~Cheung - Clan Sídhe

Cheung
Slut for gay porn
Nome: ☹Unknown☹
Status: Usuário
Sexo: Indisponivel
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Ficha- Inacabada


Postado


O Bem amado Ægir

Mostrar Spoiler: Pudim de Bacon
❃ Nome: Ægir Farraige. Ele não aceita ter apelidos, mas alguns o chamam de Kraken por motivos que ele não se esforça para entender. Aegir é considerado um tipo de Deus dos mares pela mitologia nórdica.

❃ Idade Aegir tem em torno de 600 anos, sem nenhuma data específica para seu nascimento. Ele é um Leonino.

❃ Raça: Tritão.

❃ Sexualidade: Pansexual.

❃ Filiação : Em breve

❃ Aparência
O Deus é uma pessoa de uma beleza inegável, tanto que mesmo que ele seja um deus nórdico, o chamam de Deus Grego. Ele é dono de traços masculinos suaves e bonitos, com um queixo definido, os lábios finos e bem formados, perfeitos para o beijo; os olhos são pontiagudos, com as pálpebras superiores retas e uniformes, enquanto as inferiores são levemente curvadas na direção oposta ao centro; a íris é em um azul profundo, brilhante, irreal, enquanto as suas pupilas são avermelhadas como sangue, tais como as sobrancelhas curtas e de formato poligonal, levemente curvadas para baixo, dando um ar ameaçador e ainda mais sério ao homem. A pele do sujeito é saudável e muito branca, como um papel, mas que ainda esbanja vivacidade. Não há uma única pinta, cicatriz, mancha ou semelhante em sua pele, e suas únicas marcas se compões por belíssimas tatuagens localizadas em seu pescoço, deltóides, ombros e peito. — se assemelham a bonitas nuvens, bolhas e remetem ao recifes de corais. Os cabelos são longínquos e leves, de cor cinzenta, lisos e um pouco rebeldes, como seriam as ondas. Seu corpo é definido em proporções admiráveis, sem ser magricela e sem ser monstruoso, com enfoque nos braços e peito. Ele é alto, mas não tanto, com 1,76m para 70kg bem distribuídos.




❃ Personalidade
Aegir é um sujeito muito encantador de aparência, mas nem tanto em termos de aspectos na personalidade. Tudo começa com um sujeito muito preguiçoso e ocioso, devasso, que prefere ficar deitado em algum divã macio sendo servido de bebida, comida e concubinas a fazer qualquer coisa. É muito egoísta e olha majoritariamente para si mesmo sempre, e isso está incluso em toda e qualquer situação, desde escolher alguma comida a decidir o rumo de uma guerra. Com todo o seu egocentrismo, isso o deu outros defeitos nele, como uma empatia muito escassa e pouco desenvolvida, com muita dificuldade para olhar alguém e aceitar sua dor, ou pelo menos tentar. Insensível, desapiedado, cruel e talvez odiado por todos os cantos. O albino também tem um histórico de ladrão, odioso dos humanos, e é famoso por causar ondas gigantescas para afundar embarcações para se apropriar dos seus bens e os usufruir em seu palácio de ouro e corais. Também é devasso e lembrado por ser dono do maior harém, das festas mais duradouras. Mesmo que ele seja um sujeito terrível e aparentemente sem motivos para ser admirado, ele pode ser considerado um gênio em termos de psicologia, persuasão e política, sempre aclamado em eventos do tipo por ser dono de ideias excelentes, e por esses e outros motivos que também foi chamado de Deus da Guerra. Então, não basta ser insuportável, ele é essencial para figuras importantes, então o descartar está fora de questão. Com um problema de superioridade e ciente de sua importância na vida dos nobres, ele se recusa a mostrar um certo nível de respeito com toda autoridade, seja a polícia, seja alguém muito influente no capital, seja o Rei, seja Deus, ele ainda vai agir depravado e grosseiro, fazendo pouco caso dos desejos e pedidos. Sua ambição é sempre monetária, e ele deseja muito lucro para tudo, então cobra preços altíssimos por seus serviços. Além disso, é um pervertido moderado e que chega a invadir o espaço pessoal de pessoas sem exagerar tanto, como delicadamente tomar o braço de uma dama para aspirar o aroma, tocar os cabelos e ser bem direto. — quando perguntam o que ele está fazendo, ele responde "Te seduzindo" e com a mesma entonação que diria um bom dia. Mesmo que seja autocentrado e superior, ele não é egoísta e não se sente ameaçado ou intimidado quando alguém o ameaça, desrespeita, o que demonstra uma calma imensa, sem humores extremos, sem explosões de raiva, de tristeza, tudo se mostra verbalmente com sua língua cheia de razão e veneno. Ele é uma pessoa muito racional, e só se mostra seguindo seus sentidos quando está fora deles — quando bebe — e tudo deve ter uma lógica, um porquê, pois humanos e sentimentos são equações imensas, e é com esse pensamento que ele consegue criar tantas coisas e ganhar tantas guerras. É possível ter uma relação de amizade com o Deus, e quando isso acontece, ele demonstra um lado mais bem humorado e menos egoísta, e mesmo que ele continue em primeiro lugar, vai dar mais atenção para a pessoa amada, então ele não é de todo ruim, só é preciso conquistar sua confiança. Ele é verdadeiro e não é uma pessoa que costuma mentir ou fingir, autêntico e confiável, e se pede alguma resposta, se o assunto não for muito confidencial e se ele estiver com saco para responder, as chances dele estar falando a verdade superam 80%. O sujeito é dono de ordens inflexíveis e diretas, dando poucas brechas para ser contrariado e semelhantes, com uma autoridade quase inquestionável. Autossuficiente e dependente, que não precisa de nada além de si mesmo para estar bem, feliz, em paz, o que muitos acham uma atitude muito egoísta, e até mesmo assustadora, pois estranham olhar em seus olhos e procurar o amor, e o único que encontram é o amor próprio. Apesar de ser muito racional, suas intuições também são fortíssimas e quase noventa por cento certeiras. Resumindo, Aegir é um homem egoísta, insuportável, preguiçoso, pervertido, insubstituível por causas essenciais, autossuficiente e com talvez um lado bom.

