~Aykira_chan

Aykira_chan
Trouxa since 27/06/15
Nome: Estherzinhaw
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Osasco, São Paulo, Brasil
Aniversário: 3 de Julho
Idade: 17
Cadastro:

Spectrum - Interativa


Postado

Spectrum - Interativa

Porque minha mãe disse que eu estaria ultrapassando fronteiras
Nunca tenha medo, mesmo quando você estiver encurralado
Se levante, lute pelo seu caminho
Lute pelo seu caminho, lute pelo seu caminho
Através das fronteiras
Através das fronteiras
Através das fronteiras
Lute pelo seu caminho, lute pelo seu caminho

Amber - Borders


F I C H A

*..·.·.·the Spectrum fantasy·.·.·..*

.•Nome Completo•.
Kim Nari — 김 나리

.•Idade . Data de nascimento•.
19 anos °idade ocidental° | 20 °idade coreana° | 16 de Julho de 1997

.•Apelido/s•.
Nana | Nanie | Maeum - 마음: coração)|

.•Altura . Peso . Tipo sanguíneo•.
1,68 | 50 kg | A-

.•Personalidade•.
Tem um ar meio rebelde e gosta de coisas intensas; às vezes é meio marrenta com algumas pessoas, as que ela conhece muito bem e por mais que queira não vai com a cara, e faz isso no intento de afastá-las. É do tipo que nunca julga ninguém pela aparência, pois ela sabe muito bem como isso é ruim. Tem seus momentos de crises em que ela só quer ficar sozinha; para pensar, para se acalmar ou para chorar. E por falar em choro, ela detesta chorar na frente das pessoas, não importa quem seja, e apesar de ela saber muito bem que o choro não representa apenas fraqueza, ela o enxerga como tal. É muito orgulhosa, e reconhece isso, mas ela simplesmente não suporta abaixar a cabeça para as pessoas, não suporta a ideia de ser subjugada ou submissa. É do tipo de pessoa que constrói uma muralha em volta de si própria e demora muito para aceitar alguém em sua vida: seja em forma de amizade ou no contexto romântico da coisa. Não chega a ser rude e grosseira com os outros, na verdade nem parece que ela está afastando as pessoas de si, ela conversa amigavelmente, mas tenta não ver essa pessoa novamente se perceber que esta pode ser do tipo que consegue quebrar sua muralha. Ela tem atitudes muito covardes ao fugir das pessoas que só querem estar ao seu lado, e pode até parecer ignorância de sua parte, mas ela apenas tem muito medo de se machucar porque ela sabe que quando alguém consegue entrar na vida dela ela se apega demais a essa pessoa. E é disso que ela tem medo; de se apegar e se decepcionar depois. Mas, se formos nos referir as pessoas que ela deixou entrar em sua vida, parece que ela é outra pessoa; brinca, sorri abertamente, ajuda e é manhosa. Ela é uma boa menina, uma boa dongsang/unnie/noona e uma boa companheira.

No dormitório, quando se trata de limpeza, ela toma as rédeas da situação. Não suporta sujeira e bagunça então por onde ela passa a limpeza e a organização reinam. Reclama, e como reclama, com quem bagunça o que ela arrumou. É do tipo que vai jurar matar alguém ou fazer a pessoa limpar o que sujou com a língua. Não é boa em dar conselhos, e quem conhece ela sabe bem disso, ela sabe cozinhar, mas não gosta de fazê-lo. Se deixarem ela sozinha em casa ela apenas vai se limitar a pegar o celular e ligar pra alguma pizzaria ou pedir comida pronta. É bem festeira, mas tem dias que ela só deseja sua cama e ninguém é capaz de tirá-la de lá. É bastante preguiçosa para várias coisas, tirando a dança, e faz um drama digno de novelas mexicanas apenas para não fazer algo que ela não queira, ou que está com preguiça de fazer. Com as suas companheiras de grupo, ela não se segura nas gracinhas; adora fazer piadas, principalmente sobre loiras, e com teor alcoólico. Não é nada inocente, apenas se finge de tal, e adora constranger seus amigos com perguntas inadequadas quando tem bastante gente por perto, apenas para deixa-los envergonhados, mas depois ela sempre pede desculpas e põe a culpa na bebida, já que ela costuma brincar dessa maneira quando está em festas. Também não pode nem ouvir falar em corridas ilegais que já quer ir para o lugar onde isso ocorrerá, inclusive, ela fazia muito isso em sua época trainee, mas procura abandonar esses hábitos quando fica sabendo que irá debutar. É apaixonada pela dança e está em constante treinamento, quando ela está dançando ela perde a noção do tempo e entra em universo em que só ela, a música e os passos existem. Ela, algumas vezes, acaba por extrapolar nos treinamentos, o que faz com que ela leve muita bronca dos managers e/ou colegas de grupo, e também, acaba gerando preocupação nos fãs. E com os fãs, ela é muito amigável e amorosa, os trata como sua própria família e as palavras de cada um deles valem muito para ela, sejam essas palavras positivas ou não.

.•Aparência•.
A garota tinha uma pele branca, porém não chegando a ser pálida, dona de seios medianos, bumbum firme, uma cintura curvilínea e coxas bem torneadas por conta de sua boa alimentação e academia nos fins-de-semana. O cabelo, preto de natureza, sempre está variando de cor, atualmente a cor castanha escura têm agradado muito Nari, assim ela tem o deixado nessa tonalidade por um bom tempo. Os fios castanhos da garota estão em um cumprimento abaixo dos ombros dando um ar mais jovial para o rosto dela, os olhos, assim como o cabelo, possuíam uma tonalidade de castanho escuro, os lábios finos e rosados davam um aspecto sapeca a garota.






