~revoir

revoir
!shipp&
Nome: • 𝒷𝑜𝑜𝓂𝒷𝒶𝓎𝒶𝒽; ... 𝟐𝟏 demons.
Status: Usuário
Sexo: Indisponivel
Localização: Indisponivel
Aniversário: 4 de Novembro
Idade: 5
Cadastro:

✧ diablerie.; [x]


Postado

dıαвяıє




Noмe & Sobяeƞoмe: Koralina Vlasköv

Noмe de Cяeeρeραsτα: Diablerie.

Aρelɪdo: [x]

Idαde: 18 anos.

Nαcɪoƞαlɪdαde: Russa, na cidade de Magadan.

Oяɪeƞταção Sexυαl: Pansexual.

Peяsoƞαlɪdαde: Koralina sempre foi muito desconfiada de tudo, e com bastante curiosidade em tudo que se passa no momento. É uma garota que indaga de tudo, quer saber várias coisas e, por este motivo pode se tornar uma garota infantil e curiosa, mas tirando esse fato, Koralina é uma garota maliciosa e bastante séria o tempo todo. É quase um milagre vê-la sorrindo, e quem faz esse feito é praticamente um amigo para ela, a pena é que ela não tolera brincadeiras, ela é isolada na maior parte do tempo e calada, só fala apenas o preciso, mas quando vê um amigo triste ou com raiva ela amolece, tenta ajudá-lo da melhor forma possível, mesmo se isso precisar de seu sorriso; por mais que ela odeie sorrir por nada. Diante de situações problemáticas, ou delicadas ela pensa muito antes de falar algo, por isso só critica ou dá opiniões, apenas, não diz algo para tentar melhorar ou divertir a situação; deixa isso para aqueles mais alegres.

Na questão da malícia, ela pensa várias coisas impróprias se alguém pronuncia palavras relacionadas a isso, mesmo se não for, e quando acontece ela dá um sorriso de lado sem o menor sentido para muitos. Mas aos próximos, eles sabem do que se trata, mas ela nunca fala quando pensa pois ela acha que é desnecessário dizer algo que eles não querem saber.

Por trás disso tudo, Koralina é uma garota insegura de si. Por isso que indaga tanto, pois quer saber a opinião de todos sobre ela, sobre seus gostos e etc., ela odeia se sentir assim, insegura, mas é algo que ela não consegue evitar pois quando viva esse foi seu trauma, saber que seus gostos são estranhos e suas opiniões desnecessárias, e quando tenta ignorar as palavras direcionadas a ela, Koralina entra em conflito interno e acaba por se punir depois.

Aραяêƞcɪα: [Katherine McNamara]
Cabelos avermelhados, num tom quase roxo, alguns cachos e na maioria; liso. Nariz fino e lábios perfeitamente desenhados, quase sempre com um batom escuro, maquiagem pesada nos olhos que destacam seus olhos verdes. Magra, pele pálida e com um colar longo pelo seu extenso pescoço. É conhecida por suas roupas longas, simples e negras que destacam ainda mais sua pele branca, tem uma estatura média, dentes bastante brancos e obtém um tato muito sensível.

Hɪsτóяɪα¹: Como já citado, Koralina nasceu na cidade de Magadan na Rússia. É uma cidade média, conhecida por sua ligação com a cultura antiga, e seus costumes quase não modificados. Koralina é fruto de um casal simples e bondoso conhecido pela cidade como casal Vlasköv, que o pai era carpinteiro e a mãe apenas uma dona de casa, um casal normal mas com uma filha estranha e amaldiçoada com poderes sobrenaturais, ela nunca soube disso até os treze anos, que quando teve seu primeiro amor escolar, algo passageiro e besta, se tornou um caso de policia.

Ele não gostava dela, mas ela o obrigou a gostar.

O nome do garoto era Vladimir, mas ele a odiava sem motivo algum, muitos diziam que era por causa de suas roupas e costumes. Quando saía da escola, num caminho solitário e silencioso ela chegou ao seu lado, ele ignorou, mas ela perguntou o por quê dele não gostar dela e sua resposta foi curta e grossa: Porque você é estranha. Essas palavras a marcaram, então com o primeiro aparecimento de seu poder ela apenas fez com que as sombras o consumissem, fazendo ele desaparecer e deixar seu perfeito olho azul; que ela mesma guarda até hoje.

