~Alphaca

Alphaca
C o o l a s f r i c k
Nome: Me Lambe 나를 핥아 2.0
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Duque de Caxias, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 7 de Dezembro
Idade: 16
Cadastro:

⋗ [ Goodbye, Blue Sky ] ─ Os gêmeos não idênticos.


Postado



ɴᴏᴍᴇ ᴄᴏᴍᴘʟᴇᴛᴏ
Sam Schratter

ᴀᴘᴇʟɪᴅᴏ
Golden ─ Este fora um apelidado dado pela própria irmã, por causa de seus pelos ( além do cabelo ruivo ).

ᴅᴏɴᴏ ᴅᴀ ᴀᴘᴀʀᴇɴᴄɪᴀ
Race Imboden

ɪᴅᴀᴅᴇ
Vinte e sete anos de idade.

ᴀᴘᴀʀᴇɴᴄɪᴀ ʜᴜᴍᴀɴᴀ


Um ruivo natural nos lisos fios de cabelo ( e sobrancelhas ) em um topete com os lados raspados, dono de íris com tonalidade verde de tamanho médio, com a face arredondada um pouco magra por culpa da sua falta de bochechas, orelhas pontiagudas e de tamanho mediano, lábios carnudos de tom rosa. Com essas definições é possível notar como seu rosto é bem desenhado, sua pele clara entra em contraste com a da irmã, sua altura é cerca de 1,76cm com o peso na medida, afinal mantém-se em boa forma para qualquer ocasião. Embora tenha um peso adequado para a altura, o mesmo aparenta ser esguio com uma postura ereta, porém seu corpo é bastante definido na região abdominal e suas coxas torneadas.

ᴀᴘᴀʀᴇɴᴄɪᴀ ᴇɴϙᴜᴀɴᴛᴏ ʟᴏʙᴏ


Seu tamanho muda quando está transformado sendo obviamente maior que a humana ( suas garras e cauda também sofre alteração de tamanho, se tornando maiores e a garra claramente mais afiada ). Sua pelagem é clara, podendo se dizer que seja um bege com as pontas meio escuras distribuídas por todo o corpo de lobisomem. Digamos que seus olhos permanece da mesma coloração, no caso, verde ( obs: na imagem não está verde, mas infelizmente não consegui achar como queria ), sendo assim reconhecido por eles. Sua mandíbula larga lhe dá uma pequena vantagem de mordidas ao longo alcance, claro que não é muito, só uns centímetros a mais. Focinho mediano na mesma medida de suas orelhas.

ᴀʟɢᴜᴍᴀ ᴄɪᴄᴀᴛʀɪᴢ ᴇ/ᴏᴜ ᴍᴀʀᴄᴀ ϙᴜᴇ sᴇ ᴅᴇsᴛᴀᴄᴀ ɴᴏ ᴄᴏʀᴘᴏ ᴅᴏ ᴘᴇʀsᴏɴᴀɢᴇᴍ﹖
Há certas cicatrizes de lutas ao qual já teve ao longo do tempo, uma específica e visível fica abaixo do olho esquerdo como um corte profundo de uma faca, porém não é grande, o tamanho é pequeno, mas é facilmente notável. O resto delas ficam por seu corpo, como as costas e abdômen, além do seu antebraço. Não são cicatrizes grandes, são de medianas a pequenas, quase não visíveis, apenas se olhar perto.

