Arrumou encrenca com um traficante de seu bairro por ter ficado com a namorada dele, tendo que se mudar de bairro para um condomínio fechado nos limites da cidade. A grande influência policial do bairro onde vivia o protegia; os policiais eram amigos do pai de Ethan, por mais que soubessem que ele estivesse metidos com drogas, o protegiam.
Arrumava maconha com os maconheiros super-legais de sua antiga escola quando tinha quinze anos e fumava até se acabar. Parou de usar a erva no ano anterior, quando foi matriculado no internato onde estuda até os dias atuais.

➡️Estilo de roupas:
Um estilo próximo do "metido a rebelde desleixado", com o frequente uso de toucas e bonés como também o dos tênis VANS e de All Star, assim como o uso de suéteres.









➡ Estilo musical:
Curte mais música eletrônica, do tipo DnB e Drumstep, mas não nega que escuta outros gêneros de DJs mais famosos, como Martin Garrix, Mako e Vicetone.

➡ Alergias:
Ele é intolerante a lactose.

➡ Par?:
Pode ser

➡ Curiosidades sobre o seu personagem:
Ethan é bissexual;
Ele é muito bom em esportes;
Nunca tira notas boas.

➡ Algo mais?:
Ethan é do grupo dos populares, mesmo que peregine de um grupo para o outro


Camp Demigod

–– My Muse – Dropout



🔱 Nome Completo 🔱
Alexandre Granville Butler

🔱 Apelido 🔱
Alex – um encurtamento de seu nome pelo qual todos o chamam; quem inicialmente começou a chamá-lo desta maneira fora sua mãe por ser muito mais fácil de gritar quando brigava com ele.
Butler – para os formais, normalmente usado por Louise.

🔱 Idade 🔱
Dezesseis

🔱 Aparência 🔱


Um garoto grande e alto, com a altura beirando os 1,80 facilmente. Possui um porte físico forte e atlético, com o peito e os ombros largos. Sua pele é claríssima, chegando a parecer empalidecida; não possui sinais avermelhados no rosto ou qualquer indício de cor, nem mesmo pintas pela face. Alexandre possui um rosto ovalado e com o queixo afilado; a mandíbula é forte e não muito marcada. Pela face, cresce uma barba escura que ele tira, portanto nunca soube se seria espessa ou não. Os cabelos são escuros e lisos, muito próximos do preto, sempre arrumados num topete mal penteado; os olhos também são acastanhados, mas mais claros do que seus cabelos. São emoldurados por cílios curtos, espessos e retos; as sobrancelhas são escuras e não muito espessas.
Photoplayer: Ian Nelson

🔱 Pai/mãe divino 🔱
Ares

🔱 Família 🔱

Maria Granville Butler – mãe – viva – trinta e seis anos – dona de um bar temático
Ela atura Alexandre há dezesseis anos, e por isso percebe-se que é uma mulher extremamente tolerante. Trabalha num bar temático no centro de Nashville; o bar tem a temática voltada para a famosa Rota 66 e motoqueiros, e ela o abriu fazem alguns anos. O bar se popularizou na cidade e tem uma ampla clientela. Sua relação com Alexandre é composta de sermões; o filho vive se metendo em confusões diárias, e foi expulso do total de sete escolas. Mesmo tendo que ser rígida com o ser que é seu filho, ela ainda tenta não berrar com ele por Alexandre ter destruído coisas.


Photoplayer: Rebecca Hall

Christopher Gilroy – namorado de sua mãe – vivo – trinta e nove anos – veterinário
Alex não tem muitos problemas com o namorado da mãe. Por ser um homem relativamente tranquilo e um tanto apático com relação à vida e tudo mais, não liga demais para as confusões que Alexandre arruma, e não faz a mínima questão de implicar com ele. Sendo assim, possuem uma vaga relação constituída de “bom dia” e “boa noite”.