.•História•.
Nari nasceu em Busan, um dos locais mais praieiros da Coreia do Sul, e por tal motivo, tem um amor imensurável por praias, principalmente as desertas. Ela sente muita falta da mãe, que a deixou cedo demais, ama muito a sua madrasta, mas ela não substitui o lugar de sua genitora. A menina cresceu tímida demais, por conta da morte de sua mãe, ela tinha muito medo de fazer amizade e, posteriormente, acabar os perdendo também. Por tal motivo, grande parte de sua infância foi solitária, ela substituía pessoas pela dança, pela qual ela se apaixonou logo cedo, aos seus cinco anos de idade. Foi se soltar mais com as pessoas ao seu redor apenas no início de sua adolescência, em plenos doze anos, os quais foram muito conturbados pela sua indecisão interior; havia momentos em que ela queria muito alguém para fazê-la companhia, mas ela não queria se apegar a essa pessoa, por isso acabava por afastar seus, poucos, amigos e os deixava muito confusos com suas atitudes contraditórias e aleatórias. E ela seguiu assim até os seus quatorze anos, quando ela se mudou para Seoul, e aprendeu a lidar melhor com as pessoas.

Teve o seu primeiro namorado ao findar de sua décima quinta primavera, mas logo o relacionamento teve fim, pois ela não queria aprofundar as coisas como seu namorado queria. Decidiu então namorar com a dança, e assim entrou para a empresa como trainee, no intento de focar em algo e afastar suas emoções e confusões psicológicas. Seu pai e sua madrasta a apoiaram, e assim o seu desejo pela fama começou. Do nada, um desejo de ser reconhecida e mostrar a sua dança para outras pessoas nasceu em si, e esse desejo foi ficando cada vez maior e mais forte com o passar do tempo. Ela já não usava a dança apenas como um refugio, ela via a dança como parte de si, como se fossem seus membros do corpo, como se fosse sua alma. Ela passou a frequentar pubs, festas e corridas; conhecia pessoas, conseguiu fazer amizade com algumas delas, conseguiu surpreender pessoas e deixa-las alegres com a sua dança, e ela gostou disso, então continuou nesse ritmo; faminta. Faminta pela dança, faminta por reconhecimento, faminta por sorrisos, faminta pela felicidade das pessoas; e a sua fome era insaciável. Não se deu muito bem com as outras integrantes e suas companheiras de grupo no inicio, mas acabou tendo muito apreço pela companhia das mesmas depois de um tempo de convivência. E como ela já suspeitava: ela acabou se apegando demais a todas elas, e então, passou a se sentir muito feliz e completa com a bagunça diária matinal daquelas meninas.

.•Família•.


Pai | Kim JiSoo | 47 anos | Cardiologista
A relação dela com o pai é um tanto vaga, já que os dois compartilham da mesma dor da perca de Duri (mãe de Nari e esposa de JiSoo). Mas não deixam de se amar. Muitas vezes eles preferem trocar gestos afetuosos, como abraços, ao invés de palavras. JiSoo apoia a filha em sua decisão, e lamenta não poder ter tido mais tempo para a sua menina por conta de sua profissão.


Madrasta | (Song) Kim SuLee | 38 anos | Psicóloga
Apesar de SuLee não ser a sua mãe, ela a trata como uma, já que a sua profissão a permite ter mais experiência com pessoas assim. A mulher é bastante paciente e compreensiva com a afilhada, e também sempre está a apoiando em suas decisões, principalmente na música, já que SuLee adora kpop e os grupos dos mesmos. Ela comparece, sempre que possível, nos concertos e fanmeetings do grupo.

.•Roupas•.
Ficar em casa.





Dormir.





Empresa | Praticar.





Folga | Sair.





Praia.





Encontro.





Festa | Balada.





Premiações.





Programas de TV.





.•Gostos•.
—Comidas agridoces
—Corridas de carros ilegais | Rachas
—Filmes de ação
—Festas | Pubs | Eventos ao ar livre
—Músicas boas que quase ninguém conhece
—Tiro ao alvo
—Hip Hop | Rap
—Parques temáticos
—Colecionar cédulas antigas
—Futebol
—Internet
—Cores neutras: Preto | Branco | Cinza
—Organização
—Compor
—Organizar suas coisas em ordem alfabética
—Pessoas Engraçadas | Inteligentes | Amigáveis
—Viajar
—Piadas
—Desenhar
—Violão | Guitarra | Baixo

.•Desgostos•.
—Bagunça
—Ignorância
—Falta de educação
—Drogas/entorpecentes
—Sasaengs
—Injustiça
—Pescar
—Jiló
—Gritos agudos
—Buracos
—Calor
—Invasão de privacidade

.•Música que sua personagem se identifica•.
Amber Liu – Borders

.•Talento•.
—Cozinhar bem
—Facilidade em aprender idiomas estrangeiros
—Dançar qualquer estilo de música
—Apesar de ser vocal também é boa no rap
—Boa pontaria
—Flexibilidade

.•Nacionalidade•.
Sul Coreana

.•Cidade onde nasceu•.
Busan

.•O que acha da Shou Owa (Owa Shou)?•.
Uma boa menina, principalmente pela mesma ter mantido sigilo, não ter perguntado nada, e apenas ter ficado acariciando seu cabelo enquanto a via chorar horas a fio copiosamente. Owa é do tipo de pessoa que Nari pode conviver muito bem, e isso é evidente já que a mesma foi escolhida como “A integrante que seria a melhor companhia para uma viagem em dupla” por Nari durante uma entrevista.
(Perdão pelas palavras vagas, mas eu não pude pôr muitas coisas já que não faço ideia de quem seja e como seja a sua personagem qq)



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...