~Yuro_

Yuro_
Aspirante a escritora
Nome: Caty
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 24 de Agosto
Idade: 15
Cadastro:

Falling Love - Diana Pilar


Postado

https://spiritfanfics.com/historia/falling-love--a-selecao-interativa-6902399

『Nome & Sobrenome Completo』Diana Pilar

Diana: Deusa romana da caça, da lua e das florestas.

Pilar: Tem a ver com a lenda catolica que Virgem Maria apareceu em Sarragossa (Espanha) em cima de um pilar.

『Apelido → opcional』 Seu nome é pequeno, então nunca foi um costume ter apelidos que o abreviassem, embora sua família a chame de Didi, o que a envergonha levemente pela infantilidade com que esse apelido soa. Atualmente, no castelo, muitos guardas a chamam "Capitã Diana", numa mistura de brincadeira com respeito, que ela aprecia e sempre sorri nostálgica quando a chamam assim.

『Idade & Data & Signo → 17 à 21 anos』21 anos, 3 de maio, Touro

『Sexualidade』 Demissexual (uma pessoa que só é capaz de ter atração física por alguém depois de estar envolvida psicologicamente/emocionalmente com a pessoa) bissexual

『Casta & Trabalho』Sua família é casta 4, quando ela foi uma oficial militar foi casta 2, mas recentemente voltou a ser casta 4, ex-militar (chegou a patente de capitã, embora sua fama no exercito não seja tão proporcional ao nível mediano de sua patente)

『Província』 Panamá

『Aparência & Descrição』










A primeira impressão que se tem de sua aparência é de um exotismo hipnótico, mas ao mesmo tempo firme e severo. Seus traços são sérios, embora o curto cabelo preto cacheado, extremamente volumoso, seja uma verdadeira bagunça, que lhe dá um ar quase selvagem. Talvez seja apenas ele que quebre essa dureza de sua figura, que em tudo mais é rígida e nunca aparenta guarda completamente baixa. Seus olhos são tão escuros que parecem negros, são levemente puxados, num traço dos nativos americanos. O grande motivo que as pessoas tendem a encará-la é por causa da intensidade deles, que parecem entrar dentro da pessoa e ver tudo que elas mais querem esconder e ainda sim, permanecerem inexpressivos. As sobrancelhas escuras são um tanto arqueadas, e são a única parte dela que acabam traindo seus pensamentos, com um franzir, arquear que faz alguém observador passar pela frieza de seus olhos.

A boca carnuda e de lábios voluptuosos é naturalmente voltada para baixo pelos cantos, tornando sua expressão ainda mais séria e um tanto carrancuda. O nariz é um tanto largo e de ponta arrebitada. O rosto tem certo formato quadrado, mais visível pelos cantos da mandíbula protuberantes, assim como os ossos da maça do rosto, que é cheia. A bochecha é magra, formando uma leve depressão na região. É daquele tipo de pessoa que não se pode dizer de cara que é bonita, fazendo você fazer caretas, tentar ver de outros ângulos e ainda continuar na dúvida. Não possui uma beleza brilhante, e mesmo que tivesse, não seria ela que atrairia olhares para ela, e sim sua postura, que combina perfeitamente com sua aparência.













Seu corpo é uma estrutura dura e concreta, de músculos mais desenvolvidos que o normal, principalmente os braços. Revestindo esse corpo, há uma pele escura, que fica entre uma pele bronzeada e uma negra. Em sua maioria, é normal, mas ela não tenta esconder suas feiuras. Essas seriam as diversas cicatrizes e queimaduras que tem pelo corpo, a maioria no tronco. As de queimadura estão concentradas em suas costas e ombros, e as de corte (feito principalmente por vidro quebrado), espalhado por suas costas, ombros, pernas, mãos e braços (ou seja, quase por todo o corpo). A de queimadura são as mais severas, já que as de corte são mais pequenas e menos visíveis, embora tenha uma bem grande na palma e nas costas da mão esquerda, onde um pedaço de vidro atravessou a mão. Há várias cicatrizes de bala, e se lhe perguntar, com maior entusiamo ela lhe dirá a história por trás de cada uma, "Essa foi quando eu e meus companheiros..." é assim que todas começam. Não tem qualquer vergonha dessas cicatrizes, muito menos algum orgulho especial, apenas pensa nelas como um lembrete de sempre cumprir seu dever, não importa as consequências.

Não é uma mulher de curvas muito evidentes, embora as tenha, tendo um quadril médio e uma cintura consideravelmente fina. Os seios são pequenos, o que pode gerar alguns comentários maldosos nas mentes mais perversas, ainda mais com seu corpo mais musculoso que o padrão feminino. Não que ela vá se deixar ser desrespeitada dessa forma.

