RPG - Eladrins


Postado

RPG - Eladrins

]Eladrins[


A história dos elfos se confunde com a própria história do mundo, pois estes pessoas esguias e desejadas, milenares já foram os sapientes mais desenvolvidos do mundo, enquanto alguns povos ainda rastejavam na lama em busca de alimento, eles já viviam em suas sociedades opulentas, apreciavam os prazeres da vida e dominavam a magia. No início todos os elfos eram da superfície e viviam em uma enorme floresta, berço de toda a raça e aonde os mais poderosos dentre os elfos viveram. Devido a certas diferenças ideológicas, passou a surgir uma grande discórdia entre os Elfos, gerando muitos conflitos onde antes era paz absoluta. Hoje pode se dizer que existem dois tipos básicos de Elfos: Elfos de Superfície e Elfos Negros. Entre os grupos que se dividiram e tentavam impor o seu modo de pensar sobre todos os outros, estavam aqueles cuja cobiça por poder era sem limites. Houve, porém uma guerra entre Dia e Noite que trouxe conflitos aos Elfos e uma comunidade havia se voltado para conceitos opostos aos de seus irmãos, pregando morte, mal e destruição aos povos que consideravam inferiores e para evitar que fossem pelas tropas de seus de seus parentes élficos, pediram proteção à Deusa Sombria, que os acolheu em seus domínios, ocultando seus vestígios pelo mundo e eles assumiram em sua pele a cor da escuridão que passaram a venerar aprendendo a ser mais mortais do que imaginavam, dando origem aos Elfos Negros, os Drow. Hoje existe um ódio mortal entre os Drows e os Elfos da superfície, que vem desde época que que os elfos viveram como um único povo, a época da criação da espécie.

Logo outras comunidades élficas de diferentes ideologias se espalharam por todo o mundo, se mantendo isolados em seus reinos nas profundezas das florestas ou lugares bem diferentes de seu habitat natural, seguindo os estilos de vida que lhes dava mais prazer.

Fisicamente são caracterizados pelos seus corpos esguios e esbeltos, não possuem pêlos no rosto e corpo, além das orelhas pontudas, traços faciais refinados, o que rende a eles e as suas sub raças, o título dos mais belos.

Não são os mais fortes, porém tem grande capacidade mágica, incansáveis na busca por conhecimento, amantes das artes, leveza ao se deslocar que os beneficia, dando-lhes vantagem ao serem furtivos. Os elfos também podem enxergar bem a grande distâncias e na penumbra, uma boa explicação para terem os melhores arqueiros. A graciosidade da raça aprimora naturalmente sua furtividade e habilidade com arcos e espadas leves. Tem uma média de 1,70 a 1,90 de altura e sua constituição física é geralmente mediana, com seu peso bem distribuídos em seus músculos, outras característica sendo a grande agilidade e destreza.

Quando um elfo se declara adulto, quase sempre uma década depois de atingir seu centésimo aniversário, ele escolhe um nome. Se quiserem, todos que o conheciam quando jovem podem chamá-lo pelo seu "nome de criança", mas isso é geralmente considerado um insulto ou uma punição para aqueles que demonstram comportamentos inadequados ou com transgressões. O nome adulto de um elfo é uma criação única, embora possa refletir os nomes de pessoas que eles admiram ou outros outros membros da família. Além disso, ele carregará o nome da família ou clã. Os nomes das famílias são combinações de palavras élficas comuns; alguns elfos que vivem entre os humanos procuram traduzir seu nome para o comum, enquanto outros preservam sua versão original.

De mentes muito inteligentes, são ótimos arcanos, porém muitos desenvolveram conhecimento na arte com espadas e lutas corporais, devido os constantes conflitos entre as raças. A gestação de uma elfa dura um ano, dependendo da cultura as sub-raças são monogâmicas ou poligâmicos. As elfas são mais leves que os machos de sua espécie, preferindo usar roupas simples e confortáveis, apreciando jóias igualmente simples e vestir elegantes túnicas bordadas.

