~flaw-chan

flaw-chan
Olá, meu nome é trouxa
Nome: Gabbe
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 21 de Abril
Idade: 16
Cadastro:

Thanks, babes.


Postado

Thanks, babes.

Às vezes eu faço coisas desnecessárias para outras pessoas e não por mim.

Não é como se eu fosse a pessoa perfeita, a amiga para toda hora ou a melhor conselheira possível, eu sou apenas eu com todos os sentimentos e ensinamentos que eu ganhei durante os anos. Uma das principais coisas na minha religião é a realização de atos de caridade, não apenas o ato de doar roupas, dinheiro, comida e etc. Caridade também é doar seu tempo para ouvir, aconselhar ou simplesmente consolar, nossa cara, eu passei bastante tempo fazendo isso, tempo o suficiente para aprender muita sociologia, a lidar com qualquer tipo de problema e aceitar muitos defeitos, agora vocês me perguntam: “Então, você é a pessoa legal e sem problemas que todos procuram? Aquela que tem a solução para tudo?” ha-ha, não. Também nunca vou ser, porém, eu sou uma criança de 16 anos com um coração de mãe.

Se preocupar mais do que o necessário com seus amigos (ainda mais se eles não dão a mínima) é algo sufocante, só a ideia de não poder ajudar de forma alguma me deixa com pesadelos. “Certo e o que isso tem a ver com todo esse texto?” Por esse tempo que eu passei apenas me preocupando com os outros eu me deixei de lado, cada vez que eu começava a ter um pequeno pensamento individualista uma pessoa surgia com um problema e me deixava com o coração na garganta e o pior de tudo, muitas dessas pessoas apenas apareciam com um problema, pegavam um pedaço de mim e iam embora, eu nem tinha ideia se tudo tinha se resolvido ou não. Holy Crap, i’m friend of bad.

Minhas histórias, quase todas na realidade, são escritas para alguém, são pensadas para alguém e projetadas para o mesmo, contudo, não era para ser algo meu? Não era para eu pensar se eu gostei do meu trabalho? Se tem meu nome, minha identidade, minha marca, um pedacinho de mim a cada capitulo, mas não, eu fiz algo que nem me parecia certo, contudo, é certo para alguém.

Às vezes eu sou injusta comigo.

Por causa disso, declaro por meio desse jornal que vou parar de escrever e que muito provavelmente vou excluir a maioria das histórias, Apesar de amar muito tudo isso, tá na hora de fazer a coisa certa uma vez na vida, preciso me lembrar de quem eu sou ou de quem eu era.

Obrigada por tudo.
Gabi.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...