『Personalidade』

É uma líder nata e bem direta: Ela é um caso de "ame ou odeie", o fato é que ela raramente passa pela vida despercebida. Diana não é uma pessoa fraca, nem tímida. É uma líder, que acaba comandando tudo sem nem perceber. Não que ela seja mandona ou goste do poder, apenas tem uma aura de auto confiança e segurança, além de seu pensamento estrategista e prático, que faz que os outros a ponham numa posição de liderança quase instantaneamente. Há algo sobre ela que diz ao mundo que não pode ser manipulada. Sua conduta demanda respeito e em alguns casos, medo. É poderosa, indomável, uma verdadeira guerreira a qual os inimigos devem temer. Não gosta de enrolação, com ela é "só faça o que precisa ser feito". Por isso, também pode ser uma considerada uma insensível por quem a julgar apressadamente, por mais que esse não seja exatamente o caso, por mais que por vezes aja como uma.

Forte e com instinto maternal: Uma mulher forte e aparentemente inquebrável, ela é o modelo para muita gente. Essa força não a transforma em alguém insensível as pessoas ao seu redor, muito pelo contrário, sente uma vontade irreprimível de cuidar das necessidades dos outros, cuidando, ajudando e dando apoio de uma forma quase maternal. Já se vê que por mais que pareça insensível, isso é só com aqueles que considera que não necessitam de ajuda, que já tem tudo na vida e não precisam de mais uma pessoa mimando-os. É gentil, mas sua gentileza é seletiva.

Suas intrigantes faces: Com estranhos, costuma ser rude, grosseira e hostil. Ou seja com 99,9% das pessoas. Quando diante de pessoas que confia, ou seja, ninguém além de seus companheiros soldados e guardas, vira a simpatia em pessoa, mostrando-se extrovertida, falante e um tanto boba. Pela sua personalidade muitos acham que seu senso de humor é negro, ácido. Na verdade, ele é deliciosamente tolo, inocente, só com algumas piadas sujas que formam seu lado mais malicioso.

Não gosta de desabafar nada com ninguém: Possui uma natureza séria, e seus sentimentos podem serem comparados a rocha. Tanto que as pessoas que a vêm logo comentam quando ela não está por perto como ela nem parece ser humana, mais um robô feito para seguir as ordens de seus superiores. Mas é como dizem, "água bate na rocha, bate tanto até que fura", quando finalmente atingida, ela não é mais forte que qualquer um, sendo até mais vulnerável, pois nunca sentiu o choque de ter sua armadura transpassada. Como nunca teve um amigo íntimo, para ela é comum manter sues pensamentos mais pessoais para si mesma, sem ousar dizer sua fraquezas. Assim, a pressão continua sobre ela, silenciosa e eterna, e um dia, sem aviso, irá esmagá-la sem piedade.

Seus superiores não a escolhem, ela escolhe seus superiores: Despudorada, ela é bem maliciosa e não hesita a falar a verdade. Assim como não tem muito respeito por autoridades. Só ganha seu respeito quem se prova digno, não só por que está numa posição mais elevada. Por mais que por vezes tenha que se curvar, apenas o faz para não causar brigas desnecessárias, tudo em nome de cumprir seu dever. Nunca seja presunçoso o bastante para pensar que só por que ela abaixa a cabeça para você, possui realmente o respeito dela, nem sua obediência. É só sair de uma situação, normalmente pública, em que ela tem que ser cordial, que ela irá te mostrar que está terrivelmente enganado.

Desconfiada e independente: Como não gosta de ter que confiar cegamente nas pessoas, depende muito de si mesma, sendo totalmente independente, tanto emocionalmente quanto fisicamente. Não se importa com opiniões alheias, só faz o que quer, na hora que quer, sem nem pensar em dar satisfações à alguém. Isso pode causar muitos conflitos, por muitas vezes as pessoas podem estar apenas se preocupando com ela, e ela não é capaz de ver isso. Isso nós leva à mais um ponto de sua personalidade, sua capacidade de ser bem ignorante dos sentimentos das pessoas que mais lhe são queridas nos momentos mais críticos.

O poder de seu olhar: Parece conseguir enxergar através das pessoas, vendo o que existe além da superfície. Isto pode ser muito intimidante para alguns e intrigante para outros. Costuma ler nas entrelinhas nas relações com os outros. Detalhes superficiais são descartados quando consegue entrar na pessoa e nas situações à sua volta.

A indiferença dela e o que realmente estar viva para ela: No entanto, costuma julgar indiferentemente, não sendo inflada em indignação, respeito ou admiração ou quaisquer outras emoções intensas enquanto desvenda cruéis verdades facilmente. Na verdade, nunca foi uma pessoa capaz de mostrar grande afetação em meio as mundanas relações do dia-a-dia. Seu coração só se sente preenchido de emoções, sentimentos e principalmente, vida, quando está com uma arma nas mãos, em meio a luta, onde tudo que existe a consciência de seu dever, de sua respiração e no inimigo. Nessa horas, tudo some, todas as superficiais relações de poder, todo orgulho desnecessário, toda falsidade. "A guerra é o lugar onde se pode ver o amago mais primitivo da humanidade, onde tudo que lhe resta, não importa quem seja, são seus ideais mais fortes e o sangue correndo em suas veias", como ela diz.

