~daaniiie

daaniiie
Nome: Daniela Matias
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Coimbra, Coimbra, Portugal
Aniversário: 24 de Abril
Idade: 24
Cadastro:

Sobre ódio, mentiras e falta de coragem. Oh, e Growing Up.


Postado


Aquilo sou eu quando vejo pessoas a dizer mal de mim q
Okay, parando de brincadeiras, vamos falar a sério aqui. Ou tão sério quanto possível.


"Don't confuse my attitude with my personality. My personality is who I am,
my attitude depends on who you are."
Lee Minyoung


Honestamente, o tempo em que me importava com existir alguém a odiar-me já lá vai há um bocado. E não é porque me ache superior a alguém ou esteja tão cheia de mim que não reconheça os meus defeitos, é só porque não me importo. Odeia-me? Okay. Diz mal de mim pelas costas? Okay. Não é a primeira nem a única, não há prémios para isso.
Porém.
Quando as coisas que dizem de mim aos outros não passam de mentiras e informações distorcidas, a coisa muda um pouco. Porque ir e dizer que me acham isto ou aquilo para mim dá-me o mesmo; quem quiser simplesmente acreditar, acredita, e quem quiser vir e falar comigo para comprovar se sou ou não como dizem, que fique à vontade também. Mas ir e dizer que eu fiz ou disse coisas que eu não fiz nem disse é outra coisa, certo?
Esta semana, três pessoas (que não vou dizer quem porque não é relevante aqui) vieram falar comigo sobre uma outra pessoa que ficou mais de uma hora (a dedicação!) a dizer mal de mim num grupo de mensagens (acho que o do EXO FANFICS, mas não tenho a certeza). Nenhuma delas quis dizer-me quem era essa pessoa mas, ainda que tenha as minhas suspeitas e esteja levemente curiosa sobre, também não importa porque este jornal não é para expor ninguém. É antes uma resposta e uma forma de esclarecer quem tiver curiosidade em saber sobre o que foi dito por essa pessoa.
Vamos lá, então. Metam-se confortáveis porque isto é capaz de ser longo. E nem vou usar os prints aqui, mesmo que tenha vários, porque iriam tornar o jornal ainda maior e tem textão lá e tudo. Vou apenas citar o essencial (sem alterar ou corrigir nada, adianto já).

Os disparates são tantos que honestamente nem sei por onde começar.
Talvez por esta parte em que diz "Ela não é idiota. Se alia aos fortes" sobre a minha relação com a Tayh e a Linnie, que também foram mencionadas na conversa lá.
Primeiro que tudo acho engraçadíssimo essa ideia de que algumas autoras fazem amizade com outras só por questões de popularidade. E acho engraçado assim porque é uma ideia ridícula em si; o pessoal não favorita ou deixa de favoritar as fics só porque a autora é amiga de outra que gostam, especialmente se nem existirem trocas de divulgações ou assim. Mas mesmo que isso até acontecesse...
Eu conheci a Tayh no Nyah!, em 2011/2012, porque ela escrevia com SHINee. Ou seja, não é de ontem. E no caso da Linnie é semelhante, porque conheci-a em 2014 quando ela leu uma das minhas fics. Na altura ela nem sequer publicava nada e, aliás, até fui uma das várias pessoas que a incentivou a publicar o que escrevia porque tinha potencial. Então essa ideia de ser por interesse da minha parte nem sequer faz sentido, acho. Pensem um pouco.

"E por que você acha que ela atacava a kresniki02?"
"Porque os ataques começaram depois do jornal dela, da portuga, (...) E quem era a outra escritora de KrisYeol do site que ameaçava o reinado dela? A Niki!"

