~Fram

Fram
Nome: Francys
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Aniversário: 23 de Outubro
Idade: 25
Cadastro:

Ambientação da História – Ambiente e Organização Social - Púrpura


Postado

História da Grande Guerra.


1. Introdução

Quando os seres humanos descobriram que a existência dos seres mágicos e sobrenaturais não estava restrita a mentes loucas e filmes hollywoodianos, a situação mundial ficou tensa. A certeza de que existiam coisas sobre as quais a humanidade não entendia totalmente, levou ao medo.
E o medo trouxe junto consigo a desconfiança, que, por sua vez, trouxe reações intensas e irracionais.
E foi então que começou uma nova “caça as bruxas”, que poderia ser comparada com a que fora promovida pela Inquisição, séculos antes.

2. Dividir para Conquistar

Os seres sobrenaturais foram “tirados” do armário, por assim dizer. Viveram anos escondidos para não se revelarem aos humanos, justamente a fim de evitar o que aconteceria. Em um primeiro momento, o torpor e a surpresa, os deixaram desnorteados, dando chance para que as autoridades humanas — que a essa altura tinham se unido contra um inimigo mais forte —, organizassem pequenos ataques, que a principio não foram creditados a eles. Afinal, as classes sobrenaturais também tinham divergências entre si, e a tática mais inteligente era a de se aproveitar disso, creditando os ataques a classes diferentes.
Matilhas foram atacadas de forma que não se tivesse dúvidas de que aquilo só poderia ser obra de feiticeiros. Fadas e Elfos foram acusados de declarar guerra ao um covil de demônios mágicos... Muitos outros ataques se sucederam, deixando, em um primeiro momento, as classes sobrenaturais em polvorosa.
Aos humanos, coube apenas esperar e apreciar as classes sobrenaturais lutando entre si.
E surpreendentemente a tática deu certo, pelo menos por um tempo, graças à ajuda de alguns membros desgarrados das próprias classes: Um bruxo revoltado, um demônio ambicioso por poder, um shifter precisando de dinheiro... Pessoas desesperadas ou raivosas são capazes de qualquer coisa, e os humanos sabiam disso. Afinal, depois de tanto tempo guerreando e fazendo acordos entre si, buscando o ganho pessoal dos homens que detinham o poder, os lideres humanos estavam familiarizados com o quão fácil era corromper a pessoa certa, com promessas de poder e dinheiro.
Entretanto, o plano não podia ser o suficiente. Mas os lideres humanos não conseguiram enxergar isso a tempo, porque por mais que a humanidade acreditasse ser esperta demais, ela não era. Os sobrenaturais começaram a realmente pensar, observando as circunstancias dos ataques seguintes, logo percebendo que estavam sendo manipulados. E foi então que eles entraram na guerra, finalmente cedendo ao que muitos já exigiam há tempos: a subjugação dos humanos.

3. A reação.

O que acontece é que, enquanto a maior parte dos sobrenaturais se contentava em se esconder nas sombras, não se importando o suficiente com os humanos para querer uma guerra, ou simplesmente querendo viver uma vida relativamente pacifica; muitos deles não aguentavam mais a situação de viverem escondidos, esperando que os governantes do conselho decidissem revelar o que estava a tanto tempo oculto. E com a constatação do que os humanos estavam tentando fazer, foi impossível, até mesmo para os mais ferrenhos pacifistas, fazer algo para interromper o que estava por vir.
As classes de sobrenaturais, decidindo pôr de lado as divergências internas para lutar contra um inimigo comum, juntaram-se. Tarde demais, a humanidade percebeu que haviam feito o movimento errado.
A guerra foi intensa e mortífera, assim como são todas. E os humanos fizeram de tudo para vencê-la, criando resistência, atacando locais de forma isolada, usando todo o armamento pesado que tinham... Tudo em vão. A vitória foi dos seres sobrenaturais, que se infiltraram em todos os lugares, fazendo os humanos recuarem.

4. Nova Ordem mundial

A recuperação foi lenta e progressiva, durando anos. E quando terminou, o lugar dos humanos já estava bem demarcado.
Eles ainda podiam trabalhar; estudar e ter uma vida relativamente normal. Mas não poderiam concorrer a qualquer cargo de alto poder.
O mundo era agora controlado por um conselho formado por vários integrantes das classes sobrenaturais, que reorganizaram o território mundial, implantando novas políticas e bloqueios. Aos humanos, restou acatar as decisões, ainda que alguns tentassem organizar alguma resistência ao totalitarismo sobrenatural, formando milícias. Essa reação, porém, era quase nula, sendo efetivamente massacrada pelo poderio maior dos sobrenaturais.


