~bolchevique

bolchevique
— may your god deny you +
Nome: ܟf̤υc̤k̤i̤n̤g ̤m̤e̤s̤s ̤s̤o̤m̤etimes || ̷p̷o̷k̷é̷m̷o̷n̷ τrainer™
Status: Usuário
Sexo: Masculino
Localização: Solidao, Pernambuco, Brasil
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Silence, Bitch — Fichas


Postado

"Porque duas pessoas só podem guardar um segredo se uma delas estiver morta"


1ª Ficha



➪ Nome completo:
Pietro Caldwell Mancari

➪ Apelido:
Mancari — chamar pelo sobrenome é um clássico apelido, e chamá-lo pelo sobrenome é o que a maioria das pessoas faz, sendo esta a maneira por que é conhecido na escola.

➪ Idade:
Dezoito — Pietro rodou na escola por faltar e por ter notas terríveis, e acabou reprovando o terceiro ano.

➪ Aparência:
Pietro é um rapaz alto, detendo 1,80 facilmente. Possui ombros largos, porém não chega a ser muito forte ou a ter músculos bem definidos. Sua pele é clara, os lábios são pálidos e o nariz é reto; é a parte que mais gosta em seu corpo, seu nariz. Os cabelos são castanho-escuros, levemente ondulados, sempre bagunçados e indo para todas as direções; os olhos são escuros como os cabelos.







➪ Photoplayer:
Evan Peters

➪ Gifs de seu personagem:




➪ Orientação Sexual:
Heterossexual

➪ História:
Pietro nasceu em Nova York, filho de uma família rica de aristocratas de alto prestígio na cidade, os Mancari. Por conta disso, sempre estudou nas melhore instituições de ensino que o dinheiro podia pagar, constituindo a elite da cidade. Desde seus seis anos, estudou em um colégio de mensalidade exorbitante, e Pietro passou a maior parte de sua vida na mesma escola, o seu refúgio particular para fugir do caos que era sua casa e sua família; ou melhor, seu pai e sua madrasta.
Pietro nunca foi fã do próprio pai, um homem amargo e cruel, que nunca amou de verdade a esposa, e que com certeza se casou com ela por qualquer obrigação obscura, fora que ele mesmo nunca lhe deu a atenção que deveria. O pai, com toda sua amargura, tratava Pietro muito mal desde que ele se lembra, colocando-o para baixo quando podia e arrumando qualquer desculpa para bater no garoto. Apanhava desde muito cedo, e ia relativamente mal no colégio por conta das agressões; se isolava e se trancava no quarto quando o pai chegava em casa. Desenvolveu um medo irracional do pai ao longo de sua vida, e como a mãe nunca esteve presente devido a seu falecimento — ocorrido quando Pietro tinha seis anos —, era maltratado sozinho. A madrasta parecia compactuar com as agressões do pai, e jamais defendia Pietro do que ele causava. Então, foi crescendo num lar caótico e sem a menor estrutura para seu desenvolvimento mental. Aos poucos, tornou-se um jovem com problemas comportamentais visíveis conforme as brigas com seu pai se agravavam. Mais amadurecido, Pietro não tinha mais medo de retrucar e de confrontar o pai, e quase todos os dias discutiam violenta e arduamente quando se para encontravam em casa para jantar.
Certa vez, quando tinha dezesseis anos, cansou-se de ser tratado daquela maneira de vez, e foi muito além de retrucar. Bernard caçoava dele, e, sem pensar, Pietro acertou-lhe um murro na cara. Obviamente saiu perdendo, e apanhou tanto que as cicatrizes nas costas continuam ali. Ligou para a avó depois da surra, e foi embora de vez para a casa dela, do outro lado da cidade. Sua avó materna, também uma rica aristocrata, com a qual tinha mais contato, trocou-lhe de colégio, e aos dezesseis anos, ingressou em Le Rosey.
Lá, criou a fama que possui até hoje; os garotos acham melhor não mexer com ele, mas "até que é legal", possuindo uma boa fama de inatingível entre algumas garotas. Pietro permaneceu no colégio, mesmo depois do desaparecimento/morte de Lana Palmer, sendo um dos poucos veteranos que não saíram da instituição. Possui um irmão que entrará na escola neste ano, é realmente não quer contato com ele.