Uau. Tipo, uau.
Nunca ataquei a Niki, vamos começar por aí. Conheci-a por causa das fics e seguia-a no twitter e dava-me bem com ela. Infelizmente, tive algumas divergências e mal entendidos com ela, mas de todas as vezes fui, em privado, falar diretamente com ela para resolver isso. Em momento nenhum a ataquei e muito menos disse a outros para o fazerem; primeiro porque não sou esse tipo de pessoa e segundo porque, do contacto que tive com ela, sabia bem o quanto é uma pessoa sensível e nunca, por motivo algum, lhe iria querer mal. Após essas divergências que tive com ela, eu afastei-me e só soube sobre essa história dos ataques porque vi comentarem sobre no grupo EXO FANFICS. Inclusive fiquei preocupada, já que era sobre alguém que conhecia, e fui falar com ela dessa vez. Foi a única vez que tive contacto com ela desde que me tinha afastado antes.
O meu jornal não mencionava a Niki em absolutamente lugar nenhum e podem ir lá confirmar isso se vos apetecer. Se quisesse atacar a Niki, iria tê-la mencionado lá, não? Para que a atacassem por causa disso? Não o fiz. Porque não queria atacá-la nem fazer com que alguém a atacasse. Ainda acho inaceitável o que lhe fizeram, inclusive, e se foi de alguma forma motivado pelo meu jornal espero que o culpado saiba que foi um animal e que devia arranjar algo útil para fazer da vida em vez de ficar a meter-se nos assuntos alheios.
Esta do reinado é engraçada também, porque eu não sabia que tinha um reinado sequer. Não sou rainha e nem gostaria de ser. Também não sou dona de nada para além das coisas que são legalmente minhas. E nunca considerei a Niki uma ameaça porque 1) não há o que ameaçar, 2) considerava-a uma amiga e 3) as fics dela são tão diferentes (e notem que digo diferentes, não digo melhores nem piores) das minhas que nunca pensei sequer em comparar-nos. Do meu lado nunca existiu qualquer rivalidade com a Niki e acho que do lado dela também não (porque acho que ela também não é esse tipo de pessoa), então esta ideia é apenas ridícula, honestamente.

"Teve um desafio, um que envolvia contos de terror, e a guria que estava fazendo o chalenge proibiu a participação de 'português de Portugal', aí a Danniie ficou puta e começou a falar mal da menina"
Não vou mentir, acho impressionante a capacidade da pessoa para inventar.
O único desafio sobre contos de terror que conheço é o Concurso Artes Insanas, que inclusive é das poucas coisas que não apago do meu livro de visitas, e acho que lá nunca teve qualquer regra sobre o idioma das fics. Nunca participei nele porque não me acho capaz de escrever terror, apenas. Acho que daqui já dá para ver a mentira, não?
Existiu um concurso que proibiu PT-PT e sobre o qual comentei, mas foi o SFY (do EXO FANFICS). Aí, eu tive interesse em participar quando vi a publicação, mas fiquei triste quando vi o limite sobre o idioma. Não fiquei "puta". Não disse mal de menina nenhuma. Tudo o que fiz sobre foi comentar isto na publicação em si, comentar com um par de pessoas no twitter sobre achar triste que estivessem a excluir as autoras portuguesas e conversar sobre o assunto com uma das organizadoras, em privado, para confirmar que não era algo pessoal motivado por um desentendimento que tivemos antes.
"Aí a Linnie começou" e eu nem preciso de citar o resto, porque a mentira já está óbvia aí. Não só a Lin nunca iria dizer algo como o que afirmaram que ela disse como, no dia em que tudo isso aconteceu (3 de Fevereiro, confirmem se quiserem), ela não estava online. Ela estava a recuperar do acidente que teve e nem conseguia olhar para letras, quanto mais escrever comentários venenosos. Tem um jornal sobre o acidente lá no perfil dela, também podem ir e confirmar se quiserem.
E vou inserir aqui o "a guria é tão cheia de si, que se acha a única. AVA!" juntamente com o "você é a única escritora de Portugal" que a Lin supostamente disse. Houve duas pessoas com quem falei naquele dia e com quem comentei que não conhecia outras autoras portuguesas no grupo EXO FANFICS, mas nunca disse que era a única. Nem que era a única no grupo e muito menos que era a única aqui no spirit, porque conheço outras autoras portuguesas aqui (que não estão no grupo). Dizer que não conheço é bem diferente de dizer que não há mais ninguém, reparem, não conheço toda a gente que está no grupo nem perto disso.
E "depois disso vieram mais algumas alfinetadas de outras pessoas"? Eu dou um prémio a quem encontrar esses tweets. Assim, honestamente. Exceto que é impossível porque eles não existem. Nem eu nem ninguém na minha timeline falou mal ou alfinetou o que ou quem quer que seja.
"Fora que começaram a atacar a menina e ela acabou mudando a regra e deixando qualquer pessoa entrar"! Duas mentiras na mesma frase! Parabéns. Porém... Ninguém atacou ninguém, até porque não somos animais selvagens. E a regra não foi mudada; vão lá ver à publicação se quiserem, está exatamente na mesma.
"Aí a portuga falou 'ela reviu seus conceitos, mas eu não quero participar, não quero estar em um ambiente onde não sou bem vinda'." Menos dez pontos pela falha na construção do personagem ali, porque eu simplesmente não iria falar assim. Para além disso, o único motivo real pelo qual eu não participei nesse concurso foi porque tinha a segunda ronda do 30DWC marcada, desde o ano anterior, para a mesma altura. Se não fosse por isso, possivelmente teria participado no concurso na mesma, porque consigo escrever PT-BR se quiser e até se ofereceram para revisar.
Agora, existiu outro projeto, organizado pelas mesmas pessoas, onde essa regra sobre o idioma foi alterada. Esse foi o YATO, o projeto com couples do Minseok, e o que eu disse sobre a alteração (que nem foi provocada por mim, para constar) foi apenas isto. E não participei na primeira fase porque, mais uma vez, estava ocupada com o 30DWC, mas participei depois na segunda e só não participei na terceira porque era couple livre e fiquei ocupada de novo.

