Resultado Concurso Romancistas Amadores


Postado

Eai, beleza?

Estamos aqui com o resultado do Concurso Romancistas Amadores, esse concurso não foi exatamente o que eu queria que tivesse sido. Não vou mentir que lá pela metade do mês já estava pensando seriamente sobre o motivo de ter postado.

Sinceramente? Hoje eu vi que nem mesmo a mais legal das regras dos meus concurso com a Jéh deveriam ser cumpridas sempre.

Agradeço a todos que se esforçaram para criar algo. De verdade. Independente de categoria eu adorei ver que tantas pessoas acreditaram em um projeto meu. <3

Peço desculpas, imensas, a todo mundo que me chamou para pedir explicações e/ou reclamar sobre o que aconteceu. Eu sei, um Concurso deveria servir apenas para divertir, e não para sair por ai distribuindo ódio gratuito. Desculpe, gente, eu não queria que fosse assim, mas não se pode ter tudo na vida, não é?

Eu não participei como jurada. Só para deixar claro que todas as notas foram dadas por todos os jurados que entregaram algo: Konda, Scarcely, Chihiro_, SrtKaulitz e Mhar.

Os comentários – ótimos – foram feitos pela @Scarcely.


Sasuhina : a nossa infância: 229. – @helly_mizy

A ideia, como um todo, foi boa. Mas a história ficou um pouco confusa, talvez pela mudança brusca de falas e pela narrativa que oscilou muito durante a leitura. A ideia não foi má, mas há muitos equívocos ortográficos e gramaticais pelo texto, o que dificulta um pouco a leitura do mesmo. Senti falta de acentuações em algumas palavras e algumas frases foram iniciadas em minúscula, além de que os parágrafos e os diálogos se misturaram demais. Mas, em minha opinião, a sua ideia foi criativa. O texto poderia ter sido um pouco mais trabalhado e a ideia mais lapidada, fora isso meus parabéns.

My Love Sickness: 345. – @JaineUchiha

Uma história triste, mas ao mesmo tempo amena. Um drama bom, mas que poderia ser um pouco mais aproveitado, melhor trabalhado e seguido apenas um rumo e uma linha, pois meio que ser perdeu ao decorrer da história. Também houve uma mudança muito brusca do presente pro passado, além de ter mudado a narrativa da primeira pra segunda pessoa com muita rapidez, mal dando para acompanhar. Mas a história não é ruim, ela tem um enredo inteligente e condiz com a música escolhida, personagens que marcam presença e uma narrativa até interessante. No geral é uma história inteligente, mas que poderia ter sido mais trabalhada. Meus parabéns!


Amor Invisível: 352. – @Bec

Quando vi esta eu pensei “deve ser algo fofo”, mas novamente fui surpreendida pelo enredo um tanto trágico e triste, que gerou surpresas do começo ao fim. Foi uma leitura agradável, embora os parágrafos tenham se embolado e os travessões também, senti falta de algumas acentuações e o uso da vírgula, em algumas partes, foi um pouco equivocada. Mas o enredo foi bom, criativo e muito bem usado. A narrativa é suave, mas também oscila bastante durante a leitura, o enredo poderia ter sido um pouco mais trabalhado, mas, como dito, é uma boa história. Gostei da inspiração que tirou da música e mesmo assim deixou que fosse autêntico, meus parabéns pela obra!

O Mais Escuro dos Dias: 390. – @gabrielanicka

Eu não achei a história sentimental demais. Até achei bem moderado, de uma forma bem consciente e distribuída no texto. Também não achei dramática demais, senti que estava na média certa e não se tornou cansativo, além de ser breve e não se delongar demais durante a leitura. Boa criatividade e eu gostei da forma que trabalhou uma espécie de carta para o rapaz, de uma forma cativante e comovente. Parabéns.