ᴘᴇʀsᴏɴᴀʟɪᴅᴀᴅᴇ
Reconhecido por um sorriso clássico moldado nos lábios, tal sorriso de diversão como se fosse a plateia em um show de comédia, levemente sarcástico com uma pitada de deboche. Esses são os seus ingredientes iniciais e sua fórmula X com certeza seriam suas piadinhas sem graça, ou talvez apenas seu mau humor diário ou quem sabe só o modo de lidar com a maioria das situações onde está presente. Sam é o típico cara desleixado, o malandro que chega para tocar o terror e depois sai deixando seus vestígios por pura diversão, afinal o mesmo pouco se importa em ser discreto e andar em modo stealth só para não ser pego, ele simplesmente põe o carão sem medo e digamos que o mesmo age sem pensar duas vezes, simplesmente faz do próprio jeito e estilo que Deus lhe deu. Normalmente não é bom em seguir ordens que não venham de si, ajudando a complicar a situação da sua irresponsabilidade. Não é nenhuma grande surpresa que o mesmo não seja responsável nem com a própria vida, pois é conhecido por não dar a mínima para nada ao seu redor, sinceramente nada foi capaz de mexer com seus interesses pessoais e por isso busca o êxtase da vida, é igual aquele ditado, vivendo no limite, conhecem? E por esse pensamento recebe boas puxadas de orelhas da irmã e outros bons tapas na nuca para aprender virar “gente” e deixar de ser um moleque suicida.
Agora vamos falar do seu humor, pois certeza que é a marca de seu ego absurdo. Sam é um mau humorado, sim, como se todos os dias acordasse com o pé esquerdo e a caquinha de pombo caísse sobre sua cabeça, capaz de cair na porrada com qualquer um por motivos banais, porém há dias onde seu humor está virado para… A zoeira! Em outras palavras às brincadeiras. Pois é, quem o conhece a pouco tempo tende a sofrer mais em suas mãos, como o primeiro alvo de suas piadas, de suas pegadinhas, de suas tiradas de mau gosto, quem provavelmente o conhece a mais tempo está acostumado a lidar com suas babaquices e só puxa o tapete para o mesmo cair de bunda e ir perturbar outro. É aquilo novamente, nunca alimente um troll.
Outro ponto crucial ─ dessa vez bom ─ é seu instinto protetor, crer que isso seja por ter uma irmã, não mais nova, não indefesa, mas no seu ver ela é simplesmente a menina mais adorável do mundo e tem que ser protegida; assim nascendo esse impulso de proteger qualquer um próximo, não importa quem ou o'quê só deve proteger e ponto final. Sam dá tudo de si quando algo “seu” está em jogo, parecendo até um cara possessivo, apesar de ser um pouco sim pois claramente seu ego sempre falará mais alto. Enfim, ele simplesmente se arrisca por qualquer coisa mínima aos olhos alheios mas para si no fundo há sempre grande valor, isso é o que se destaca em sua personalidade; a importância que dá a pouca coisa. É até incrível vindo de uma pessoa como ele, mas tudo costuma nos surpreender, certo?
“Falo umas potaria mas falo a verdade” ─ É uma das frases que também consegue o definir a maior parte do tempo. Digamos que é natural para ele soltar uma enxurrada de bobagens em qualquer um, além de ser provocativo apelando para suas qualidades ( ao qual tem consciência de todas elas ), até mesmo quando é vítima não esconde o sorriso depravado e pega pesado. Sua mente não é limpa e não importa o quanto tente purifica-lo nunca será o suficiente para acabar com suas segundas intenções.
Não é uma flor que se cheire, Sam é aquele cara que você deve pensar muito antes de confiar algo nas mãos dele, pois ele nunca irá escutar, afinal ele vai estar viajando na própria mente ignorando o mundo ao redor e apenas focando em si mesmo, em um palco com os holofotes somente nele e a vibração dos aplausos e assobios; Sam! Sam! Isso mesmo, é o que ele gosta de ouvir, vai estar pensando exatamente nisso, em ganhar créditos no lugar de quem realmente merece. Mas se não ganhar, pouco o importa também, ele sabe que é melhor que todos, menos da sua irmã é claro, talvez ela seja o único ser vivo ao qual tem sentimentos e idólatra.


ʜɪsᴛᴏʀɪᴀ
Nascido de uma família de mestiços, Sam e Fawn, um casal de gêmeos não idênticos eram o maior segredo de uma mulher que cometeu um erro, embora seja o erro mais certo ao qual pode aproveitar em sua juventude. O medo de descobrirem quem era o verdadeiro pai das crianças corroía seu estômago a cada hora do dia, o medo de tirarem ambas as crias de si lhe causava dores de cabeça, porém estava lá, dando tudo de si para criar-las da melhor maneira possível e pode se dizer que o esforço da mesma valeu a pena.
Sam teve poucos momentos junto da progenitora, afinal herdou o sangue de lobisomem do pai, sendo assim passava mais tempo ao lado dele. Mas essa distância não conseguiu afetar o relacionamentos da família, eles se viam, todos os dias, embora ficassem poucos tempos juntos por culpa da insegurança, porém não era uma desculpa muito boa para se afastarem totalmente, a saudade sempre está presente de qualquer maneira. E eram momentos ao qual Sam se lembra até os dias de hoje, desde o almoço até o fim da tarde de sorrisos bobos e conversas jogadas fora, momentos de afetos calorosos, abraços e beijos, assim de forma simples. Aproveitava cada pequeno minuto daquela maravilha, que infelizmente não existe mais, simplesmente não é a mesma coisa de antes.
Enfim, houve um tempo onde tudo se desmoronou e deixou de ser belo como antes. A morte do pai e a falsa morte de Sam foram os motivos. O homem morreu ao tentar poupar a vida do filho que por um momento fora em vão, já que os humanos presentes não demonstraram ter algum tipo de piedade em suas expressões, assim vindo a “falsa morte”. Digamos que Sam conseguiu escapar no último momento, correu até não restar mais ar em seus pulmões e se escondeu em uma floresta qualquer perto da localidade, não saindo de lá até sentir seguro novamente para conseguir andar para casa.
O que fora passado para a mulher e Fawn era uma plena mentira, elas acabaram por mentir da mesma maneira para protegerem-se, porém de uma maneira que seus corações se apertavam com cada palavra não verdadeira que saiam de seus lábios. Contaram que foram perseguidas pelos lobos e tentaram se esconder, apenas receberam um “tomem mais cuidado” como resposta.
Sam estava sozinho, perdido e com fome. Não sabia mais por onde pisava, sua noção encontrava-se péssima, mas por sorte sua fora achado e não por humanos, sim por uma família também de lobos que cuidaram dele e ensinaram o necessário para sobreviver naquele mundo. E dessa forma cresceu, no meio de sua verdadeira espécie, seu desejo de voltar para casa ainda estava lá dentro do coração, martelando perguntas sobre duas pessoas importantes para si, preocupava-se em saber se estavam bem e principalmente ainda vivas.
Pode realizar esse desejo já tarde, beirando seus vinte e três anos, recebendo a notícia que a progenitora já não estava mais entre eles e a única coisa que restou da família foram eles dois, os gêmeos. Assim fizeram uma promessa ao qual baseava-se em proteger um ao outro, não importa o que aconteça, o fim deles não era ali.


