~DarkAnn

DarkAnn
Tsundere da picanha.
Nome: Foi mal Kira, não foi dessa vez -.-.
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 2 de Dezembro
Idade: 18
Cadastro:

Irmãos para que te quero.


Postado

Irmãos para que te quero.

A uns dias para cá eu escrevi em alguns lugares que eu tenho um irmão de consideração ( Quem assiste One Piece entende ), e por pedido do Lee, eu vim esclarecer essas coisas :|.

Bem, para quem não sabe, eu perdi meu pai quando eu tinha, sei lá, uns 6 anos?
E por minha mãe não ter lá um bom emprego, eu e minha irmã tivemos que nos mudar para a casa da minha tia ( Velha chata :v ), que era em outra cidade.

Se bem que aquilo nem pode ser considerado uma cidade O_O.
Lugar perdido do tempo e espaço.
Oxe.

Foi bem difícil, afinal, eu tinha acabado de sofrer um acidente de carro, onde quebrei alguns ossos ( Tive que usar algumas toneladas de gesso :v ) e perdi meu pai. E logo eu tive que me separar da minha mãe.

Hoje em dia eu já fiquei mais forte emocionalmente, então eu consigo falar livremente de meu pai, mas isso ainda doí muito mesmo...

Então eu e minha irmã nos mudamos para aquele fim do mundo e nossa vida mudou junto.
Minha tia trabalhava em uma loja junto dos 4 filhos ( Pouquinho, né? ), e não tinha lá uma casa muito espaçosa, ou seja, eu e minha irmã viramos empregadas de sua loja e começamos a morar em um lugar apertado.

Foi nessa que eu comecei a gostar mais de jogos, já que eu não tinha quase ninguém para conversar, só minha irmã, mas mesmo ela sendo a mais velha, foi a que mais ficou traumatizada com tudo o que estava acontecendo.

E é ai que o Lee entra na história.

Depois de uns 2 meses, a gente já estava mais acostumadas com tudo aquilo, e começamos a ficar andando pela cidade, que era bem pequena, e parecia até uma vila, já que era perto de uma floresta.

Nisso nós começamos a frequentar uma lanchonete, a lanchonete da Dona Luzia.
Um doce de pessoa *u*.
Em pouco tempo viramos amigas da Dona Luzia, e passamos a ficar bastante tempo na lanchonete dela.
Nossa tia brigava bastante por causa disso XD.

E então certo dia, fugimos do serviço da loja, e fomos para a lanchonete.
Lá nós encontramos o garoto mais carrancudo e chato de todo o mundo.
O neto da Dona Luzia, Lee.

Se vocês acham estranho ele ter esse nome, eu explico.
Lee é apenas um apelido ( Depois explico ), o nome mesmo é Leonardo.

Nossa como eu zoei ele XD.
Criança que assistia Tartarugas Ninjas não conseguia encontrar uma pessoa chamada Leonardo zoar :P.

Minha irmã não foi nesse dia, então só eu que conheci aquele demônio.
Eu me dei tão mal com ele que quase saímos na porrada.
Só não aconteceu por causa que Dona Luzia tava lá.
Nisso eu jurei ódio eterno para ele e fui embora.

Eu nunca mais quis encontrar aquele ser vivo.
Mas encontrei.

Lá na cidade só tinha uma escola, então...
Eu sempre fui uma garota briguenta e com pavio curto.
E como lá era tudo no modo "foda-se" eu podia bater em quem mexia comigo sem problemas.

No meio disso, certo dia eu vi o ser vivo novamente.
Ele que tava brigando com um garoto que tinha O DOBRO DO TAMANHO DELE!!!
Eu nem sei como aquela criatura podia tá no fundamental.

No final eu era bem uns 5 anos mais nova que o rapaz, e mesmo tendo dado uma surra em bem uns 5 guris, eu era bem fraca.
Mas eu sempre fui burra, então só entrei na briga sem nem pensar.

No final eu e o Lee acabamos ambos com um olho roxo, mas espantamos o rapaz.
E começamos a virar amigos.

Só nos conhecíamos de vista mesmo, mas mesmo assim quando um se metia em problema, o outro ia dar uma mãozinha.
Nessa brincadeira até minha irmã entrou.

