ßcryout

cryout
Nome: +chan
Status: Beta Reader
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 3 de Março
Idade: 16
Cadastro:

ßcryout

糞食らえ i love y’all
park chanyeol; kai; taemin
@akashit please, hold onto my hand ☹


Betagem indisponível no momento.
Aberta somente para fanfics em andamento que eu estou betando.

Sobre nos sentirmos completos apenas quando amados

Postado

Sobre nos sentirmos completos apenas quando amados



Sobre nos sentirmos completos apenas quando amados.

Eu pensei seriamente na possibilidade de camuflar-me através de uma história, nesse pequeno desabafo. Porque, é isso o que as histórias nos proporcionam. Elas deixam que nós possamos inserir uma pequena partícula nossa nelas, um pouco de cada um, só que nem sempre o leitor capta a mensagem que está escondida em cada frase, cada palavrinha e sentimento que transborda dela.

Ao menos para mim, a escrita sempre me pareceu um ótimo refúgio, um ponto de equilibrio e, bem mais que isto, uma válvula de escape. Talvez seja assim com você também, sinceramente, eu não sei.

O que eu realmente quero dizer é que, se há alguém lendo isto, ótimo. Se não, tudo bem.
Eu sinto que recentemente, talvez eu tenha mergulhado em uma parte de minha vida, tenha retomado um ponto do passado e tornado dele a minha realidade. Confesso que eu sempre olhei muito para trás, que foram raras as vezes em que eu mantive a minha cabeça direcionada para o agora; sem culpar-me, talvez me martirizar pelo que passou; sem sentir-me pressionada por algo que ainda não aconteceu. Mas não é isso que eu tenho a falar. Não agora, porque às vezes cansa. Cansa bater na mesma tecla, chorar pelos mesmos problemas, ter de repetir que o motivo é aquilo que já foi, que já morreu, só que permanece respirando em nossa mente.

Retomar parte de minha infância é entender que, pouco importa a sua idade ou quais os números que te definem adolescente ou que ditam saltitantes: lide com a fase adulta, cara!
É entender que a criança dentro de você nunca deixou, ao menos definitivamente, de existir. Mesmo que mínima, ela ainda é parte da sua essência. Aquela inocência, o fato de que nós estamos em constante aprendizado; nós nunca iremos ver tudo o que o mundo tem a nos mostrar, nunca iremos entender absolutamente tudo.

Aquele pirralho que insiste em questionar tudo o que vê, caralho, ele não reprime sentimento. Ele pergunta sem medo. Assume que não sabe é nada.
Por quê?
Por que o céu é azul?
Por que nós respiramos?
Por que a tia sorri tanto?
Por que você se casou com o papai?
Por que você ama ele?
Por quê?

É. Por quê?
Por que eu preciso receber amor para ser feliz?
Por que eu só serei feliz para sempre quando conhecê-lo?
Por que eu sou só metade?

Amar é uma atitude admirável. Mas, ninguém nunca contou a você que primeiro é necessário se amar. Ninguém te disse, quando pequena, que não era preciso beijar na boca para misturar-se com aquele grupinho, para aparentar alguém legal.

Ninguém te parabenizou quando você aprendeu a cozinhar, sem primeiro dizer: tá pronta pra casar!

Ninguém estranhou o fato de que, você possui dois irmãos homens, e só você limpa a porra daquela casa. Não, não reclama não! Você precisa aprender a limpar direitinho pra quando casar.

Eu não tenho as melhores experiências quando inserida em um relacionamento. Porque, também pouco importa se tá tudo legal. Nunca esteve para mim.

Eu aprendi a satisfazer, a nunca rir muito alto ou a nunca abrir tanto as pernas, porque mulher precisa ter modos. Aprendi a nunca questionar.

E reprimir esse sentimento acabou aos poucos comigo. Querendo ou não, isso interferiu totalmente em minha vida. Porque eu passei a viver constantemente só para agradar, agradar e agradar.

Aquela menina era sempre a mais bonita. Aquela que vivia rodeada de elogios era sempre a melhor.
Caralho, por que ninguém disse que eu tô bonita hoje também?
Eu tô feia?
Tem algo de errado comigo?


Você não nota o exato momento em que passa a se autodestruir. Nunca nota.
Eu não notei o momento em que eu passei a odiar me olhar no reflexo do espelho. Quando eu passei a ser tão negativa. A viver apenas para os olhares alheios.

A ser dependente de alguém que me dissesse que eu estava legal assim.
Isso acabou com tudo o que esteve entre as minhas mãos. Porque eu soltei todas elas; você que me ofereceu ajuda; você que ofereceu-se para ser bem mais.
Afaste ele! Tem algo de errado.
Claro que tem.