5. Gráfico de como se organizava a sociedade.

(NT: Eu tentei upar a imagem do meu gráfico feito no paint aqui - eu não sei fazer edição gente, perdoa -, mas como não tô conseguindo colocar ela exatamente aqui, onde tinha que ficar, ela vai estar no final do texto. Me perdoem, okay?)

A organização social passou a ser tal qual demonstrado na pirâmide acima. No topo, estão os conselheiros sobrenaturais, sendo estes alguns dos mais antigos e poderosos seres pertencentes às classes. Eles é que davam a palavra final sobre qualquer problema grandioso, ou que não pudesse ser resolvido nos tribunais comuns.
No meio da pirâmide, estão às classes sobrenaturais, que não estão de forma alguma acima umas das outras, mas sim no mesmo nível. Após a grande guerra contra os humanos, começou a vigorar um acordo de paz entre as classes, que se esforçavam para conviver o mais pacificamente possível, embora muito do preconceito residual das rixas de antes da grande guerra ainda estivesse vigorando. A classe das fadas não se dava com a classe dos demônios, e a classe dos shifters não se dava com a classe dos feiticeiros. Mais abaixo, veremos que tipos de criaturas fazem parte de cada classe, mas antes, falemos sobre como ficou a humanidade.
Após perder a guerra, os humanos passaram a ser considerados escoria. Eles são a base da pirâmide social, sendo a eles reservado o desprezo da maioria das classes superiores. No que diz respeito à qualidade de vida, pouca coisa havia mudado.
Eles ainda podiam trabalhar estudar, casar, ter filhos, mas eram controlados pelo conselho, vigiados e reprimidos. Embora não fosse proibido que um humano se tornasse advogado ou médico, por exemplo, ele ainda era fortemente conduzido a escolher uma profissão mais submissa, mais condizente com seu status.
Humanos não poderiam ser policiais e nem se alistar no exercito. Tudo o que fosse ensinado nas escolas humanas, deveria passar antes pela aprovação do conselho. Eles não podiam viajar para fora do sua cidade sem comunicar o motivo. Tinham, na verdade, uma liberdade vigiada, o que incomodava bastante, não só aos humanos, como também a alguns paranormais simpáticos ao que estes passavam.

6. Introdução às Classes.
As classes sobrenaturais eram divididas em quatro, como já foi dito, e cada uma delas engloba mais de um tipo de criatura.
Demônios: Ao contrário do imaginário popular, os demônios aqui descritos não têm nada a ver com os bíblicos. Ou pelo menos, não muito. Geralmente divididos entre os mágicos e os que não têm magia.
Demônios Mágicos: Não confundir os demônios mágicos com feiticeiros. Apesar de compartilhar o fato de trabalharem com magia, as ideias e diretrizes são diferentes. Os demônios mágicos conseguem ler mentes e aceitar pactos, concedendo desejos a humanos ou outros sobrenaturais, mas sempre esperando algo em troca. Ao contrário do que se espera, ele não se alimenta da alma do pactante, e sim de sua vontade. Quando alguém faz um pacto com um demônio mágico, promete a ele escravidão eterna. É disso que eles se alimentam.
Demônios sem magia (ou demônios vitais): Não se iludam achando que estes são menos poderosos porque não conseguem manipular a magia. Na verdade, eles costumam ser mais letais por causa do seu poder de sedução. Dois demônios desse tipo são bem conhecidos pelo imaginário humano: O Incubus e o Vampiro. Eles não são chamados de demônios vitais à toa, pois vivem da energia alheia e precisam dela. Dos dois, o vampiro é o mais conhecido, precisando de sangue pra viver, retirando energia vital de sua presa através disso.
Incubus também vivem de energia, entretanto, não a retiram do sangue, e sim do sexo. Ambos são perigosos, porque ao invés de operar pelo medo, como os demônios mágicos, eles operam pela sedução.

Fadas e Elfos: Não há muito que falar das fadas. Elas são seres mágicos, extremamente ligados à natureza, preferindo viver perto das florestas, tirando seu poder dos elementos naturais. Não obstante, elas podem manipular os elementos, sendo que cada fada acaba por se aperfeiçoar na manipulação dos elementos com os quais se sente mais ligada. Não há uma regra quanto a isso. Uma fada pode manipular um só elemento, ou até os quatro, embora esse último seja extremamente raro, por exigir muita concentração e estudo. Fadas e Elfos costumam ser quietos e introspectivos. (Aqui cabe dizer, que elfo é o masculino de fada).