Estranhamente, é uma pessoa com uma grande fé em Deus: Contrariando toda a imagem que as pessoas fazem dela, de uma pessoa sem coração, um robô, ela guarda um lugar especial para sua fé. Todas as noites ela junta as mãos junto ao coração e agradece a Deus por tê-la salvo. Ela deveria ter morrido no dia que ficou paraplégica, mas está viva, e acredita que há um motivo para isso, um motivo por ainda estar viva. A sua visão, esse motivo é a proteção daqueles que não podem se defender. E pretende seguir esse único motivo para viver, lutando mesmo que sem pernas. As palavras que sussura quase toda noite são "Deus, eu vou fazer a vida que o senhor salvou valer a pena. Definitavamente, mesmo que aleijada, irei salvar o máximo de vidas que puder".

Complicada de se julgar: Possui muitos defeitos e qualidades, e eles acabam se misturando uns aos outros várias vezes, a tornando uma pessoa confusa para aqueles que acham que só existem o bem total e o mau total no mundo. Exibe defeitos-meio-qualidades e qualidades-meio-defeitos, seus atos e palavra muitas vezes são censuradas pelas pessoas muito moralistas ou sensíveis. Seus defeitos mais visíveis são sua teimosia, orgulho, ar intimidador com estranhos, sua falta de limites para proteger aqueles que ama, sua falta de hesitação em usar o medo como forma de respeito se for necessário e sua severidade quase ditatorial. Pode ser a maior libertadora do povo, assim como pode ser uma ditadora, tudo depende do ponto de vista da pessoa.


『Família →』

Pai: Marcos Pilar - Um homem orgulhoso e ambicioso, que deseja que seus netos sejam 2, da elite. É ganancioso e mão fechada, não possuindo compaixão e fechando os olhos para os problemas dos necessitados por simples conveniência - Ambos não se dão muito bem, exatamente por ela desprezar a falta de príncipios do pai- 58 anos - Administrador das fazendas - É gordo, alto e começando a ficar calvo e de mais da metade dos cabelos brancos. - Casta 4



Mãe: Teodora Pilar- Parece ser uma pessoa gentil e calma, que sorri para todos, mas no fundo, é tão podre quanto o marido. Mas se importa muito com a família, e tem um grande carinho pela única filha. - Era um pouco mais próxima da mãe, até começar a ver a verdadeira face dela e começar a se afastar enojada da mulher que tinha admirado durante toda sua infância- 50 anos - De longos cabelos tingidos de ruivo-castanho para esconder o branco que já começa a aparecer em alguns fios, ela é uma mulher elegante e de traços gentis e doces. - Admistradora das fazendas - Casta 4



『História』

A família dela sempre viveu um impasse, são ricos, mas são da casta 4. Isso por que são donos de fazendas de gado, enormes quantidade de terra que o geram lucros maiores ainda. Quando em festas da alta sociedade, são vistos com desprezo pelos 2, que não o acham dignos. Tudo seria resolvido quando Diana fizesse 17 e se casasse com um 2. No entanto, quando o dia chegou, Diana se alistou no exército, enfurecendo sua família. O porquê? "Eu quero proteger as pessoas", foi tudo que ela respondeu sua família, com um ar quase inocente.

Assim, ela passou pelo árduo treinamento militar, o qual completou mais cedo que o previsto, pois se descobriu que ela era um prodígio nesse campo. Tanto fisicamente quanto em inspirar confiança, saber liderar e fazer estratégias. Logo ficou conhecida entre os soldados como a "menininha prodígio". Mas mesmo que tivesse facilidade, ela sempre se esforçou mais do qualquer um, treinando seu corpo e mente dia e noite incansavelmente até que finalmente fosse chamada pelos oficias e ouvisse as palavras que tanto ansiou. "Você está pronta".

Em suas primeiras missões foi uma simples soldada sem nenhuma patente importante, mas com o tempo foi provando seu valor e sendo promovida, até ser capitã de seu próprio esquadrão. Aos 20, depois de já ter encarado a hostilidade do campo de batalha nu e cru, ela foi ordenada levar seu esquadrão até um esconderijo rebelde, onde receberam a informação que importantes planos estavam guardados. No entanto, quando entraram, descobriram que os rebeldes estavam preparados. Depois que se iniciou o ataque, um deles soltou um alarme e eles descobriram que havia uma bomba no local, que explodiria em breve. Mas os planos também estava lá, Diana sentia isso. Estava escondidos em algum lugar.

