~Kaleidoscopius - Clan Fantasy

Kaleidoscopius
Sing of unicorns *^*
Nome: Catarina 💛 Herdeira de Athena 🎶 Caleidoscópio 🍀 O ser mais estranho que você vai ver nessa vida
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Fortaleza, Ceará, Brasil
Aniversário: 16 de Janeiro
Idade: 12
Cadastro:

~ Ficha - Digimon - Void Of Resonance ~


Postado

Ficha:



Nome:

Miwari Yukino (sendo Yukino o primeiro nome e Miwari o sobrenome), por sinal, ela gosta que chamem-na de Yuki.


Idade:

16 anos


Personalidade:

Yukino é uma garota que, apesar de bem carinhosa e excepcionalmente gentil, é desprovida de expressões. Pouquíssimas pessoas já a viram sorrir em toda sua vida, ou chorar, ou sequer demonstrar raiva; ela está sempre ostentando uma face serena e inclusive sonolenta. Mas não é como se ela tivesse dificuldade em se aproximar das pessoas, por vários motivos ela tem uma grande facilidade em fazer amigos, e agrade por isso, já que uma das coisas que ela mais odeia é ficar sozinha ou se sentir solitária.
Yukino não tem preconceito algum, não é vingativa e nunca sequer pensou em vingar-se de alguém, ela não tem critérios, não julga uma pessoa por nada, consegue ver em qualquer pessoa, animal ou seja-lá-o-que-for, uma qualidade adorável se sobrepondo à todos os seus defeitos. Essa sua versatilidade extrema dá aos outros uma impressão de ingenuidade e, não vou mentir, ela é MUITO ingênua: é capaz de perdoar uma pessoa mesmo que ela tentado matá-la uma vez e é facilmente enganada por mentiras alheias. Mas isso não quer dizer que ela não saiba impor respeito ou mostrar-se firme em repreender/castigar alguém, quando quer, Yukino sabe ser verdadeiramente assustadora. Yukino não suporta ver seus amigos brigando, muito menos vê-los feridos ou num estado semelhante; essas são algumas poucas sensações que podem despertar um forte emoção nela, uma emoção que ninguém gostaria de afrontar, principal quando se trata de Yukino: Raiva, Raiva pura, maciça e condensada perfeitamente na mais medonha expressão:
- olhos tão afiados e um olhar tão gélido quanto mil agulhas perfurando seu peito
- voz e falas tão firmes e tranquilas, que no fundo guardam imenso desgosto
- e o pior de tudo, sua capacidade. Nunca duvide dela nessas situações, ela capaz de tudo; eu não estou me referindo à coragem, ela literalmente é capaz de tudo. O Universo parece colaborar com ela de forma surreal.

Bem, voltando ao assunto principal...
Yukino é uma amiga leal e compreensiva, mesmo não demonstrando muito suas emoções, ela sabe perfeitamente compreender as dos outros de uma forma inigualável, é a perfeita conselheira, uma ótima ouvinte e um ombro amigo para todas as horas, por sinal, não existe ninguém mais habilidoso do que ela quando o assunto são palavras. Seja nas discussões, nas negociações ou até mesmo na hora de fazer um discurso que realmente atinja os ouvintes, ela é a melhor opção que você poderia escolher.
Nunca será a mais esperta, nem a melhor líder, mas ela certamente sabe ser um pilar essencial para o grupo. Seja para separar brigas, bancar a terapeuta, unir os membros do grupo ou tornar a atmosfera mais leve de alguma forma, ela se encarrega e tem sucesso em todas as operações assim. Claro que a personalidade suave dela não agrada a todos, mas uma hora ou outra, querendo ou não, ela iré te conquistar; irá fazer com que você queira protegê-la, com que a chame pelo seu apelido, com que você sinta-s bem ao vê-la feliz e fique verdadeiramente preocupado quando ela está em perigo e a parte disso tudo que mais dá raiva para quem não gosta de pessoas com ela, é que ela fez isso tudo sendo ela mesma, se importando com coisas que pessoas normais não se importariam, preocupando-se com você mesmo sabendo que você não vai com a cara dela, sabe, sendo a garota simplesmente adorável que ela é.