Shifters: Também podem ser chamados de Metamorfos. Têm a capacidade de se transmutarem em uma forma animal. Embora o mais comumente conhecido seja o lobo, muitas vezes chamado de lobisomem, há outras espécies. Shifters são os que vivem uma vida mais parecida com a humana, embora haja diferenças. Eles não costumam manipular magia, mas são mais fortes e ágeis em relação aos humanos e às outras classes. Também são conhecidos por sua pouca paciência e pavio curto, espelhando o lado selvagem dos animais.

Feiticeiros: Feiticeiros são muito próximos das fadas em termos de poder, provavelmente por também serem muito ligados à natureza e pela manipulação da magia. A diferença mais gritante seria o fato de que eles não podem lidar diretamente com a energia, como as fadas. São mais como canalizadores dela, tomando-a de uma forma distinta da natureza e potencializando os seus efeitos através dos feitiços e poções. Feiticeiros costumam ser pacíficos e centrados com um quê de superioridade.

Observação sobre o bem e o mal: Embora seja um hábito humano classificar as coisas como boas ou más, de forma generalizada e indiscriminada, não cabe generalização por estereótipos aqui. A cultura do sobrenatural é tão rica quanto à humana e, independente de sua classe, há gente de todo o tipo. Nem todos os demônios podem ser classificados como maus somente pela classe a que pertencem e nem todas as fadas podem ser consideradas como boas apenas por isso. Acima de tudo, considerando a cultura das classes, não há bem ou mal absoluto. Todos são capazes de carregar ambos dentro de si e dai provem o equilíbrio. Sim, há pessoas que acabam se deixando dominar por um dos lados, mas mesmo na mais profunda escuridão, pode ser encontrada a luz.

7. Detalhamento das Classes: Forma de Vida, Cultura e Costumes.

7.1 Demônios

Características físicas e forma de agir: Como já mencionado, eles se dividem em dois grupos distintos e não costumam se misturar muito. É uma característica da classe ser orgulhosa, mas bastante inteligente e estrategista.
Em termos de aparência, tanto um subgrupo quanto o outro se assemelham muito aos humanos. Não há chifres e nem cheiro de enxofre.
Falando especificamente dos demônios mágicos, eles têm o poder da telecinese e do teletransporte. Mesmo antes da guerra, costumavam aparecer para humanos desavisados à procura de um ganho fácil. São atraídos pelo desespero, medo e ambição, reconhecendo a vitima perfeita. Seus olhos costumam ficar vermelhos quando estão concedendo desejos.
Sobre os demônios vitais, estes são extremamente belos, carismáticos, charmosos e galantes. Sempre sabem o que dizer e fazer para deixar as pessoas confortáveis ao redor deles. Vivem da sedução para conseguir a energia que necessitam. Ao contrário dos irmãos mágicos, seus olhos ficam completamente negros quando estão excitados e prestes a morder alguém.
Apesar de viverem da energia vital, eles tendem a não tomar muito de uma pessoa só e são extremamente cuidadosos. Incubus, principalmente, tendem a fazer com que a experiência seja prazerosa para o parceiro ou parceira; e a mordida de um vampiro pode ser fonte de prazer para a presa, se o vampiro em questão assim o desejar.

Moradia e Hábitos: Eles podem viver em qualquer lugar que desejem e costumam gostar de regalias. Nada de cavernas escuras ou buracos. Eles estão mais para escolherem uma cobertura em um prédio caro para ostentar. Demônios são muito mundanos, principalmente os mágicos. Quanto aos vitais, embora não tenham qualquer problema para andar a luz do dia, preferem a noite. Não é nem uma questão de gosto, mas sim de praticidade. É muito mais fácil encontrar uma presa em uma boate cheia de madrugada do que em um supermercado ao meio dia.

Expectativa de vida: Nem um ser sobrenatural é imortal, no entanto costumam ter uma vida bem longa, muito mais do que os humanos. E não são fáceis de matar. No caso dos demônios, eles ainda são mais fortes do que as outras classes, imunes a quase tudo. Seu ponto fraco é área acima dos ombros. Se você quer matar um demônio, só conseguirá se decapitá-lo.

Acasalamento: Demônios são seres solitários, mas são sim capazes de se acasalar, encontrando um companheiro ou companheira, e são completamente funcionais para ter filhos, se assim decidirem. (Característica comum a todas as classes.)