Diana mandou seus homens fugirem, enquanto ela ia atrás dos planos. Encontrou-os, mas só teve tempo de correr metade do caminho até a saída, quando a bomba explodiu. Ela foi jogada de dentro do prédio num espetáculo de fogo, que beijou sua pele. Havia sido jogada contra uma grande parede de vidro, estão os pedaços brilhantes a acompanharam na descida e no pouso, cortando e enfiando-se em sua pele, atravessando sua mão. Caiu de uma altura de três andares, e mesmo sobreviveu, mas não intacta. Quando foi encontrada pelo médicos militares, dizem que ela ainda se agarrava aos planos em meio a poça de seu próprio sangue.

Agora estava paraplégica, e não era mais útil para o exercito. Ou ao menos, foi isso que os pais disseram quando a receberam numa cadeira de rodas e a trancaram numa das fazendas da família. Nenhum dos homens de seu esquadrão sabem o que realmente aconteceu com ela, considerando-a morta. Ela também nunca conseguiu entrar em contato com eles, até entrar na seleção e encontrá alguns poucos novamente. Nem mesmo soube que foi nomeada como uma heroína entre o exército, posta como um modelo de dedicação a pátria e devoção a causa.

Qualquer acharia que depois de tudo isso ela entraria em depressão. Talvez outra pessoa entrasse, mas não Diana. Ela nunca se deixaria ser inútil dessa forma. Todos os dias, exercita seus braços e mira, sendo capaz de erguer todo o peso de seu corpo facilmente com só uma mão e aprimorando sua mira. Mais do nunca, ela leu sobre estratégias de batalha e de intimidação. "Não importa se minhas pernas não podem se mover, eu ainda posso fazer alguma coisa. Ainda posso proteger as pessoas", foi o que ela sempre pensou. Conseguiu reaprender a cavalgar mesmo com sua condição, a se mover tão rapidamente sobre duas rodas quanto qualquer um em dois pés.

Ela vê a seleção como sua chance de voltar a ser útil para o povo, mesmo que não possa voltar ao exército, ela ainda pode fazer a diferença como rainha, e para isso não precisa das pernas.

『Gostos & Desgostos』

Gostos:
Saber que está contribuindo para algo
Ser respeitada, mesmo que tenha que ser pelo medo
Jogar jogos de estratégias
Cuidar das necessidades das pessoas que ama ou que estão precisando de ajuda
Uma rotina firme e organizada
Paz e harmonia
Pessoas determinadas e bem-humoradas
Frutos do mar
Liberdade
Cavalgar
Boxe e outras artes marciais
Música clássica, ópera e eletrônica
Florestas
Adrenalina

Desgostos:
Não ser respeitada, nesses momentos de desrespeito completo é que se faz ser respeitada por todos, seja por bem ou por mal
Quando lhe subestimam
Ver as pessoas que ama tristes e com problemas
Desordem e caos
Ter que confiar em estranhos
Pessoas preguiçosas, ignorantes, arrogantes e preconceituosas
Salada
Vestidos, vestidos e vestidos


『 Qualidades & Defeitos』 (a personalidade dela já é uma confusão dos dois, é difícil separar em dois, já que uma característica dela é qualidade num momento e um segundo depois, um defeito ^^')

Qualidades:
Força
Espirito de líder
Decisiva
Pensamento rápido e estratégico
Nunca dominada pelas emoções

Defeitos:
Fria
Aparentemente insensível
Grossa
Incapaz de mentir por etiqueta, nesses casos só fica quieta
Pode acabar sendo violenta (tanto suas palavras quanto seus atos) sem perceber e muito menos ligar

『Manias』
Respirar fundo para segurar a raiva
Mover as articulações do ombro quando tem um mau pressentimento, como se si preparasse para a luta
Quando ri, sente vergonha da própria risada, por isso tem o instinto de olhar para baixo timidamente
Colocar as mãos em punho quando com raiva ou nervosa

『Objeto especial & Porquê é especial → 』O broche que indica sua patente no exército. Sempre leva com ela para nunca se esquecer do realmente é, ontem, hoje e para sempre. Sempre que pode, o exibe usando em suas roupas, mas normalmente o mantém dentro do bolso.

『Hobbies』
Treinar boxe (sim, ainda continua o fazendo, mesmo que sobre uma cadeira de rodas)
Treinar mira (armas de fogo e facas)
Jogar xadrez
Cavalgar (é necessário uma sela especial para ela conseguir montar)

『Medos/Fobias/Traumas』

Tem medo que a derrubem de sua cadeira de rodas e imobilizem seus braços, a última defesa que ela tem

◤O P I N I Õ E S -|- P E R G U N T A S◥


➽ O que ela pensa sobre a Seleção? Não tem muitas opiniões sobre isso. É objetiva e pouco emocional quanto o assunto, considerando-a apenas uma oportunidade para si momento. Uma coisa que nunca vai admitir é que a seleção a assusta. Sabe lutar com armas, em meio a campos de batalha regados de sangue, mas não sabe nada para lutas pelo coração de alguém, a arte da sedução e etc. Se sente como um recém-alistado no exército, que nem passou pelo treinamento e já está no meio da guerra.