Bem, você deve lembrar que Yukiko foi dita como inexpressiva e de reações fracas e, se não lembra, agora está lembrado. Sim, ela é genuinamente assim, você tem uma chance em um milhão de vê-la sorrir, chorar, surpreender-se... bem, corar está fora de questão, a não ser que ela magicamente passa a gostar de alguém (e se ocorresse, seria extremamente fofo). Mas caso você seja um dos sortudos que terão o privilégio de ver suas expressões, vou descrevê-las:

Chorar:

Yukino nunca chorou na frente de ninguém, ou melhor, nunca confiou suficientemente em alguém para tal. a não ser que ela seja incapaz de sair correndo ou segurar o choro, você verá uma das cenas que mais dá dó de toda a eternidade, o soluços baixos, o os dentes pressionando-se para não falar e parar de chorar de uma vez e as lágrimas grossas escorrendo em grande quantidade pelo rosto contorcido e tristeza. pode parecer uma descrição extravagante, mas não é. Para alguém como Yukino, que sempre tenta ver o lado bom da situação e confortar outras pessoas, algo digno de suas lágrimas deve ser absurdamente triste para ela.

Sorrir:

tal como ela só chora em situações muito tristes, Yukino, por mais acolhedora e carinhosa que seja, priva-se a sorrir somente em situações incrivelmente felizes. Por parte dela, sorrisos são raríssimos, porém lindos e brilhantes. poderiam ser classificados como a oitava maravilha do mundo, de tão belos que são. mais uma descrição extravagante certo? bem, eu não diria isso. Algo tão raro assim precisa ter um impacto à altura, não acha?

O que eu quero dizer é, não tem como não ser marcado por essa garota, depois de conviver tempo suficiente com ela, não tem como achar seus sorriso a coisa mais linda e rara que você já viu; não tem como não ficar tenso ao vê-la em apuros; não tem como não sentir um peso no peito quando a vê estranhamente cabisbaixa; não tem como não sentir calafrios ao vê-la raivosa e não tem como não se sentir bem quando ela diz que gosta da sua companhia, que quer que você seja amigo(a) dela ou que ela não quer ter que separar de você; é simplesmente impossível não se lembrar dela, seja como uma coisa boa ou ruim.


Aparência.:











Yukino é uma garota linda, de cabelos róseos levemente ondulados e de comprimento mediano - muito macios e brilhantes por sinal. seus olhos possuem a mesma cor, mesmo que estejam frequentemente sonolentos e a cor viva não diga muita coisa sobre eles. cílios longos, sobrancelhas final, nariz pequeno, bochechas levemente coradas e lábios finos e delicados com os de uma boneca, com esse descrição, espero que dê para imaginar o quão fofa la é, mesmo sem o auxílio de qualquer maquiagem (ela não usa nada do tipo). sua pele é branca e macia, flexível como a de um bebê, livre de quaisquer imperfeições ou marcas. tem uma altura mediana de 1,67 m e o peso mínimo de 46 kg, mas são suficientes para abrigar um corpo de curvas sutis, porém inegáveis: seios medianos, cintura fina, quadril levemente alargado, coxas grossas e bumbum mediano.
Em resumo, ela é uma garota fofa.


Orientação Sexual:

pansexual

Gosta:

Doces
Climas frios
Digimons
Jogos
Escalar árvores
Basquete
Ar livre
Animais
Música


Não gosta:

Tédio
Comidas amargas
Café sem açúcar
Ficar sozinha
Fumaça
Cheiro de tinta fresca
Doces com gosto muito artificial


Familia:



Pai adotivo, Yukiyo, atualmente 48 anos; era CEO de uma empresa de videogames bem famosa ( morto ).




Sua mãe adotiva, Kurumi, 33 anos (com cara 16 :v); Desempregada (viajando pelo mundo nesse momento)




Sua avó adotiva, Nanami, 79 anos; Advogada aposentada, atualmente dona de um restaurante.


Relação com a família:

Não são uma família grande, mas de longe são muito unidas. Yukino e sua avó amam uma a outra, tanto que Yukino aprendeu a cozinhar com ela. enfim, a relação das duas é muitíssimo boa, Nnami confia em Yukino, pois sabe que mesmo sendo adolescente, ela tem a inocência de uma criança, porém a capacidade de um adulto. Nanami é provavelmente a única pessoa em que Yukino confia e ama, por enquanto.
O "sonho" de Nanami é ver sua neta feliz, sorrindo, com amigos ao seu lado.

Quanto à sua mãe, ela tem ficado BEM mais animada desde que começou suas viagens, antigamente era apenas uma mulher trabalhadora e sóbria, mas agora tem se tornado mais alegre e infantil, mesmo que permaneça madura por dentro. a relação das duas não mudou, elas se amam profundamente e é possível ver isso simplesmente pelo contato que as duas insistem em manter e conseguem, fazer dar certo. Kurumi é uma das poucas pessoas que conseguem arrancar um sorriso de Yukina e ela realmente ama ver o sorriso da filha.

