EU VOLTEI! AGORA PRA FICAR!!!! E novidades ^^


Postado

EU VOLTEI! AGORA PRA FICAR!!!! E novidades ^^

Oi galeris! Desculpem n postar capitulos das minhas fanfic ou jornais... é que... Fiquei sem net por um tempo... MAS AGORA VOLTO!
Bem, pondo o papo em dia, eu quebrei meu fone de ouvido, peguei uma gripe, fiquei sem net por um bom tempo, dia dois eu fis aniversário... E O MÊS DO EMU ANIVERSÁRIO TA SENDO O PIRO MÊS DA MINHA VIDA!
Mas, durante esse tempo que fiquei sem net... EU FIS UMA CREEPYPASTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Ae! eu tive que arruma uma criatividade que eu tirei LÁ DO CU pra fazer a creepypasta! Sério, eu tive que usar o paint pra fazer a menina (tava sem net, não pude usar o kisekae pra fazer ela) o que foi um caos, deu muito trabalho mudar os olhos dela... Bem, a capa do jornal... É ELA! ae!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O que acharão? ta uma bosta, eu sei... MAS É PAINT! É ISSO QUE DA PRA FAZER!

Bem, fiquem com a creepypasta, ficha e a historia dela:

Ficha:

Nome: Elly
Idade: 18
Data de nascimento: 1998/1/5
Personalidade: Elly, nunca foi muito “amigável”... Mas, sempre foi fria, calma, pensativa e sentimental... amorosa com aqueles que gostam dela, caridosa... Inteligente, rápida, ágil e esperta...
Intelectual, insana e um tanto cuidadosa...
Gostos: Ouvir musica,ler, escrever, estudar, fazer amizades, e seus amigos.
Desgostos: Sua família, gatos, gente tarada, mini piriguetis (mini pirigueti: menininha abaixo dos 8 anos que fica com shortinho beira cu, fica mostrando a barriga, se entope de maquiagem, usa salto alto, é exibida, usa um cabelo cheio de gel, fica mascando chiclete, é fofoqueira e só sabe falar de garotos, maquiagem, manicure e etc... Normalmente andam em bandos...)
Vicios: Ouvir rock bem alto.
Easter-Eggs: Ela ODEIA mel. E quando ta ouvindo musica ela ignora o mundo inteiro.
Algo Mais: Ela é “Boca Virgem”
Fobias: Ela é o contrario de uma pessoa com claustrofobia...
Medos: Gatos.
Inimigos: não tem...
Sobrenome: Bringy
Apelido: Brelly
Aparencia: (a capa do jornal)

Nome Creepypasta: Human Doll
Jeito de matar: arrancando o coração da pessoa, depois o costurando no lugar onde estava, costurando a boca da pessoa, costurando botões nos olhos da vitima, arrancando a pele da pessoa depois a costurando novamente..
Frase: “Game Over, My Dear” (tradução: fim de jogo, meu (minha) querido(querida))
Musica Tema: Dollhouse
Força: 73%
Habilidades: consegue invadir lugares sem que a percebam e pensar rápido, além de conseguir se fingir de boneca.
Talentos: Tocar violino e guitarra
Gosto Musical: Rock, e musica clássica
Sexualidade: Feminina
Bi, Gay ou Hetero: Hetero
Amigos: ...........................
Roupas: http://2.bp.blogspot.com/-CIu0UwXRkas/VXYL_LjbFGI/AAAAAAAAM-U/SuLPBBIbvxY/s1600/lysandre_version_fille_by_himechie-d6d49n7.jpg http://4.bp.blogspot.com/-7yRJT1oGr7k/VXYGzaWfw9I/AAAAAAAAM9k/1BmXqchvKuM/s1600/lys%2Bfemale.jpg

