Big Beautiful Liars (Interativa)


Postado

AUDREY SPELLMEYER IS A TOTAL BITCH



Daniel Anderson


Nome completo: Daniel Wyatt Connor Anderson

Apelido: Dani

Idade: 18

Opção sexual: Homossexual

Aparência: Johnson tem os olhos grandes e azuis. Tem o cabelo de cor castanha escura e muitas vezes despenteados. Tem a pele branca e os lábios finos. O seu nariz é "gordo" mais para parte final dele. Ele é um pouco baixo para a sua idade, mas ninguém liga para a sua altura. É cego, por isso nunca teve a oportunidade de se olhar para o espelho, mas de acordo com o seu namorado, Collins, ele é bonito, tem umas pernas bem macias e um pescoço perfeito para chupões.











Personalidade: Daniel era uma pessoa sorridente e brincalhona. Não se deixava intimidar por alguém ou qualquer coisa. Ele queria enfrentar os seus medos e mesmo que perdesse, ficava feliz por ter tentado. Mas depois dum acontecimento horrível, ele tornou-se uma pessoa solitária, fechada e vazia. Não confiava em ninguém ou falava com alguém. Somente confiava e falava com a única pessoa que não o abandonou ou o acha estranho, Collins. Ele é misterioso e por vezes cruel e rude. É frio e raramente sorri. Se ele sorri, é porque algo de muito bom aconteceu ou porque é falsidade. Exato, falsidade. Ele não gosta de ser falso, só o é quando o tem de ser. Mas também não é nada transparente. Daniel chorar, só chora quando está sozinho. Ele acredita que a sua vida não faz sentido nenhum até conseguir vingança. Muitas pessoas o julgam pela sua personalidade, mas não sabem metade da sua difícil história. Ele demonstra carinho e afeto pela sua mãe que está num manicómio considerada louca, mas os 2 sabem que não ela não é louca. Daniel é ciumento e possessivo para com Collins, ele o ama mas sempre desconfia de que ele o trai e o problema de não poder ver sempre o prejudica. No sexo, ele fica furioso porque não pode desfrutar da maneira que ele queria. Ele não tem amigos, mas pensa é melhor ficar sozinho do que mal acompanhado. É inteligente e calculista, tirando sempre as melhores notas da sua turma. Por causa da sua cegueira, a maioria das pessoas que não o conhecem não desconfiam de que ele é a "A", mas quando o ficam a conhecer melhor, ficam logo desconfiados pelo seu modo de falar, por ser misterioso e ainda porque ele é cego e isso sempre desviará as atenções para as outras pessoas. Audrey e Collins são os únicos que souberem como era Daniel e Collins sempre diz que quer o velho Daniel de volta, mas ele responde que o velho Daniel está morto, e com ele a sua alegria, o seu sonho, o seu pai e a sua visão.

Família: A sua mãe chama-se Regina. É uma mulher bem alegre e sorridente, que sempre está disposta a ajudar o filho. Eram vítima de violência doméstica e foi acusada de ter assassinado o marido, porque as provas apontavam para ela. Na prisão ela endoideceu e conseguiu matar todas as suas colegas de prisão e as seguranças, por isso a colocaram num manicómio e lá ela finalmente sente-se em paz. Ela tem 38 anos.



O seu pai chamava-se Robert e era um cretino de primeira. Batia na mulher, a queimava com cigarros, assustava o próprio filho, o ameaçava de morte e ainda o obrigava a fazer uma coisa que só irei contar nos segredos. Ele foi morto e as provas indicaram que foi a mãe que o matou e até agora ninguém provou o contrário. Se ele estivesse vivo, teria 41 anos.



