~Yuro_

Yuro_
Aspirante a escritora
Nome: Caty
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 24 de Agosto
Idade: 15
Cadastro:

Ficha The purge


Postado

https://spiritfanfics.com/historia/the-purge--interativa-6593359

Todo cidadão de bem é a favor do expurgo

Nome completo: Yolanda Mabel Fenris

Idade: 25

Sexualidade: Demisexual hetera

Aparência:





É uma bela mulher, magra, alta e de corpo esguio. Sua aparência é o equilíbrio entre a delicadeza suave e a ousadia intensa. Seus grandes olhos esverdeados transbordam de bondade. Todos seus traços, desde seu pequeno nariz arrebitado a boca larga de lábios finos são delicados. A forma de seu rosto é oval, as mandíbulas meio quadradas bem visíveis pelo corte curto de seu cabelo escuro. A pele é clara e levemente rosada em alguns pontos. Anda sempre com um ar meio distraído e sonhador.

Photoplayer: Charly Thorn

Personalidade:

Yolanda normalmente só possui uma face de personalidade, mas durante as 12 horas da purificação, seus conhecidos quase não a reconhecem, e tem um bom motivo para isso.

Normalmente:
Todos que a conhecem de forma superficial, ou seja, quase todo mundo, a vê apenas como uma garota calma, gentil, um tanto estranha e que não dá um pio, e quando dá, fala coisas estranhas, mas que logo são perdoadas por ela ter um belo sorriso. De fato, ela é tudo isso. Mas há muito mais embaixo dessa simples visão.
De fato, não costuma falar muito. Mas não por ser simplesmente tímida. Ela acha a comunicação verbal algo desnecessário e em que ela não é muito boa. Demonstra o que sente e pensa por meio de ações sutis e pouco extravagantes, mostrando seu afeto ajudando, com carinhos e conforto físico. Por isso, seus sentimentos verdadeiros são um mistério para muitos, já que não irão sair por palavras de sua boca. Não é alguém misteriosa, pelo contrário, suas intenções e pensamentos estão sempre presentes, em gestos sutis, que poucos percebem ou dão qualquer significado.
Por não ser tão boa em conversas verbais, costuma dizer coisas um tanto inapropriadas, sendo sincera demais ou falando algo que não tem muito a ver com o assunto. Quando isso acontece, fica envergonhada e ainda mais tímida, calando-se e desistindo desse tipo de conversa que ela não consegue compreender ou ser compreendida. Seu caráter ético e extremamente gentil é aparente apenas em seu olhar, em suas sutis ações.
Embora pareça ser responsável e ponderar muito sobre seus atos por ser alguém extremamente calmo, é na realidade, impulsiva. Ela gosta de viver as coisas intensamente à sua própria maneira,de modo gracioso, sem qualquer planejamento.
É teimosa, e quando deseja realmente fazer algo, "cansaço" não parece existir para ela. Mesmo que a tarefa envolva sentir dor, tenha muita dificuldades, ela irá fazer de qualquer modo. Simplesmente, quando está animada e entusiasmada para fazer algo, não nota as dificuldades e se elas aparecem, ela as destrói antes que se dê conta que elas sequer existiram.
É a pessoa mais gentil do mundo. Uma gentileza extrema mesmo, que até assusta as pessoas em muitas situações pelo o que ela é disposta a sacrificar pelas pessoas com quem se importa. Especialmente sensível a dor e ao sofrimento alheio, e com uma impulsividade solidária ela doa-se livremente à aquele que sofre.
É observadora, não em meios sociais, mas é sim de um jeito mais abstrato, nota os detalhes belos nas coisas a sua volta, em coisas simples que ninguém dá muito valor.
Seus defeitos se resumem a ela ser muito submissa, não conseguindo impor sua opinião sobre as outras. É incapaz de elevar a voz, mesmo quando está morrendo de raiva. Isso também é uma das coisas que a irrita nela mesma, a calma que usa como mascará, o tom sempre educado de sua voz, contido, submisso. É muito humilde e discreta, nunca ostentando nada.
Ela tem outra faceta, que ás vezes aparece em meio a sua serenidade. Há nela uma vivacidade, uma animação, uma alegria contida pelo viver. Em outras palavras, há nela uma alma extasiada, inquieta, intensa, exaltada, que mostra-se por meio de seus olhos curiosos sobre tudo no mundo, seja grande ou pequeno. E essa alma secreta é alimentada pelo seu gosto pelo novo, pela sua busca de grandes coisas nas mais simples, humildes e pequenas.
Seus ideais são éticos e elas os segue a risca, sem preconceitos e de mente aberta, ela sempre está disposta a ouvir novas opiniões e novos pontos de vista sobre qualquer coisa, contanto que eles sejam respeitosos e estejam dispostos a ouvir sua opinião também.
Uma citação que se encaixa bem em Yolanda é "Por que é um homem tão valente em pensamento é tão tímido na vida?", de Virgínia Woolf.

