~Ravenheart

Ravenheart
Nome: Alguém
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Florianopolis, Santa Catarina, Brasil
Aniversário: 20 de Junho
Idade: 21
Cadastro:

Assassinas de Aluguel


Postado

Te caçarei até a morte, Kanato!

Nome: Yami Shizuku

Significado: Yami: escuridão, trevas | Shizuku: calma, tranquila

Idade: 15 anos

Peso e altura: 1,55 de altura e 48 kg

Aparência: Cabelo longo extremamente liso, com uma franja reta no rosto. Olhos são grandes e redondos, de orbes escarlate. Pele pálida, rosto arredondado e delicado. O corpo é macio e cheio de curvas, sua altura meio baixa.




Personalidade: Yami é uma garota obscura e pessimista. Ela sempre tem uma visão ruim das coisas. Vai muito além de ser negativa ou realista. Ela realmente é completamente infeliz e não vê nenhum motivo para sorrir. Ela costuma fazer comentários bizarros e até mesmo grotescos em alguns momentos, a respeito das piores coisas possíveis que poderiam acontecer ali. Enxerga o mundo através da dor, da morte e do desespero. Gosta de coisas relacionadas ao sofrimento, físico e emocional. Embora seja um pouco fria, Yami não é desprovida de sentimentos. Ela não é exatamente emotiva, mas virá a chorar se for muito magoada.
É muito paciente. Yami dificilmente perde o controle sobre si. Reage a insultos e agressões de forma calma e pacífica. Da a outra face, pede que venham a parar ou se retira do local. No entanto, sua irritação está sempre sendo acumulada. Irá juntar-se no seu interior até que não haja mais espaço, e ai ela explode. Nesses momentos, quem estiver perto deve certamente tomar cuidado. Ela não grita ou age de forma espalhafatosa. Yami irá simplesmente lançar um olhar mortal na direção da pessoa que a deixou nesse estado e logo em seguida partir para matar. Não verá nem ouvirá ninguém, a não ser o seu alvo. Fará de tudo: destruirá o que estiver no caminho, empurrara ou agredira qualquer um que tentar a impedir. É bem difícil controla-la nessas situações, embora não seja impossível.
Ela até que conversa bastante com as pessoas, apesar de seus assuntos assustarem alguns as vezes e ela sempre desviar a conversa para algo meio bizarro. Se apega aos outros com bastante facilidade, pois se sente sozinha. Não gosta de ficar solitária, isso a deixa bem mais depressiva que de costume.

História: O pai de Yami é um gangster muito influente no submundo. O grupo dele trafica drogas e armamentos pelo mundo todo e eles vivem em conflitos com outras gangues. Desde pequena, ela nunca conheceu a mãe e seu pai fez questão de leva-la consigo a todos os lugares. Ou seja, ela já viu de tudo. O pai queria que ela se tornasse uma mulher forte, pois um dia quem iria liderar a gangue seria ela.
Quando tinha mais ou menos 11 anos, o pai dela trouxe para casa uma garota que era de uma outra gangue que eles haviam derrotado. Ela tinha aproximadamente 17 anos e era terrivelmente maldosa. O plano do pai de Yami era que aquela jovem treinasse sua filha para ser exatamente como ela. Acontece que a garota – Chizuru – era muito rigorosa. Colocava Yami, quer era apenas uma garotinha, para lutar contra ela e não a deixava descansar enquanto não cumprisse a tarefa de cada dia. As vezes, quando Yami não conseguia de jeito nenhum, a garota não deixava que ela dormisse como castigo. Ela chegou a ficar quatro noites direto sem dormir, com baldes d’água sendo jogados na sua cara a todo momento.
Chizuru a levava as cenas dos massacres que a gangue do pai de Yami causava para que ela aprendesse a lidar com a morte e assim ela cresceu como a assassina perfeita. Fazia tudo o que seu pai mandasse e não sentia remorso em livrar-se dos seus inimigos. Poderia odiar Chizuru por tudo que a mulher a fez passar, mas no fim nutre sentimentos de gratidão e admiração por ela. Yami gosta de ser quem é, vê no sofrimento a única forma de crescer e ficar mais forte, e deve sua vida a quem a ensinou tudo isso.

Porque decidiu virar uma Assassina? Cresceu e foi treinada somente para isso. Inicialmente ela trabalhou para a gangue do seu pai, mas logo em seguida resolveu se tornar independente e fazer seus próprios negócios.

Gosta: Coisas bizarras, tristes e trágicas, vermelho, noites estraladas, nadar de noite, chuva, mistério, borboletas, flores negras, tortas de morango, filmes de terror e horror, gore, ficar com quem gosta, tocar piano e lutar.

Desgosta: Solidão, claridade, calor, frescuras, mentiras, pessoas que fingem ser felizes, coisas coloridas demais,

Medos/ Traumas / Fobias: Uma vez, quando Yumi brigou com Chizuru e se recusou a obedece-la, a mulher a colocou num castigo terrível onde ela ficou horas numa sala fechada lotada de todos os tipos de insetos. Ela ficava paralisada, sem se mover pois sabia que eles podiam pica-la a qualquer momento. Eles voavam ao seu redor a noite toda, zumbindo nos seus ouvidos e rastejando na sua pele. Assim, o maior trauma de Yami são insetos, voadores ou não.

Doença?
Entomofobia: medo anormal e aversão a insetos e semelhantes. O dela não chega a ser um estado taaaao avançado, mas ela passa mal se tiver muitos num lugar só e próximo dela.