Encontro na sacada: 396. – @AnaDragneel

A primeira coisa que me veio na mente foi “ai, meu Deus, que fofo”. Realmente foi uma história muito fofa, de uma atratividade bem grande, pois foi uma das que mais focou no romance em si e criou uma atmosfera bem meiga e agradável pra gente ler, usou uma linguagem modesta, mas sem perder o charme. Também não deixou a música riquíssima que escolheu de lado, e até acrescentou alguns trechos que caíram bem na história. Uma narrativa inocente e muito delicada para se ler, mas que também se mostra firme e não desmorona. Só encontrei alguns deslizes na ortografia e a gramática, mas conseguiu empregar boa parte das vírgulas de forma correta, também é válido dizer que tome cuidado para não se esquecer do espaço entre a vírgula e a palavra que vem sucessiva a ela. No geral, você foi muito bem, meus parabéns!

Ocultando sentimentos: 408. – @Elanor

Um amor platônico, uma história muito fofa e condizente com a música que escolheu, que basicamente é sobre isso. Deixou tudo muito ameno, uma introdução interessante e que deu vontade de conhecer a tal história de amor que deixa anunciado no começo. Tudo muito meigo, doce, mas ao mesmo tempo com aquele toque de drama aos dilemas da protagonista, que gosta do rapaz, mas não sabe se algum dia terá coragem de se declarar ou se esconderá isso enquanto viver. Talvez a magia desta história esteja na decisão final dela, pois não foi um clichê e o esperado, afinal, ela gosta tanto dele que até prefere esconder. Escrita condizente ao bom conteúdo, apenas alguns deslizes leves, mas com uma boa estrutura e enredo criativo. Parabéns pela história.

Memórias: 409. – @Alkemya

As cores é uma música interessante, a história feita com a sua base também retém um certo interesse. Confesso que nunca tinha parado para reparar nessa música, mas o fiz para poder julgar o quesito da compatibilidade da fanfic com ela. Você usou de muita sabedoria, afinal, não perdeu a sua identidade e vida própria na hora de escrever, ficou harmônico e autêntico. A história é triste, romântica e simples ao mesmo tempo. Diversas vezes eu me identifiquei com algumas frases, acho que muitos podem se identificar também, já que saudade é algo que acomete a muitos de nós ao longo de nossa vida, rompimentos e adeus também. Há também uma sonoridade prazerosa ao ler, mas em alguns trechos você se atrapalhou um pouco com as vírgulas e acabou esticando frases que necessitavam de um ponto final. Mas, fora isso, foi uma história correta e bem idealizada, podendo ter um potencial enorme e uma originalidade abrangente, meus parabéns.

Depois da meia noite: 463. – @PetitChic

Ainda não sei bem o que dizer sobre esta. Eu gostei, tem uma boa pegada no enredo, usou as partes mais bonitas da música que escolheu e usou com sabedoria. Criativa, nova e com um romance moderado, esta história está cheia de potenciais, mas achei que o começo acabou tirando o foco do restante da história, mas ela em si é boa. Como dito, você usou partes interessantes da música, escreveu um romance mais maduro e terminou bem o que tinha começado igualmente bem. Eu, particularmente, fiquei encantada com o inicio da história e isso me conquistou bastante e me chamou muito a atenção. Alguns problemas relacionados com a crase e algumas vírgulas, mas não foi nada muito grave ou pecaminoso, portanto meus parabéns pela história!

Ainda cedo?: 494. – @Miue

É uma história triste, a música escolhida fez muito sentido no contexto, deixou mais viva e deu ritmo a leitura. Gostei de como as personagens foram tratadas de forma igual, do drama não muito exagerado e de como conseguiu dar realismo sem deixar as coisas forçadas, foi um ponto positivo. A história em si é boa, vibrante e deixa uma coisa meio que de companheirismo. Ambos tinham medo, afinal, quem não tem? Existem muitos tipos de medos espalhados por aí, logo eles também teriam os seus, mas o que mais gostei foi que a história é montada com base na música. Tornou-se uma história tão bonita quanto a música escolhida. Enfim, escrita interessante e forte, meus parabéns!