Photoplayer: Eoin Macken

🔱 Nacionalidade 🔱
Estadunidense – de Nashville, Tennessee

🔱 História 🔱
Alexandre nasceu no Tennessee, cidade de Nashville. Não teve uma figura paterna até seus doze anos, que foi quando seu pai veio dar-lhe a notícia de que ele era um semideus filho do deus da guerra. Antes disso, Alexandre não tinha um propósito na vida senão entrar numa escola e permanecer lá por pelo menos três meses. A mãe nunca teve muitas condições de pagar por uma ótima escola para que Alexandre pudesse estudar, afinal, seu trabalho exigia muito investimento – dona de um bar temático – e as despesas com o apartamento eram razoavelmente grandes. Era sempre oito ou oitenta, Alexandre era expulso por ter destruído algo na escola ou por ter destruído alguém.
Vivia se metendo em brigas, encarando os garotos mais velhos quando tinha apenas doze anos. Entrava nas brigas e batia e apanhava, por fim, era suspenso. Duas brigas a mais e era expulso, então partia para outra escola. Nunca fez muitos amigos por conta dessa desestabilidade emocional, causada por sua violência e clássica capacidade de explosão destrutiva.
Nem mesmo em casa a mãe conseguia um sossego; vivia indo à escola assinar a transferência de Alexandre, e quando chegavam em casa, literalmente estava de saco cheio. Esbravejava com ele e o colocava de castigo, mas nada impedia Alexandre de continuar brigando.
Até que, quando fez doze anos, Alexandre encontrou seu verdadeiro pai enquanto passava um tempo após a aula no bar de sua mãe. Nunca havia sido muito fã de falar sobre seu pai, mas quando ele apareceu, Alexandre ficou mais feliz por tê-lo conhecido. Ficou sabendo que era filho de Ares, e que seu pai estava, de certa forma, “orgulhoso” dele – ao contrário da mãe, que detestava vê-lo batendo nos mais velhos. Soube também que seria levado a um acampamento próprio para pessoas como ele, e ficou empolgado com a ida. Está no acampamento há quatro anos, e quase nunca vai embora de lá por ser realmente um problema.

🔱 Personalidade 🔱
Tem uma imponência mostrada em seu andar pesado, de passadas longas e firmes, com os ombros para trás e postura que traduz sua confiança – e talvez arrogância. Não sabe se é sua aparência ou até mesmo suas atitudes, mas alguns – que não são poucos – demonstram certo medo de Alexandre. É extrovertido e desinibido, não demonstrando qualquer sinal de timidez ou de acanhamento perante estranhos. Tem uma simpatia ácida e um carisma malicioso, típico dos filhos de seu progenitor. Gosta de mexer com os outros para ver suas reações, e seu olhar de malícia traduz suas intenções: do que gosta mesmo é ser um tremendo babaca que incomoda as pessoas. Está o tempo todo pegando no pé de alguém pelo gosto de ser irritante, torcendo sua habitual carranca num sorriso malicioso e trêfego. Tem muito prazer quando irrita alguém, rindo sem muita vergonha das reações.
Ele procura a confusão, a confusão o procura; sempre foi um garoto caótico que procurava o caos, e este é seu par perfeito. Nunca é visto fora de uma briga, raramente está observando-a. Seu espírito brigão é um instinto incontrolável; a paciência é curta e a vontade de brigar é tamanha; Alex tem pouca paciência, língua afiada e voz ríspida, sem nenhum escrúpulo na hora de uma explosão quando dá vontade de dar um murro na parede ou em alguma face, ou em dias bons, de soltar algum comentário maldoso a respeito de alguém.
Causa tantos conflitos porque prefere muito mais falar o que precisa ser dito sem rodeio nenhum a ficar enrolando. É muito ativo e enérgico, Enquanto alguns planejam e falam demais, Alexandre chega e faz de uma vez. A impulsividade também o leva até brigas, e por agir muito pela raiva, ele traz consequências catastróficas para si mesmo. Talvez seja por causa de sua objetividade que ele possa parecer ácido ou até mesmo grosseiro ao expressar sua opinião brutalmente sincera, mas a verdade é que ele não liga. Alexandre não se importa muito com o que causa, até porque não tem o costume de pensar no que pode vir a acontecer; ela vive no presente, tudo pode acontecer, sendo idealista, isto é, otimista, ao invés de ser pessimista.
Nada tem o poder de fazer Alexandre tirar uma ideia da cabeça ou de mudar sua opinião. Sua cabeça é muito fechada, e tende a agir como dono da verdade por acreditar que sua opinião é a única verdade existente. Mesmo que saiba que está pensando como uma mula, não vai mudar por causa de uma pontinha de orgulho, teimando e teimando.
Por vários momentos, é pego observando garotas. Observa descaradamente para sonhar depois, mas não solta comentários infelizes. É um pervertido de primeira, sempre maliciando qualquer frase ou qualquer coisa que seja, do tipo cadeiras, travesseiros, moscas... Nunca conseguiu ficar com ninguém até então pelo simples fato de ser extremamente irritante, e ele mesmo sabe disso. Sabe que faz de propósito e ainda gosta de sofrer um pouco mais não mudando sua postura que incomoda.

