RPG - Silvanos


Postado

RPG - Silvanos

]Silvanos[


A história dos elfos se confunde com a própria história do mundo, pois estes pessoas esguias e desejadas, milenares já foram os sapientes mais desenvolvidos do mundo, enquanto alguns povos ainda rastejavam na lama em busca de alimento, eles já viviam em suas sociedades opulentas, apreciavam os prazeres da vida e dominavam a magia. No início todos os elfos eram da superfície e viviam em uma enorme floresta, berço de toda a raça e aonde os mais poderosos dentre os elfos viveram. Devido a certas diferenças ideológicas, passou a surgir uma grande discórdia entre os Elfos, gerando muitos conflitos onde antes era paz absoluta. Hoje pode se dizer que existem dois tipos básicos de Elfos: Elfos de Superfície e Elfos Negros. Entre os grupos que se dividiram e tentavam impor o seu modo de pensar sobre todos os outros, estavam aqueles cuja cobiça por poder era sem limites. Houve, porém uma guerra entre Dia e Noite que trouxe conflitos aos Elfos e uma comunidade havia se voltado para conceitos opostos aos de seus irmãos, pregando morte, mal e destruição aos povos que consideravam inferiores e para evitar que fossem pelas tropas de seus de seus parentes élficos, pediram proteção à Deusa Sombria, que os acolheu em seus domínios, ocultando seus vestígios pelo mundo e eles assumiram em sua pele a cor da escuridão que passaram a venerar aprendendo a ser mais mortais do que imaginavam, dando origem aos Elfos Negros, os Drow. Hoje existe um ódio mortal entre os Drows e os Elfos da superfície, que vem desde época que que os elfos viveram como um único povo, a época da criação da espécie.

Logo outras comunidades élficas de diferentes ideologias se espalharam por todo o mundo, se mantendo isolados em seus reinos nas profundezas das florestas ou lugares bem diferentes de seu habitat natural, seguindo os estilos de vida que lhes dava mais prazer.

Fisicamente são caracterizados pelos seus corpos esguios e esbeltos, não possuem pêlos no rosto e corpo, além das orelhas pontudas, traços faciais refinados, o que rende a eles e as suas sub raças, o título dos mais belos.

Não são os mais fortes, porém tem grande capacidade mágica, incansáveis na busca por conhecimento, amantes das artes, leveza ao se deslocar que os beneficia, dando-lhes vantagem ao serem furtivos. Os elfos também podem enxergar bem a grande distâncias e na penumbra, uma boa explicação para terem os melhores arqueiros. A graciosidade da raça aprimora naturalmente sua furtividade e habilidade com arcos e espadas leves. Tem uma média de 1,70 a 1,90 de altura e sua constituição física é geralmente mediana, com seu peso bem distribuídos em seus músculos, outras característica sendo a grande agilidade e destreza.

Quando um elfo se declara adulto, quase sempre uma década depois de atingir seu centésimo aniversário, ele escolhe um nome. Se quiserem, todos que o conheciam quando jovem podem chamá-lo pelo seu "nome de criança", mas isso é geralmente considerado um insulto ou uma punição para aqueles que demonstram comportamentos inadequados ou com transgressões. O nome adulto de um elfo é uma criação única, embora possa refletir os nomes de pessoas que eles admiram ou outros outros membros da família. Além disso, ele carregará o nome da família ou clã. Os nomes das famílias são combinações de palavras élficas comuns; alguns elfos que vivem entre os humanos procuram traduzir seu nome para o comum, enquanto outros preservam sua versão original.

De mentes muito inteligentes, são ótimos arcanos, porém muitos desenvolveram conhecimento na arte com espadas e lutas corporais, devido os constantes conflitos entre as raças. A gestação de uma elfa dura um ano, dependendo da cultura as sub-raças são monogâmicas ou poligâmicos. As elfas são mais leves que os machos de sua espécie, preferindo usar roupas simples e confortáveis, apreciando jóias igualmente simples e vestir elegantes túnicas bordadas.

Quando envelhecem, seus rostos não enrugam, apenas perdem a coloração dos cabelos e qualquer pêlo que possuem por seu corpo e suas funções físicas e mentais não são afetadas.(Sendo igual para todos da espécie)

A taxa de natalidade dos elfos é muito baixa, ainda que a mortalidade também o seja. Os elfos não dormem da mesma forma que as outras raças, eles caem "dormem" em uma espécie de transe profundo durante 4 horas por dia. Um elfo que descansar desse modo recebe os mesmos benefícios que um ser humano receberia após oito horas de sono.