Para Sasuke: 506. – @AureaMediocrita

A história é poética, a música foi usada de uma forma muito sábia, tudo se encaixou muito bem. O jeito durão do personagem e a doçura da menina combinaram muito bem neste texto, foi algo interessante e me atraiu muito, afinal, não era um romance qualquer, um drama qualquer. Houve todo um contexto por trás dos gêneros citados, a história se dividiu de uma forma inteligente e única, formando algo gostoso de ler, apesar de longo. Senti-me satisfeita com a leitura, desde a escolha da música até o enredo criativo e vivo que você usou. Enredo bem trabalhado e uma estrutura organizada agradável de se ler, devo dizer que me senti seriamente atraída pela sua história, parabéns.

Vermelho Ardente: 515. – @erik-overgreen

Uma história bem brasileira, o que me agradou muito. Foi diferente do que estamos habituados a ver por aí, os nomes são simples e o lugar bem conhecido por aqui. Os personagens foram uma criação digna, fazendo jus a música que foi escolhida, que já podemos notar seus traços logo no começo. O romance foi introduzido uma forma meio que muito rápida, mas isso não atrapalhou muito a execução da história em si. O drama e o romance marcaram presença ali, foi interessante de ler. Com uma identidade própria, sem dúvidas, a história é boa. Parabéns!

Lembranças aleatórias: 519. – @hey

Achei que ninguém fosse usar aquela parte da música que você escolheu, sério. Quando li fiquei feliz, mas antes fiquei rebuscando no texto traços da música que havia sido escolhida e fiquei satisfeita. Usou uma frase legal, casou tudo como um todo e fez um ótimo uso do drama e do romance, mesmo que platônico. Achei que a menina fosse alguma maluca obsessiva, mas era apenas uma apaixonada sem coragem de se declarar, inclusive enquanto acompanhava a rotina do rapaz que amava com outra garota. O final foi uma dádiva, a valorização e a alto estima dela foram algo que me cativaram muito. Escrita nítida, ótimo texto, parabéns.

O meu melhor amigo é o meu amor: 520. – @JulyThereza12

A infância é algo extremamente doce. Geralmente, guardamos dela lembranças doces, memórias que jamais vamos esquecer não importa quanto tempo passe. A história não foi focada só ali, nas crianças, mas também nos adultos que derivaram daquela época nostálgica que está sendo relembrada com extrema saudade. O passado ainda volta em um agradável flashback, mas o futuro se tornou mais interessante. A história tem uma dose moderada de romance, mas eu achei extremamente fofa e delicada, parabéns pela história.

Diário de um amor perdido: 523. – @Jikwon

Essa música combinou perfeitamente com a história. Foi interessante a forma que usou para fazer uma passagem de tempo, desde o dia em que o rapaz nasceu até o seu último dia de vida. Muita coisa aconteceu nesse período de tempo, houve algumas lacunas entre os anos, mas creio que os fatos mais importantes foram mostrados para nós, leitores. Já ouvi essa música milhares de vezes antes, portanto foi fácil encontrá-la no texto, a essência dela estava lá, mas também havia a sua própria. Achei que leria um shoujo bem adocicado e que derretesse aos olhos, mas foi algo oposto. Não foi um romance exageradamente doce, mas com uma pitada de saudade, fatalidade e destino no meio, o que deixou tudo mais honrado e com uma boa estrutura para equilibrar tudo isso. Escrita leve, divertida e melancólica, dando para sentir o frescor da história. Alguns deslizes gramaticais/ortográficos, mas nada muito alarmante. No mais é isso, meus parabéns.

Ainda é cedo para se apaixonar: 537. – @youngalasca

Eu adoro histórias que abordem a insanidade da forma como você fez. A loucura não era o monstro, mas sim o lugar precário para o qual eram mandados os portadores dessa coisa tão complexa que acomete algumas pessoas. Mas, neste caso, não é bem assim. O que me atraiu muito nesta história foi a execução da mesma, de uma forma amena e leve, apesar dos acontecimentos que fazem parte dela, consegue ter uma ótima performance e cativar a leitura. Equilibrou bem os diálogos com a narração em 2.000 e poucas palavras, o que me surpreendeu bastante e me deixou satisfeita. O romance não dominou o óbvio, aconteceu calmamente e você o fez de forma inteligente e ousada, já o drama foi algo servido em porções generosas e saborosas para o leitor. Meus parabéns.

