Globo de Ouro


Postado

Olha eu aqui com o segundo especial~!

Esse é bem menos elaborado que a Torre de Babel, e minha criatividade não colaborou muito, mas espero que gostem mesmo assim ♥ E, no final, se alguém tiver mais algum prêmio a dar a alguém, digam nos comentários~

-------------------------------------------------

Sachiko: Olá, pessoas! Hoje, nós iremos apresentar o Episódio Especial de 200 Capítulos de Uma Vida Escolar Nada Comum!
Elisa: E em formato de roteiro, para poupar a autora de quinhentos mil “Sachiko disse” ou “falou Elisa”.
S: Elisa-chan, acho que não precisava quebrar a quarta parede!
E: Você quebrou primeiro! Acha que nós devíamos saber que fazemos parte de uma história?
S: Bom, o importante é que agora estou falando em inglês.
E: Não mude de assunto! E você sabe que a história é escrita em português para conveniência da autora e das leitoras.
S: Elisa-chan, agora chega!

S: O Especial de 200 Capítulos será... Uma pequena premiação, a la “Globo de Ouro”!
E: A autora pede encarecidamente que todas suas queridas leitoras a desculpem pela falta de criatividade e falta de apelo dos especiais de 200 capítulos, mas alega que foi o máximo que ela conseguiu pensar.
S: Eu nem falo mais nada sobre a quarta parede...
E: Sachiko, esse aqui é o jornal; nem mesmo é a história em si. Não há quarta parede aqui, sim?
S: Enfim, eu vou anunciar a categoria e o vencedor, e a Elisa-chan, a Rainha Destruidora de Quartas Paredes, vai apresentar o comentário da autora sobre o prêmio!
E: Hipócrita. A propósito, use sua imaginação para imaginar a cena em que a personagem pega o prêmio conosco. Vamos otimizar nosso tempo, sim?
S: Comecemos pelas categorias objetivas!

S: O primeiro prêmio da noite é... “Personagem Feminina Original com Mais Capítulos Próprios”!
E: A competição era muito desleal, então a premiação foi dividida em subcategorias.
S: E a vencedora é... Elisa Margaret Thompson, com 43 capítulos!
E: Ah, sim, sou eu... Eu disse que a competição era desleal. Eu não sou simplesmente a protagonista; eu sou a personagem que deu origem a toda essa história. De quem é o primeiro capítulo? De quem foi o primeiro Childhood Project? A mãe de quem lançou uma oneshot própria que quase arrancou lágrimas?
S: Menos, Elisa-chan...
E: A propósito, o segundo lugar é da Anette, com 26 capítulos.
S: Eh?! Não sou eu?!
E: Não. Você perdeu um bocado de espaço na história quando passou aquelas duas semanas de mal comigo. Moral da história: nunca brigue com a protagonista.
S: Elisa-chan...!

S: O próximo prêmio, “Personagem Masculina Original com Mais Capítulos Próprios”, vai para... Júlio Santos, com 8 capítulos!
E: Quando eu digo que a competição era desleal... Na verdade, a autora tem certos bloqueios para escrever narrando como homem. Então ela os evita, e prefere narrar com mulheres. A prova disso é que a soma de todos os capítulos narrados por personagens masculinos originais é igual a 26, o mesmo número de capítulos narrados pela Anette e apenas pouco mais que a metade dos narrados por mim...
S: Elisa-chan, que tal você parar com-
E: E mais que os 20 capítulos narrados pela Sachiko.
S: Elisa-chan, isso já é bullying!

S: Enfim, o próximo prêmio, “Personagem Feminina Oficial com Mais Capítulos Próprios” é... Empate? Liechtenstein e Seychelles, com 3 capítulos cada uma!
E: Embora a autora realmente prefira narrar com mulheres, ela prefere narrar com suas próprias personagens. Assim, ela evita usar os personagens oficiais de Hetalia para narrar os capítulos sempre que pode. Isso é bem fácil de ver: dos 200 capítulos, apenas 59 foram narrados por personagens oficiais.
S: Quando o número é maior que o seu, você não compara, né?!