História: Daniel cresceu com uma mãe com o rosto desfigurado e com um pai violento. Ele só tinha 7 anos, por isso é claro que ficava traumatizado. Sentia-se fraco por nunca conseguir proteger a sua mãe, mas nem por isso parava de sorrir. Afinal, como dizia a sua mãe, nos momentos difíceis, basta sorrir e todas as coisas más desaparecem. Na escola, todos os seus colegas gostavam de ser amigos dele. Gostavam da forma alegre de ele ser, mal sabiam que todas as noites o seu largo sorriso transformavam-se em gritos desesperados. Ele nunca contava o que o seu pai fazia com ele e com a sua mãe. Ele continuou a ser o menino alegre e perfeito até aos seus 14 anos. Ele estava muito feliz nesse dia porque era o aniversário dos seus 14 anos. Ele continuava a ser alegre e perfeito, mas existia uma pessoa de quem ele tinha medo, Audrey. Daniel, aguentava os insultos de Audrey porque tinha medo dela. Audrey por alguma razão, gostava de pisar as pessoas, mas Daniel a ignorava porque tinha um problema maior para lidar. Quando ele viu o seu pai na sala com outra mulher, ele sentiu uma raiva dentro dele. Depois de mais uma noite de abusos, Daniel ficou farto e confrontou o pai. O mesmo rio-se de Daniel e apertou o seu pescoço, lhe chamando nomes horríveis. O pai dele, prometeu matar Collins por transformar o seu filho numa bichinha mimada e enfiar a cara da sua mãe no fogão. Ele libertou Daniel e o obrigou a fazer-lhe algo para comer, já que a sua mãe estava desmaiada. Enquanto mexia na faca, lembrou-se dum plano rapidamente. Para garantir que ele morreria, colocou numa sandes os comprimidos da sua mãe e um pouco de veneno que era da sua mãe também. Ele não entendia o porquê da sua mãe ter aquelas coisas, mas ele já não queria saber. Assim que viu o seu pai comer a sandes toda e a sentir o efeito do veneno e dos comprimidos, ele pegou na faca e matou o seu pai. Ele estava a usar umas luvas da sua mãe, e quando enfiou a faca no coração do seu pai, viu a serem lançadas pela janela várias bombas que explodiram na hora. Ele deixou a faca no chão e correu para a porta, mas o fogo não deixou e o queimou. Felizmente, os médicos conseguiram salvá-lo. Apesar dos cortes profundos e das queimadoras que desapareceram com o tempo, uma coisa não foi salva: a sua visão. A sua mãe foi presa, porque todas as provas indicaram que era ela, apesar de ser mentira. Ele mudou radicalmente de personalidade e acredita que foram as 4 seguidoras de Audrey que atiraram as bombas porque elas pensaram que foi culpa de Daniel o desaparecimento de Audrey já que foi a última pessoa com que Audrey interagiu sem ser elas. Daniel mudou de cidade aos 15 anos, para a cidade dos tios,mas voltou quando ele fez 18 anos e agora Daniel busca vingança contra as pessoas que atiraram as bombas e talvez fazer mais umas coisas.

Gostos:
- Enigmas
- Matemática
- História
- Filmes de Terror
- Séries de Drama e Assassinatos
- Livros
- Humor Negro
- Collins
- Mistério
- Vingança
- Chorar Sozinho
- Corvos
- Gatos Pretos

Desgostos:
- Educação Física
- Filmes Românticos
- Cães
- Filmes de Comédia
- Pessoas Homofóbicas
- Aranhas
- O Seu Antigo Eu
- Incêndios
- Pessoas Com Qualquer Tipo de Preconceito

Medos:
- Pirofobia (Medo de Incêndios)
- Entomofobia (Medo de Insetos)
- Cinofobia (Medo de Cães)
- Medo de Collins o estar a trair
- Medo de nunca mais ver
- Aracnofobia (Medo de Aranhas)
- Nictofobia (Medo do Escuro)

Manias:
- Piscar os olhos quando está nervoso
- Mexer-se na cama quando dorme sozinho
- Roer o lápis quando está a fazer testes

Quer ter um par?: Sim, ele já tem 1. Ele é um personagem meu: Collins. Collins não é necessário ser um personagem principal. Só é necessário que Daniel descubra algumas coisas sobre ele. Se quiser pode fazer com que ele desapareça da cidade, só que Daniel tem de descobrir 2 coisas importantíssimas. É que eu não tenho inspiração para fazer uma ficha sobre ele. Posso é fazer uma mini-ficha. Com o nome, idade, personalidade, aparência e os segredos.

Enviar segredos por MP: Ok, mas 1 já foi revelado: "Ele matou o seu próprio pai".

