Happy 14, Tina


Postado

Happy 14, Tina

Normalmente todo “Feliz aniversário” começa assim : “querida fulana, neste dia especial venho te desejar paz, amor, alegria, saúde” e blá blá blá. Bom o meu será bem diferente...
Era uma vez...
Era uma vez, duas garotas nascidas no mesmo ano, em uma cidadezinha chamada Pedra Azul, Hanna Vilela e Tina Figueiredo. Quando crianças as duas garotas eram bem diferentes uma da outra, Hanna sempre fora calada, quieta, não fazia nada, não era atentada, não gostava da maioria dos seres humanos, meio estranha, uma criança sem se parecer com uma criança de fato, Tina era ao contrário, era esperta, não calava a boca, botava fogo nas cortinas de casa, e fugia de casa com 1 ano de idade. As duas meninas sempre se conheceram, afinal suas famílias eram amigas, mas até uma certa idade as duas não se importavam com a existência uma da outra.
Mas então a partir dos 7 anos de idade as duas começaram a conversar, uma ia na casa da outra etc, mas não tinham uma grande convivência pois estudavam em escolas diferentes, o que era um saco. Passou-se 1 ano e Tina passa a estudar com Hanna em sua escola no 3º ano, se viam todos os dias, conversavam muito, mas ainda não era AQUEEEELAAA AMIZADEEE. Mas então Deus prevê um destino bem diferente do que Hanna e Tina imaginavam... A partir do 5º ano, Hanna e Tina não se desgrudavam (podemos dizer que era um nojo), contavam segredos uma para a outra, usavam “colares da amizade” (que na verdade eram aqueles corações que piscam pendurados em um cordão que dão em festa de criança) no “colar” que pertencia à Tina tinha escrito “Hanna” e no colar de Hanna: “Tina” (bem original), outro fato interessante e bizarro dessas duas era que, quando Tina ia na casa de Hanna, as duas sentavam, pegavam um folha de papel e um lápis e escreviam o que elas gostavam, o que elas não gostavam, e ao mesmo tempo que elas iam escrevendo, elas iam falando: “eu gosto de azul” aí a outra arregalava o olho “EU TAMBÉEEEM” (ela podia detestar azul, mas ela falava que gostava só pra ser igual ao da amiga). Tina e Hanna tinham uma brincadeira considerada bem esquisita “Agente secreto” elas colocavam óculos escuros e um casaco e saíam procurando pistas (que até hoje nenhuma das duas sabe quais são), elas gostavam também de procurar no youtube “lendas urbanas” e óbvio elas ficavam se matando de medo, tanto é que um dia, Tina ia entrando no banheiro da casa de Hanna, e então a doente da Vilela: “OLHA A LOIRA DO BANHEIROOO” e trancou a coitada da Tina lá dentro, que quase infarta, depois disso ela ficou 1 hora sem falar com Hanna, e foi a vez de Hanna quase infartar. Elas amavam ir na pracinha que ficava na frente da casa de Hanna, mas havia um motivo para isso, nessa praça continha uma árvore meio estranha cheia de galhos extremamente grossos, a árvore não tinha tronco, só galhos, então as duas penduravam de cabeça para baixo e ficavam gritando pedindo por socorro (elas deviam ter uma deficiência mental... não é possível), até que um dia, um homem sério, engravatado passa pela praça e as duas pedindo socorro, o homem super educado olha e vai chegando perto: “Meu Deus meninas, precisam de ajuda?” as duas não contiveram os risos, e disseram ao homem engravatado: “Não” em meio as risadas. E com o passar do tempo as duas se uniam cada vez mais... Mas então aos 11 anos acontece algo que abala a amizade das duas, elas tinham um amor platônico pelo mesmo garoto (QUE UNIÃO HEIN?!!!), então as duas declararam guerra (um fato histórico inesquecível, foi tipo a Inglaterra declarando guerra à Alemanha), elas viraram uma Sakura e Ino da vida, mas claro que elas ainda continuaram conversando normalmente. 1 ano se passa e as duas já voltaram a ser como antes, mas então no início desse ano Hanna dá seu primeiro beijo no tal garoto, e lógico conta pra Tina, porém Hanna tinha dito à Tina que não beijaria ele novamente, o que foi mentira, pois no dia seguinte, Hanna o beijara novamente, e Tina não ficou sabendo... Tina achando que Hanna já tinha esquecido o garoto, dá seu primeiro beijo com o mesmo garoto (O PRIMEIRO BEIJO??? COM O MESMO MENINO??? AÍ BRASIL).
Mas o mais interessante é que, apesar de todos esses acontecimentos, nada, nem o menino, nem ninguém, conseguiu separá-las.
O que eu, autora dessa história quero dizer é que, nunca teve uma amizade tão forte nem para Hanna nem para Tina, as duas por mais diferentes que sejam, são unidas, pois cada diferença se completa. E o motivo para eu estar escrevendo essa mini história, é destinado à um fato histórico acontecido em 7 de Abril de 2001, data de nascimento da minha melhor amiga, Tina (ISSO MESMO LEITOR A PERSONAGEM DA HISTÓRIA LÁ DE CIMA)...
Me perguntaram um dia desses “quanto tempo você acha que essa amizadezinha vai durar” disse com um tom de irônia bastante notável, então olhei para o indivíduo com desdém e lhe disse com um tom na voz como se a resposta fosse óbvia, que na verdade é óbvia: “Sempre”....

-Hanna Vilela
*Esta história estará presente nas livrarias em breve!


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...