Quanto ao seu pai... bem, ele está morto. Mas ela visita seu túmulo e conversa com a lápide contando as novidades em sua vida pelo menos uma vez por mês.


Historia:

Yuki não possui um passado muito trágico; não viu mortes diante de seus olhos, não sofreu abusos e nem bulling, mas certamente, passou muita por solidão até chegar onde chegou agora.
Yukino nunca soube quem foram, e nem tem memórias de seus pais biológicos, só sabe que eles "abandonaram" a menina num orfanato após seus primeiros 11 meses de vida. no orfanato em questão, Yukino mostrou-se ser uma criança muito gentil, mas estranhamente solitária. Nunca se aproximava de ninguém, vivia sempre reclusa em seu canto, era independente e fazia tudo por conta própria. Raramente conversava com algumas das crianças de lá, ficava apenas observando-as; Vendo-as rirem, brincarem, sorrirem e no final se separarem. ela gostava e envolvia-se observando seus colegas, nunca interferia diretamente, era como um livro ou filme, porém sem palavras para auxiliarem-na nem narrações dos pensamentos de cada personagem. Antes que percebesse, ela acabou dedicando-se a observar os outros, aprendeu a interpretas seus gestos, saber o que estavam pensando... fazia isso melhor do que ninguém. Com o passar do tempo as "tramas" ficaram repetitivas, os personagens e os resultados de suas ações se tornaram previsíveis e desinteressantes; era sempre a mesma coisa: eles se conheciam, se apegavam uns aos outros e no final se despediam pra sempre ou eram adotados pela mesma pessoa. Romances, comédias, tragédias, tudo ficava apenas por ali. o orfanato que ela via era muito mais do q uma mansão antiga e enorme, era uma casa de memórias que foram abandonadas, de tempos que não voltariam. Pensando nesse tipo de coisa, Yukino ficou triste pelas crianças que saíam e, principalmente, pelas que ficavam e viam seus amigos e entes queridos indo embora, isso, somado ao tédio por conta da previsibilidade das pessoas, resultou em sua inexpressividade atual. Houve um dia, porém, em que sua vida como observadora precoce teve que ser interrompida, ela enfim, aos seus 7 anos, foi adotada por um casal. Até hoje ela se lembra, eles provavelmente não se amavam, o homem era rico e tinha uma personalidade amável e a mulher era bonita e quieta, porém gentil, mas seu casamento parecia estar aos poucos recaindo desde que descobriram que ela era estéril. Yukino frequentemente seu novo pai com mulheres diferentes e, sua nova mãe nem se importava direito, vivia procurando coisas para fazer e se distrair do marido, normalmente essas distrações eram livros, por conta disso algumas das boas memórias da infância de Yukino eram daquela linda mulher lendo para ela histórias infantis com um sorriso no rosto. Mesmo com todos esses problemas, eram uma família feliz, eles se continham quando a garota estava por perto, Yukino reparou que parecia catalizar a raiva deles e, por isso, preferia sempre quando a família estava toda unida. Porém, não eram só os pais adotivos da garota que tinham problemas de alguma forma, Yukino também tinha problemas, principalmente na escola; não é que ela sofria bulling ou tirava notas baixas, ela era uma aluna bem amada pelos professores e alunos mais velhos na verdade, mesmo tendo notas levemente acima da média. Seu problema era exatamente o fato de não se destacar, e, mesmo que na época ela não achasse um problema, hoje ela se arrepende de não ter feito nada naquele tempo. Yukino era uma criança solitária, não tinha amigos ou sequer inimigos, na verdade, só de saberem seu nome ela já ficava surpresa; ela havia pego o mal hábito de observar as pessoas sem se envolver e, até hoje, ela provavelmente conhece algumas pessoas de sua escola mais do que elas mesmas. Ela acabou se interessando mais em um novo ambiente, onde tudo era menos previsível; os final eram completamente diferentes, as pessoas eram mais diversificadas e os personagens raramente pensavam da mesma forma. Era uma "trama" mais divertida de ver do que a outra e todo esse seu interesse pela vida alheia, encobriu a solidão e a necessidade de interação social que ela deveria ter sentido naquela época.