Quando envelhecem, seus rostos não enrugam, apenas perdem a coloração dos cabelos e qualquer pêlo que possuem por seu corpo e suas funções físicas e mentais não são afetadas.(Sendo igual para todos da espécie)

A taxa de natalidade dos elfos é muito baixa, ainda que a mortalidade também o seja. Os elfos não dormem da mesma forma que as outras raças, eles caem "dormem" em uma espécie de transe profundo durante 4 horas por dia. Um elfo que descansar desse modo recebe os mesmos benefícios que um ser humano receberia após oito horas de sono.



>Eladrins<


São uma linhagem élfica de sobreviventes, seguidores de seus instintos em vez de seus ideais, não pedem excessivamente nem para o Bem e nem para o Mal, nem para a Ordem nem para o Caos, já vistos ao lado tanto ao lado de grandes heróis quanto dos maiores tiranos, sendo possuidores de espíritos livres, além de muito mais ágeis e graciosos em seus movimentos e fala. São mais musculosos que qualquer outra sub raça élfica, sua constituição é firme e resistente, com altura e peso similares aos humanos, no entanto sua pele é grossa, que os protege das areias e do sol além de serem fisicamente resistentes ao calor e a seca. Nascem com a pele branca muito clara, mas a quase todos ficam bronzeados e adquirem um tom marrom leitoso. Seus cabelos são geralmente prateados e olhos âmbares, prateados, levemente pálidos, alguns raros casos podem ter cabelos dourados bem claros, no entanto é mais fácil encontrar nas suas cidades governadas por Sheiks élficos, os elfos de cabelos escuros como a noite. Apesar de resistentes, as roupas que este povo usam são leves e que os protege dos ventos das areias cortantes cortantes e do sol. Os nobres Sheiks e nobreza são preocupados com a beleza, vestidos com túnicas de tecido leve elegantes, bordadas com fios de prata ou ouro, as mulheres com roupas de vários tecidos fino e transparente, suas saias geralmente composta por vários véus, assim como o usado em sua cabeça, ambos os sexos apreciando as jóias que usam espalhadas por seu corpo. Feitas belamente em rena de várias cores, as tatuagens que os Eladrins tem em seus belos corpos, são geralmente um símbolo de status.

A história desta sub-raça élfica tem seu começo com a rebelião dos Elfos Negros, hoje conhecidos como os Drows. Quando os Deuses Malignos seduziram alguns clãs com conhecimento pérfido, para que esses se revoltassem contra os criou, uma batalha se seguiu entre as famílias inteiras, que foram estilhaçadas no processo. Os rebeldes foram chamados de traidores do povo e vencidos foram obrigados a se afastar dos seus irmãos elfos, sendo amaldiçoados com a pele da cor de seus corações. Expulsos de suas terras, muitos Elfos seguiram seus líderes malignos, mas alguns começaram a enxergar a teia de mentiras e blasfêmias que os Deuses Malignos teceram com suas línguas embebida em mel, um dos clãs élficos que tinham se voltado para o mal, uniu-se com alguns outros clans e viram o o perigo contido em seguir as mentirosas divindades obscuras e os enfrentaram-nos. Mesmo usando os conhecimentos proibidos, seu menor número e a crueldade de seus irmãos fizeram com que estes fossem vencidos e tivessem que fugir para não serem chacinados.

Caçados pelos Elfos das Trevas, os Drows, que eram seus inimigos ferrenhos, vistos com dor pelos os Elfos da superfície, foram obrigados a seguir pelas areias do deserto, para tentar sobreviver e a piedosa Deusa das Sombras, escutou suas preces ocultando seus passos dos seus inimigos, dando-lhes dons e os levando para grandes oásis criados com seu poder, onde eles se estabeleceram, tendo quepara crescer novamente em números, adotar um sistema que nem os nativos humanos, tornando-se poligâmicos, os elfos machos desta espécie tendo mais de uma esposa e sendo comum entre os membros da realeza, seus haréns compostos por as mais belas fêmeas élficas, sejam aquelas compradas como escravas ou as que se uniram a ele de bom grado.

