RPG - Thieflings


Postado

RPG - Thieflings

]Tieflings[

Séculos atrás, traçando as origens do antigo Império humano de Bael, os líderes e a classe de nobres deste reino estavam obcecados com a perversão e o ganho de poder. Seus desejos alcançaram os Nove Reinos Infernais, os Lordes infernais que residiam deram visões as classes dominantes enquanto dormiam, contendo as instruções para um ritual macabro, com um mês de duração com consequências que se estenderia pela eternidade nos decentes desta barganha, que herdariam tanto uma parte deste poder como as características diabólicas.

O ritual exigia a participação de todas as casas nobres, e aqueles que se recusaram foram totalmente abatidos. Uma vez feito isso, prosseguiu o ritual e demônios dos Nove Infernos começaram a aparecer, os nobres de bom grado selaram pactos com demônios para aumentarem seu poder arcano e domínio sobre o mundo.

Estes híbridos de demônios se tornaram os primeiros herdeiros de uma antiga linhagem infernal, que ergueram e governam um império, gerando conflitos com outras raças e até entre as casas desses indivíduos de ascendência diabólica, conseguindo subjugar metade do mundo em nome de seus lordes infernais. A ligação com estas entidades trouxe a perversão e luxúria, no início o poder infame conquistado graças aos pactos malignos garantiram a vitória sobre os adversários, assim com o passar das eras as muitas intrigas, traições, batalhas por poder, assassinatos, mentiras, crises politicas, ganância e arrogância levaram os domínios dos tieflings a cair em ruína total.

Quase dizimados por seus inimigos os Tieflings ficaram sem nenhum reino, escondendo sua aparência, vivendo em meio aos territórios e cidades dos humanos, abandonados para trilhar seu próprio caminho em um ambiente que os teme e ao mesmo tempo os condena, tornando-se servos humilhados escravizandos de seus mais odiados rivais, todavia existem rumores sobre cidades isoladas onde toda a população é dessa raça.

Sua necessidade de viver novas experiências através de atos e viagens é quase tão grande quanto a dos humanos, tocados sempre pela ambição e por isso se estabelecem em determinado lugar, preferem grandes cidades, para confabular com as mais promíscuas atividades, usando sua crueldade e malícia à seu favor para conquistar poder e influência.

Nos dias atuais os membros desta espécie são os decentes dos nobres amaldiçoados humanos, herdarando as consequências deste pacto com as características demoníacas adquiridas por seus ancestrais, sem que precisassem fazer qualquer pacto infernal, como uma maldição que se alastrou pelas gerações futuras. Os sinais deste acordo de tão alto preço está impresso em sua aparência, com os longos chifres na cabeça, que surgem da metade de sua testa, cabelos que cascateiam por trás dos chifres de tonalidades encontradas entre os humanos a exóticas como um azul escuro, uma cauda grossa pontuda que mede 1,20m à 1,50m, em alguns até dentes afiados e pontiagudos, mandíbula com ossos protuberantes, com estatura alta, as feições humanas que lembram ligeiramente as dos elfos, a cor da pele varia como nos humanos, mas também alcança tonalidades vermelhas, que abrangem desde um rubor bronzeado até até o vinho-escuro, os olhos são esferas sólidas sem pupilas em tons de preto, branco, prata, dourado ou vermelho escarlate.

Suas vestimentas preferem cores escuras e os vermelhos, usando couro e peles lustrosas, pequenos cravos e fivelas e suas armas e armaduras criadas raça normalmente assumem um estilo arcaico, recordando a glória de seu império há muito extinto. Em combate são mortais, embora a vitória não seja em uma luta honrada, pois no final tudo o que importa é a vitória, independente de quais meios foram usados para alcança-lá.

Os pactos infernais feito a séculos por esta raça, perverteram suas almas, lhes rendeu aspectos maléficos que influenciaram para sempre o modo como agem e enxergam o mundo à sua volta, transformando sua natureza em maligna. Os sorrateiros egoístas gananciosos membros desta espécie são espertos, ousados, mesquinhos, egocêntricos, obstinados, corajosos, oportunistas e negociantes hábeis, sendo habilidosos na arte de trapacear, intimidar ou persuadir os outros a cumprirem sua vontade, chegando a usarem de meios escusos ou serem cruéis para alcançar seu objetivo. A queda drástica de seus antigos reinos, a escravidão, o preconceito, a marginalização e até mesmo o ódio por parte de outras raças, concederam aos tieflings uma resistência essencial ao sofrimento e a dor, não se surpreendendo com uma cena grotesca mantendo sua calma quando outros questionariam sua sanidade, muitos abraçando o esteriótipo que traçaram para eles. Alvos de grande desconfiança, também não confiam em ningúem que não se prove confiável e pode até se aproveitar da bondade de outros se isso lhe for vantajoso não se amarrando a regras, pois conhecem de perto pactos e suas desvantagens.

Auto suficientes por natureza, não é fácil lhe dar com um tiefling sem um pouco de paciência, pois são rebeldes em essência, não oferecendo sua amizade verdadeira facilmente, mas uma vez conquistada será plena. Tendo interesse em algo ou alguém em particular, nas aventuras eles acabam buscando enxergar a sua volta formas de se beneficiar e ao grupo que esteja pertencendo, usando o melhor de sua personalidade. Na maioria das vezes, procuram interagir com outros aventureiros pela simples curiosidade, ou desejo de conquistas, agindo de acordo com a reação despendida à ele. Sarcásticos, podem causar conflitos fatais em seu grupo e com o tempo procuram testar os valores, motivações ou ideologias de seus companheiros. Se o temerem, usará isto para obter alguma vantagem, da mesma forma, se for objeto de curiosidade. Admiram a coragem, mas valorizam ainda mais a astúcia e determinação, concedendo especial atenção e ajuda aos que despendem destes artifícios para cumprir seus objetivos.

Alguns Tieflings escolhem alcunhas que evocam um sentido ao invés de um nome, como por exemplo: Místico ou Veloz, já outros mantêm a mesma raiz dos nomes usados em seus antigos reinos infames, herdados dos ancestrais que fizeram o pacto com as entidades infernais e adotaram títulos ligados, em essência, ao idioma abissal, que era linguagem padrão em seus antigos reinos decadentes, as vezes preferindo nomes secos e simples, de poucas sílabas, na maioria possuindo um "K" em algum lugar, pois acreditam ser uma letra forte. Exemplos: Skamos, Akmenos, Akta, Barakas, Bryseis, Damakos, Ekemon, Kayron, Kallista, Makaria, Meleck, Skamos.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...