Sobre Rosewood: "Rosewood é uma cidade amaldiçoada na minha opinião. Vivi bons momentos lá, mas os maus permaneceram na minha memória, no meu coração e nos meus olhos. Mas com certeza que não é só amaldiçoada para mim, para outras pessoas também deve o ser. Vários assassinatos, coisas estranhas e inexplicáveis acontecem em Rosewood. Parece que foi construída para fazer mal ás pessoas. Ainda sinto a presença do meu pai a rodear não só a minha antiga casa, mas como a cidade inteira. Talvez Rosewood tenha mudado muito quanto ao aspecto, mas eu nunca irei saber porque não vejo nada e tudo porque esta cidade não só é amaldiçoada como amaldiçoa as pessoas. As fazem tornar louca. Seja quem for que ardeu com aquela casa, irá pagar bem caro e não importa se eu for preso, eles vão pagar Rosewood, eles vão pagar..."

Sempre morou em Rosewood?: "Morei até aos 15 anos, mas depois que a minha guarda foi para os meus tios, eu fui obrigado a mudar de cidade. Eu voltou quando fiz 18 anos à procura de vingança contra aqueles que arderam com a minha casa e ainda para abalar um pouco as coisas."

Quão bem você conhecia Audrey Spellmeyer: "Conhecia-a aos 13 anos quando ela humilhou-me pela primeira vez. Fora isso, nunca a tinha conhecido e pouco seu dela. Esta é a verdade."

Qual foi o momento em que você mais odiou Audrey?: "Quando ela disse para todos que eu era homossexual e que namorava com Collins."

Concorda com a frase “O que Audrey diz é lei”?: "Nem um pouco. Em Rosewood, ninguém dita as regras ou a lei. O que fazem são jogos e as pessoas que jogam, pensam que são regras e leis que devem seguir."

O que diria num depoimento para a polícia sobre Audrey?: "Eu diria o seguinte: A Audrey foi sempre uma pessoa horrível. Não interessava a idade dela, era horrível e ponto final. Sempre tratou os outros mal, incluindo as suas seguidoras. Ele também me fez muito mal, mas eu não quereria descer ao nível dela, por isso nunca lhe desejava mal. Nunca, é uma palavra forte. Só não o dizia em voz alta, porque pensamentos todos têm. Confesso que fiquei surpreso quando soube que desapareceu, mas logo depois ignorei. Era menos 1 problema na sociedade. Mas as suas seguidoras continuaram a segui-la e a culparem-me do seu desaparecimento. Mas sabe, eu posso não ver nada agora, mas naquela altura eu sabia decifrar pessoas e eu sei que a Audrey não estava sozinha quando foi falar comigo. Eu senti que alguém a estava espiar, mas ignorei."

A história irá começar com o sumiço de Audrey, onde você estava na noite do sumiço dela?: "Eu estava a ir para casa e ela veio falar comigo sobre o Collins. Primeiramente, não estava a entender. Ela dizia sobre algo, que ele me estava a trair, que iria colocar algo, eu iria morrer. Resumindo uma das outras ameaças. Ignorei-a como faço sempre e fui embora."

Você teria o sangue frio de ser A?: "Completamente."

Entraria para o A Team?: "Desde que ela me ajudasse a encontrar quem atirou as bombas, é claro."

Defenderia o assassino se descobrisse que é um(a) amigo(a)?: "Os meus únicos amigos são o meu corvo e o Collins. É claro que defenderia um ou outro. KKK"

Como reagiria se descobrisse quem é o assassino?: "Depende..Depende...Se fosse uma pessoa inesperada, ficaria espantado. Se fosse alguém que já era esperado, não reagiria. Um assassino, ai que bom, eu também matei o meu pai sabias? Eu não quereria saber. Tipo, ficava agradecido por ter matado a Audrey."

Mentiria para ajudar um(a) amigo(a)?: "Sim."

Morreria no lugar de um(a) amigo(a)?: "Não, apesar de eu amar o Collins, não morreria no lugar dele. Em vez disso, mataria a pessoa que o matou. Ponto final."

O que mais costuma usar?: Daniel veste-se mais à base de moletons, camisas de manga, calças de ganga. Não costuma usar nada de extravagante, especialmente porque não consegue ver nada.

Cor (ou cores) que prefere?: Azul, Preto, Cinza, Verde Claro e Branco.

Tem algum acessório pessoal?: Sabe aqueles óculos da Jenna e a sua vara?? Ele usa isso.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...