➪ Personalidade:
Pietro caminha a passos decididos e firmes, com a cabeça erguida e, na maioria das vezes, de mãos nos bolsos. Seu andar transmite uma arrogância própria dele, e faz com que muitas pessoas sintam receio — ou medo — de falar com ele; Pietro carrega expressão alguma no rosto. O invólucro criado por estas características realizam perfeitamente sua função: deixar Pietro longe de gente, no geral. A bagunça lhe incomoda e lhe dá dores de cabeça, e ficar sozinho é o que mais almeja na vida. Adora ficar sozinho, e qualquer que seja a alma a perturbar seu silêncio e roubar-lhe a solidão, que seja por um ótimo motivo, porque se não for...
Irritadiço na grande maioria das vezes, fica bravo com qualquer coisa, por qualquer coisa, e não esconde; o que mais lhe tira do sério é conversa fiada. Se não o afeta, se não o beneficia, não interessa para ele; jogar conversa fora é, literalmente, jogar conversa fora quando se trata de conversar a esmo com Pietro. Palavras serão gastas à toa e ele distribuirá coices verbais gratuitamente, sem isenção de nada. Não tem muito a perder na hora de partir para a violência física; admite que é bastante brigão, mas gosta mais de assistir a uma boa briga do que estar metido nela. Ácido e seco, Pietro não demonstra educação ou paciência quando se comunica com os outros — e menos ainda quando está irritado. Grosso, impaciente e mal-educado, não tem o mínimo cuidado com as palavras, e na esmagadora maioria das vezes, machuca as pessoas mais sensíveis com sua grosseria. Sempre irritado, parece que o mundo todo se une para incomodá-lo. Qualquer movimento ou ação incomoda o rapaz, e paciência para tolerar o que está a lhe encher não é o que têm aos montes. Pietro tem uma paciência extremamente limitada, esperar é uma tortura e qualquer tipo de enrolação da parte dos outros para realizar tarefas incomoda Pietro profundamente; quer terminar o que começa depressa, porque as coisas o chateiam rápido e o entendiam num clique.
Não é uma pessoa de gracejos e sorrisos, Pietro é sério e não tem tempo para sorrir forçadamente em gesto de falsidade. Não procura ser falso porque não é de sua natureza; a sinceridade é uma de suas melhores qualidades — e também é o que mais expulsa gente de perto de seu ser. Se ele não gosta, logo a pessoa fica sabendo diretamente dele, e Pietro lhe dá um passaporte de graça para sumir, caso queira.
Obstinado, se coloca uma coisa na cabeça, ele não morre sem antes realizá-la. Os fins justificam seus meios, e pode fazer literalmente de tudo para conseguir o que almeja. Pessoas são degraus para ascender ao sucesso, e a manipulação é um de seus meios para conseguir o que deseja — o outro meio é a agressão. Não tem escrúpulos na hora de usar quem quer, até porque não tem nada a perder mesmo.

➪Gostos/Desgostos:
Gostos:
Sua banda favorita é EDEN;
Gosta muito de gatos;
Dias frios — só porque pode usar jaquetas nesses dias;
Uma boa confusão;
Ficar sozinho;
Música;
Sua série literária favorita é A Torre Negra;
Gosta de mexer no próprio cabelo.

Desgostos:
Insistência;
Não gosta de crianças no geral;
Receber perguntas óbvias;
Estudar;
Detesta tomate;
Gente que fica se encostando nele enquanto trocam palavras;
Seu meio-irmão, Ethan Mancari — ele realmente odeia o garoto, ao contrário de Ethan, que gosta muito e tenta ter uma relação de amizade com Pietro.

➪Medos e manias:
Medos:
Tem muito medo do escuro;
Tem um medo fraco de agulhas e injeções, mas é fraco, e ele consegue — até que bem — tomar uma injeção sem chorar;
Tem medo de corredores longos e escuros.

Manias:
Gira o cigarro entre os dedos quando fuma;
Revirar os olhos em momentos de impaciência;
Alisar o nariz com o indicador e o polegar enquanto pensa.

➪ Música tema do seu personagem?
Drugs — EDEN
Letra




"'cause I'm a fucking mess sometimes
But still I could always be
Whatever you wanted
But not what you needed
Especially when you been needing me
'cause I'm a fucking mess sometimes
And I'll say what I don't mean
Just 'cause I wanted
Or maybe I need it
Swear lying's the only rush I need
'cause all I needed was some words to say
That all these feelings don't mean shit to me

[...]

And I got way to many routes to take
To make this all just go away
And find another heart to break
So heartless with the words I say
Just saying what I'm supposed to say
'cause I had nothing for you
I can't love when I can't even love myself
Things I would rather be thoughts
At the back of my head
But I'm addicted to hurting"


➪ Segredo:
Enviado por MP

➪ Acha que seu personagem poderia ser a pessoa por trás de tudo?
Não acredito que Pietro faria uma coisa dessas, ele não perderia tempo com algo tão... fútil. Mas se for, é porque existe um ponto em fazer isso tudo.