Creepypasta: “ -Hoje, conto minha historia... Foi um alivio ter conseguido escapar... Mas a qualquer momento, ela pode me achar, por isso, gravo essa fita de áudio para meus familiares... Espero que alguém ouça e que deus me ajude!.. – Abro a porta do armário lentamente, e lá estava a aberração... - Não! Não! Saia daqui! Fique longe! – Sai do armário correndo, mas ela me pegou pela gola da camiseta e me deus várias facadas em minhas costas... Logo, apaguei sem mais ter minha vida...”
Alexandre estava deitada sob sua cama, refletindo o que deveria fazer a respeito de sua suspensão na escola... Depois de ter espancado um menino por ele ter encostado em seus seios...
Era exatamente meia noite e quinze... Estava sozinha em casa, de castigo... Logo, decidiu sair do seu quarto, já que estava sozinha em casa, pois seus pais, haviam ido fazer compras... Saindo de seu quarto, sentiu a sensação de estar sendo observada... Balançou a cabeça e foi até a cozinha pegar um pedaço de bolo...
Se passou algum tempo... e Alexandre estava dormindo... Até que acorda, e vê algo no pé de sua cama... Levanta assustada, e esfrega seus olhos... logo, a luz se acende... E na parede, estava escrito com sangue “Vai brincar de esconde esconde comigo? Boa escolha! Eu Procuro, e você se esconde! Te dou 5 minutos... Estou esperando atentamente...”
Aquilo assustou muito Alexandre, que logo... Pegou um gravador que ficava a baixo de sua cama e entrou em seu armário... Então, começou a gravar uma fita de áudio para sua familia...
Então, abriu o armário, e La estava Elly... Alexandre tentou fugir, mas Elly foi mais rápida e a pegou pela gola da camiseta, lhe dando 10 facadas nas costas de Alexandre... Então, ela se aproximou do gravador o destruiu, depois, pegou uma agulha, um pedaço de linha e dois botões que ela matinha em seu bolso... Começou a costura-los nos olhos de Alexandre... Terminado o trabalho, Elly cortou a boca de Alex, e costurou, deixando sua face parecida com a dela... Logo, ela arrancou o coração de Alexandre com a mão direita... E o costurou a onde estava o buraco em seu peito...
Elly foi até a garagem e buscou um prego, e um martelo, voltou até o quarto de Alexandre e empurrou o cadáver contar a parede, posicionou o prego na testa ad mesma, e bateu com o martelo... Foram exatamente 15 batidas, depois... com o sangue de sua vitima, ela escreveu ao Aldo de sua obra prima... “Game Over, My Dear...” E fugiu...