➽ O que ela pensa sobre o príncipe? Entrou na seleção também sem muitas opiniões sobre ele, e considerando que ele pode acabar sendo seu futuro marido, sua falta de curiosidade sobre ele é assustadora. Em sua primeira impressão sobre ele, quando o viu pessoalmente, já franziu as sobrancelhas. As pessoas mais polidas, cavalheiresca e suaves são as que mais usam a mascará da educação para esconder-se.

➽ O que ela pensa sobre o governo da Família Real? Não aprova o sistema de Castas, mas isso não é uma característica especifica do governo rei Gaspard, e sim algo passado a gerações. Mesmo assim, iria tentar acabar com as castas aos poucos se estivesse no poder. Também não aprova exatamente o sistema monarquio, preferindo um sistema democrático, ou pelo menos uma monarquia parlamentarista.

➽ Como reagiria em um ataque rebelde? Se não estivesse com uma arma, arranjaria uma e lutaria. Nunca aceitaria se esconder, quando é capaz de lutar mesmo de cadeira de rodas. Se alguém viesse discutir com ela, ela falaria na cara "Sou um soldado antes de ser uma Selecionada", mesmo se fosse para o próprio rei. Ela já enfrentou os rebeldes dezenas vezes, não ficará parada diante de um ataque.

➽ Se ela se tornar a rainha, que benefícios/mudanças faria para o país?
Primeiro, iria tentar afrouxar a rigidez das castas, criando locais de acolhimento onde a população da casta 8 é grande e aos poucos promovendo campanhas que melhoram o olhar das castas mais altas para as mais baixas. Iria estimular a mídia a divulgar feitos 4,5, 6 e 7. As escolas de ensino médio e superior devem ter no mínimo 45% de vagas reservadas para pessoas da casta 5 para baixo. Projetos iam exacerbar a capacidade de cada casta, por exemplo, o governo promoveria festivais agrícolas, de costura, culinária, música e teatro, com oficinas que podem mostrar para pessoas de todas as castas o trabalho desa casta especifica.
Isso tudo gastará bastante o dinheiro do governo, e para consegui-lo de volta, Diana vai fazer rigorosas investigações em cima de empresas, juízes, banqueiros e oficias da marinha, aeronáutica e exétcito. Em seus anos no exército viu com seus próprios olhos a grande corrupção que existe entre os oficias, que roubavam grande parte da verba dada pelo governo.
Irá investir na educação, com projetos que incentivam as crianças de classes baixas a irem a escola, aumentando a quantidade de bolsas de estudos. Para as crianças das áreas rurais, um sistema de transporte público que seja econômico ao mesmo tempo que eficiente. As famílias de castas baixas que tiveram todos os filhos indo para escola, tirando notas na média ou acima e com boa frequência, irão ganhar uma pensão.
Para melhorar o convívio dentro das escolas, qualquer aluno (ou professor/funcionário) que pratique qualquer violência contra outro por motivo de sua casta, gênero ou sexualidade, será punido severamente. Projetos de inclusão serão propostos nas escolas e o debate sobre a igualdade entre as pessoas independente de sua casta, gênero ou sexualidade deverá ser frequentemente debatido nas salas de aula.
Depois de feitos esses investimentos, Diana esperará um pouco até as coisa ficarem mais estáveis e a população aceitar essa nova política social, para então investir na saúde. Nesse campo, primeiro melhoria as situações precária de saneamento básico das periferias da cidades, assim como conscientizar a população desses locais sobre as doenças que podem advir de seus hábitos. Criaria postos de saúde, e incentivaria a população a manter as ruas limpas, limpá-las por si mesmo, incentivando até mesmo as crianças.
Criara um dia para cada profissão, do médico ou catador de lixo, onde representantes irão vir ao castelo e receber honras pelo seu trabalho duro pela própria família real. Também incentivaria a vinda de crianças ao castelo em excursões (quando a ameça rebelde estivesse vencida), para aprender sobre a história do país e poderem até mostrar o que aprenderam para algum membro da família real. Isso tudo seria para tornar a família real mais próximo do povo, fazendo-os olhá-los como iguais.
Para as seleções futuras, aboliria a lei de punição se a selecionada se relacionasse com alguém além do príncipe, e a virgindade da selecionada não seria necessária para sua participação. E também não seria necessário usar vestidos na seleção.

➽ Está pelo príncipe ou pela coroa? Quer poder ajudar o povo, então está pela coroa.