➪ O que seu personagem acha sobre a pessoa por trás das mensagens?
Um desocupado, sem muita coisa para fazer da vida. Quer mesmo é acertar um murro na cara desse ser humano, mas é só porque gostaria de ter tido essa ideia primeiro.

➪ Você tem consciência que agora seu personagem me pertence e eu poderei fazer o que quiser com ele?
Sim

➪ Favoritou a fanfic?
Sim

➪ Algo a mais?
Pietro fuma cigarros com frequência regular, e não é raridade vê-lo com um cigarro na mão;
Quando ele bebe, tem o costume de beber até desmaiar;
Tem uma alergia séria a corantes vermelhos.


2ª Ficha


➪ Nome completo:
Ethan Kirchner Mancari

➪ Apelido:
Mancari Júnior — logo no primeiro dia, descobriram seu sobrenome; irmão do famoso Mancari, pensam que Ethan é como o irmão.

➪ Idade:
Dezesseis

➪ Aparência:




Ethan é um garoto com 1,68 de altura. Não é o mais alto de sua turma, e está longe de ser. Não tem um porte físico com músculos definidos e invejáveis, porém não é corpulento — vulgo gordo. Suas feições colaboram com a altura, deixando-lhe com aparência mais infantil do que deveria. Seus lábios têm o formato de um coração, os cabelos são brilhantes, macios e pretos, perfeitamente lisos e sempre bem penteados. Possui olhos verdes cintilantes e hipnotizantes, bonitos e persuasivos.

➪ Photoplayer:
Landon Gilley

➪ Gifs de seu personagem:



➪ Orientação Sexual:
Bissexual — sente atração por ambos os sexos, sem preferência.

➪ História:
Ethan nasceu em Nova York, filho de Veronica Kirchner, a segunda mulher do famoso aristocrata Bernard Mancari. Desde que se lembra, Ethan não sabe dizer uma vez em que foi maltratado naquela casa por seus pais; eles sempre lhe mostraram o máximo de compaixão e de carinho que os responsáveis podem fornecer. A exceção era seu meio-irmão Pietro, filho do relacionamento anterior do senhor Mancari. Ethan tentava ser amigo de Pietro, mas sua amizade, assim como seu companheirismo, pareciam ser inatingíveis.
Pietro sempre foi muito arisco e indiferente com relação às investidas de Ethan para tentar se socializar e se entrosar com o irmão maior, mas ele continuava tentando. Era terrível, para Ethan, ser rejeitado pelo irmão, e era ainda pior vê-lo sofrendo em sua própria casa. Tentou defendê-lo uma vez, mas acabou tomando uma bronca até que bem leve comparada às que Pietro levava todos os dias por existir.
O tempo passou até que Ethan viu o irmão ir embora de casa; perdeu quem mais amava e passou dois anos sem vê-lo, até que se viu na mesma escola que ele, e, junto com isso, a oportunidade de se aproximar dele de novo.