"Segundo ela 'foi ela quem levou as fanfics para Portugal, isso a uns 8 anos atrás, porque antes dela, isso não existia por lá', pra você ver como a pessoa é humilde pra caralho"
Fico até sem palavras.
Estas informações foram claramente distorcidas deste jornal que fiz no início do ano. Acho que qualquer pessoa capaz de interpretar texto consegue ver que não disse nada daquilo, mas como parece difícil para algumas, vou explicar.
Nunca disse que fui eu quem trouxe as fics para Portugal. Comecei a escrever num fórum português, porque já existia quem escrevesse fics lá e eu quis tentar também, então nem sequer faria sentido dizer que não existiam fics cá antes disso. Existiam sim, no fóruns e dentro dos fandoms. O que eu fiz foi levar as fics para os blogs do Sapo, onde eu já tinha um blog antes, e aí, sim, foram uma novidade. Como não era dentro de um fórum privado, qualquer pessoa podia simplesmente encontrar as fics, mesmo que nem fosse do fandom em questão, então foi por isso que a coisa pegou. Várias pessoas do fandom a que eu pertencia passaram a criar blogs e a publicar as fics lá; não sei se existiu alguém de outro fandom que fez isso primeiro, mas acho que não porque os blogs em si não eram muito populares na altura. Mas as fics contribuíram para a popularidade da banda e a banda contribuiu para a popularidade das fics, então o fandom e o mundo das fics cresceram imenso por isso. E a coisa espalhou-se para outros fandoms também e acho que ainda hoje existem blogs exclusivamente para publicar fics lá.
Ainda assim, fico surpresa com a capacidade que a pessoa tem para ir e falar de algo sobre o qual é totalmente ignorante. Porque o que aconteceu nessa altura foi bem... restrito. Tipo, pessoas que não fizeram parte do momento não sabem como é que as coisas aconteceram. A pessoa nem sequer é de Portugal, para começar, e também duvido que ao menos saiba em que fandom é que isso aconteceu, então a ignorância é certa.

"Ela foi a 'primeira pessoa a falar de fanfics por lá e como tem 9 anos fazendo isso, ela se considera uma boa escritora atualmente'"
Já falei sobre isso de ser a primeira, não é? Se alguém não percebeu, volte a ler.
Não me considero uma boa escritora. Muitas vezes nem me considero uma escritora de todo, apenas uma pessoa que escreve. Às vezes escrevo umas coisas que ficam boas, às vezes escrevo umas coisas que ficam más e na maioria das vezes escrevo coisas que ficam só medíocres. Mas é okay porque ninguém está a pagar-me mesmo. Se escrevo é porque gosto de o fazer e, às vezes, porque tenho alguma coisa a dizer sobre algum assunto.
O que adquiri dos 9 anos em que escrevi fics foi experiência, apenas, o que não faz de mim uma boa escritora. Faz-me escrever melhor do que fazia antes, faz-me não cometer erros que cometi no passado, faz-me não ter atitudes que também tive em alguns momentos e faz-me reagir desta forma quando alguém com demasiado tempo livre decide espalhar mentiras sobre mim. Só isso.