ᴠᴇɪᴏ ᴅᴇ ᴜᴍᴀ ғᴀᴍɪ́ʟɪᴀ ʟᴏʙᴏ ᴏᴜ ғᴏɪ ɢᴇɴᴇᴛɪᴄᴀᴍᴇɴᴛᴇ ᴀʟᴛᴇʀᴀᴅᴏ﹖
Sua família é um tanto quanto complicada e misturada. Veio de uma família “lobo”, no caso, a progenitora apaixonou-se por um lobisomem mantendo o relacionamento com o homem às escondidas, sendo assim um dos gêmeos conseguiu manter o sangue do mesmo, nascendo como um deles.

[2] ᴀs ᴅᴜᴀs ᴘʀᴏ́xɪᴍᴀs ᴘᴇʀɢᴜɴᴛᴀs ᴇ́ ᴘᴀʀᴀ ϙᴜᴇᴍ ɴᴀsᴄᴇᴜ ʟᴏʙᴏ
Levando em consideração que aqueles que foram mordidos antes eram humanos, o que o faz pensar que são confiáveis?
─ Sam não é muito cauteloso, então só iria desconfiar de um deles caso os vissem fazendo alguma merda por ai, ao contrário agiria normalmente, afinal o mesmo já não é de total confiança.

Se dependesse exclusivamente do seu personagem, o que faria à respeito daqueles que são lobos graças a mordida?
─ Absolutamente nada.

ᴀsᴘᴇᴄᴛᴏs ϙᴜᴇ ᴏ ᴅɪsᴛɪɴɢᴜᴇ ᴅᴏs ᴅᴇᴍᴀɪs
Talvez seja seu modo de humor conhecido, o uso exagerado do sarcasmo além do sorriso debochado. Suas brincadeiras ( as vezes pervertidas ) frequentes e o assunto que mais adora; sua irmã, não vai ser difícil vê-lo elogiar a irmã ou falar qualquer coisa boa dela.

ᴏʙᴊᴇᴛɪᴠᴏs
Seu principal objetivo é viver novamente junto à irmã, cuidando dela como fez por um curto período quando eram mais novos. Os outros são apenas bobagens da sua cabeça, como dominar o mundo com um galho seco de uma árvore aleatória liderando um exército de empregados que obedeciam somente suas ordens enquanto toma vinho em uma taça de ouro. É, até que tomar o lugar do Rei fora um dos seus objetivos por um tempo, na real Sam apenas quer se tornar o cara mais amedrontador da região, além de difícil de ser derrubado com facilidade, treinando bastante suas habilidades.
Também há aquele desejo de viver em paz, sem nenhuma preocupação no coração, se sentir livre para correr transformado ou não, no fundo esse seria seu mundo perfeito.


ᴏ ϙᴜᴇ ᴍᴀɪs ᴅᴇsᴘʀᴇᴢᴀ ϙᴜᴀɴᴅᴏ sᴇ ᴛʀᴀᴛᴀ ᴅᴏs ʜᴜᴍᴀɴᴏs﹖
Sam não os despreza muito menos odeia todos eles, afinal sua irmã é humana, sabe muito bem separar os podres da sociedade e o que mais odeia neles com certeza seria a ignorância.

