~Ravenheart

Ravenheart
Nome: Alguém
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Florianopolis, Santa Catarina, Brasil
Aniversário: 20 de Junho
Idade: 21
Cadastro:

Mari e Daniel Morgen - "O Mágico e o Espelho"


Postado

Obs: Eu vou colocar a ficha de cada um, e a história deles juntos por último. ;3

❥ Nome
Maria Morgen

Ela prefere ser chamada somente de Mari, de forma que a maioria das vezes se apresenta pelo apelido.

❥Idade
17 anos

❥Aparência
Mari possui cerca de 1,70 de altura. Seu corpo é atlético, com curvas não tão explicitas devido aos seus músculos levemente desenvolvidos. Seus olhos castanhos são grandes e naturalmente delineados por longos cílios escuros como seu cabelo, que é curto e repicado. Os fios são formados de ondulações suaves e ela gosta de prender-los com grampos deixando as pontas soltas, dando um visual descontraído ao seu rosto oval. Os lábios são finos em cima e levemente cheios em baixo, de riso fácil e um rosa claro e virginal: ela raramente usa batom ou qualquer tipo de maquiagem.

❥ Personalidade:
Mari é aquela garota forte, defensora dos fracos e oprimidos. Tem um senso de justiça muito aguçado e pode facilmente partir para cima de alguém se achar que esse merece umas bolachas. Não defende a violência, apenas acredita que com algumas pessoas, somente palavras não é o suficiente. Sendo uma Morgen, tem certa dificuldade para controlar suas atitudes agressivas, por isso, quando não consegue decidir como agir em determinada situação, o seu parâmetro é Daniel. Ele pode não ser o cara mais indicado para isso, mas não há uma pessoa no mundo em quem Mari confie mais que em seu irmão.
Ela é apaixonada por coisas fofas e delicadas, porém tenta esconder esse lado para que não a considerem "melosa" ou "fraca". Essa ideia veio do fato de ser irmão sempre ter feito gozação das suas pelúcias e frufrus. A maioria das vezes é vista andando com outros rapazes, por se dar melhor com eles, mas possui boas amigas também. Apesar de ter esse estilo "justiceiro", ela pode ser bastante sacana as vezes, rindo e fazendo piadas que não são diretamente ofensivas e coisas assim.
Quando vê alguém sendo tratado de forma injusta, certamente irá interferir. É a favor de que as pessoas lutem suas próprias batalhas, mas nem sempre isso é o certo a se fazer. Algumas situações exigem que algo seja feito, outras, nem tanto.
Diferente do irmão, ela não tem um lado sensível. Mari é forte e firme como uma rocha. Seus sentimentos e emoções mais fortes são blindadas, trancafiadas a sete chaves. É claro que isso não significa que ela seja fria e não se apaixone ou crie fortes laços com alguém, porém é difícil conquistar a sua total confiança e lealdade.
Não é uma pessoa teimosa, sabe seguir regras e diretrizes quando preciso, mas seu senso crítico não está adormecido e a sua curiosidade, muito raramente pode vence-la e fazer com que aja de forma mais "imprudente".

❥ Sexualidade
Heterossexual

❥ Se é realmente especial, me diga, o que pode fazer?
Quando era criança e imaginava ter um poder, Mari sonhava em ser super forte ou ter uma habilidade que a deixasse invencível. No entanto, acabou descobrindo que o dom que ela possui não vai bem por ai: Ela é capaz de entrar e sair, quando desejar, de uma projeção astral. Existem muitos relatos a respeito disso, coisas que pessoas comuns são capazes de fazer. Acontece que o dom de Mari a leva muito além: quando sua consciência deixa o seu corpo, ela adquire uma especie de sexto sentido através do qual consegue absorver sentimentos, auras e emoções contidas num ambiente ou das pessoas a quem visita. Quando apaga, seu espírito deixa seu corpo para ir onde desejar, adquirindo essas informações de forma aleatória, o que pode ser bem prejudicial as vezes. Dependendo do que absorver durante a projeção, ela pode voltar a si com o humor distorcido e prejudicado. Isso acontece se ela acordar diretamente depois do ocorrido. Ela pode ficar descansando e dormindo normalmente para que a sua consciência se normalize. Ela não gosta desse poder, pelo fato de o seu corpo ficar muito desprotegido enquanto ela está "fora", de forma que só o utiliza quando tem certeza de que nada irá lhe acontecer.

❥ Como encontrou a escola?
Certa noite, enquanto estava em um sono profundo e "normal", seu espírito involuntariamente desprendeu-se de seu corpo e ela viu a si mesma sendo guiada até a escola. Enquanto estava la, sua consciência absorveu as ideias básicas do local.

❥ Tem algum segredo?
Ela esconde seu poder até mesmo do seu próprio irmão, e é claro, a paixão por coisas fofas e extremamente bonitinhas (altos segredos)

❥ Tem algum medo?
Nada muito específico. A infância dela foi relativamente tranquila de forma que não houve qualquer trauma. Ela tem medos comuns como a maioria das pessoas: o desconhecido, o sobrenatural assustador, por aí vai.

❥ Tem algum desgosto?
Ela não gosta de pessoas fracas. Protege-as com dedicação, mas as incentiva continuamente a lutar para se tornar mais forte seja no que for: fisicamente, emocionalmente, socialmente, etc.

❥ Tem algum gosto tão importante a ponto de querer me contar?
Ela tem um grande amor pela luta, não admitindo que essa seja usada para fins negativos.