Apesar disso só eu e ele eramos mais conhecidos na escola.
Mas nada demais.
Então certo dia, uns garotos estavam tentando bater em um gatinho, e como eu sou a protetora dos animais, caí no cacete com eles.
Só que eram 3, e eram mais velhos que eu, então eu me ferrei.
Nisso apareceu o Lee e ele me protegeu.
E foi ai quando um dos garotos disse algo mais ou menos como isso:
"O namoradinho veio ajudar.
Esse é o casal briguento."

E o Lee disse algo bobo, mas que deu início ao nosso relacionamento fraternal.
"Ela não é minha namorada, é minha irmã."

Então ficamos conhecidos pela escola como "irmãos briguentos".

Passou uns meses, e ficamos bem mais amigos, e viramos "os três irmãos".
Nisso que Lee era o mais forte e velho, ele tinha 10 anos.
Minha irmã era o gênio, ela tinha 9.
E eu era a mais nova burra, tinha 7.

Era algo bem como filme XD.
Nós brincávamos o dia inteiro, nadávamos no rio, subíamos nas árvores, e ficávamos um bom tempo na casa da Dona Luzia.
Era muito bom fazer um lanche depois de correr o dia inteiro :3.

E eu sendo a bobona falei o seguinte: Seria legal se nós fossemos irmãos.
Nisso todo mundo concordou e fomos falar com Dona Luzia.

Algo para se lembrar, era que Dona Luzia era a única que tinha o real conhecimento da nossa "irmandade".
Minha tia dizia que não era para ter amigos, porque depois iríamos embora.
Então eu e minha irmã nunca falamos disso para ela.
Esse foi motivo dos apelidos.

Nós 3 tínhamos assistido um filme com um cara chamado Lee.
Ele pegou o apelido.
Para minha irmã, ela ficou conhecida como Cérebro, já que assistíamos "Pink e Cérebro".
E fiquei com o nome que me chamavam na escola.
O demônio do fogo.

Apelidos bem maneiros, não?

Agora voltando ao assunto...
Quando falamos com Dona Luzia, ela disse algo sobre a época dela, que era que quando as pessoas criavam uma irmandade, faziam um corte na palma da mão, e juntavam com a da outra pessoa.
Assim uma teria o sangue da outra, se tornando irmãos.

Nós fizemos isso.
Pode parecer assustador, mas foi bem massa XD.

Imagina se alguém tivesse Aids :|...

Nisso nos viramos irmãos :D.

Essa foi de longe a melhor época da minha vida 'u'.
Mas como toda coisa boa, um dia acaba.

Quando eu tinha 12 anos, minha irmã 14, e o Lee 15, minha mãe foi nos buscar, e tivemos que nos separar.
A mesma dor que eu senti quando perdi meu pai, voltou, e dessa vez eu não tinha com quem conversar.

Eu e minha irmã voltamos para nossa cidade natal, e o Lee ficou lá.
Eu não sei ao certo quando noites eu chorei de tristeza por causa disso :|...

Mas enfim...

E então quando eu tinha 15 anos e alguns meses, eu reencontrei ele :D.
Isso foi graças a meu namorado, que insistiu em me levar em um evento de animes.
Naquela época eu tinha entrado em depressão ( Foi bem terrível ), mas quanto eu reencontrei o meu irmão, toda aquela tristeza foi embora, e eu só queria contar tudo que eu passei nesses anos e assistir um filme com ele.

Na verdade foi Lee que me mostrou o spirit, então agradeçam a ele :).

Lee agora tinha uns 19, e ele estava indo para a faculdade, ou melhor, a faculdade da minha cidade.
E tinha trazido Dona Luzia e suas guloseimas ( Tem como ficar melhor :3??? )

Depois disso o Lee me ajudou bastante a me livrar da depressão.
Uma dessas ajudas foi o spirit.

E foi isso.

Ah, sim, sabe a história que foi o Lee que me mandou fazer isso?
Era mentira :p.
Amanhã é o aniversário dele, e eu quero fazer uma surpresa :3.

Eu espero que tenham gostado.
Bye bye o/.

\o/ \o/ \o/ \o/ \o/

Escutando: O barulho do ventilador ->
Comendo: O pão de chocolate do seu Zé :3.
Bebendo: Todynho ( Saúdem o todynho humanos!!! )

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...