Um dia, entretanto, chegou a vez da vida dessa nossa querida Yukino sentir na pele as tragédias que tanto havia observado, no caso, a morte de um ente querido. Seu pai adotivo desde antes de adotar Yukino, tinha problemas cardíacos que não haviam mostrado-se sérios, porém estavam gradativamente ganhando certa força devido ao estresse do trabalho e às frequentes brigas de casal e... bem, chegou ao ponto em que ficou forte demais: Ele teve um infarto e morreu.
Mesmo que não parecesse amar o marido, a mãe de Yukino foi aquela que mais chorou no funeral. "quem sabe ela o masse?" pensava Yukino "bem, agora é tarde demais pra pensar nisso". Enquanto sua mãe recuperava-se do luto, era Yukino quem a confortava, porém a garota também sofria - e muito - com a morte do pai, afinal ele era umas das únicas pessoas que ela amava! ela também precisava de ajuda, precisava de conforto, precisava de um ombro amigo...

E ela nunca havia sentido tanta falta disso

Yukino sentia-se solitária, sentia-se fraca e vulnerável. não podia sequer chorar em seu quarto, com medo de sua mãe ouvir. aquilo era "Solidão" e, uma coisa ela sabia sobre tal sentimento: ela detestava aquilo.
não que ela tivesse entrado em depressão por conta disso, mas certamente se tornou mais sombria e quieta do que o normal. Se antes era difícil perceber sua presença, agora era praticamente impossível não perceber aquela criança que parecia ser capaz de escurecer até a luz do sol com sua energia.

Porém, a vida não é formada só de problemas sociais. A mãe de Yukino, que se prendia em casa devido à necessidade de cuidar da filha e da saúde do esposo, havia deixado de se importar com isso e decidiu seguir uma ambição sua, aproveitando-se da fortuna da finado. Claro que não fazia isso por boa vontade, mas ela tinha que se distrair da ausência dele com alguma coisa, por mais que brigassem, Yukino descobriu que ela realmente o amava, até demais. Enfim, a mãe de Yukino decidiu dar a volta ao mundo, passando ao menos um mês em cada país. Claro que ela não era uma mãe irresponsável, de forma alguma! Ela deixou Yukino na casa de sua avó paterna, Nanami, que parecia gostar muito da criança e da nora, mesmo que ainda não tivesse conhecido Yukino por algo além de fotos.
No fim, isso foi algo bom para ela, Yukino e a mãe mantiveram contato por toas as formas que encontraram para tal, e Nanami realmente se deu bem com ela! as duas pareciam inseparáveis. essa energia positiva afetou Yuki, que desde então tem se tornado essa garota que é hoje: uma adolescente adorável, que não deseja solidão à ninguém e ajuda sua avó a cuidar do restaurante.

(por sinal, Yukino vai herdar 60% da herança que seu pai deixou quando fizer 18 anos, e acredite, é MUITO dinheiro)


Parceiro Digimon:

Keramon



Personalidade do Parceiro:

Keramon é um Digimon travesso e alegre, vive pregando peças nas pessoas como se todo dia fosse primeiro de abril e, por mais que seja tudo na maior inocência, ela tornou-se um verdadeiro especialista em armadilhas e, por vezes, isso acaba salvando vidas. Nunca pára quieto e está sempre armando alguma, mas no fundo, é um digimon que acaba te conquistando com o tempo, tal como a dona. Keramon, mesmo que não pareça, e o contrário do que se espera de um digimon vírus, além de ser bem-humorado e otimista, ele é protetor, carinhoso, leal e genuinamente bondoso; frequentemente demonstra esse lado seu com Yukino, sempre estando disposto a protegê-la, abraçá-la e jamais iria traí-la, mesmo que lhe custasse a vida.


Linha Evolutiva:

Kuramon > Keramon > Chrysalimon > Infermon > Diaboromon > Armageddemon


Relação com o parceiro?

Keramon ama e confia plenamente em Yukino, os dois se vêem como a família um do outro, sendo Keramon alguém insubstituível para ela. Yukino não sabe o que faria se Keramon desaparecesse, e Keramon está disposto a sacrificar tudo pelo bem de sua digi-escolhida, desde de alguns prazeres banais com doces ou coisas do tipo, até a própria vida; Yukino obviamente faria o mesmo por ele, mas não gosta de imaginar que um dia seu digimon entraria em um risco tão grande assim.


Algo a mais.:

- Yukino é uma ótima cozinheira, principalmente no quesito "doces", não que ela seja ruim em outros trabalhos domésticos, na verdade, é uma perfeita dona de casa!
- Yukino sabe tocar piano e flauta, além de ser uma ótima cantora:






Espero que goste de Yukiko :3 qualquer problema é só avisar! ^^

Escutando: O som do ventilador
Lendo: Absolutamente nada
Assistindo: Nadica de nada
Jogando: Minha vida pela janela
Comendo: Ar
Bebendo: Saliva

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...