7.2 Fadas e Elfos

Características físicas e forma de agir: Fadas costumam ser belas e resplandecentes, quase sempre atraindo o interesse das outras espécies. São delicadas e com um ar de realeza que muitos leem como arrogância, embora não seja isso. São quietas e centradas em se aprimorar cada vez mais na arte de manipular os elementos da natureza.

Moradia e Hábitos: Preferem viver perto da natureza, sejam florestas, bosques ou praias. Tem hábitos saudáveis e costumam ser vegetarianas, não participando do que consideram uma brutal matança, embora reconheçam que comer carne fosse necessário para o equilíbrio natural. Não gostam de se misturar com outras classes, salvo os feiticeiros.

Expectativa de vida: Fadas também tem uma expectativa de vida alta, mas são mais frágeis do que os demônios. Podem morrer envenenadas pela poluição excessiva e sua maior fraqueza é, ao mesmo, tempo sua maior força. Morar perto da natureza é mais do que uma vontade, é também uma necessidade. Fadas precisam da liberdade de estar em contato com o seu elemento guia. Se forem privadas disso, definham até morrer.

Acasalamento: Costumam acasalar entre si, geralmente escolhendo o companheiro ou companheira que manipule um elemento natural que corresponda ao seu.

7.3 Feiticeiros.

Características físicas e forma de agir: Feiticeiros são humanos que manipulam magia, ou no caso, que são condutores de magia. Esse dom é herdado desde os tempos antigos, embora não se saiba exatamente como ou porque começou. Somente humanos que “herdaram” o dom de seus ancestrais podem usufruir da magia. Antigamente eram os curandeiros, que ajudavam os outros através do seu conhecimento de poções para acelerar a cura. São considerados instrumentos para a magia já existente na natureza, pegando a energia de uma forma (uma raiz ou um tipo de erva, por exemplo) e a transformando em algo mais forte, dando vida útil a ela. São ligados à mãe terra principalmente, e agradecidos pelo que ela fornece. Tem uma boa relação com as fadas, a quem consideram como irmãs de jornada. Com o tempo, foram aperfeiçoando as suas habilidades, sendo capazes de canalizar melhor a energia, conferindo força mágica às suas palavras. São firmemente ligados ao que chamam de espíritos guias, que os ajudam a controlar e a potencializar a energia adquirida.

Moradia e Hábitos: Assim como as fadas, têm preferência por estar perto da natureza, procurando sempre se manter em contato com a terra mãe, e muitas vezes precisando dela para que as poções e feitiços funcionem.

Expectativa de vida: Bruxos são, de longe, os mais fracos. Qualquer coisa pode mata-los. Então são extremamente cuidadosos com sua segurança.

Acasalamento: Bruxos se acasalam de forma parecida com os humanos. Às vezes por conveniência, às vezes por paixão.

7.4 Shifters.

Características físicas e forma de agir: Shifters, a uma primeira olhada, não parecerão nada diferentes dos humanos. As suas diferenças são invisíveis a um observador desatento. Mesmo na forma humana, eles são mais ágeis, perceptivos e fortes do que os humanos comuns. Seus sentidos são mais aguçados, ainda que sejam mais limitados quando estão em suas formas humanas do que quando estão em suas formas animais. São resistentes e fortes.
Também costumam ser bastante impacientes, embora isso possa variar conforme a espécie de animal para qual eles mudam. Na verdade, eles espelham muito a sua forma animal. Lobos são territorialistas, Tigres solitários, Ursos são irritáveis, Panteras são preguiçosas. Embora, é claro, haja exceções, isso é quase uma regra. Shifters não gostam de conversa fiada, preferem a ação, a adrenalina.

Moradia e Hábitos: Isso depende da espécie. Tigres, mesmo os que são humanos na metade do tempo, preferem lugares ermos e solitários. Não gostam de se sentirem presos ou tolhidos. Lobos já são mais sociáveis, vivendo em matilhas grandes e dividindo espaço uns com os outros.
Todas as espécies têm em comum, a necessidade de viver em um espaço aberto, onde possam mudar e correr em suas formas animais.

Expectativa de vida: Assim como a maior parte dos sobrenaturais, a expectativa de vida é longa. São mais resistentes do que as fadas e menos do que os demônios. Shifters podem se curar rapidamente de uma ferida, mas precisam estar ou mudar para a forma animal para acelerar o processo de cura. Prata é extremamente venenosa para eles e a melhor forma de matá-los é por ela.