"Mas pelo simples fato de nunca ter se vendido e crescido por si mesma. Por ter sido notada sem precisar se aliar, bajular, babar, seguir e 'implorar' por atenção. Assim como ela o faz"
Guardei esta parte para agora porque é a minha preferida; já não é realmente o diz-que-disse ou o diz-que-fez específico das outras partes, é pura difamação.
Honestamente, queria saber quando e como é que eu me "vendi", me "aliei", "bajulei", "babei", "segui" ou "implorei por atenção". Queria saber quando é que não cresci por mim mesma. Vai fazer quatro anos que publico fics de EXO neste site e demorei esse tempo todo até conseguir o que tenho agora. Quando comecei aqui, as poucas pessoas que conhecia eram as autoras que já acompanhava no Nyah!, que por acaso ficaram bem conhecidas no fandom, mas com quem nunca fui realmente próxima. Se me tivesse vendido, como querem dizer que fiz, teria começado a escrever os couples mais populares e a fazer-me amiguinha dessas autoras. Não o fiz. Na verdade, com o tempo até me fui afastando mais delas, porque os nossos interesses divergiram, e atualmente só tenho contacto com a Tayh porque voltámos a falar-nos há algum tempo. E implorar por atenção? Dá-me vontade de rir, honestamente, porque eu mal divulgo as minhas fics sequer, quanto mais implorar.

"A Danniee não tem talento de verdade, o que ela tem é o que eu chamo de comensais seguidores cegos que não sabem ou têm noção do que é um escritor de verdade"
Podia ao menos escrever o meu user como deve ser, mas nem isso. /sigh/
Isso do talento possivelmente é subjetivo, não? Não é a primeira vez que alguém me diz que não tenho talento. Porém, também já me disseram o contrário. Como não sei se devo acreditar mais em desconhecidos na internet ou em professores e pessoas com formação em literatura, em geral não acredito em nenhum. Se acho tenho talento? Não sei, não penso muito sobre isso. Se me incomoda que digam que não o tenho? Não. Fiquem à vontade.
Agora, essa dos "comensais seguidores cegos"... Sei lá. Se as pessoas me seguem é porque gostam de ler o que escrevo, suponho. O que nem quer dizer que me considerem uma escritora "de verdade", afinal isto é um site de fics e muita gente só quer ler algo para se distrair um pouco. Só porque há quem não goste, não quer dizer que ninguém possa gostar.

"Porque escrever não é apenas por palavras no papel, a escrita vai muito além disso. Tem haver com sentimento, emoção, verdade e caráter. Algo que pessoas como ela não possuem."
Honestamente, estou a rir de novo. Porquê? Porque a pessoa fala mal de mim pelas costas mas eu é que não tenho caráter. AVA! Antes de falarem de pessoas como eu, acho deviam pelo menos lidar comigo um pouco, para poderem falar com propriedade sobre como sou ou não sou. Não é que seja o melhor exemplo de pessoa por aí, mas também não sou tão má e às vezes até gosto de mim. Se pessoas como eu são pessoas que normalmente preferem gastar o seu tempo a tentar retribuir o apoio que recebem em vez de ficar a dizer mal dos outros na internet, honestamente já considero que têm mais caráter que muita gente por aí.
Sobre a escrita não ser apenas colocar as palavras no papel e ir além disso, também concordo. Seria muito mais fácil se fosse tão simples assim, pelo menos não teria 2847 fics por escrever.
Mas falando sobre a minha escrita, que contém erros, falta de emoção, romantização e a capacidade de meter nojo. Isto soa bem familiar, esta última parte, mas vamos por ordem.
É até engraçado justificar os erros nas minhas fics quando em resposta a alguém que escreve "tem haver", mas enfim, não é? Não sei quantas pessoas têm a noção disso, mas não uso beta-reader. As únicas fics que escrevo e passam por outra pessoa antes de serem publicadas são as de MS, porque é uma colaboração. Todo o resto é corrigido por mim e, por mais que revise antes de publicar, há sempre coisas que escapam. Bem poucas, mas aparentemente as suficientes para servirem como argumento sobre a falta de qualidade da minha escrita. Perdão, vou tentar melhorar.
A parte da emoção já debati várias vezes com algumas pessoas, porque nas minhas fics em geral não existem aqueles parágrafos longos sobre os sentimentos dos personagens nem personagens muito dramáticos ou emotivos e sei que algumas pessoas gostam disso. Mas eu não gosto muito. Honestamente, se for ler algo e o personagem ficar os capítulos todos a pensar no quanto está apaixonado, vou parar de ler. Então evidentemente que não vou incluir essas coisas nas minhas fics. O que não quer dizer que os meus personagens sejam pedras. Eles sentem e às vezes eles pensam sobre isso mas na maioria das vezes eles apenas demonstram, com gestos, porque em geral são personagens mais físicos do que verbais no que toca às emoções. Aí claro que há pessoas que vão ler e não vão notar essas emoções, porque elas não estão lá escritas de forma óbvia, mas elas ainda estão lá, nas entrelinhas, para as pessoas atentas. E sobre o drama... também é uma coisa que não aprecio realmente, então também não vou fazer. Fics incrivelmente dramáticas e que fazem as pessoas chorar não são o que quero fazer; o que quero fazer são fics simples que as pessoas possam ler apenas para se distrair um pouco da realidade, onde a maioria já tem drama que chegue. Então... se gostam disso, muito bem-vindos; se não, lamento, vieram ao sítio errado. Se querem histórias incrivelmente sentimentais e dramáticas vão ler Nicholas Sparks, sei lá.