S: E a última subcategoria, “Personagem Masculina Oficial com Mais Capítulos Próprios”, obviamente vai para o Inglaterra, com 15 capítulos!
E: Ele nem foi o primeiro a narrar; o primeiro foi o Japão. Mas a autora viu nele a alternativa perfeita para terminar os capítulos que ficavam longos demais para que eu narrasse sozinha.
S: Vocês são mesmo um par perfeito!
E: Ora, cale a boca, Sachiko!

S: Próxima categoria! A “Personagem Feminina com Nome Mais Comprido”, segundo o critério “maior número total de letras”, é... Pietra Felicia Castro Bonaventura, com 30 letras!
E: A autora pede que ninguém se pergunte “mas desde quando a Pietra tem novos sobrenomes?”, especialmente porque as pessoas poderiam ter visto isso na Wikia (embora ela saiba que ninguém vai lá mesmo). Os novos sobrenomes surgiram depois que a autora descobriu que quatro nomes é o comum na Argentina, e não apenas dois, como era antes.
S: Antes disso, o primeiro lugar deveria ser da Natalya-chan, não? 24 letras.
E: Não, Sachiko. Pode fazer o favor de não se meter na minha parte?
S: Eh?! Não?!
E: O atual segundo lugar é da Serena, com 27 letras, e o terceiro é da Yara, com 26 letras. Mas a Serena ainda não estreou, e a Yara apareceu bem pouco, então a autora não culpa ninguém por não saber disso...

S: E a “Personagem Masculina com Nome Mais Comprido”, no mesmo critério, é... Qadir ibn Fayez ibn Talal al-Qahtani, com 30 letras!
E: O Qadir mal estreou, mas já bateu o recorde de mais letras. Antes, o lugar era do Pedro, com 27 letras, ganhando do Quentin e do Vladimir, com 26 letras cada um.
S: Sou só eu ou essa categoria anda revelando muita coisa?
E: E o Inglaterra pediu para eu dar um recado. “Vocês têm sorte de eu, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, não estar competindo com minhas lindas 38 letras!”. A autora só pede para que o Inglaterra baixe o recalque e aceite o fato de que aquele nome dele só teria 30 letras, empatando com o Qadir. E ela manda ainda o seguinte recado: “entendedoras entenderão”.
S: Eu, hein, Elisa-chan, falando em códigos aí...

S: Agora, o “País com Mais Nacionais”... Japão! Viva minha pátria!
E: O Japão possui quatro nacionais na escola: Sachiko, Hana, Kensuke e Tarou. O que no início parecia ter sido a pior limitação do mundo para a autora, agora se tornou um recorde...
S: Né? Ninguém derrotará os japoneses! Deu pra ver quando começamos a falar loucamente no especial da Torre de Babel, né?
E: Nem me lembre daquilo... A propósito, em segundo lugar, com três nacionais, há sete países empatados.
S: Sete?!
E: Em ordem alfabética... Um, Brasil, com Alice, Júlio e Roberto. Dois, Canadá, com Akie, Henry e Lily. Três, Estados Unidos, com Alexander, John e Hale. Quatro, França, com Jean Pierre, Malory e Marie. Cinco, Itália, com Francesca, Giovani e Telma.
S: Mais uma que não estreou ainda...?
E: Em sexto, claro, Reino Unido, com essa que vos fala, Melissa e William.
S: Ah, é, né, seu país não é “Inglaterra”, é “Reino Unido”...
E: Sachiko, não se atreva a falar essa besteira outra vez, sim? Enfim, por último, sete, Rússia, com Amanda, Pyotr e Vladimir.
S: Agora está virando palhaçada, né?!

S: E finalmente, a última categoria objetiva! A “Personagem Viajante”, aquela que teve que percorrer maior quilometragem para chegar até a Sekai W Gakuen, é... Yara Beatriz de Almeida Cabral, com aproximadamente 17.800 km!
E: Na verdade, a Yara não foi para a escola a partir de sua terra natal, o Timor-Leste, mas sim de Portugal. Mas, de qualquer forma, ela viajou toda essa distância... Eu particularmente acho que a verdadeira vencedora deveria ser a Paige, com aproximadamente 16.400 km, mas enfim.
S: Sério, Elisa-chan, vamos falar de pessoas que as leitoras conheçam melhor, né...!