São poucas as suas cidades e vilas, se comparados aos outros elfos, nem por isso os oásis onde se estabelecem hão de ser menos refinado que as cidades dos altos-elfos, suas casas mais simples feitas em pedras, madeira e couro e as mais luxuosas palácios feitos em mármore branco, cravejados de ouro ou prata, além de ornadas com pedras preciosas. Com um grande comércio fluente em suas ruas cheias de tendas e viajantes em camelôs, não são menos populosos que a cidade dos Silvanos, confiando a proteção de seus refúgios estrategicamente protegidos pelo deserto e as tempestades de areia, em seus soldados munidos de cimitarras bem afiadas, ou suas outras armas comuns, como espadas, lanças ou garras. Algumas castas ainda se mantém viajantes do deserto, financiando campanhas de mercenários e espiões, vigiando e se precavendo contra os ataques possíveis de outros povos ou drows.

Estes elfos são incrivelmente habilidosos nas técnicas de forjaria, embora não sejam tão boas deencantar como as dos altos-elfos, incrivelmente leves como as dos Drows, ou lindamente delicadas, como as dos silvanos, as armas forjadas por eles são incrivelmente resistentes e afiadas, sendo uma das poucas espécies que dominam completamente a arte da têmpera do aço e com isso conseguem comercializar seus produtos a outras nações. Existe inclusive uma espécie de aço negro fortíssimo que só pode ser forjado no deserto, pois precisa ser produzido em circunstâncias bem específicas, só conhecidas pelos Eladrins, que mantém tanto o local de onde retiram o metal, onde o produzem e o processo de fabricação em total segredo. Foram os Eladrins que desenvolveram uma arte marcial de movimentos circulares mortais, que usa como arma as garras.

Com cidades que lembram mais a arquitetura do povo humano nativo do deserto, só que com o refinamento élfico. Os visitantes estrangeiros são vigiados de perto, apesar de serem bem vindos para o comércio. Divididos famílias, com casta, são profundos conhecedores e produtores de porções de todos os gêneros, elixires extraídos da natureza, ou feitos com magia, além de venenos e curas. São lutadores proficientes com a Adaga e com a Zarabatana e suas profissões dependem da mente sobre os músculos, tendendo a serem magos e diplomatas bastante versáteis, além de Ladinos fantásticos devido aos dons dados pela Deusa das Sombras e os desenvolvidos pelo tempo, não sendo permitido a maioria das mulheres, principalmente da nobreza exercer profissões, vivendo isoladas em seus próprios lares, onde seu papel é simplesmente garantir muitos herdeiros ao seu marido.

Não são tão isolados como alguns Elfos, sendo a raça que mais fácil inicia relação com forasteiros, entre as sub-raças élficas, já que seus espíritos são livres, mais espontâneos e tem um certo grau de curiosidade, mas valorizam a privacidade como algo sagrado e protegem-na a todo custo, sendo muitas vezes não permitida a entrada de Drows em suas cidades. Desconfiam de qualquer raça como grupo, mas estão entre as raças menos tendentes a pré-julgamentos. São curiosos sobre as pessoas como indivíduos, e mesmo dentro deles como raça, tendem a ser honestos em um sentido amplo, sendo que qualquer um da sua própria espécie que apronte algo grave pode ser caçado pelos demais de sua raça. Interagem com todas as raças dispostas a aceitá-los, todavia recebem outros elfos com desconfiança, são tratados com frieza pelos altos-elfos, com cautela pelos Silvanos, onde o sentimento é mútuo e odiados com vigor pelos Drows.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...