ᴅᴇғᴇɪᴛᴏs
Irresponsável, nunca confie algo de valor em suas mãos, as vezes elas somem misteriosamente e com a sua memória de peixinho com certeza não irá saber onde deixou. Não que seja mão leve, não vê necessidades em pegar algo que não é seu, afinal ele não precisa. Há também seu mau humor diário fazendo com que qualquer coisinha estúpida o tire do sério, não importa o quão pequena seja, suas reclamações com certeza chegará ao ouvido de alguém.
Não é nem um pouco cuidadoso, além de ser impulsivo em seus atos, não conseguindo manter-se sério em determinadas situações onde não vê motivos para se passar por algum espião. É poucas as vezes que nota o quanto é importante ele se manter escondido e já levou bastante esporro da irmã por causa dessas suas vaciladas.
Também tem suas brincadeiras sem limites, elas variam de boas a ruins com a intenção de ofender e humilhar os outros na frente de todos, é uma atitude infantil, Fawn tanta melhora-lo nesse aspecto.


ϙᴜᴀʟɪᴅᴀᴅᴇs
Embora seja um estressadinho sabe mudar o clima ruim quando é necessário, afinal o mesmo não gosta de estar na bad a todo o momento, então isso é bom até.
Super-protetor. O.k, talvez não seja lá uma qualidade muito grande, mas se quer um escudo “humano” ao lado Sam é uma boa opção para tal, é só saber conquista-lo e terá quem lhe proteger nas horas mais precisas.
É aquele típico camarada dos grupinhos, ele sempre vai ajudar, mas é aquilo, o mínimo.
Com muita facilidade consegue criar laços de amizades, porém poucos conseguem entender suas verdadeiras intenções nessas amizades. Ao mesmo tempo que ele pode ser seu melhor amigo também pode ser seu pior inimigo, sempre está esperando que alguém pise em seu calo para abusar de toda sua raiva interior de forma brutal. A única qualidade nisso é… hm, talvez não há nenhuma qualidade nisso, apenas que qualquer um consegue ser amigo dele e caso não vacile conseguirá facilmente a aproximação dele.


ʜᴀʙɪʟɪᴅᴀᴅᴇs
Tem o leve conhecimento do combate, afinal teve que aprender para sobreviver e proteger quem ama. Não é tão bom em estratégias, porém seu reflexo e agilidade compensam.
Por incrível que pareça Sam sabe cozinhar. E por quê incrível que pareça? Primeiramente ele é preguiçoso, segundo… ele é preguiçoso, então mesmo que adore comida, é incrível como também pode cozinhar bem.
Não sei se pode ser considerado uma habilidade, mas Sam sabe como enganar alguém. Por exemplo, se caso dependesse de uma certa intimidade para conseguir o que quer, ele iria fingir uma falsa amizade com o indivíduo só para no fim desmentir e apunhalar pelas costas, saindo por cima. O mesmo tem uma boa lábia, então é difícil saber as horas que ele está apenas mentindo ou dizendo a verdade.


Iɪɴᴛᴇʀᴇssᴇs ᴇ/ᴏᴜ ɢᴏsᴛᴏs
O1 ─ O mesmo ama comida mais do que ama a própria vida. É algo indescritível, seu estômago é um buraco sem fundo, capaz de comer qualquer coisa por pura diversão ( e com isso, sabe exatamente onde quero chegar ).
O2Aprecia uma boa música e vez ou outra acaba assobiando no ritmo, ou dançando alegremente em uma festinha qualquer. Normalmente é ele quem inicia tais situações “alegres”
O3Como dito, não é alguém de muitas amizades, porém gosta de ter um número de pessoas ao lado para jogar ideia fora e perturbar tal ser. Então ele gosta de se socializar com os demais.
O4Passar o tempo com a irmã é libertador, como se sentisse todo um peso sair de suas costas, é um dos momentos mais importantes e favorito dos dias, mesmo que seja um perigo se verem.
O5Enfim, seus gostos são bem variados, sempre estará testando coisas novas caso nunca tivessem as vistos, eles podem mudar conforme seu humor. É como se ao mesmo tempo gostasse de tudo, mas odiasse todas essas coisas também.

ᴅᴇsɪɴᴛᴇʀᴇssᴇs/ᴅᴇsɢᴏsᴛᴏs
O1A primeira coisa que odeia e deseja eliminar do mundo são aquelas pessoas ignorantes. Sério, seu ódio por elas é absurdo, Sam é até irreconhecível ao discutir com uma, apelando para toda sua brutalidade.
O2Não é tão fã de armas seja ela qual for, se quer intimidar alguém, faça uma cara de mal e está tudo resolvido.
O3Ler também não é lá uma das suas coisas favoritas, mas acaba escutando sempre o que a irmã tem a dizer dos livros que ela lê.
O4Odeia receber comando de alguém, embora siga sempre o que Fawn diz, mas ela é uma exceção. Como já dito, segue o que está correto em sua mente e assim vai.
O5Não aceita muito bem quando pessoas desconhecidas dão uma de íntimas suas, por medo ou por outro motivo estúpido qualquer, não as suporta e tenta assustá-la para longe de si.
O6Dividir, exatamente, o que é seu é seu e ponto final.

sᴇxᴜᴀʟɪᴅᴀᴅᴇ
Panssexual.