❃ História
Aegir não tem pai nem mãe, nasceu da espuma dos mares, um amontoado. Primeiro o rosto belíssimo, o corpo formoso, os traços venustos. Os cabelos vieram por último, longínquos, prateados e belos como as espuma das ondas. Os mares decidiram admitir uma forma humana depois de serem constantemente invadidos por humanos e de embarcações gigantes e imundas, que atiravam cadáveres, pólvora, doenças terríveis e a morte de seus tão ricos tesouros naturais. Apesar de não ter exatamente uma formação natural, o deus nasceu como uma criança bonita, esperta e de aproximadamente seis anos, e esta era uma autodidata fantástica. Tudo o que precisou para iniciar foi o básico para a escrita, que lhes fora ensinado por uma segunda sereia, sua irmã, Ram, dita como a mais sábia dos mares. Seu conhecimento é e sempre foi insaciável por informação, e como ele poderia conseguir isso? Não sabia, até um mês depois de seu nascimento, quando a sua primeira tarefa lhe foi dada: afunde aquele navio chinês. Foi lá e o fez, invocando ondas imensas que massacraram tudo, menos mapas e escrituras. Se interessou de imediato, e com esse hábito de roubar tesouros monetários e escritos que ele se fez rico. Aprendeu a ler, falar e escrever em todos os idiomas necessários; entrevistando marinheiros que conseguiu entender os países. Passaram-se os anos e descobriu que alguns humanos e outras entidades estavam lhe oferecendo sacrifícios e presentes para apaziguar os mares, para garantir prosperidade e segurança. Não gostava de admitir, mas já estava farto de ter que afundar diariamente frotas e frotas de navios, garantindo prejuízos absurdos aos reinos. Resolveu mostrar-se ao mundo, e criou pernas para si, e caminhou pelas praias de um reino enorme. A areia por onde passava se enchia de conchas, pedras marinhas e lindas criaturas – tudo isso sem seu consentimento – e então criou-se um alarde. Quem é este ser?" Encontrou-se com o Rei da época sem pedir permissão, feriu guardas por ínfimos motivos, e todos entraram em desconfiança e medo. Um acordo simples, rápido com o rei. ”Se ousar sujar meus mares, ferir meus peixes, eu afundo seu reino inteiro, e toda essa sua prosperidade não vai passar de um mito”. De dentes serrados, face vermelhas, veias do rosto quase explodindo, um acordo foi firmado até a última geração real: nenhum significante deve ser feito aos domínios de Ægir, e caso fizer, será punido com a morte da tripulação e a apropriação dos bens. O acordo está de pé até hoje, e é por isso que o reino é o mais próspero existente. Enquanto isso, Ægir se diverte em seu palácio de ouro e coral, e não é incomum ele oferecer festas incríveis para outros seres. Curiosamente, jamais convidaram um humano para lá.

❃ Aonde vive: No oceano.

❃ Par:

❃ Gostos:

❃ Desgosto:

❃ Medo/Fobia:

❃ Sonhos:

❃ Classe social:

❃ Armas:

❃ Trajes:

→Casual:

→Formal:

→Festa:

→Caça:

→Normal:

→Curiosidades:

❃ Poder:

❃ Se sacrificaria por seu amigo(a):

❃ Se você morrer não me mata, tudo bem?:

❃ O que acha sobre as outras criaturas?:

❃ Sua espécie não gosta de qual criatura?:

❃ Se o seu personagem morrer, ele morre feliz ou triste com o que aconteceu com ele?:


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...