Pra Você Ficar Comigo: 539. – @liliccanela

Eu não saberia dizer por quê, mas eu me senti estranhamente atraída por esta história. Usou e abusou da música, fez um ótimo uso e criou um enredo criativo e bem humorado, embora um pouco sinistro. Toda declaração de amor é válida, mesmo aquelas capazes de meter medo de tão fortes e sombrias que possam ser. Gostei bastante da sua criatividade, as comparações e a escrita saudável e bem feita, sua criatividade também me surpreendeu muito e a história em si me divertiu bastante. Foi algo inovador e cálido, meus parabéns!

Torta de Amora: 540. – @LadyPumpkin

E quem disse que não dá para transformar um romance dramático em uma comédia? A autora provou que é sim possível e soube fazê-lo bem! Fiquei supressa quando vi que havia comédia juntamente dos demais gêneros necessários, logo fiquei curiosa e quis ver de perto como seria a combinação do título/sinopse e os gêneros. Foi uma deliciosa leitura, mostrou dois pontos paralelos, mas que se ligam de uma forma única e isso me chamou muito a atenção. A música, uma das minhas nacionais favoritas, foi bem aproveitada e teve uma ótima desenvoltura para o desenrolar da história; formando algo que condiz com o romance, faz jus ao drama, mas que não perde o bom humor e a capacidade de te fazer experimentar um misto de sensações em um só texto. Fez-me ficar maravilhada, com pena, atenta e me divertiu muito também. Uma boa história, sem dúvidas. Meus parabéns! P.S: Laranja não combina com azul, mas torta de amora combina com drama e romance.

Ainda é cedo: 552. – @MiaLua

Talvez aquele fosse o fim da linha dela no relacionamento, seus sentimentos estavam atribulados e não daria para continuar. Resolveram esperar tempo demais para reparar as lacunas que mal percebiam até que se tornasse grande demais para ser ignorada. Para ela não era cedo, talvez já fosse até tarde demais. Ainda é cedo foi uma boa escolha de música, soube usar a riqueza e a letra de forma interessante e sábia, formou uma ficção bem próxima a realidade e isso me alegrou muito. Gosto de coisas realistas, mas que não sejam cruas, assim como a sua história. Ótima criatividade, escrita viva e um jeito suave de descrever as relações íntimas do casal, quando vi o aviso de que haveria insinuação esperei ler algo rude, mas me surpreendi ao me deparar com tanta leveza e praticidade. Fez jus ao romance e ao drama, usou muito bem a música escolhida e teve uma escrita leve e breve. Senti falta de algumas acentuações, mas nada grave. No geral, meus parabéns pela obra!

Obrigado: 553. – @Sorelly

Uma história emocionante, que eu li num piscar de olhos e me senti tocada. Pude senti o realismo, a ligação visível com a música e como foi competente no enredo e colocou um realismo louvável no texto, dando para sentir o cheiro da saudade, gratidão e o amor que emana dele. Uma história viva, que mostra a realidade nua e crua como ela é, pois nem sempre o que planejamos pode se tonar realidade. Somos seres humanos, faz parte da nossa humanidade sofrer um pouco, rir e chorar, mas não só isso. Também faz parte se apaixonar e experimentar o começo, meio e fim algumas vezes na vida. Meus parabéns pela história.

Forever with you: 553. – @Snow-

Assim como a música escolhida, a história também é feita de memórias. Sob a narrativa pura e nostálgica de um senhor que, apesar de ter perdido o amor de sua vida para a morte, ainda retém um grande afeto e amor por ela. É triste, um drama fofo com um romance bem temperado e uma escrita interessante. Retrata uma ideia bonita, que é a de que se passa anos com a pessoa amada, mas infelizmente ninguém é eterno e uma hora ela teria que partir. Para ele é lamentável que ela tenha ido antes dele, mas essas coisas não se escolhe e o sofrimento seria o mesmo para a esposa se fosse o contrário. Narrativa calma e envolvente, um breve texto sobre um romance que dura além das cercas da morte, o que toca muito na leitura. Parabéns!