De repente você é a culpada por tudo o que acontece, todos os problemas e você toma para si cada lágrima derramada. Mergulha mais fundo, um pouquinho mais, até que a água seque, até que você esteja num poço sem fundo e aparentemente sem volta. Está machucada devido às feridas causadas com a queda, e não há remédio que possa curar as feridas.

Não há alguém confiável que jogue uma corda para você, para que você segure nela e tente subir, porque céus, você precisa sair daquela zona de conforto!

Quando foi que o escuro tornou-se a sua visão favorita?

Você gostava do céu! Gostava do azul! Da luz, do ar leve, da sensação de estar flutuando.
Não há alguém confiável porque você afastou cada um deles, quando o que queria era dizer “Fique! Caralho, não acredita em mim. Não, você não precisa sumir. Não precisa ir. É sério, cara.”.

É aí que você percebe o que está fazendo com a sua vida; é aí que eu notei. E, cara, é devastador. É apavorante ver o estado em que você está agora. A culpa não foi totalmente minha, claro que não. Também teve as vozes, também teve o passado, também teve aquela palavra que machucou, aquela falta de apoio e cada situação que colaborou um pouquinho para que os monstros em minha mente crescessem e ganhassem o direito de liberdade: tirassem a minha liberdade.

Céus, pensem antes de dizer algo. De verdade, pensem antes de rir daquela garota, antes de impor algo sobre ela. Antes de, porque não é bonita para você, dar voz a essa porra. Antes de construir na mente daquela menina que pouco entende da vida, que ela é feita para agradar a homem; a diminuir ela em um tamanho minúsculo.
Porque, quando alguém dizer a ela que ela é linda, não, ela não vai acreditar.
Quando ela conquistar algo com o próprio esforço, ela irá exautar o caralho a quatro, exceto a si mesma.

E sair dessa zona é difícil. Muito difícil. Porque quando você quer contar àquele amigo o seu real estado, talvez você seja pressionado, ganhe um “Velho, larga de frescura!”, “Você precisa tentar, ficar assim não irá adiantar em nada”. A gente tenta sim!
Um pequeno passo adiante é grandioso para nós, e para você, inútil.

Mas, sequer um bebê nasce sabendo dar passos firmes, a andar sem ter que cair primeiro, sem dar de cara com o chão. Sem engatinhar.
E é esse o ponto: engatinhe para o amor próprio.
É. Esqueça aquilo de que você é a droga de uma metade da laranja, de que para sentir-se completa, precisa beijar na boca, precisa ser amada.

Você, eu não preciso que alguém dite isso para mim, para que eu me sinta amada.
Sinceramente, eu estou exausta. Cansada de viver a base do pensar alheio, de sentir-me bonita apenas quando o dizem. De me arrumar para você, nunca para mim.
Quem foi que disse que para ser feliz, eu preciso das suas palavras e da sua opinião?
Cale a boca!

Deixe que eu me ame. Deixe que eu aprenda qual a sensação de sentir-se liberto, de vestir a droga de uma roupa brega só porque eu quis e porque para mim está bonito.
Você pode me apoiar, claro que pode. Pode me amar sim. Pode me achar bonita sim. Sem pressão, sem exigir que eu acredite logo no início, sem fazer com que eu sinta culpa por cometer erros, por não conseguir me aceitar assim, de primeira.
Ensine-me a andar de bicicleta.
Coloque as rodinhas.
Segure as minhas mãos e não solte.
Confie em mim. Quando eu disser que consigo, deixe-me ser livre.
Deixe-me pedalar e sentir o vento bater contra o rosto.
Aplauda meus pequenos atos.
Não ria se eu cair.
Quando eu precisar fazer sozinha, deixe que eu faça.
Eu também posso me amar.
Também posso dizer que, cara, eu sou linda pra cacete, olha só isso!

Deixa eu me amar, pra depois te amar.

Escutando: Coldplay - Everglow
Permalink Comentários (4)

Atualizações do Usuário

Usuário: ßcryout
Favoritei a história
História: Piupiu.
História: Piupiu.
(chanyeol!centric / transboy) "E para vocês que perguntam se eu tenho um pintinho, eu respondo; Não tenho, mas gostaria de ter, sabe? Daqueles amarelinhos e fofinhos que fa..
Usuário: ßcryout
@teenaxdoll eu acordo cedo e to aqui ainda, morrendo de sono
Usuário: ßcryout
@teenaxdoll sinta-se esmagada aaaaa <3
Usuário: ßcryout
@teenaxdoll eu acabei de fazer isso, arghhh
Usuário: ßcryout
@teenaxdoll AAAAAA você é tão fofa, que vontade de te apertar <33