S: Agora, as melhores categorias, as categorias subjetivas!
E: A autora pede que eu explique que ela tentou não levar em consideração as próprias opiniões, mas sim as opiniões expressadas pelas leitoras nos comentários.
S: E se sua opinião não foi bem representada, sinta-se livre para criticar! A autora não vai chorar no canto da sala! Eu acho.
E: Eu já duvido um pouco...
S: Ah, sim. A não ser que seja especificado no nome do prêmio, categoria ou seja lá como você queira chamar, só personagens originais estarão participando, viu?

S: O primeiro prêmio em categorias subjetivas, “Mister Lady Killer”, vai para... Henry Kennedy!
E: No capítulo de sua estreia, as leitoras pareciam que iam ter um ataque cardíaco... A própria autora quase teve um ataque na época, mas agora ela relê a cena e pensa, “meu, como eu pude quase ter um ataque com isso...?”.
S: Elisa-chan, nem se faça de tonta. Você também ficou caidinha pelo Henry-kun naquela cena!
E: N-nem fiquei!

S: O próximo prêmio... A “Miss Simpatia”, Seul-ki Nam!
E: A Seul-ki estreou há pouco tempo, mas é só ela aparecer que ela se esvai em sorrisos e foi automaticamente shippada com o Kensuke. Não há uma só alma que não a ache simpática.
S: Não sou eu...?
E: Não.

S: O próximo... Ah, com certeza sou eu! “Miss Identificável”, aquela garota com que a grande maioria das leitoras consegue se identificar... Roser Fontseca Baptista?! Não sou eu?!
E: A Roser já foi identificada como “uma leitora que caiu na fic”. Roser shippa ao vivo, vira a noite jogando e seu maior sonho é entrar em um anime. O título foi bem merecido. Você não ia conseguir o posto, Sachiko...
S: Mas eu não ganho nenhum prêmio...?
E: Se você quer saber, a Roser originalmente iria ganhar o prêmio de Miss Simpatia. Mas então as pessoas começaram a shippar a Seul-ki loucamente... Na verdade, a Seul-ki deveria ser a “Miss Shippável”, mas enfim, a autora faz o que ela quiser...

S: Já que estamos falando de ships, o prêmio de “Casal Mais Shippado” vai para Englisa!
E: QUÊ?!
S: Não se faça de desentendida, Elisa-chan! Todo mundo já sabe que a história só surgiu porque a autora queria escrever Englisa.
E: Mas daí para esse ser o casal mais shippado já é um pulo muito grande...!
S: Mas você e o Inglaterra-kun monopolizam todos os capítulos, o que você queria? Vocês ainda são o único casal cujo nome foi mencionado dentro da história! E o Capítulo 200, meu Deus, eu queria estar naquele restaurante...!

S: Mas alegre-se, Elisa-chan!
E: Quê?
S: O prêmio de “Casal Mais Fofo” vai para Ginger Pair, e não Englisa!
E: Quê...? QUÊ? Mas como assim?!
S: Aí ela fica irritada...
E: Aqui diz que o Capítulo 190 alavancou Ginger Pair de tal forma que todo mundo passou a achar não só que Ginger Pair era o casal mais fofo, como também o Escócia deveria dar lições de cavalheirismo ao Inglaterra.
S: Oh! É uma ótima ideia!
E: Ótima uma ova...! ... Bom, não seria uma ideia tão má assim...

S: E agora, em uma categoria que eu ainda não entendi a diferença para a anterior... “Casal Diabetes”, Hanadá!
E: Isso é porque as cenas deles são tão fofas e açucaradas que é capaz das leitoras contraírem diabetes...
S: Então por que eles não são o casal mais fofo?
E: Porque, segundo a autora, há uma diferença entre a fofura romântica de Ginger Pair e a fofura açucarada ai-meu-diabetes de Hanadá, o que gerou a dupla premiação.
S: Ah...
E: Um pequeno recado da autora: “aproveitem enquanto podem. Risada maléfica”.

