~gyulaxia

gyulaxia
Nome: Di-lua
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Xiuhan ou Xiubaek? Eis a questão!


Postado

Vamos falar sobre Vivendo como uma garota?


O título deste jornal resume-se no assunto que eu quero tratar com vocês, leitores de vc1g, e pessoas que de alguma forma gostam do que eu escrevo. Então irei começar pelos motivos que me levaram a exclusão da mesma, que também envolvem o porquê da mudança de rumo da fanfic.

Primeiramente, como a grande maioria dos autores, eu tenho ansiedade. Isso não é segredo para ninguém. Esse detalhe sempre me atrapalhou muito a conseguir escrever no prazo, então, eu acabei avisando-os que eu nunca teria prazos. No entanto, isso é a minúscula ponta do iceberg.

Quando eu comecei a escrever Vivendo como uma garota, foi uma ideia que viera num lampejo, eu estava prestes a dormir, quando passou-me pela cabeça. Então lá estava eu, escrevendo uma nova fanfic que eu nem sonhava que teria tantos favoritos e comentários. Tantas pessoas lendo e ainda por cima, gostando. Mas como qualquer ser humano fadado a errar. Eu errei.

Pensem comigo, o Luhan sempre agredia o Minseok sem motivo algum, desde tão pequenos (embora eu tenha explicado o porquê no capítulo 13, isso não justifica, é apenas uma consequência do que ele sofreu com o pai); e agora diga-me, você ficaria com alguém que sempre lhe abusou fisicamente, e repentinamente mudou suas atitudes para melhor? Eu imagino que muitos ficariam, sim, mas eu queria lhes dizer que: Isso não é normal. Ou ao menos, não deveria ser.

Pensar nisso, enlouqueceu-me de tal forma, que eu desejava apagar a fanfic todos os dias. Eu não poderia escrever algo que lhes fizessem pensar que Kim Minseok estava fazendo cú doce quando ele só tinha medo e anseio de que aquele Luhan que lhe batia voltasse a vida.

Mas seu amigo, sempre estivera ao seu lado. Baekhyun fora o que o mantivera de pé.

Quando eu comecei a escrever este enredo, eu não fazia ideia do que era feminismo, eu não fazia ideia do que eram uma infinidade de coisas. Mas ao longo dela, eu aprendi tantas coisas, que quis repassar para vocês. Quis mostrá-los a realidade de muitos, e que o preconceito não leva a nada. Mas ah, eu nunca fui boa o suficiente, minha escrita é muita fraca para tudo o que eu desejo mostrar-lhes.

Então com essas coisas martelando em minha cabeça, minha cachorra faleceu. Ela morreu de câncer no útero, e eu a vi sofrer e chorar enquanto esperávamos o cara buscá-la para levá-la ao veterinário, pois não tínhamos como levá-la nós mesmos. Mas não tinha mais jeito, a doença já havia tomado conta de si, então tiveram que acabar com o seu sofrimento. Dez anos com ela pareceram tão poucos naquele momento.

Então, não muito tempo depois, surgiram muitos problemas familiares, que infelizmente não posso citar aqui, sendo eles muito pessoais.

Eu quis desistir de escrever.

Eu não lembro exatamente a data, mas foi quando eu recebi uma mensagem no curious cat perguntando-me: "Cê tem noção de que o que você escreve em Vivendo como uma garota é errado, né?" aquilo fora o estopim, pois senti-me um lixo. Então deletei a fanfic quando toda aquela história de abuso físico romantizado viera a tona em minha cabeça novamente. Mas eu agradeço a pessoa que mandou-me isso, ela fora o meu chute de volta a realidade. Então durante algum tempo eu pensei: Eu voltarei.

Então eu voltei.

Voltei e mudei tudo o que aconteceria do capítulo 14 em diante. E não irei mentir, eu disse que o couple seria indefinido, mas serei sincera. Não existe mais um final onde Xiuhan terminam felizes para sempre.
E além de tudo isso, eu sempre shippei errado, eu sou aquela que sempre shippa os caras da friendzone. Farei diferente desta vez, vamos fugir disso.

Se depois de tudo isso, você ainda acha que eu estou errada em sumir, e voltar completamente louca, mudando o rumo da porra toda. Você precisa rever seus conceitos, assim como eu revi os meus.

Ninguém nasce desconstruído. Aprendemos com experiências da vida e mudamos nossos pensamentos com o passar do tempo.

Antigamente eu achava normal crianças batendo umas nas outras e voltando a serem amigas logo depois, mesmo eu tendo passado pelo o que o Minseok passou (obviamente não todos os dias, aconteceram algumas vezes), mas eu estou me expondo aqui, e lhes dizendo que, sofrer bullying e agressão na infância lhe torna uma pessoa que tem medo de outras pessoas. Minseok teve apoio. Mas muitos nunca tiveram.

Ainda nos dias de hoje, mesmo tendo superado isso, eu tenho medo quando garotos se aproximam de mim.

Por favor, pensem bem em tudo isso; eu não fui uma fdp que apenas quis enganar todo mundo. Eu só queria lhes mostrar que eu errei... e bom, tudo bem errar. Mas reconhecer os próprios erros e querer concertá-los é uma virtude.

Se você leu isso, dê-me um sinal de vida de que de fato se importa, não precisa comentar nada em especial. Apenas um emoji ou qualquer coisa que me dê a certeza de que você leu até aqui. Qualquer coisa.

E para encerrar, gostaria de agradecer a todos vocês que leem e acompanham meus enredos, eu sou realmente grata, pensar em vocês me dá forças. Mesmo que pareça surreal para mim pensar que existem pessoas me esperando em algum lugar.

Eu sou grata de coração.


OBS: Se não der para responder todos os comentários hoje, irei responder amanhã, obrigada!

Bebendo: cafézinho sz

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...