❥ O que mais quer me contar sobre você?
Ela ama a autora linda e fofa! kkk Brincadeira, nem sou puxa saco. u.u Por enquanto, só. s2


~ x ~

❥ Nome
Daniel Morgen

❥ Idade
18

❥ Aparência
Dan é pouco mais alto que a irmã, tendo 1, 77 de altura. O cabelo seria cacheado, de um tom castanho escuro se ele não o deixasse raspado a maioria das vezes. Tem a pele levemente bronzeada, olhos da mesma cor que sua irmã e lábios cheios que vira e meche estão feridos pela sua mania de os morder constantemente. Seu rosto é angular, de maxilar um tanto largo e queixo mediano.

❥ Personalidade
Daniel pode facilmente ser comparado com um cão indisciplinado. Ele tem uma terrível predisposição a se meter em brigas para defender seu orgulho ou os amigos, aos quais é muito leal. Diferente de Mari, ele não pensa antes de agir nessas situações. Poucas vezes pode ser controlado, exceto pela visão de alguém querido muito ferido - fisicamente ou não.
Algumas pessoas podem considera-lo mal humorado, mas isso não é verdade. Seu sorriso lascivo é visto nos momentos certos, e sua risada estrondosa é contagiante. Usa o humor negro como uma lâmina afiada para defender a si e aos seus, principalmente quando provocado. É bastante misterioso, até mesmo para com seus amigos, apesar de ter a lei imposta para si mesmo de nunca mentir.
É super protetor e até mesmo um tanto ciumento com aqueles que ama. Pode ser bastante hostil e arrogante quando quer, de forma que pintou uma péssima imagem de si para a sociedade.
Dan é fissurado em adrenalina, coisa que facilmente o leva para o caminho da autodestruição. A pedido de seus amigos, ele se controla e evita quase morrer mais de uma vez na semana, mas algumas vezes é muito difícil para ele, principalmente quando vê um carro veloz prestes a desafia-lo para correr.
No fundo, ele possui um lado sensível e amoroso que pouquíssimas, ou talvez nenhuma pessoa conheça realmente. Aprendeu das piores formas (pais um tanto bravos) a não ser totalmente teimoso, porém ninguém é de ferro (nem mesmo a Mari) e ele da as suas escapulidas quando tem a oportunidade.

❥ Sexualidade
Heterossexual

❥ Se é realmente especial, me diga, o que pode fazer?
Daniel consegue trazes objetos dos seus sonhos. A maioria das vezes ele consegue controlar isso, mas seu armário é repleto de coisas sem sentido: dezenas de chaves de carros que não são dele, uma mochila que, por mais que você coloque coisas dentro ela nunca adquire volume ou fica cheia, um lápis que escreve com tinta de caneta.. etc. Certa vez, ele sonhou que estava em uma briga e fatalmente acordou com o corpo ferido nos lugares em que fora agredido no sonho. Isso o deixou em estado de alerta para tomar cuidado com seu poder. Nunca se sabe quando vai ter um pesadelo...

❥ Como encontrou a escola?
Através da sua irmã.

❥ Tem algum segredo?
Um belo dia Daniel não resistiu e usou uma das chaves sonhadas para roubar um carro para dar uma "volta". Ele não se orgulha disso, nem do fato de que aconteceu umas três vezes.

❥ Tem algum medo?
Pesadelos

❥ Tem algum desgosto?
Garotas mimadas! Sua mãe e sua irmã são ambas mulheres de personalidade forte, de forma que ele odeia garotinhas de mente fraca.

❥ Tem algum gosto tão importante a ponto de querer me contar?
Ele é muitíssimo leal aos seus amigos e a sua irmã, é claro. Acho que só isso mesmo!

❥ O que mais quer me contar sobre você?
Daniel gosta de tocar baixo, apesar de nunca ter levado isso realmente a serio.


História
Os irmãos Morgen cresceram juntos na enorme fazenda dos seus pais. Passavam horas brincando um com o outro incansavelmente, inventando as mais mirabolantes e terríveis aventuras. Sempre tinham um ferimento nos joelhos e nos cotovelos, sempre acabavam destruindo algo. No fim do dia, encontravam-se na cozinha comendo feito loucos, cansados e rindo das peripécias de cada dia.
Quando começaram a sair do mundinho próprio que era a fazenda Morgen, acabaram surgindo conflitos. Mari sabia lidar com Daniel, mas justiceira como sempre foi, brigava com ele quando o via hostilizando alguém. Acontece que suas brigas iam muito além de discussões. Mais de uma vez os pais de ambos tiveram de separa-los de uma violenta troca de tapas e chutes aleatórios. Sendo maior, Daniel sempre levava a melhor e aos poucos essas brigas vieram a ser brincadeira para ele. Já Mari, ficava furiosa consigo mesma por sempre perder. Foi ai que, aos quatorze anos decidiu aprender a lutar. Frequentou escolinhas e mais tarde academias de artes marciais e boxe, não só para ser mais forte que o irmão, como para proteger pessoas de outros como ele. Certo dia, era noite e ambos estavam cansados e irritados. Mari perguntou a Daniel sobre algo que ela sabia que ele tinha perdido, só para provocar. A briga foi mais feia e violenta do que nunca, o que assustou aos pais que decidiram separa-los de vez. Mari foi morar com sua avó e Daniel mudou-se para a casa de um tio.
Ficaram distantes por quase um ano, tempo suficiente para pensarem e sentirem falta um do outro. Mari desejava compartilhar risadas das piadas internas que somente os dois entenderiam, Daniel sentia falta do equilíbrio estranho que eles representavam: ela, forte e razoavelmente moderada e ele, descontrolado e muitas vezes terrivelmente emotivo.
Quando se reencontraram - ela com 16 anos e ele com 17 -, não só tinham um respeito mútuo como um maravilhoso sentimento de irmandade e cumplicidade. Nada jamais separaria os irmãos Morgen.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...