➽ Trairia o príncipe com alguém? Se sim, com quem? Se estivesse numa relação amorosa com ele, não o trairia. Mas se não, provavelmente com algum dos guardas, já que passa bastante tempo com eles no seu local preferido, o que podia acarretar na aproximação de um.

◤R E L A Ç Õ E S◥


➽ Com as outras Selecionadas: Não as trata com mais cortesia ou frieza do que qualquer outra pessoa estranha. Seria polida e respeitosa enquanto recebesse tratamento semelhante, talvez faça alguma amiga, ou pelo menos uma pessoa por quem nutre mais simpatia do que o resto. Mas, se for tratada mal ou sentir indiretas para ela ou para alguém que não acha que merece tal tratamento, não hesitará em mostrar seu lado de capitã militar, dura e exigindo respeito e obediência a suas palavras.

➽ Com o príncipe: Sua forma de nunca ser direto a incomoda no começo, pelo fato de criar confusão para entender sua verdadeiras intenções. Suas meias-palavras astutas e bem pensadas batem de frente com suas grossas e duras frases impensadas. O sarcasmo dele não a atinge a maioria das vezes, a não ser que ela já esteja fragilizada com alguma coisa. Mesmo assim, é relativamente fácil para ele fazê-la partir para a agressão. As mentiras que saem da boca do príncipe são um desperdício se faladas à ela, seus olhos podem ver por trás delas, o que o frusta. Sua imprevisibilidade mais a diverte do a irrita, gosta do inesperado, pois poucas vezes é surpreendida realmente. Ela realmente fica admirada com a facilidade dele em sorrir, o que para ela é tão incomum de fazer. Ele certamente irá ficar interessado a primeira vista, pois Diana não é apenas uma porta fechada. É uma porta sem maçaneta, com correntes em volta e uma pedra na frente. Sua história no exército e tudo o que ela viu irá também o atrair.

Em resumo, a relação deles é uma série de tentativas de descobrir os mistérios um sobre o outro, e mesmo não gostando do que vê na primeira vez, acabam por sorrir um para o outro no final, muitas vezes sem entender bem o porquê.

➽ Com o rei e a rainha: Enquanto vai conhecendo-os, acaba ficando mais próxima da Rainha, por se identificar com ela, a vê como o equilíbrio entre a força de um guerreiro e a elegância de uma rainha, e se inspira muito nela. Porém, gosta de quando se encontra com o rei falar sobre o exército, estratégias, e se ele estiver relativamente livre, uma rápida partida de xadrez.

➽ Com a princesa: Reconhece o encanto da princesa, e passa um tempo relevante com ela por terem características completamente opostas, ao mesmo tempo que poucas vezes brigam, se dando bem. Ambas dão um ponto de vista diferente uma a outa, e isso é prazeroso para Diana.

➽ Com Caster → Quando cheia das elegâncias e frescuras da corte e realeza, Diana recorre a ele para passar o tempo. Por mais que as vezes o desaponte, mostrando ser a completa mistura entre o bem e o mal, entre a gentileza e a insensibilidade, o deixando confuso muitas vezes. Mas essa confusão não os impede de ser amigos. Como ele tem essa mania de entender, saber de tudo, ele é um de seus ouvintes mais ávidos das histórias das guerras, cheias de heróis se sacrificando, honra e glória se misturando com a fraqueza humana. Isso acaba os aproximando consideravelmente. Ela gosta do jeito dele na maior parte do tempo, e ele ainda tenta entender o dela, com todas suas nuances, ideais banhados de sangue e rigidez misturada com desejo por liberdade.

◤ R O U P A S → vestidos, por favor◥


(agora temos um problema, Diana não usa vestidos, em hipótese nenhuma, sobre nenhum regra, sobre qualquer ordem. Ela ODEIA vestidos com todas as suas forças, por não se sentir nem um pouco a vontade com eles e mais parecendo um boneca barbie. Talvez ela se sinta assim pelos anos no exército, onde não usou nenhum vestido ou saia. Então, autora-chan, se ela puder não usar vestidos, eu agradeceria, mas se for inevitável, ela pode se forçar a usar, mas quando chegasse no corredor no quarto dela já estaria tirando gritando "Saí de mim que esse corpo não te pertence!" u.u)

➽ Para a primeira entrevista →



➽ Dia a dia →













➽ *Encontros →











➽ Jornal Oficial de Illéa →











➽ Bailes →











➽ Halloween →



➽ Natal →



(o da esquerda)

➽ Pijamas →







➽ Casuais →





【É virgem?】

Não.

【Tentaria ter relações com o príncipe?】
Provavelmente não. Mesmo se estivesse na elite, ainda hesitaria. Não que não deseje o fazer, a esse ponto, já sente esse tipo de atração por ele também. O problema é sua honra, que a faz pensar nas outras selecionadas, que podem amá-lo também. Por isso se recusa por esse motivo, por mesmo que elas nunca saibam, sentiria que as está traindo, ainda mais se acabar ficando amiga de alguma delas.