Romantização é sobre Growing Up, não é?
Óbvio. Tenho literalmente mais de 100 fics publicadas neste site mas de repente parece que só tenho uma e que essa me resume e define. Enfim. Vou até separar esta parte da anterior para a encontrarem melhor.
Na verdade, sugeriram-me que fizesse um jornal sobre este assunto, porque a fic está bem polémica e aparentemente anda a incomodar um monte de gente (não vou mentir, adoro). Não ia fazer porque pensei "Ah, se esse pessoal que diz mal nem leu as notas iniciais da fic, por que iria ler um jornal?" mas aparentemente prestam-me mais atenção do que pensei porque leem os jornais e os tweets e tudo, nem que seja para distorcer a informação. E este jornal já está enorme, mas bem, não vamos perder a viagem, não é?
Primeiro que tudo, deixem-me constatar que GU é shotacon. Está lá, em maiúsculas, na sinopse. E shotacon, ao contrário do que muita gente pensa, não é sobre relações entre pessoas menores de 18 anos e pessoas maiores de 18 anos. Shotacon é um género que exige uma criança ou pré-adolescente como objeto de desejo sexual (geralmente de um adulto). Se for um adolescente que já tenha passado a puberdade, mesmo que pareça infantil, já não é realmente considerado shotacon. Ou seja, é sobre pedofilia, sim, e se não gostam disso deviam ir reclamar com os japoneses, foram eles que fizeram as regras. De qualquer forma, GU é shotacon e é por isso que existe desejo sexual dirigido para uma criança. Se vos incomoda ou não queriam ler sobre uma criança a ser desejada sexualmente, na minha opinião, não deviam ler shotacon. Só para constar.
Agora, o ponto é a romantização, que acontece quando algo é retratado como parte de uma história de amor romântico e está ligado à apologia, que é quando algo é retratado como positivo. GU não é sobre amor romântico, para começar, mas foi por isso que pedi que, quem quisesse ler, o fizesse até ao final antes de tirar conclusões. GU é sobre crescimento, o que eu achei que fosse óbvio pelo título. Os personagens crescem a cada capítulo e têm influência um sobre o outro e é isso que os faz tornar-se os personagens que vão ser no final. E GU é sobre pedofilia, porque é shotacon. Mas só porque a fic não condena realmente a pedofilia em si, não quer dizer que a romanize ou apoie as ações do Chanyeol da fic. Existem, nos 12 capítulos que já estão publicados, seis momentos em que as atitudes pedófilas do Chanyeol são apresentadas como algo errado, dois momentos em que ele próprio se condena de forma óbvia e mais seis momentos em que o Minseok o confronta com a situação. Sim, fui contar. Para além desses, existem zero momentos em que essas atitudes são apresentadas como algo correto e zero momentos em que XiuYeol são apresentados como um casal (eles são sempre pessoas individuais e nenhum deles é sequer exclusivo ao outro). A fic tem um capítulo sobre pornografia (que toca no assunto da pornografia infantil), um capítulo sobre abuso e um capítulo sobre a forma como o Chanyeol sente a atração sexual por crianças. Ou seja, a fic toca nos pontos problemáticos, não os ignora. Não faz apologia aos abusos. Não romantiza a pedofilia.
Também há quem tenha assumido (e digo isto porque vi comentarem sobre) que a ideia é tratar de um modo mais leve um tema violento, mas não; GU trata do assunto que quer tratar exatamente com o nível de violência que eu acho que ele deve ser tratado. Porque não é uma fic sobre violência, é uma fic sobre pedofilia. São coisas diferentes.
Dito isto, quem quiser ir confirmar que o faça e quem não quiser que só olhe. Porque sair por aí a dizer que a fic faz isto e aquilo, quando não faz, não é correto, especialmente para pessoas que estão a tentar ser corretas. Não é que eu me importe muito, porque até divulgam a fic, mas ninguém gosta de publicidade enganosa. E denunciar a fic também não dá em nada porque ela não está contra as regras do site, então parem de pedir. Mas, como disse nas notas lá, se depois de a fic chegar ao final ainda acharem que deve ser apagada, há várias formas que têm para entrar em contacto comigo e conversar sobre isso. Mas é comigo, não é com outra pessoa nem com o grupo do whatsapp de não sei do quê, porque sou eu quem tem poder para apagar a fic.