➪ Personalidade:
De olhar desatento, andar leve e silencioso, silencioso como ele nas rodinhas de amigos; talvez com um sorriso leve no rosto, mas nunca falando demais. Chamando-o para algo, nunca se ouvirá uma grosseria de sua parte, pois Ethan é gentil e não tem o costume de agressões verbais. Outro traço é que iniciativa não é seu potencial. Ethan é chamado pelos outros em todas as ocasiões, e é assim que arranja amigos; as pessoas vão até ele por qualquer razão e acabam se tornando amigas dele. Raramente tem ataques de timidez; Ethan não é tímido, é apenas quieto. Sozinho, Ethan tende a ser quase dominado por sua timidez que brota quando se encontra solitário. Não gosta da solidão, ele fica mais perdido do que já é, e talvez nunca mais se encontre se ficar isolado; por isso, gosta de ficar com pessoas. Ele não é tímido, só na falta de pessoas conhecidas.
Ocupa-se em observar o cenário mais do que se ocupa em prestar atenção numa conversa ou quando anda, e por isso, tromba nas pessoas com frequência. Quando presta atenção em algo, é certo que ele irá se perder em algum momento. Por mais que seja perdido, entende aquela parte ou aquele todo até que depressa; ele é disperso, não lesado. As coisas roubam sua atenção muito facilmente e ele consegue sair completamente do assunto em questão de um estalar de dedos. A maioria das coisas se perde no mar de sua mente, indo embora.
Assim como o mar, Ethan é calmo, mas profundo, e quando fica revolto, acalma-se depressa. Coisas contra os outros o deixam bravo; atos de qualquer tipo de violência — verbal ou física — nos outros, tiram Ethan de seu estado calmo. Irritado, sua raiva vem como uma onda gigante e logo se aquieta; ele acredita que as coisas não se resolvem com a raiva e que ficar estressado ou irritado jamais resolve uma situação – também por ser contra a violência.
As situações tristes com ele o abalam mais do que com os outros. Uma pessoa de mágoas profundas, com um rancor que se transforma em tristeza muito depressa; a raiva é efêmera, a tristeza dura muito até que Ethan faça uma Joelma para cada decepção ou tristeza em sua vida, então tudo se ajeita e ele vive normalmente. Não tem o costume de cuidar da vida alheia, então não liga para os outros e seus problemas. É individualista, mas está tentando mudar isto desde que começou a atuar, já que é um trabalho em equipe; tenta pensar mais nos outros ultimamente.
Tem um espírito criativo e aptidão para arte; sua criatividade aplica-se tanto em textos quanto para atuação, até mesmo em piadas que sopra para os amigos. Percebe-se, de cara, que a criatura tem paixão por música — mas talento algum para produzi-la —, visto ora cantarolando uma música em voz baixa, ora balançando-se numa dança de ombros; gosta de ter um fone nos ouvidos, de onde saem músicas eletrônicas, suas preferidas. A arte, seja de qualquer tipo, o distrai, e é a única coisa em que mantém sua preciosa atenção e onde se encontra quando está perdido.
Por fim, sua preguiça. Ele parece um sofá, nunca sai do lugar para se mexer ou se exercitar. Odeia qualquer tipo de esporte senão um belo basquete; o amor de Ethan pelo basquete é quase tão grande quanto o amor dele por ficar fazendo nada, parado, tranquilo, e é a única coisa que faz para se mexer de vez em quando.

➪ Gostos/Desgostos:
Gostos:
Gosta muito da série de jogos do Pokémon, e sempre que tem a oportunidade de jogar em seu celular, ele joga;
Jogar basquete;
Atuar, participa do clube de teatro da escola assim que soube da existência dele;
Séries, especialmente Doctor Who;
A banda One Direction;
Refrigerante;
O animal que mais gosta é o gato;
Dançar, Ethan ama dançar;
Seu irmão, Pietro — embora ele não goste tanto de Ethan;
Sua cor preferida é azul.

Desgostos:
Não gosta de filmes de terror;
Não gosta de chocolate;
Tem certo problema com comer carne;
Ficar sozinho sem ninguém conhecido;
Perder suas coisas;
Detesta amarelo;
Não usa, de jeito nenhum, tênis de cano alto, acha ridículo;
Que mexam em seu cabelo (1);
Que o empurrem (2).

(1) e (2): Caso sejam pessoas conhecidas, podem fazer isso livremente que Ethan não se importa, até acha engraçado/gosta, desde que seja de brincadeira. Caso um estranho faça isso, ele pode, desde ficar com receio de chegar perto da pessoa de novo até se afastar, completamente bravo.

➪ Medos e manias:
Medos:
Ethan tem medo de aranhas, muito medo mesmo;
Morre de medo de escadas em espiral, não sabe bem explicar esse medo.

Manias:
Roer as unhas, tenta se policiar, mas quando vê, ele já roeu;
Lamber os lábios quando está pensando ou refletindo;
Estalar os dedos.

➪ Música tema do seu personagem?
Ocean Eyes — Billie Ellish

"No fair
You really know how to make me cry
When you gimme those ocean eyes
No fair
You really know how to make me cry
When you gimme those ocean eyes
Those oceans eyes

[...]
I've been walking through
A world gone blind
Can't stop thinking of your diamond mind"

[...]


➪Segredo:
MP

➪ Acha que seu personagem poderia ser a pessoa por trás de tudo?
Ethan não teria coragem para fazer tal coisa, ainda mais porque é um novato no colégio, e não tem ideia do que está acontecendo.

➪ O que seu personagem acha sobre a pessoa por trás das mensagens?
Uma pessoa má, definitivamente. Tem medo do que ela pode fazer, e tem mais medo ainda se prejudicar seu irmão.

➪ Você tem consciência que agora seu personagem me pertence e eu poderei fazer o que quiser com ele?
Sim

➪Favoritou a fanfic?
Favoritei

➪ Algo a mais?
Não


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...