【Como seria o encontro perfeito?】
Algum que envolvesse cavalgar ou passar brevemente pela área de treinamento dos guardas. Isso a faria se sentir a completamente a vontade e bem menos rígida.

【Como age nos encontros? → 】

Nos primeiros se mostraria bem séria e direita, mostrando logo suas opiniões sobre ele, a realeza e o castelo sem nenhum escrúpulo, faria perguntas sobre ele no tom duro de uma capitã para seu soldado, até pelo menos ele dissese algo que a surpreendesse e a fizesse sorrir. Se ele a levar para os dois lugares que se sente confortável, já vai poder ver seu lado mais extrovertido (ainda mais se a levar até o treinamento dos guardas, onde mostraria seu lado de "mãezona", inocente e de sorriso fácil).

Nos seguintes, quando ele tiver descoberto como fazer seu lado mais sociável vir a superfície, vai se mostrar sinceramente preocupada com seus problemas e bem estar, se dispondo para ajudá-lo no que ele precisar. Sua natureza ainda possui certa seriedade, e há alguns assuntos que nunca podem ser tratados com ela com um ar divertido, mas cada vez mais, ela se permite baixar um pouco a guarda e deixá-lo ver seus verdadeiros pensamentos. Isso é algo inconsciente dela, não o faz por querer.

【Qual seria a proposta da Selecionada no projeto de filantropia? 】
Exacerbar a importância do trabalho de cada classe, trabalhar na educação das crianças para elas já crescerem com o pensamento de sociedade mais unida e igual, dentre outras coisas já citadas acima.

【Local preferido no castelo】

Acomodações/salão/área de treinamento dos guardas, lá conversa com antigos companheiros de guerra, irmão de guerra, como ela os chama, falando sobre antigas lutas sorridente e discutindo seriamente sobre os temores do que pode vir adiante. Se diverte com homens, fazendo piadas sujas, disputando queda de braço com eles e treinando com eles. Sempre que pode está lá e sem perceber, acaba se tornando uma "mãezona" para os guardas, uma figura feminina que assumiu o lugar de mãe deles, se preocupando, puxando a orelha e distribuindo carinho igualmente. Eles são as únicas pessoas a que mostra seu lado maternal e carinhoso facilmente. Sua presença é tão forte lá, que chega a dar ordens menores a eles. E pior, eles a obedecem sem questionar.

【 Qual seria o discurso dela】

"Olhem para essas mãos. Elas já roubaram inúmeras vidas, em nome de salvar milhares de outras. As mãos de centenas de homens e mulheres estão manchadas da mesma forma, e estão sendo ainda mais manchadas nesse mesmo momento. Eu já estive no exército, nos campos de batalha, vi que todos os homens sangram da mesma forma, não importando a casta, patente ou gênero. Todos morrem da mesma forma, todos os corações param de bater e a respiração cessa.

A guerra é um lugar cruel, selvagem, onde tudo que importa é a si mesmo e sua missão, seu dever. Sim, seu dever, acima de tudo. Os rebeldes tem o dever deles, nós temos os nosso. Proteger Illéa. Toda a Illéa. Não a Illéa da casta 2, ou da 3... Muito menos lutamos pela família real. Lutamos por Illéa, pura e simplesmente. Agora vêm? As castas, as classes sociais, só nos dividem por conveniência daqueles que querem explorar os que acreditam que estão abaixo. Deixe-me falar uma coisa, vocês não estão abaixo! Por Deus, vocês que fazem esse país, que o sustentam, e acham que devem ser chamados de "inferiores"? Tenham um pouco de amor próprio!

As castas existem para conter o poder das classes populares, poder que vocês possuem. Então, usem esse poder! Por que acham que chamam nosso país de atrasado? Por que ainda vivemos num sistema quase feudal! Precisamos olhar para o amanhã e ver se é isso mesmo que queremos para as futuras gerações! Um país onde as pessoas são subestimadas, impedidas de seguir seus sonhos, por causa de um número? É isso que vocês querem? Bem, com certeza, uma parcela de vocês quer, pois é assim que vem prosperando e vivendo sua vida boa a custa do trabalho árduo dos outros. Não finjam ignorância, castas 2,3... Vocês não podem fechar os olhos só por que não é agradável de se ver a realidade.

(pausa para respirar e observar o público) Pois bem, lembram-se dos soldados que estão matando e morrendo agora mesmo? É bom que se lembrem, pois enquanto estamos lutando por esse país, não vemos ele separado, vemos ele unido, onde cada pessoa pode ser o que ela quiser sem ser julgada por isso, sem ser colocada num pote e rotulada de acordo com a conveniência de terceiros. Lutamos pensando na verdade por trás das castas. Todos somos humanos, todos fazemos parte dessa grande nação chamada Illéa, e cada um de nós pode fazer ela melhor, não importando nossa casta.