Historia: Elly... Sempre foi maltratada durante toda a sua vida... Apanhava a toa de seus familiares, sofria abusos sexuais de seu irmão... Sofria bullying na escola...
Era obrigada a fazer todo o serviço doméstico, não podia dizer nada as visitas se não iria perder sua vida, tinha de dormir no chão e raramente comia...
Ela nunca revidou nada a ninguém de sua família, apenas concordava, e fazia o que mandavam... O único problema, é que ela sempre quis apenas se vingar... E não podia, sempre foi muito “fraca” comparada aos outros...n
A cada dia esse desejo de vingança e esse sentimento de raiva a dominavam mais e mais um pouco... Mas ela sempre se manteve firme e forte, se controlando para não cometer um crime... O que a mantinha sana era uma pequena caixinha de musica, que ganhou de sua vó (que era a única da família que a protegia)
A melodia que era emitida da caixinha, era mágica, deixava qualquer um calmo... A caixa era antiga... Mas, boa... Era uma caixinha de madeira escura, com alguns detalhes entre tinta dourada, com uma chave dourada abaixo dela... Era só abrir a caixinha e dar corda, que uma bailarina de porcelana começava a rodopiar... E uma melodia dentre piano, violinos e flautas começava a tocar...
Elly sempre escondeu a caixinha, sabia que se alguém descobrisse seu tesouro, iria quebrar na mesma hora e espancar Elly... Então ela a matinha escondida, no porão de sua casa... Dentre as caixas de madeira empoeiradas cheias de teias de aranhas...
Mas, ela sabia que alguma hora iriam descobrir seu bem mais precioso... Ela não guardava só pela beleza a caixinha de musica... Ela guardava por que ela emitia o cheiro de madeira recem cortada, a beleza da caixinha, a melodia... E o mais importante... Na tampa da caixa, quando se abria, estava lá uma foto de Elly com sua avó... Com a frase “Eu te amo... Minha querida”
Mas... certo dia, quando Elly estava ouvindo a melodia no porão... Seu pai, entrou lá e viu tudo... Sem pensar duas vezes se aproximou de Elly e a puxou, jogando-a contra a parede com força... Pegando a caixa de musica e olhando de uma forma com desgosto para a mesma, depois, olhou para Elly, que implorava para ele não fazer tal ato, então, ele sorriu, e disse “Meninas más, devem ser castigadas” E jogou a caixa de musica na cabeça de Elly, que começou a sangrar, logo, lagrimas lavavam seu rosto sujo de poeira... As lagrimas se misturavam com o sangue... Elly, agora olhava a pequena caixa partida ao meio, jogada no chão... A bailarina havia saído de seu lugar, a tampa da caixa estava rachada... E a chave, havia saído da mesma...
Logo, Elly desmaiou...
Quando acordou, estava no hospital... Sozinha, sem nenhum familiar seu por perto... Apenas a enfermeira. Elas estavam no quarto branco e limpo, com um ar puro, que enchia os pulmões de Elly...
“Que bom que acordou, querida..” Disse a enfermeira, com um sorriso no rosto se aproximando de Elly.. “Então.. como se sente?” “Me sinto... Um pouco tonta, minha visão está embaçada... Estou vendo três de você”
Disse Elly, pior que o que ela dizia era verdade... A enfermeira soltou um leve riso... E foi buscar alguns comprimidos para Elly.. Quando voltou, lhe entregou um copo d’água e dois comprimidos do tamanho da unha do dedo mindinho... Elly, os engoliu, e depois, bebeu a água..
“Bem... Seu pai, foi preso... Ele confessou tudo...” Nesse momento Elly se espantou, seus olhos começaram a brilhar, e um sorriso largo se abriu em seu rosto... “Seu irmão, também... Os dois estão na cadeia, e serão julgados daqui um ano...” “Quanto tempo... Agradeço de ficar sem eles durante esse tempo...”
Se passou uma semana e Elly já estava boa... Estava em casa... Lavando a louça... Com sua irmã mais nova a mandando terminar rápido, pois ela queria que Elly arrumasse sua cama e lhe contasse uma historia... Já havia apanhado nesse dia, de sua mãe...
Seu tio, havia ido a “visitar” e logo, a extrupou... Depois, decidiu ficar durante uma semana...
Elly já sabia que historia iria contar para sua irmã casula... A bela adormecida, ela adorava essa historia... Mesmo com sua irmã a maltratando, ela gostava dela, pois não era sua culpa ela ser tão... Mimada e prudente...
Terminou de lavar a louça, e foi arrumar a cama de sua irmãzinha, quando terminou, Laila se jogou sobre a cama e se cobriu, pegando seu ursinho de pelúcia... logo, ela falou “Conta a historia logo! Conta! Conta!” disse a menina, eufórica, logo, Elly deu um pequeno riso, e pegou o livro, mas quando foi o abrir... Sua mãe invadiu o quarto de Laila, e segurou Elly pela gola da camisa... Então, a arrastou até o banheiro...
Então, a trancou lá, junto dela, e disse “Esqueceu de limpar o coco do cachorro?!” “Mãe, eu ja ia fazer isso, só estava indo contar a historia de ninar de Laila... Ela estava querendo muito que eu lhe contasse...” “E isso me interessa?! Saiba que se não terminar de fazer isso em vinte minutos você ira dormir com seu tio! Cê é que me entende...” Elly entendeu o recado, e logo, sua mãe destrancou a porta do banheiro, então ela voltou correndo até o quarto de Laila e lhe contou a historia...
Logo depois, terminou de recolher o que o cachorro fes. Depois, todas as luzes foram apagadas e todos foram dormir... Elly “dormia” no chão da sala... Logo, decidiu se levantar... então, ela pensou... “Meu irmão e meu pai não estão aqui... Será fácil fazer isso.. Só tenho que fazer silencio”
E dessa vês nada a iria impedir... Ela foi até o quarto de sua falecida vó, e pegou agulha e linha, e dois botões azuis escuros... Foi até a cozinha, e pegou uma faca afiada...
Foi até o banheiro, e se trancou lá, acendendo a luz... Se olhou no espelho, e disse para si mesma... “Não ira doer mais do que eu já sofro...” então... Cortou sua boca... Desenhando um sorriso enorme em seu rosto... Ela não emitia nenhum sentido de dor, não chorava, nem gemia.. Quando terminou, seu rosto estava cheio de sangue... Pegou a linha e agulha e jogou a faca no chão.. E começou a costurar sua boca inteira, onde ela cortou, além de seus lábios... Terminado o trabalho, ela se olhou no espelho,e pensou... “nada mal... agora, os toques finais!”
Ela pegou a faca... E começou a cortar sua pele... No pescoço, aos braços, as pernas... as mãos... Sua pele estava quase saindo... Então, ela começou a costurar... durou cerca de uma hora todo esse trabalho... Quando se olhou... Quis rir, mas não podia, sua boca agora estava fechada, ela não falava... Então, decidiu finalizar com chave de ouro... Pegou os dois botões azul ciano escuro, e os pôs de lado... Pegou um, pegou a agulha e a linha, e se olhou no espelho... E começou a o costurar em seu escolho esquerdo.. Saia sangue demais de seu rosto, seu corpo... Mas ela não se importava... Depois... Fez o mesmo com o outro olho... Agora, estava cega... Muda... Assustadora...
Logo, a porta do banheiro foi arrombada, e lá estava seu tio... que ao olhar para Elly, com uma faca na mão, toda “destruída” saiu correndo... Mas Elly foi rápida e seguiu o barulho de seus paços... Até o corredor, então, o pegou de surpresa, e o matou... Logo, sua irmã e sua mãe apareceram, e sofreram o mesmo destino...
Terminado o serviço... Elly escreveu na parede “Game Over, My Dear” e fugiu...
Logo, a policia do local relatou o caso, e um a um dos policias que cuidaram do caso, foram morrendo... Sempre teve a mesma frase escrita no local do assassinato, “Game over, My dear”
Com os corpos pregados nas paredes, botões negros costurados em seus olhos, e um sorriso largo de orelha a orelha costurado em sua face... Marcas de costura pelo corpo... Um buraco enorme onde era para ser o coração,com ele a mostra, costurado no local de onde saira...
Os corpos, sempre estavam pregados pela testa, com um prego grande ultrapassando sua testa... “Um quadro... De gente humana, sem moldura...” Era o que Elly pensava...


DESCULPEM QUALQUER ERRO DE PORTUGUÊS! Sério! Desculpem mesmo ter ficado sem entrar durante esse tempo, boa tarde pra vocês!


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...