S: Ainda falando de ships... O prêmio “Nome de Ship Mais Engraçado” deu empate... Poser e Shoot And Run Pair!
E: ... Oh, até que são mesmo engraçados.
S: Né?
E: “Poser” é Portugal e Roser. É a simples junção do nome deles, mas também é uma palavra inglesa usada para aquelas pessoas que fingem ser algo que não são. A autora ri desse nome toda a vez, mas avisa que o casal tem nomes mais “decentes”.
S: Pessoas, shippem Rose Pair, é vingança contra a Roser Shippadora!
E: Não acho que isso se qualifique como vingança, mas... Enfim. “Shoot And Run Pair” é Suíça e Hans. A razão é bem óbvia: o Suíça atira com a arma, e é melhor que o Hans saia correndo, ou leva tiro. Isso mostra a relação amor e ódio entre eles, principalmente quando a Liechtenstein está envolvida com o Hans, mas daí para representar o casal... Bom, é isso que faz dele engraçado.
S: Oh, agora eu entendi!
E: O quão lerda você é...?

S: O último prêmio para ships! “Nome de Ship com Melhor Referência”, Swan Lake Trio!
E: É o trio envolvendo Bielorrússia, Rússia e Amiya. As referências são várias.
S: Por isso levou o prêmio!
E: Primeiro, o Lago dos Cisnes é um ballet. Amiya é uma bailarina, Rússia é um dos países com mais fama pelo ballet e a Bielorrússia entra para as aulas de ballet também. Segundo, há um breve triângulo amoroso nesse ballet: Odette, o cisne branco, Odile, o cisne negro, e Siegfried, o príncipe. Acho que não preciso dizer quem é quem.
S: Até eu entendi...!
E: Terceiro, a turma de ballet vai dançar uma suíte do Lago dos Cisnes. Quarto, durante a apresentação, a autora planeja uma cena que reflete a ação de Odile para com Odette.
S: Ela já planeja essa cena há tempo, né...? Preguiçosa, já deveria ter escrito.
E: Ah, é, e ela ia pular dois meses de história? Não seja idiota!
S: Você só está assim porque aconteceu muita coisa nesses dois meses, não é mesmo?
E: Ora, cale a boca!

S: Agora, vamos a categorias mais interessantes... E mais subjetivas!
E: Isso não me cheira nada bem...
S: Categoria “Personagem Mais Misterioso”... Um empate esperadíssimo! E não poderia ser diferente! Erik Nikolay e Natalya Inger Løkken Volkov!
E: Os gêmeos já apareceram apitando no meu radar, o que foi misterioso pra caramba. Sem contar que eles não me julgaram por eu ter sangue de fada e essas coisas, o que ficou bem mais justificado depois que eles foram revelados descendentes de elfos.
S: Mas até isso acontecer, foi tudo tão misterioso...
E: E ainda tem o passado dos gêmeos, que foi um sufoco pra autora revelar... Sem contar no estrago mental que mencionar o passado causa na pobre Natalya. Ainda mais porque...
S: Elisa-chan, maneira no spoiler aí! Eles são os mais misteriosos, para de estragar isso!
E: Enfim... A personalidade deles também contribui para o mistério... Incluindo o signo, Escorpião. A autora disse que, se eu não mencionasse o signo, ela me mataria, então... Não que a criadora dos gêmeos tivesse consciência dessa característica dos escorpianos quando escolheu a data de aniversário.