ᴜᴍ ᴍᴇᴅᴏ ϙᴜᴇ ᴏ ᴘᴇʀsᴇɢᴜᴇ
Seu único medo é ser incapaz de salvar/proteger a irmã, deixá-la morrer nas mãos de alguém, não perdoaria a si mesmo.

ᴀᴏ ɪɴᴠᴇ́s ᴅᴇ ʀᴇᴄᴜᴀʀ, ʀᴇsᴏʟᴠᴇᴜ ᴘᴀʀᴛɪᴄɪᴘᴀʀ ᴅᴀ ɢᴜᴇʀʀᴀ ᴀᴛᴜᴀʟ. Pᴏʀ ϙᴜᴀʟ ᴍᴏᴛɪᴠᴏ﹖
Obviamente para proteger a irmã de qualquer um que vá contra ela, seja humano ou lobisomem, se ela está envolvida nisso também com certeza fará de tudo para não ocorrer nenhuma tragédia com a mesma.

ᴇᴍ ᴍᴏᴍᴇɴᴛᴏ ᴅᴇ ᴘᴇʀɪɢᴏ, ᴏ ϙᴜᴇ ғᴀᴢ﹖
Se ver alguma oportunidade; corre. Se não ver; corre também. Mesmo sendo visto como um quase suicida, ele é apenas assim por quem ama de verdade, resto é só um cão covarde que sai com o rabo entre as pernas.

ʟᴇᴜ ᴀs ʀᴇɢʀᴀs, ᴀs ᴀᴄᴇɪᴛᴀ ᴇ ɪʀᴀ́ sᴇɢᴜɪ﹣ʟᴀs﹖
Yeah.




ɴᴏᴍᴇ ᴄᴏᴍᴘʟᴇᴛᴏ
Fawn Schratter

ᴅᴏɴᴏ ᴅᴀ ᴀᴘᴀʀᴇɴᴄɪᴀ
Amandla Stenberg

ɪᴅᴀᴅᴇ
Vinte e sete anos de idade.

ᴅᴇsᴄʀɪçᴀᴏ ᴅᴇ ᴀᴘᴀʀᴇɴᴄɪᴀ


Fawn puxou mais a aparência do progenitor, sua pele escura entra em contraste com a de Sam que é mais clara. Seu cabelo em um estilo black-power, preenchido por fios cacheados e macios, abordando a cor castanho escuro, porém é facilmente confundido com preto. Seu rosto como de Sam é muito bem desenhado e detalhado, ao sorrir seu rosto contorce deixando sua expressão mais bonita, por isso seu irmão sempre diz que, mesmo sendo raro, é uma das coisas mais belas que ele consegue presenciar. Sua altura é de 1,65cm com o peso adequado. Por usar roupas pesadas seu corpo dificilmente é confundido com um mais magro, igual ao irmão. Seios pequenos e uma cinturinha quase invejável, embora seu corpo não entre nos padrões, mas isso é o de menos.

ᴀʟɢᴏ ᴇᴍ sᴇᴜ ᴄᴏʀᴘᴏ ϙᴜᴇ sᴇ ᴅᴇsᴛᴀϙᴜᴇ﹖
Não.