>Silvanos<

Belos, ágeis e elegantes, vivem em harmonia com a natureza e dizem que são amados por ela, por sua afinidade com o verde. Constroem suas cidades respeitando o ambiente a sua volta, mesclando-se perfeitamente com o mesmo, sem o auxílio de magia. Preferem usar seus talentos mundanos e capacidade de adaptação, deixando a magia de lado, sendo capazes de sentir com maior intensidade a decadência das florestas, percebendo que existe cada vez menos árvores milenares, ou como as folhas amarelam e morrem antes do tempo. Esta ligação com o planeta ainda lhes garante uma profunda compreensão mágica. Dizem que tudo que cerca os elfos tem um toque de magia, o que sendo verdade ou não os deixa orgulhosos. Seu porte aparentemente frágil pode ser confundido com fraqueza, um ledo engano: assim como o vento, podem ser agradáveis e acalentadorescomo uma brisa, ou se tornarem destrutivos e impiedosos como os tornados.

Sua sociedade é um meio termo entre os reinos liberais e a estrutura tribal dos clans. Com os clans organizados em famílias, liderados pelos mais fortes e sábios, vivem principalmente nas mais antigas florestas, em vilas ou cidades permanentes bem escondidas, nas copas de grandes e altas se misturando nas árvores ancestrais, governados por um monarca hereditário, masculino ou feminino, pois as elfas silvanas tem os mesmos direitos e deveres dos elfos, sendo comum encontrar pessoas do sexo feminino em cargos altos em suas famílias, pois sua sociedade é igualitária, onde jovens, velhos, homens e mulheres têm seu lugar e todos merecem respeito. As crianças são cuidadas e criadas pela comunidade inteira e os velhos são os reais líderes, em função de sua sabedoria, formando o conselho dos anciões. Silvanos, sejam do sexo masculino ou feminino, se agrupam em guildas de acordo com suas profissões. Silvanos costumam se unir em uma espécie de casamento que dura por toda vida, pois amam apenas um companheiro ou companheira.

Amantes da vida simples, da liberdade, auto expressão, dança, música e artes, essa numerosa sub-raça élfica conhecedora dos segredos das florestas, viveu sempre em harmonia com a natureza e os espíritos elementais existentes nela por milhares de anos, dominando os segredos da natureza e ervas mágicas. Se abstêm dos luxos da vida civilizada e sendo ótimos caçadores, vagam pela floresta de onde tiram seu sustento, usando vestimentas em tons de marrom e verde para se mesclarem ao ambiente a sua volta, com prazer na emoção da caçada acreditando que as dificuldades da sobrevivência constroem o caráter e lhes dão forças, ao seus olhos, os Elfos civilizados abandonaram este estilo de vida e tornaram-se fracos. São também ótimos rastreadores, domadores de animais silvestres, arqueiros e seus espíritos geralmente aventureiro os faz explorar os limites além de suas misteriosas vilas na floresta em jornadas incríveis. Silvanos tem pensamentos e sentimentos intensos, uma conexão direta, coração, mente e corpo, costumando ser um povo passional, que seguem seus corações ao invés de suas cabeças, confiando em seus instintos e intuição, porque acreditam que essas são as melhores ferramentas para a sobrevivência nas florestas. Além de excelentes caçadores, que caçam em bando e preferem ataques á distância em suas tocaias, os silvanos também são bons druidas, e possuem grande conhecimento em poções e elixires extraídos da natureza.

São relutantes em permitir estrangeiros em suas terras, porém não são cruéis ou selvagens, costumando tratar com presteza aqueles que encontram, sendo educados e graciosos, mesmo com aqueles que não se adaptam as expectativas élficas (Eles consideram-se superiores por sua origem ancestral ou por sua arrogância que lhes é peculiar), meramente observam os invasores de longe, agindo apenas quando chegam muito próximos à sua cidade. Mesmo então sua tática consiste em intimidar ou persuadir os intrusos a mudar seu rumo. Sempre dizem o que realmente pensam sobre qualquer coisa e não hesitam em agir quando sabem estar fazendo a coisa certa, preferindo pedir perdão a pedir permissão. São reticentes em criar vínculos de amizade com outras raças, mas está ligação pode perdurar por gerações.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...