Acasalamento: Shifters se acasalam para a vida, novamente espelhando o comportamento animal. Por isso, são extremamente cuidadosos com a escolha do parceiro.

8. Mais considerações e crenças da classe shifters.

Alcateia/Matilha/Orgulhos (nome dado aos coletivos de felino) e Bandos: Os coletivos de shifters mudam de nome conforme o tipo de animal, mas a hierarquia dentro de cada grupo é praticamente a mesma, com pequenas mudanças estruturais.
Alfas: São mais fortes e líderes naturais. Eles estão no topo da hierarquia. Como existem vários coletivos regionais, a cada um é designado um Alfa para governar e tomar as decisões importantes. Normalmente, um Alfa só perde seu posto de líder quando morre ou é desafiado e perde.
Betas: São os segundos na hierarquia. Não são tão poderosos quanto os Alfas, mas são mais fortes e resistentes do que humanos normais. Também não são afetados pelos cios.
Ômegas: Ômegas dividem opiniões. Na natureza, são considerados menos resistentes e mais fracos, mas no mundo shifter costumam ser encarados como especiais e intocáveis, pelo menos para a maioria. Ômegas do sexo masculino podem engravidar e passam por um período de Cio. Atualmente, ômegas são raros. Ninguém sabe explicar o porquê, todavia a quantidade de ômegas nascidos foi caindo até que sobraram poucos. Por isso, eles costumam ser bem protegidos, mesmo que alguns ainda torçam o nariz pra eles.

Cio/Ciclo/Calor: Todas essas denominações são usadas para quando um ômega entra em estado de frenesi sexual. Seu corpo se prepara para ser fecundado, exigindo ser saciado. Costuma ser doloroso e quase incapacitante para um ômega, que exala um cheiro extremamente atraente para alfas. Nesse período, que acontece duas vezes por ano e costuma durar uma semana, eles se isolam.

Companheiro: shifters escolhem um parceiro para a vida inteira. O conceito de companheiro para eles é bem parecido como conceito de alma gêmea para os humanos. Eles não escolhem conscientemente seu companheiro, encaram isso como um presente do destino. Como não têm ideia de quem são os companheiros reais, passam a vida procurando por eles. Quando encontram, acasalam-se para a vida, e a perda de um companheiro é extremamente dolorosa. Obs: Esse tópico em particular é controverso. Encontrar companheiros de alma é mais difícil do que encontrar um ômega. Então, a maior parte dos shifters o ignora, classificando-o como fantasioso. No caso de não encontrar o companheiro de alma, shifters costumam acasalar quando seu lado animal encontra outro compatível.

Acasalamento:
Quando shifters encontram seus companheiros (ou pessoa compatível), eles entram no calor de acasalamento e a compulsão para selar o vinculo é alta. O vinculo é selado com sexo e uma mordida no pescoço ou na nuca. A mordida deixa uma marca que cicatriza, mas não some, deixando claro que aquela pessoa já tem um companheiro.

Calor do Acasalamento: Parecido com o cio. Só acontece uma vez e dura em média três dias. Nada mais é do que um período em que os novos acasalados têm que se manter perto do outro. Não é aconselhável se aproximar de um par acasalado durante esse período, shifters são tão territoriais quanto animais selvagens. (PS: O calor costuma acontecer uma vez só, mas se ocorrer algo que possa significar a ruptura do acasalamento, não é incomum que aconteça novamente).

Marca do acasalamento: Como explicado no tópico do acasalamento, a marca nada mais é do que a prova física de que a pessoa tem um companheiro. A marca é hipersensível e pode ser tornar uma zona erógena.

Executor: Executores são o mesmo que detetives ou policiais. São eles que levam os transgressores da lei para julgamento. São divididos entre: Executor primário (equivalente a um policial de rua), Executor Interno (equivalente a um detetive), e Executor do conselho (equivalente a um agente especial).

Feral: É quando shifter fica preso só em sua metade animal, não conseguindo se conectar com a metade humana. São bem parecidos com a versão hollywoodiana de lobisomens; sedentos por morte e sangue. Shifters se tornam ferais por muitos motivos, mas o mais comum se deve a um acasalamento rompido, quando um dos parceiros morre ou não aceita a ligação de companheiros.