S: O próximo prêmio, “Personagem Feminina com Maior Evolução” vai para Angelika Anette Schmidt!
E: Primeiro, vamos apontar o fato de que não, nem sempre a Anette teve como primeiro nome “Angelika”. Foi só depois de a autora descobrir que é praxe na Alemanha dar um nome espiritual, e embora “Anette” signifique “cheia de graça”, não parecia se qualificar muito como nome espiritual...
S: A autora também quase teve um treco ao descobrir que na Alemanha é proibido dar nomes que sejam diminutivos alemães para outros nomes. A sorte da autora é que Anette é um diminutivo holandês, então é válido...
E: Mas também há várias outras variações de escrita de Anette autorizadas pela Alemanha, então no fim das contas deu tudo certo.
S: Mas a Anette-chan não ganhou o prêmio só pelo nome, né?
E: Claro que não, né! Se você acompanhar as aparições da Anette desde o começo, vai perceber a mudança. No começo, ela era uma alemã rígida, seguidora de regras e que agia como a pessoa mais correta do mundo. Tudo mudou quando uma leitora comentou que ela parecia irmã do Alemanha, e as coisas caminharam para esse caminho...
S: Logo a Anette-chan entrou em um triângulo amoroso com o Itália-kun e o Alemanha-kun, ganhou muito mais personalidade do que tinha antes, e agora até é capaz de burlar regras para salvar quem gosta, coisa que antes ela jamais faria!
E: Isso e outras pequenas evoluções ao longo da história... Só relendo mesmo para perceber tudo.

S: E o prêmio “Personagem Masculina com Maior Evolução” é do Kensuke Honda!
E: Ah, sim. O Kensuke evoluiu de “rebelde sem causa” para “garoto com passado problemático que o fez assumir a postura de valentão, mas que na verdade tem um bom coração”.
S: Nossa, isso resume toda a evolução dele...!
E: O negócio é esperar para ver como essa evolução vai acabar. Será que o Kensuke conseguirá mudar o Pyotr para o lado bom da força? Afinal, a história finalmente ganhou vilões de verdade, não precisamos mais de valentões para isso...
S: Elisa-chan, olha o spoiler!
E: Sachiko, eu nem disse nada! Só disse o óbvio!

S: Agora, o prêmio de “Personagem com Passado Mais Triste”: Akie Lavoie! Eh? Não é a Malory-chan?
E: A Malory só atraiu azar pra todo mundo a vida inteira dela, e claro que isso é triste, ainda mais com aquela cena da melhor amiga morrendo por causa de cacos de vidro... Mas ela teve azar e não ganhou o prêmio.
S: Oh, a ironia...
E: O passado da Akie também é tenso: ela foi sequestrada e mantida em cativeiro por tempo o suficiente para adquirir várias fobias, mas ainda assim teve de se reerguer e mostrar só sorrisos para as três irmãs mais novas.
S: Acho meio sacanagem sair comparando tristezas, né, mas fazer o quê... Bom, a Akie-chan realmente sofreu um bocado.
E: Isso sem contar que a Akie ainda guarda feridas emocionais, enquanto a Malory já aceitou o fato de que sua vida é uma desgraça e pronto...
S: Credo, Elisa-chan...!

S: Outro prêmio para passados! A “Personagem com Passado Mais Elaborado” é a Hana Murasame!
E: A Hana, assim como a grande maioria das personagens da autora, não foram criadas com nenhum passado. E então a autora resolveu avacalhar com a vida, criou um grupo de vilões, criou a sua adorada “treta máster”, que ela fez questão de me enrascar nela, e deu passados para alguns personagens...
S: E a Hana-chan é uma delas?
E: Sim. Qualquer coisa que a gente disser aqui seria spoiler, então esse prêmio vai ter de ficar assim, boiando. Quando as leitoras entenderem, elas que reclamem com a autora.
S: Mas não tem nadinha mesmo pra nós dizermos?
E: Bom, tem uma pequena frase, a mando da autora... “Nem tudo é o que parece ser”.
S: Mas isso não é o título de um capítulo?!
E: “P.S.: sim, eu gosto dessa frase, me deixem em paz”.
S: Eita...

S: E esses foram todos os prêmios!
E: Aleluia, achei que não acabariam mais...
S: ... Espera, acabaram-se os prêmios e eu não ganhei nada mesmo...?
E: Não, Sachiko.
S: Nem um prêmio de consolação...?
E: E você já viu premiação desse estilo ter prêmio de consolação, Sachiko?
S: Ao menos eu não fui vítima da treta máster.
E: E-ei! Vamos parar de jogar sujo!
S: Bom, então a gente vai ficar por aqui! Semana que vem tem o terceiro e último especial de 200 Capítulos de UVENC!
E: Sachiko...! Não mude de assunto...!


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...