Nas 12 horas da purificação:

Não vira uma pessoa fria, mas se torna muito mais dura emocionalmente. Continua com a mesma bondade dentro de si, mas ela não é para todos. Para aqueles que participam da purificação, não tem gentileza nenhuma, apenas balas de sua arma. Não perdoa ninguém. "Mas eles eram humanos também", já ouviu um de seus protegidos falar depois de matar homens que tentaram invadir a livraria. "Vocês chama isso matar humanos? Para mim é mais como abater monstros.", e então chutar o corpo morto. É esse tipo de coisa que ela é capaz de fazer durante essas 12 horas. "Mas eles poderiam ser boas pessoas antes...", também já ouviu isso. "Não me importa o que eles eram ontem, nem o que seriam amanhã. Eles escolherem serem monstros hoje. E por isso não vou perdoá-los".
Sua fraqueza de personalidade some, e ela vira alguém capaz de aguentar as maiores provações sem derramar uma lágrima. Apenas chora quando acabam as 12 horas e ela pensa nas pessoas que morreram, nas que sofreram, durante elas e ela não pode ajudar.
Para explicar o porquê dela ter essa personalidade a parte na purificação, temos que voltar a sua adolescência, quando ela ajudava os pais na administração de uma pequena livraria, coisa quando extinta nesses tempos. Durante a purificação, seus pais foram mortos, ela estrupada por mais de dez homens e no fim, metade da livraria pegou fogo. Depois daquilo, ela nunca mais perdoou aqueles que fazem parte da purificação, sequer suporta a sua vista aqueles a favor dela. Se você dizer, mesmo de brincadeira, ser a favor da purificação, prepare-se para ser expulso e levar um tapa na cara. Esse é um assunto que ela não aceita ser discutido. É errado. Ponto. Não há como negar isso. Não há explicações aceitáveis, e se alguém acha certo o que as pessoas, não, os monstros, fazem durante essas 12 horas, é tão ruim quanto eles, e é tão abominável quanto eles ao seu olhar.
Durante anos, ela tem mantido a livraria no subúrbio sozinha, ensinando ali crianças e servindo de lugar aconchegante para todos da vizinhança. Durante a purificação, vira um refúgio para os inocentes. Antes das 12 horas derradeiras, enche o lugar com armadilhas, prepara sua arma e seu estoque de balas e fica de sentinela, pronta para atirar em qualquer um que tente invadir ou que ouse praticar alguma monstruosidade por perto.

O que faz da vida? Dona de uma livraria no subúrbio da cidade

Como é sua vida o resto do ano?
É adorada por todos da vizinhança, fazendo de sua livraria mais do que ela realmente seria em teoria. Lá, as pessoas se reúnem para conversar, aprender e relaxar. Todos os finais de semana, escolhe um livro infantil para ler para as crianças do bairro, ajudando-as a aprender a ler e as incentivando a leitura.

Classe social: Média-baixa

É contra ou a favor do expurgo? Por que?
É contra com todas as forças de seu ser. Acha uma coisa abominável. "Liberar os instintos humanos? Por favor! Precisamos do instinto de solidariedade quando vemos uma mãe chorar sobre o corpo do filho, e o de compaixão ao ver uma menina ser violentada por uma duzia de homens na purificação! São esses instintos que precisamos liberar! Para os que querem matar, que vão para uma ilha deserta e fiquem se matando lá! Assim, nenhum inocente seria envolvido nessa selvageria.", é o que ela diz.

Par:
Autora escolhe ( X )
Não, obrigado ( )

Muito sexo? Não me importo

Família:

Pai: Um homem alto, um tanto acima do peso, de bochechas rosadas e olhar gentil. Seus cabelos eram castanhos claro. Tinha 54 anos quando morreu. Era um bom homem, sempre sorridente e de bom gênio, respeitoso e gentil com todos.

Mãe: Uma mulher magricela, de cabelos longos pretos com alguns fios brancos e olhos azuis. Era mais quieta que o marido, mas era gentil a sua própria forma sutil, assim como a filha. Tinha 47 anos quando morreu.

Gosta:
Ver documentários
Passear ao sol
Ficar olhando as nuvens e pensando em seus formatos
Fazer as pessoas sorrirem e rirem
Ajudar as pessoas
Ler qualquer coisa que tenha mistério
Sentar-se a sombra de uma árvore
Crianças

Não gosta:
Acima de tudo, a purificação
Morte
Violência
Imoralidade
Pessoas que se fingem de cegas dos problemas dos outros
Pessoas frias e insensíveis

Armas:







Algo mais? Acho que não ^^

Ciente de que seu personagem pode ser morto? sim


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...