9. Mais Considerações sobre Classe das Fadas, Demônios e Feiticeiros.

Covens/Covis/ Garden: Assim como os shifters, os coletivos de classes não ligadas ao animal também tem uma organização. Demônios e Fadas têm um Rei ou Rainha (a forma como chegam ao poder é hereditária, sempre passando para o descendente mais velho, seja ele homem ou mulher). Um conselho de anciãos locais os ajuda na tomada das decisões. Apesar do titulo de “Rei”, os líderes dos coletivos também estão abaixo do conselho sobrenatural, estando obrigados a prestar contas. A classe de feiticeiros tem um líder, normalmente nomeado somente como alto sacerdote/alta sacerdotisa, que também conta com a ajuda de um conselho formado por bruxos e bruxas importantes do Coven.

Acasalamento: O acasalamento das classes “mágicas” funciona de forma parecida com a dos humanos, embora tenham uma crença muito parecida com os shifters. Elas também acreditavam em companheiros de alma, embora tenham perdido um pouco da credibilidade com o passar dos anos. Atualmente, eles acreditam que o acasalamento é um presente escolhido.
Classes mágicas não costumam passar pelo calor, mas sentem uma compulsão para selar o vínculo quando decidem se acasalar. Eles também não deixam marcas físicas quando acasalam, contudo se vinculam através da magia. Duas pessoas que queiram se juntar em vínculo eterno têm que ter certeza que suas magias se aceitam, correndo o risco de não completarem o acasalamento.

Sobre o acasalamento de demônios vitais (não mágicos): Nesse aspecto, demônios vitais são mais semelhantes a shifters do que aos seus companheiros de classe. Precisam de uma mordida, que deve ser dada ao lado esquerdo do pescoço, e de sexo para selar o pacto. Ainda sobre eles, mesmo acasalados, vampiros precisam de sangue de terceiros e Incubus ainda necessitam de sexo. Portanto, são menos territorialistas e possessivos do que os shifters.

Sobre dons especiais: Mesmo na história dos seres sobrenaturais, há lendas que ninguém sabe se são reais ou inventadas. Assim como acasalamento de almas, há outra lenda que vez ou outra ainda aparece na cabeça de alguém. Diz-se que, séculos atrás, alguns bruxos nasceram com o dom de ver o futuro, mas esse dom foi se diluindo com o tempo devido à mistura de raças. Ainda que muitas pessoas desacreditem dessa lenda, há quem diga que pode ser real e que ainda é possível encontrar bruxos com esse dom, mesmo que eles não anunciem.

Aplicação da Lei: Executores também são usados aqui. Todas as classes são regidas pelo mesmo conjunto de leis, então os executores dela são os mesmos. Assim, para tornar justo, foi fixado que não há restrição de classe para se tornar um.


10. Conselho Sobrenatural

Altos conselheiros: Estes são os que realmente detêm o poder. São quatro, um representante de cada classe. Eles reivindicaram o posto por serem os mais poderosos e mais velhos. Depois da grande guerra e da reestruturação, não são muito solicitados.

Conselheiros médios: Têm poder de decisão para sancionar novas leis e decidir tudo que concerne ao povo. Todas as decisões têm que ser comunicadas e explicadas aos altos conselheiros, que têm o poder de vetar ou acrescentar algo.

Mediadores: São eles os responsáveis por levar as reivindicações das classes para os conselheiros médios. Eles têm contato direto com os tribunais comuns e agências de aplicação da lei.

11. Tribunais Comuns

Funcionam de forma parecida com os antigos tribunais humanos. Ali são julgados os crimes “menores” de roubo e assassinatos comuns (geralmente de humanos ou resultantes de briga por território, por exemplo) e pequenas causas (brigas de família, herança, divórcio e etc...). Qualquer crime contra o Estado é julgado pelo alto conselho.

O que pode ser considerado crime de Estado: Tentativa de golpe, tentativa de assassinato de um alto conselheiro ou invasão a sede do conselho sobrenatural.

12. Extra: Informações sobre o metabolismo dos seres sobrenaturais.

De forma geral, seres sobrenaturais tem o metabolismo mais acelerado do que o dos humanos, mas falando especificamente sobre o envelhecimento, tudo funciona de forma mais branda e vagarosa.
Explicando melhor, um ser sobrenatural nasce como um humano normal e se mantém assim até mais ou menos os quatorze/quinze anos, que é quando ele começa a desenvolver melhor os seus poderes e dons. Quando isso acontece, a taxa de seu envelhecimento se desacelera, fazendo com que eles mantenham a aparência jovem. Por esse motivo é muito difícil precisar qual é a idade de um desses seres.




Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...