Humanidade é identidade. Os homens são todos do mesmo barro. Mesma escuridão antes, mesma carne durante, mesma cinza depois. Quem disse isso é Victor Hugo, séculos atrás. E eu acho que ainda não entendemos o sentido de humanidade, olhando para todas essa divisões inventadas pelo ser humano, contra o ser humano e contra a vontade do ser humano."

Em seguida, ela explicaria suas propostas.

【Presentes que gostaria de ganhar →】
Um canivete, uma faca, uma navalha, uma arma de fogo, qualquer uma dessas coisas estaria boa, melhor ainda se acompanhado da permissão para a andar com eles no castelo hehe

【Poemas? →】

Por causa da humanidade, somos sobrecarregados com mágoas terríveis, mas é também através da humanidade ue encontramos uma forma de sermos capazes de encontrar alívio dessas mágoas... - Watashi No Shiwase Na Jikan

Há gestos para que nem sempre se pode encontrar uma explicação fácil, algumas vezes nem a difícil pode ser encontrada. - Ensaio sobre a cegueira

Ainda está para nascer o primeiro ser humano desprovido daquela segunda pele a que chamamos de egoísmo, bem mais dura que a outra, que por qualquer coisa sangra. - Ensaio sobre a cegueira

Morrer não é nada, horrível é não viver.- Os miseráveis, Victor Hugo.

Humanidade é identidade. Os homens são todos do mesmo barro. Mesma escuridão antes, mesma carne durante, mesma cinza depois. - Os miseráveis, Victor Hugo

Tudo fala em nós, exceto nossa boca. - Os miseráveis, Victor Hugo

Os sábios, os ricos e os sortudos que fazem os ignorantes, os pobres e os desaventurados. - Os miseráveis, Victor Hugo

Nenhum trapaceiro na face da terra nos engana tão bem quanto o trapaceiro que existe dentro de nós.- Grandes esperanças

O importante não é ver algo que ninguém nunca viu, mas sim pensar o que ninguém nunca pensou sobre algo que todo mundo vê. - Schopenhauer

Ao ficar firmemente ciente da crueldade que se esconde nas profundezas do coração humano, os homens podem criar bom senso, raciocinar e formar benevolência para controlar a crueldade. - Psycho-pass

A lei não protege as pessoas. As pessoas protegem a lei. - Psycho-pass

Que ingenuidade pedir a quem tem poder para mudar o poder.- Giordao Bruno

Em todo lugar o homem culpa a natureza e o destino, embora seu destino seja nada mais que o eco de seu caráter e suas paixões, seus erros e suas fraquezas.- Demócrito


【Música que define a personagem 】



As duas seguintes são eletronicas sem cantor, então sinta o ritmo delas como se fossem da alma da Diana ^^





As próximas da Disney, sim, mas fazer o que né u.u descrevem ela bem u.u

Essa primeira é para descrever a fé dela em Deus, explicando mais ou menos por quem e pelo o que ela ora.



Já essa eu acho que descreve o lado capitã dela e como ela trata os novatos que caem em suas mãos hehe não só eles, mas todos que ativam seu lado de capitã u.u



【Playlist da personagem com o príncipe】

Não conheço nenhuma música que encaixe neles ;-; não conheço muitas músicas de amor ^^' se souber alguma, me diga, por favor :3

➺ Sabe que pode não ser Selecionada?
Yep

➺ Sabe que pode ser eliminada?
Yep

➺ Como a personagem lidaria com isso?
Sairia de cabeça erguida, com olhos secos e orgulhosa. Se já estava apaixonada por ele, já teria chorado sozinha o que precisava chorar e sairia com a dureza de um capitão se retirando nobremente da batalha, sem olhar para trás uma única vez, tentando não mostrar sua dor. Se não estivesse, ainda sairia com a mesma dureza e seriedade.

➺ Por que ela deveria ser selecionada ou a Escolhida?
Ela tem a força mental e física para ser uma Rainha, conseguindo inspirar facilmente as pessoas. Ela já tem o apoio do exército, que se manteria ao seu lado mesmo na pior crise. Tem punho forte, e não deixará erros passarem impunes, sejam de quem forem. Com sua seriedade, se faz respeitada por todos, tendo cada palavra sua levada a sério e ouvida.

➺ Sabe que pode não ser a Escolhida?
Yep

➺ Caso chegue a Elite e não ganhar, qual rumo a personagem tomaria?
Iria voltar ao exército, atuando numa posição onde não precisasse entrar no campo de batalha, montando as estratégias e dando ordens aos homens.

『Algo mais & Curiosidades』
Acho que não ^^ ansiosa para saber sua opinião sobre a Diana, tentei fazer ela o mais original possível ^^

Irei seguir com meu dever, antes sou um soldado do que uma Selecionada




Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...