Obra de arte: 569. – @CodinomeX

Essa foi, sem dúvidas, a fanfic mais sinistra que li nesse concurso, mas não é uma crítica negativa, eu diria que é até boa. Foi uma história ousada e arrepiante, pegou fragmentos importantes da música que escolheu e depositou de uma maneira muito estratégica ao texto. Essa história foi trágica, arrepiante e boa, tudo isso ao mesmo tempo. Eu jamais iria pensar ler algo assim baseado em “Na sua estante”, portanto fiquei bem surpresa, mas eu gostei. Foi uma história interessante, trágica e muito viva, além de bem escrita. Boa estrutura, boa criatividade, algo que prende a leitura. Meus parabéns!

- Pódio -


Prefiro esconder: 570. – @Maka-

Eu fiquei estática com essa. Não sabia o que comentar, apenas li e reli pra ter alguma ideia do que dizer sobre ela. Bom, primeiramente, foi um uso bem feito e muito sutil da música em questão. Não foi uma história previsível, apesar de eu ter imaginado que seria fácil deduzir o final. Ela é surpreendente, te deixa acreditar em um rumo, mas te dá algo melhor e oposto ao que sugeriu. Tratava-se de um rapaz deprimido por um amor platônico, uma narrativa melancólica e que te fazia sentir a tristeza e a falta de coragem dele para se declarar. Houve uma breve explicação de como, onde e por quê, mas isso já bastou para te fazer ver o quão franco era aquele sentimento que nascia entre os dois. Incorporou bem a maneira não muito clichê de começar e terminar um shoujo, também com o tom ameno e que não enjoava por ser doce demais. Uma medida certa, uma escrita correta e uma grande desenvoltura com a música, além de uma criatividade bem trabalhada e distribuída de forma inteligente e original. Meus parabéns!

Guardanapos rasgados: 575. – @Bianca-

A história é cheia de uma deliciosa ironia do destino. Eu gosto disso. Foi encantadora a forma concreta como narrou um infortúnio enorme, um romance que deu errado e que fez o rapaz sofrer dessa forma tão trágica. O drama está vivo em cada linha, cada paragrafo, mas não enjoa ou faz a história virar uma coisa maçante e morna. É o que a mantém viva. Boa dose de realismo, um pouco de ácido e uma combinação viciante de fatos surpreendentes, justos e injustos. Uma história ávida e repleta de surpresas que dá vontade de repetir a dose novamente, uma escrita ágil e que não se prende a um só ponto, se expandindo de maneira sútil e única. Meus parabéns!

Depois da Meia-Noite: 584. – @Araque_Writer

Mundos perfeitos não existem, por mais que você trabalhe duro nisso. A perfeição simplesmente não é atingível, pois não é exatamente uma realidade obrigatória e, como de costume, um texto seu me deixou impressionada. Você escolheu uma música, não muito fácil de descrever, como base e ainda transformou uma história shoujo em algo totalmente indescritível. Diversas vezes, durante a leitura, eu me perguntei se seria um romance, ou um drama, pois retratou uma rotina e a gente tende a se cansar dela. Imaginei mil coisas, menos o que aconteceu ao decorrer da leitura, algo meio insanamente bom. Foi diferente, ousado, único e surpreendente, aliás, os seus finais são sempre uma agradável surpresa. Nessa história você usou muito bem a música, trouxe algo diferente e que brinca com suas expectativas, te mostrando que pode ser bem melhor do que você espera. Escrita correta, agilidade e esperteza ao criar algo simples e complexo ao mesmo tempo. Parabéns.


-

Aos vencedores, por favor, entrem em contato com @Bunny- e @Arcanos-. Quem ficou em primeiro lugar entre em contato com @Konda para pedir a One de presente.

Espero que ao menos alguém tenha ligado mais para se divertir do que para uma posição.

Obrigado, gente. <33


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...