🔱 Defeitos 🔱
Irritante;
Pervertido;
Impulsivo;
Irritável;
Paciência curta;
Brigão;
Explosivo;
Ácido e grosseiro.

🔱 Manias 🔱
Assobiar a música que porventura está na sua cabeça;
Bufar quando está com raiva;
Fechar as mãos em punhos quando está para explodir.

🔱 Gostos/Desgostos 🔱
Gosta de bebidas geladas, do tipo Pepsi;
Sua comida favorita é espaguete à bolonhesa;
Seu animal favorito é o lobo;
Sua cor favorita é vermelho;
Gosta muito de sair à noite;
Gosta de irritar os outros;
Tem paixão por vagalumes.

Não gosta de pepino;
Simplesmente odeia abelhas;
Não suporta roxo ou amarelo;
Não gosta de levar desaforo para casa;
Não gosta de ser excluído;
Detesta carne de frango.

🔱 Medos/Fobias 🔱
Medo de altura;
Medo de águas profundas.

🔱 Habilidades / especialidade 🔱
Perícia com armas brancas, exceto arco-e-flecha;
Habilidade em combate corpo a corpo;
Habilidade em campo de batalha.

🔱 Fraquezas 🔱
Ataques ágeis;
Ataques com arco-e-flecha.

🔱 Armas brancas 🔱


Uma longa lança dupla com as pontas de bronze celestial, para matar monstros especificamente. Uma arma pesada que é a favorita de Alexandre.

🔱 Algumas perguntas 🔱
Deseja par? Se sim, como age com o par?
Sim.
Alexandre, como o habitual, irá incomodá-la até o limite, até que sua paciência exploda. E no dia seguinte, tudo começa de novo. Por alguma razão, sabe que, quando se irrita alguém, ganha-se sua confiança mais depressa. Primeiro virará seu amigo para depois perceber que gosta dela; Alexandre é uma porta para perceber que está gostando de alguém. Então as coisas andam de uma forma lenta, cheia de turbulências para finalmente dar certo.

Como age com os amigos? E inimigos?
Com os amigos, ele não faz muita questão de incomodá-los. Gosta de ficar junto com eles e de conversar; é alguém leal e companheiro que jamais deixará um amigo para trás. Se por acaso alguém mexer com um amigo, mexeu com Alex também.
Com os inimigos, ele faz questão de resolver na pancada. Provoca e ofende sem nenhum medo, e não hesita em cair no soco se encher sua paciência.

O que acha do acampamento?
Gosta bastante de ir para lá, no geral, não tem críticas para fazer. É seu lugar favorito, e só não gosta quando a galera do chalé de Atena vem incomodá-lo por só causar confusões.

O que acha dos revolucionários? Como reagiria ao ter que enfrentá-los?
Acha que eles não têm o que fazer; lutar contra deuses é extremamente estúpido ao ver de Alexandre, e tem certeza de que vão perder. Menospreza os revolucionários demais, e não hesitaria em enfrentá-los só para ter o júbilo da vitória os enfrentaria de bom grado.

Possui alguma doença?
Não, nada além do TDAH

Um número de 1 a 10?
Seis

Sabes que teu personagem estas em nossas mãos?
Sim

🔱 Trilha sonora da personagem: 🔱
Research And Destroy – Book Of Black Earth
Lion – Hollywood Undead
Strong – Dropout
I Don’t Care – Fall Out Boy

🔱 Algo mais? 🔱
Não


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...