Habilidades: Uso de armas de fogo, canto e dança, cozinha, sentidos aguçados e luta corpo a corpo. Ela é pequena, portanto usa a velocidade e mobilidade a seu favor. Além disso, ela usa um par de botas que possui rodas de patins embutidas na plataforma. Com um toque na lateral de cada uma delas, pode trava-las e as usa muito bem. Ela fica extremamente rápida e consegue fazer movimentos e manobras incríveis. Usa isso também para se divertir as vezes.

Qualidades: Ela é muito organizada e preza as pessoas que ama.

Defeitos: Sua negatividade e pessimismo.

Arma: Uma espada dupla que tem um metro de comprimento. Ela a usa muito bem, girando em suas mãos e dando golpes laterais e velozes. Uma de suas táticas preferidas é segura-la firmemente no lado de seu corpo e dar diversos e velozes rodopios, o que a torna um furacão de lâminas.

Revolver


Dirige? Sim, embora prefira usar seus patins.

Bebe bebidas com álcool? Não gosta muito, mas se oferecerem de vez em quando ela até toma.

Segredo: Mesmo que ela tenha se afastado pessoalmente dos serviços da gangue, seu pai acredita que um dia ela se tornara sucessora da liderança no lugar dele. Esses não são os planos de Yami, ela deseja somente tomar o dinheiro para si e fechar a organização de uma vez por todas.

Relação com...

O Par:

Kanato é um garoto muito instável, e Yami adora fazer com que ele perca o controle. Ela olha profundamente em seus olhos de forma maligna e começa a falar rapidamente diversos tipos de torturas que faria a ele e mil formas de destruir Teddy e faze-lo virar só um monte de pano inútil. Quando ela o vê falando com o ursinho, fica com muita raiva. É obvio que aquele brinquedo não tem nenhum tipo de consciência, e Yami não é uma garota que costuma fantasiar ou brincar de faz de conta. Ela é muito realista e quer que Kanato pare com essa ideia idiota de que o boneco é alguém especial e que acorde para a vida. Yami sabe que uma hora ou outra, ele passara por sofrimentos impensáveis e irá aprender que nada é como num mundo de sonhos. Para ela, não há problema algum em ser aquela que lhe trará tais sofrimentos. Na verdade, ela adoraria.

Shu: Yami o considera chato e tedioso. Uma pessoa que não faz nada além de ouvir música e dormir dificilmente conquistaria o seu respeito. Pior ainda o fato de ele não assumir suas responsabilidades e agir como se não tivesse nenhuma obrigação. Isso a irrita bastante, considerando que é uma garota que segue os passos de seu pai e faz tudo o que ele lhe manda.

Ayato: Ele é arrogante e se acha muito. Yami aprova autoconfiança, mas odeia pessoas que se consideram superiores as outras a ponto de trata-las como bem quiser. Acha que ele é uma pessoa a quem a vida deveria dar um belo choque de realidade, com os mais terríveis sofrimentos.

Subaru: Logo de cara ela percebeu qual é a desse vampiro. Ele se faz de mal e violento, mas no fundo é mais sensível. Yami acha engraçado e adoraria faze-lo sofrer das formas mais terríveis para ver até quando ele manteria essa postura falsa antes de começar a chorar de medo.

Reiji: Yami aprova pessoas que são responsáveis, mas ele é exageradamente certinho na opinião dela. Fugir das normas e fazer coisas bizarras e diferentes de vez em quando é muito bom, ela adora. Por isso, para ela ele é tedioso e as vezes até mesmo irritante, inventando um monte de regras só para satisfazer seu ego.

Com Ayka: Yami acha pessoas frias agradáveis. Elas não são exageradamente emotivas ou alegres, e nem sempre são desprovidas de sentimentos. Assim, elas podem até se dar bem de vez em quando. Yami respeitaria o espaço dela, procurando passar a ideia de que se Ayka quiser, podem ser boas amigas.

Com as outras parceiras: Depende muito da personalidade de cada uma delas e também dos seus princípios. Yami pode não gostar de alegria e felicidade demais, mas se a pessoa agrada-la em sua essência, como os objetivos e gostos que tem, ela aturara essa emoção e poderá até vir a se tornar amiga, embora acredite que as pessoas que são felizes jamais serão completamente maduras.

Com Tougo/ Karl Heinz: Ela o odeia, mas o respeita como sendo uma pessoa poderosa.

Como reagiria se...

Matasse alguém?
Yami não se sente mal de matar uma pessoa, desde que tenha motivos para isso. Se fosse alguém completamente inocente, ela ficaria se sentimento culpada e bastante mal.

Se apaixonasse por sua caça? Ficaria bastante assustada no começo, mas depois aceitaria o fato de que precisa terminar a sua tarefa. Ela sabe muito bem, a cima de qualquer um, que a vida é feita de sofrimentos. Esse seria apenas mais um. Pelo menos isso é o que ela imagina...

Ser capturada? Sendo bem pessimista, ela começaria a formular em sua mente todos os tipos de coisas ruins que poderiam lhe acontecer a partir dali. A imaginação dela é terrível, então você pode imaginar que talvez ela ficasse num estado de desespero. Mas na verdade não. Ela usa todas essas prováveis coisas ruins para impulsiona-la a procurar uma forma de escapar.

Aceita que sua personagem estará em minhas mãos podendo ser torturada, assediada tanto física quanto sexualmente? Sim!

Frase e palavra que a define: Dor e a vida é feita de sofrimentos.

Algo a mais? Não.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...