~binary

binary
Little Ass Kicker
Nome: ➴Tяıs Reedus;Evans ¸.*∀
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 20 de Junho
Idade: 16
Cadastro:

❌Fanfics❌


Postado

Who Am I Living For?








Sinopse:

O nome Clarke Wilson não pertence à uma princesa, à garota mais popular do colégio e muito menos à rainha do baile. Clarke Wilson é apenas uma garota problemática que nunca se dá bem com ninguém e que tem uma família complicada.
Depois de passar quase oito anos viajando mundo à fora, Clarke finalmente volta para a América, mas nunca imaginou que as coisas houvessem mudado tanto.
S.H.I.E.L.D. e a H.Y.D.R.A., que sempre a perseguiram por causa de seus dons incomuns herdados de seu pai, haviam virado um caos completo. Hank Pym e Hope Van Dyne foram a principal razão de Clarke ter voltado, poucas das únicas pessoas que ela já amou.
A responsabilidade de manter Clarke fora de mais confusão foi então passada para Os Vingadores do mesmo modo que o desafio de se apaixonar foi dado a Steve Rogers.


Link: Who Am I Living For?





Shades Of Cool







❄️Sinopse:❄️

Daisy Steiner já cansou de desejar por outra vida, já cansou de esperar por um milagre, cansou de ter falsas esperanças. Um incêndio foi o início de tudo. Daisy se tornou órfã aos 12 anos e, poucos meses depois fora adotada por um casal aparentemente inocente, mas por trás de belas máscaras haviam agentes da Hydra.
Com lembranças e cicatrizes dolorosas, Daisy cresceu na Hydra. Queriam fazer dela uma arma humana, outro tipo de Soldado Invernal, mas fracassaram e com o tempo, perceberam que ela era diferente, diferente de tudo que já haviam visto. Ela não conseguia ser cruel o suficiente para matar alguém mas também não era boa o bastante para deixar alguém sair impune.
A Hydra não via mais utilidade para Daisy, iriam descartá-la, até que a colocaram junto com o Soldado Invernal e, inexplicavelmente, foi criada uma conexão entre os dois. Ela, uma garota sem vontade de viver e ele, uma máquina de matar sem coração, mas Daisy era a única que conseguia se comunicar com ele, era a única que falava com ele e que não o tratava como um objeto, do mesmo modo que ele era o único que fazia Daisy se sentir humana novamente, a fazia lembrar de que ainda havia alguma coisa boa na humanidade e de que ainda havia esperança.


Link: Shades of Cool


Escutando: Lesley Gore - You Don't Owe Me
Assistindo: Z Nation
Bebendo: Água

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...