~ChickenPoop

ChickenPoop
Rainha da camuflagem
Nome: Gabriela
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 26 de Fevereiro
Idade: 12
Cadastro:

Internato San Vielion


Postado

Internato San Vielion

Nome Completo
Charles Wolcott Ryder

Apelido
Charlie – Sua mãe é a única que o chama assim, é algo reconfortante, na verdade.
Ryder – todos o chama assim, é melhor que Charles, o único que o chama pelo primeiro nome é seu pai

Idade
17

Aparência:
• Ele pode ser descrevi do como um cliché completo, sempre com um sorriso de lado mostrando seus dentes brancos e alinhados. Seu cabelo loiro, curto com aquele jeito bagunçado que deixa muitas garotas encantadas. Seus olhos azuis cobertos por malícia, mas que fazem com que qualquer garota se perca neles. As vezes deixa a barba por fazer, dando um ar mais adulto, mas prefere fazer a barba.
Tem 1,85 de altura, gostaria de ser mais alto •
• Alex Pettyfer •





°°Desculpe pela imagem reveladora mas, acredite em mim, tinham piores, se não gostou ignore°°

Data de aniversário:
16/1

Familia e relação:

• Nome: Miranda Ryder
• Idade: 33
• Profissão: Advogada
• Relação: Os dois são muito próximos, tem certeza que a única mulher que já amou na vida, e vai amar em sua opinião, é sua mãe. Os dois fazem uma ótima dupla e tem seu próprio senso de humor


• Nome: Ezra Wolcott
• Idade: 37
• Profissão: Diretor de uma escola em Washington
• Relação: Ezra está tentando, acredite. Mas Ryder não consegue confiar e nem falar mais que o necessário com ele. Eles realmente não parecem pai e filho.

Personalidade:
Ryder está interessado em ações, não em conversa fiada. Pode ser talentoso no uso da língua, mas a usa em geral da forma mais econômica possível. Ele têm uma presença física marcante, quando entra em uma sala todos percebem. Ele é, em geral, ambicioso, e às vezes arrogante. Ryder têm um senso de humor sutil, que nem sempre é notado ou admirado. Ele pode dar a impressão de ser sério demais, mas é, no fundo, irônico.
Usa mais a razão do que a emoção, não que isso interfira na hora de escolher agir a falar, o que pode fazer com que seu lado egocêntrico apareça. Independente e confiante, sempre sabe como agir e adora ser o centro das atenções. Não gosta de seguir ordens, prefere dá-las. Pode parecer irresponsável para os que não o conhece bem, mas, na realidade, é altamente responsável. Ninguém nunca vai saber o que ele está pensando, é tão imprevisível quanto um furacão.
Não se apega muito a nada nem ninguém, monotonia é algo que Ryder não aguenta. É difícil vê-lo sempre com a mesma garota. Não gosta quando lhe dão concelhos, consegue resolver seus próprios problemas.
É competitivo e nunca nega um desafio, sabe que pode ganhar. Nada lhe dá mais satisfação do que saber que seu sucesso é o resultado de seu próprio esforço. Pode estar sério na maior parte do tempo, mas se divertir é importante para ele, que tende a ir a muitas festas e cair bêbado.

História:
Sua mãe era muito nova quando ficou grávida, mais ou menos dezesseis anos, então desistiu de muitas coisas para poder cuidar de seu filho. Miranda, mãe de Ryder, nunca esteve pronta para ser mãe, não gostava de ser chamada de mãe, na verdade. Era muito difícil para ela.
Era divertido para Ryder, bem, até ele entender qual era a gravidade do que aconteceu com sua mãe. Ela nem sabia quem era o pai de Charlie, e isso o assustava. Ele não fugiu de casa a procura de seu pai nem se revoltou contra a mãe, para ele isso não era nem um tipo filme. Ele sabia que o pai era um idiota, e continuaria assim.
Ele era um menino muito inteligente, acredite. O primeiro na turma, ganhou vários prêmios nas áreas de ciências e matemática. Foi convidado para estudar em várias escolas particulares, com bolsa completa. E foi isso que chamou a atenção de seu pai. O mesmo era diretor de uma das escolas particulares e quando viu a ficha do garoto, descobrindo quem era sua mãe. Fez questão de tentar encontrar quem poderia ser seu filho.
Miranda sabia quem ele era, ela sabia que ele era o pai de seu filho. Mas preferiu mentir, com medo de que seu filho escolhesse a ele do que a ela. E ele só descobriu sobre o segredo da mãe quando seu pai o falou. E, por mais incrível que pareça, ele não culpava a mãe, pelo contrário, a agradecia por não ter contado. Ele não apareceu em seus quinze anos de vida (ele tinha quinze quando ele foi encontrado pelo pai) e acha que vai ser querido, quando o único motivo por não querer o filho era vergonha.
Mesmo assim, ele passou alguns meses junto de seu pai e sua esposa. Algo que não foi muito bom para ele, a esposa dele nem sabia que o garoto estava vindo. As coisas ficaram difíceis para ele a partir dali. Seu pai queria sua guarda, mas sua mãe não a daria. E depois de meses numa luta sem fim, ficou decidido a guarda compartilhada. Seu pai morava em Washington D.C. um pouco longe de Nova Orleans, então em metade do ano, Charlie estaria com seu pai, na outra metade, com sua mãe.
E, sinceramente, ele não estava mais aguentando isso, era tanto estresse que seu sonambulismo, coisa que ele não tinha desde seus dez anos, voltou. Como viram que o garoto estava ficando doente com esse troca-troca. O colocaram no internato.

Sexualidade:
Heterossexual

Veterano ou novato:
Novato

Medos:
De acabar sendo que nem seu pai e acabar abandonando quem ama.

Fobias:
Não tem.

Traumas:
Talvez os dias que ele passou no tribunal junto de sua mãe e Ezra para decidirem sobre sua guarda tenha sido a coisa mais traumática que já lhe aconteceu.

Vicios:
Cigarros

Manias:
Encarar quem o olha demais. Só anda no banco da frente do carro. Mexe no cabelo quando está nervoso ou confuso. Bate o pé no chão quando está impaciente.

Deseja ter par?
Sim

É virgem? Quer cenas hot?
Não é virgem, é até bem experiente. E sim, eu quero cenas Hot, quero ver ele se agarrando com garotas pelos corredores e fazendo sexo nos banheiros, por favor.

Relação com minha personagem:
São amigos, pode se dizer. Ele faz piadinhas idiotas sobre sexo e coisas desse tipo.

Relação com os professores e funcionários:
Os respeita na medida do possível.

Relação com os amigos:
Os trata bem, e não perde a chance de zoar com a cara deles. É um bom confidente e não perde a chance de defende-los.

Relação com os inimigos:
Não tem essa de só bater quando falam de seus amigos, não que ele não bata, se falarem mal dele, o mesmo pode até se segurar e tentar ignorar mas se continuarem insistindo, ele vai bater.

Está certificado que posso fazer o que bem entender com seu personagem?
Sim, sim, sim, sim.

Está ciente de que se não comentar por mais de 3 capítulos, seu personagem será expulso do internato?
Sim, sim, sim, sim



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...