Deixando GU de lado novamente (assumindo que é apenas a ela que se referem; se não for só a ela por favor digam-me, porque acho que preciso de saber)...
Se a minha escrita mete nojo, honestamente a única coisa que posso dizer a quem sente isso é que não leia. Tipo, ninguém é obrigado a ler o que eu escrevo, então nem é uma situação tão difícil de resolver. Há situações semelhantes que são bem mais difíceis. Pode exemplo, a mim também mete nojo ler comentários cheios de mentiras e ódio gratuito e infundado, mas infelizmente não posso só escolher não os ler se ofendem e difamam diretamente a mim ou a pessoas que conheço. E isto leva-me à última citação do tão longo discurso de ódio.

"eu sei que a portuga se juntou com essas famosas e eram elas que atacavam a Niki"
O ser humano tem esta capacidade fantástica de afirmar coisas, com toda uma postura de certeza, mesmo quando tudo o que tem são suposições sem sentido. Sabe menos que o Jon Snow, mas isso não impede de afirmar que sabe. Incrível.
Se tudo o que disse ali em cima ainda não chegou para mostrar que aquela afirmação cheia de certeza é na verdade completamente falsa, vou só lembrar de uma coisa: para além de nenhuma de nós ser o tipo de pessoa que faz essas coisas, tanto eu quanto as minhas amigas que foram acusadas temos mais que fazer do que envergar em esquemas conspiratórios para atacar os outros. Até para fazer este jornal, que me vi obrigada a fazer depois de ver tanta mentira sobre mim, eu demorei dias, porque tenho mais que fazer à minha vida. Mesmo nos tempos livres, tenho fics por escrever, filmes para ver, pessoas para conversar... Então por que iria eu ou qualquer uma delas perder tempo a atacar os outros? Isso é coisa de gente desocupada e com pouco amor no coração, acho.

Sei que algumas partes deste jornal vão parecer sarcásticas ou até rudes. Mas, como diz lá em cima, não confundam a minha personalidade com a minha atitude. Se alguém vai e diz este tipo de porcaria sobre mim, é claro que a minha atitude não vai ser a mais simpática. Não tem como.
Não estou aqui para agradar a todos e nunca foi essa a minha intenção, porque sei que é impossível tal coisa. Se nem bacon, que é uma coisa tão fantástica, consegue agradar a toda a gente, que poderia eu fazer? Não me incomoda que existam pessoas a odiar-me, realmente não incomoda. E se querem dizer mal de mim, que fiquem à vontade também, porque alimentar esse ódio só vai afetar quem o tem; eu vou continuar a ser a mesma pessoa. Mas, se me permitem dar algumas sugestões:
1) Não falem pelas costas. Primeiro porque não são só as paredes que têm ouvidos e eventualmente as coisas podem chegar até mim, tal como aconteceu com estas, e segundo porque fazê-lo não vai resolver em nada o vosso problema comigo. Se têm um problema comigo, venham falar comigo, que é capaz de chegarmos a uma solução. Falar de mim pelas costas não só não resolve nada como ainda vai parecer um ato de cobardia. Não sou nenhuma figura importante e/ou perigosa, podem dizer-me as coisas na cara, ou será que só conseguem fazê-lo junto de pessoas que não vos vão ripostar?
2) Quando forem dizer mal de mim, não inventem assim. Porque se têm de inventar coisas para dizer mal de mim, vai parecer que não têm nada real para me apontar. O que não faz sentido porque tenho um monte de defeitos e também faço um monte de coisas que não devia.
Ficam as dicas. Obrigada.



"Dizes que eu não sou real e que faço as cenas mal
Que vendi a minha alma para ser comercial
Nah, eu faço o que quero, o que penso e o que escolhi"

"Não te preocupes comigo, que eu estou bem com a minha cena
Se me criticas ou estigas, só me dás tempo de antena"


Sente a Minha Magia, D.A.M.A

Escutando: OH MY GIRL - Liar Liar
Bebendo: O meu chá

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...