E com esse papo dela ser estranha, ser rejeitada por toda a sociedade e ser odiada sem motivo, ela foi morta por uma brincadeira nada legal, foi mortal. Mas ela jurou voltar.

Hɪsτóяɪα²: Foi de noite, quando ela voltava da faculdade. O frio da cidade habitava completamente o ambiente e ela seguia tranquilamente o seu caminho para casa, quando garotas e garotos apostaram quem conseguisse assustá-la, ganharia um mísero dinheiro, eles se disfarçaram de assaltantes e pegaram uma arma do pai do garoto mais velho, assim que chegaram ao destino de encontra-la, ela não quis dar nada, e estranhou ter assaltantes no centro da cidade, e então eles esqueceram a que o gatilho estava destravado, e um descuido fez com que ela levasse um tiro na cabeça, certeiro. Mas ela disse algo antes de morrer, foi sua promessa; seu juramento que iria voltar.

Dias depois pegaram os garotos dessa "brincadeira", mas acabou que eles foram liberados. No necrotério seu corpo congelava a cada segundo que passava ali, e ela acordou, com os olhos cheios de raiva e ódio: ela havia voltado do inferno. Ela se vingou em um simples controle das sombras, e após isso ela desapareceu.

Aямαs: [x]

Gosτos:
• Ficar sozinha;
• Cores escuras;
• Uma companhia nos momentos difíceis;
• Nadar no lago;
• Lugares silenciosos, difíceis de se encontrar.

Desgostos:
• Lugares barulhentos, ou muito cheios;
• Lugares apertados;
• Cores muito claras;
• Acordar cedo;
• Cantorias irritantes;
• Muitas pessoas juntas no mesmo lugar.

Qυαlɪdαdes:
• Ela tem muita opiniões sobre assuntos variados, então se quer uma basta pedir;
• Ela ouve bem, então ela é a melhor pessoa para desabafar, por mais que depois ela só fale algo sem sentido.

Defeɪτos:
• Ela desconfia muito, seja de quem for e isso prejudica algumas amizades;
• Por ser calada, e de certa forma "tímida" é difícil conversar com ela;
• Ela não enxerga bem de dia, pois como ela relata, no inferno era apenas escuridão, gritos e sussurros, e seus globos oculares se acostumaram com isso, então é ruim sair com ela de dia.
• No caso de não enxergar bem de dia, causa irritação em seu olho e ele fica vermelho, ela não vê bem, ou até não vê nada, e ao redor do olho fica inchado.

Medos:
• Claustrofobia;
• Medo da luz do dia, por mais que já conviva com esse medo e evita sair esse horário;
• Medo de uma calibre 38, pois foi morta com uma.

Pαя: Sim, Hoodie.

Relαção coм:
Ezeqυɪel Fosτeя — Ela o respeita muito bem, não hesita em fazer as tarefas que ele passa, por mais que ela desconfie de seus preceitos. Não conversa muito com ele, mas o procura sempre em situações de conflito, quando se exalta apenas ele consegue acalma-la.

Sleƞder Mαƞ — Ela faz tudo por ele, seja morrer novamente por isso até pagar as mais severas punições com Zalgo. Ele é o único que Koralina não desconfia e nem discute, sente total devoção a ele por tirá-la da escuridão.

Iƞɪмɪgos — Koralina faz questão de tirar sarro daqueles que ela não vai bem, mas só faz isso com que a atingiu primeiro. Odeia que esse alguém sorria, então sempre faz alguma besteira para estragar sua felicidade.

Pαя — O trata muito bem, com bastante atenção mas de certa forma desconfia dele. Seu primeiro beijo foi com ele na verdade, por ser estranha ninguém nunca quis se relacionar com ela, então trata ele com muito carinho, mas desconfia muito e procura algo para fazer para não ficar perguntando muito.

Aмɪgos — Procura se interagir, mas acaba não falando muito, apenas gosta de ter companhia com aqueles que gosta, os trata muito bem.

Algo Mαɪs? [x]


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...