ᴘᴇʀsᴏɴᴀʟɪᴅᴀᴅᴇ
É mais conhecida pelo seu rosto sem expressões, muito embora esboce um sorriso pequeno em momentos que se identifica ou simplesmente a fazem sentir-se mais leve e bem. Normalmente acontece quando seu irmão está presente, ela de vez em quando acaba soltando risadas de suas brincadeiras sem graça nenhuma ( por isso acha graça ) e pelos seus sonhos bobos. Outro ponto de seu ego: realista. Ela sempre está estourando todos os balãozinhos sonhadores de Sam e de qualquer outro ser humano próximo de si, não faz por mal, é quase que automático soando até de maneira grossa, porém no fundo sua intenção não é ferir ninguém.
Dificilmente consegue aproximar-se dela com facilidade, é como se tivesse algum tipo de escudo contra desconhecidos, sem permitir que os mesmos a conheça de verdade e nem que ela conheça o outro também. Pode ser até um problema, mas ela acha o contrário. Fawn é de trabalhar debaixo dos panos sem que ninguém saiba sobre seus planos. Planeja silenciosamente seus passos além de observar tudo ao redor, é mais fácil a mesma saber todos os seus segredos do que você saber algo dela. Ela é uma boa atriz, sabendo ─ como o irmão ─ fingir nas horas ao qual achar necessário para se proteger de dizer ou fazer com que os outros suspeitam de si. Então saber o que ela faz da vida é uma tarefa difícil, afinal ela está sempre tentando dar a volta por cima das situações, voltando ao topo.
Como uma carinhosa e amável mãe ela sempre está tomando conta de seus filhotes, no caso de Fawn ela sempre está cuidando dos seus amigos como se saíssem de seu ventre, preocupando-se, puxando orelha e dando conselhos, somente isso a satisfaz e não é preciso nada em troca. Seu único problema é a falta de expressar sentimentos, pois a mesma é como uma bolha, ao estourar todos os sentimentos sejam ruins ou bons se espalharam e tudo ficará bagunçado e confuso, logo sua organização dos mesmos é falha. Ela controla-os o possível, como se tentasse fechar uma mala cheia sentando em cima dela e forçando o zíper, exatamente dessa maneira que a mesma tem total controle sobre eles, claramente é um alívio quando acalma o alvoroço dentro do peito. Fawn é responsável e independente, consegue resolver seus próprios problemas sem precisar da ajuda de alguém, por isso é quieta quando se trata da mesma, como se os problemas da mesma não importasse de verdade, ela coloca os outros acima de si, os ajuda quando é necessário, porém quando se trata dela ela sai de fininho para fugir de perguntas e explicações. Tem certo ódio disso, perguntas, normalmente quase não responde a maioria das perguntas que é feita à ela e se fazendo de idiota faz outra pergunta, como se fosse uma menina bobinha que não pensa nada além de cavalos e coisas bonitinhas com um sorriso inocente nos lábios. Sendo que na real é mais do que isso. Fawn tem seus momentos bobos, porém só os mostra quando está junto ao seu irmão, que também é algo automático, em outros casos é forçado.
É uma mulher calculista, procura de vez em quando o melhor para ela, mas não chega a deixar isso exposto facilmente, seus interesses são guardados em uma caixa dentro da mente, pois eles não vem do coração. Corre atrás dessas conquistas apenas para sentir-se superficialmente bem com aquilo, seria como o irmão, mas no caso dele o mesmo não dá a mínima para as conquista e desiste facilmente, Fawn já lida de maneira diferente, indo até o fim onde ela se meteu mesmo que tudo dê errado, ela assume essa culpa para si mesma, embora não retire o sorriso de deboche dos lábios nessas situações.
Fawn é o contra de Sam, porém os mesmos se dão bem de qualquer forma, afinal a promessa ainda está valendo. Mas mesmo sendo o contra, há certas coisas onde ambas as personalidades batem. Ela não tem um lado humorístico como ele ou facilmente joga sorrisos e olhares depravados para os outros, mas ela consegue ter o mesmo instinto protetor que o mesmo. Não de proteger qualquer coisa fofa, pequena, indefesa e afins, mas sim de salvar alguém importante em situações perigosas, ela dá seu jeito, arrisca a vida para deixar com que a outra continue respirando. E dessa maneira ambos se protegem.


ʜɪsᴛᴏʀɪᴀ
[ . . . ]
Fawn teve bastante tempo ao lado da progenitora, afinal herdou o sangue humano da mãe, sendo assim passava mais tempo ao lado dela. O relacionamento da família era forte mesmo que seja à distância, eles não deixavam de se ver e Fawn não deixava de sempre perguntar e se preocupar com seu irmão. Mesmo pequena já enxergava o mundo com outros olhos, de maneira mais realística e sua mãe insistia em por em sua cabeça fantasias, mesmo que seja apenas para ver o bico em seus lábios e sua resposta contrária. De qualquer forma o clima nunca ficava ruim entre eles, era algo raramente visto, normalmente só causado em situações tensas onde suas cabeças estejam em risco. Mesmo com as explicações distorcidas da mãe do que realmente acontecia, Fawn conseguia entender no que eles estavam metidos, porém a mesma não conseguia conter sua curiosidade ou seus impulsos involuntários para seguir o pai junto ao irmão, em uma área mais afastada do vilarejo. Já levara várias broncas por tais atos, mas ela não se arrependia em passar mais tempo com eles, mesmo sendo perigoso. Enquanto a mulher fazia trabalhos domésticos e trabalhava nas casas vizinhas, dedicava seu tempo em livros e alguns trabalhos, além da área artística. Mas sua verdadeira vontade era se especializar em medicina, afinal quando tinha oportunidades se voluntariava a ajudar ao lado dos enfermeiros. Não sabe de onde esse desejo surgiu, simplesmente cresceu ao começar a ler sobre tal. Enfim, tudo era bastante calmo antes do incidente acontecer e separá-los à força, no momento eles estavam em algo como um “passeio” matinal, agindo normalmente como uma família tradicional, mas logo notaram algo estranho acontecer a alguns metros de onde se encontravam, rapidamente desistiram do passeio e fizeram a volta para casa que resultou em um susto. Humanos, no caso, caçadores, apareceram pelos arredores assustando a família e a única coisa que Fawn lembra desse momento é correr ao lado da mãe e ouvir seu progenitor dizer; “não olhe para trás”, ela teimosa não obedeceu esse pedido e enquanto corria olhou para trás. Não fora agradável para seus olhos, é claro. Uma raiva misturada com tristeza preencheu seu peito naquele momento, ela apenas sabia focar-se em seus pés até chegar em um local considerado seguro para as duas. Elas mantiveram-se em silêncio por um longo tempo, na verdade sua mãe estava quase em prantos ao seu lado e apenas numa tentativa fútil de consolá-la abraçou-a forte, não dizendo nada naquela hora.
A partir desse dia a vida de ambas mudaram, Fawn cresceu envolta daquele sentimento de falta, como se faltasse uma peça a se encaixar no quebra-cabeça e provavelmente sua mãe sentia o mesmo, porém ela piorava a cada dia diferente da garota. Sua mãe estava doente e Fawn cuidava dela da melhor maneira que lhe era permitido, alimentando suas esperanças, mesmo que fosse algo inútil pois ela tinha perdido toda a essência de antes e seus sorrisos, antes felizes, foram substituídos por um bem fraco, sofrido e forçado. Seus dias estavam praticamente contados e a mesma tinha consciência disso, por isso se despediu o quanto antes. Fawn não derramou nenhuma lágrima, afinal fez uma promessa, tinha que cumprir sua palavra.
Então a garotinha de antes agora estava sozinha, mas não permaneceu da mesma forma por muito tempo, logo descobrirá que seu irmão estava vivo quando o mesmo assumiu a missão de lhe encontrar, infelizmente o mesmo havia chegado tarde demais, ele não conseguiu dizer adeus. Fawn realmente não acredita em espíritos ou forças superiores, mas crer que seus pais sempre estarão presentes na vida de ambos de alguma forma, é inexplicável.
Logo, mais uma promessa.
Fawn iria cumprir sua palavra até o fim, como fizera antes.
Desta vez, dará o melhor de si, mesmo que doa-lhe a vida.


ᴀsᴘᴇᴄᴛᴏs ϙᴜᴇ ᴏ ᴅɪsᴛɪɴɢᴜᴇ ᴅᴏs ᴅᴇᴍᴀɪs
Trata com seriedade qualquer assunto ( diferente de seu irmão que facilmente leva tudo na esportiva, porém ela consegue aguentá-lo ). Falta de expressões além da dificuldade de demonstrar sentimentos. Fawn também é de poucas palavras dizendo apenas o que é necessário em uma conversa ( a mesma é bem objetiva ).

ᴏʙᴊᴇᴛɪᴠᴏs
Seu único objetivo é o mesmo de Sam, estar novamente junto dele como os velhos tempos quando eram pequenos, sem toda essa rivalidade entre humanos e lobos, ela apenas quer viver em paz como antes.

ᴅᴇғᴇɪᴛᴏs
CalculistaÉ um lado egoísta seu, de pensar em seus próprios interesses e fazer com que realizem mesmo tendo que passar em cima de alguém, trabalhando bastante para sair como a mocinha da história.
Dificuldade de expressar-seFawn não sabe dizer exatamente como se sente por dentro, embora seja bastante objetiva, muda quando o assunto é “ela”
PossessivaEsse é um defeito que só aparece com seu irmão, afinal trata o mesmo como se fosse mãe dele, o que o faz se irritar alguma vezes, mas ele acaba levando na brincadeira como sempre.

ϙᴜᴀʟɪᴅᴀᴅᴇs
CarinhosaUm lado ao qual demonstra poucas vezes e é visto quando tem bastante afinidade com a mesma, ela é como uma mãe, ela dá carinho e cuida dos outros sem preocupar-se em receber algo em troca disso. Faz por gostar.
ResponsávelDiferente de Sam, sabe cuidar muito bem da própria vida, por isso em todos esses anos viveu sozinha sem depender de alguém, sabe manter-se organizada além de assumir liderança em assuntos ao qual tem conhecimento.
RealistaComo dito, Fawn está sempre acabando com todos os sonhos impossíveis ou possíveis ( com alguns contras ) de Sam, mas não acontece apenas com ele, normalmente com as pessoas ao redor, acabar com a festinha sonhadora do pessoal é quase automático, não faz por mal.
CalmaOutro ponto diferente em si é a tamanha tranquilidade ao qual expressa em meio a áurea séria, suas palavras são ditas com suavidade, de vez em quando rudes, porém ainda sim são bastante calmas.

ʜᴀʙɪʟɪᴅᴀᴅᴇs
Sua única habilidade é criar remédios caseiros feito à partir de plantas ( onde tem bastante conhecimento ) e acessórios facilmente encontrados dentro de um lar. Mas como lê bastante tem a tendência de aprender muito mais do que somente isso, além de utilizar seu conhecimento para coisas futuras.

Iɪɴᴛᴇʀᴇssᴇs ᴇ/ᴏᴜ ɢᴏsᴛᴏs
O1Fawn gosta de sentir o ar fresco do dia, das plantas molhadas, da terra em suas mãos. Claramente a mesma ama a natureza, como se sentir-se em seu verdadeiro lugar.
O2Além da natureza, ama os animais em geral, porém seus preferidos são os répteis.
O3Caminhar durante a manhã é algo ao qual obriga-se a fazer, deixar sua mente fluir e refletir sentindo a brisa fria a faz sentir-se relaxada. Digamos que é como dar um tempo para si mesma.
O4Sempre fora adoradora de livros, qualquer um, por isso é bem informativa e dificilmente terá algo que ela não saiba fazer ou explicar para os outros.
O5Aprecia bastante a arte e quando tem um tempo livre deixa suas mãos trabalharem em uma tela branca, pintando o que está em sua mente ou simplesmente à sua frente.

sᴇxᴜᴀʟɪᴅᴀᴅᴇ
Indefinido

ᴏᴄᴜᴘᴀçᴀᴏ
Médica

ᴏɴᴅᴇ ᴠɪᴠᴇ ᴀᴛᴜᴀʟᴍᴇɴᴛᴇ﹖
A mesma vive em um vilarejo perto do reino. Antes vivia mais perto da floresta junta à família, agora como se encontra sozinha e seu trabalho ocupa boa parte de seu dia, se mudou.

ᴀᴄʀᴇᴅɪᴛᴀ ɴᴏs ᴅᴇᴜsᴇs﹖
Não, afinal nunca viu nenhum desses “deuses” fazerem algo de importante pela humanidade, é de acreditar em estatísticas, sortes e afins.

ᴜᴍ ᴍᴇᴅᴏ ϙᴜᴇ ᴏ ᴘᴇʀsᴇɢᴜᴇ
Que perca mais alguém importante na sua vida, ela está cansada de vagar pelos lados e ver todos irem embora algum dia, mesmo que não consiga expressar tal sentimento, se sente horrível ao ver a morte no olhar das pessoas.

ᴘᴏʀ ϙᴜᴇ ɪʀᴀ́ ᴘᴀʀᴛɪᴄɪᴘᴀʀ ᴅᴀ ɢᴜᴇʀʀᴀ﹖
Na real, faz parte de seu trabalho. Como a sua área é de atendimentos médicos, ela é praticamente obrigada a “participar” dessa guerra. Caso não fosse isso não iria participar de nada, afinal seu irmão teimoso está no meio dessa guerra, cuidará dele se preciso.

ᴄᴏᴍᴏ ᴏ ᴘᴇʀsᴏɴᴀɢᴇᴍ ᴘᴏᴅᴇʀᴀ́ ᴀᴊᴜᴅᴀʀ ᴅᴜʀᴀɴᴛᴇ ᴀ ɢᴜᴇʀʀᴀ﹖
Fawn tem bastante conhecimento sobre medicamentos e antibióticos caseiros, além de conseguir ser bastante criativa quanto a curativos às pressas, então sua presença é quase indispensável para a guerra.

ᴇᴍ sɪᴛᴜᴀçᴀ̃ᴏ ᴅᴇ ʀɪsᴄᴏ, ᴏ ϙᴜᴇ ᴏ ᴘᴇʀsᴏɴᴀɢᴇᴍ ғᴀʀɪᴀ﹖
Sua mente paralisaria por breves segundos antes de voltar para a realidade e aceitar a situação em sua frente. Com certeza faria o possível para reverter e sair dessa, mas caso não fosse possível apenas focaria em pensar em coisas boas.

ʟᴇᴜ ᴀs ʀᴇɢʀᴀs, ᴀs ᴀᴄᴇɪᴛᴀ ᴇ ɪʀᴀ́ sᴇɢᴜɪ﹣ʟᴀs﹖
Yup.


!!!!!!! Hey, queria dizer que, se caso as duas fichas sejam aceitas, assim durante o decorrer da fanfic a Fawn comece a pensar em ser transformada e pede ao Sam para morder-la, sendo que o mesmo nega a fazer isso. Seria algo como: "mE TRANSFORMA em loba sEU cuZAUM", tu fumou garota??????. É pois é, tipo a Bela e o Edward em crepúsculo.
Enfim, boa leitura e divirta-se lendo!!


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...