~Sarah-A

Sarah-A
@imsuchasinner
Nome: Sarah, A.
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Sobre Amizade


Postado

Sobre Amizade

Esses dias eu estava reparando em como costumo fazer amigos pela internet com certa facilidade em relação a “vida real”, ainda mais com aqueles se assemelham a mim de alguma forma. Não fisicamente falando.

Desde que voltei a ler e escrever fanfics eu conheci pessoas maravilhosas nesse site e algumas delas eu peguei um contato de amizade mais íntimo, algumas beirando a confidencialidade.

Eu nunca tive um amigo de verdade [nossa, que drama], mas é verdade. Grande maioria das pessoas tem aquele amigo de infância cujo contava as experiências de vida, tirava duvidas e desabafava os medos, eu nunca tive isso. Sou a famosa rapinha do tacho, então quando nasci, meus primos eram muito mais velhos, assim como meus irmãos. Já estávamos na segunda geração e minha mãe lá atrasada tendo filho, quando suas sobrinhas já estavam parindo. Então eu fiquei numa espécie de limbo, cercada de primos muito mais velhos e os filhos desses mesmos primos sendo muito mais novos. Salvo por dois ou três que, por mais que fossem companheiros de brincadeiras, não eram meus amigos de fato.

Mas eu não estou aqui pra contar minha história de vida, muito pano pra manga.

Estou aqui pra dizer como é estranho a gente [a gente quero dizer que falo 100% por mim, não pelos outros] se sentir muito mais à vontade com pessoas que nunca olhamos cara a cara, a não ser por fotos de perfil e as vezes um vídeo ou outro, do que com aqueles que convivemos diariamente e moram/estudam/trabalham conosco. Como uma conversa puxa outra e daqui a pouco alguém fala sobre um problema em casa e surge aquela frase “Comigo também é assim!” e quando notamos já estamos compartilhando inúmeros problemas e, as vezes, alguma felicidade em comum.

Eu me sinto completamente à vontade com meus amigos de internet.



Ao ponto de cita-los em conversas com colegas de trabalho, como se fossem amigos de faculdade que vejo todo dia, e não encaro isso de modo ruim. Não acho que seja um ponto negativo uma pessoa ter amigos virtuais que o entendem, apoiam, compartilham de mesmos desejos e gostos, ainda mais quando somos incapazes de achar o equivalente ao nosso redor no dia a dia. Aquela pessoa que você tem certeza que vai te ouvir quando começar a falar de algum problema que teve, ou então que compartilha de mesma visão política e filosófica. Caramba, é muito bom achar pessoas que problematizam as mesmas coisas que eu [Oi, Daddy].

Isso não quer dizer que não tenho outros amigos. Claro que os tenho. Me considero uma pessoa muito difícil de se aturar por inúmeros motivos, ainda mais pessoalmente, um dia recolho depoimentos de quem vive comigo pra vocês verem como não é fácil, então os que se mantem perto eu dou um puta valor. Mas mesmo assim é diferente.

Tenho uma amiga que chamo de gêmea. Completamos a frase uma da outra, temos os mesmos objetivos de vida, passamos pelos mesmos problemas na infância, assim como tivemos as mesmas doenças, chega a ser bizarro! Obvio que nunca a vi pessoalmente, mais obvio ainda que ela mora literalmente do outro lado do país e as chances d’eu conhece-la são quase nulas (ou talvez não), mas isso não diminui o carinho e admiração que tenho por ela. Nem vou marcar aqui porque ela não vai ler essa bosta mesmo. Mas também conheci graças a fanfics.

Assim foi com inúmeros outros. Amigos que me fazem rir, chorar, que geram o famoso crush, porque sim, tenho crush nos amigos e não podem me impedir. Gosto de ajudar as pessoas, meu ouvido está sempre aberto pra escutar e aconselhar seja da forma que for.

Assim como é maravilhoso quando um estranho [pros outros, porque pra mim são mais que importantes] chega naquela aba do chat no site que for e diz “Tá tudo bem? Precisa conversar?” e você se sente confortável e um pouquinho mais aliviado porque tem alguém pensando em você, querendo o seu bem, quando muitas vezes você não dispõe do mesmo apoio na sua casa, ou ao seu redor.

Deve existir algum estudo sobre isso, digo, sobre se sentir mais confortável com amigos de internet do que com os que se convive pessoalmente. Se alguém souber me passa, porque a famosa preguiça me impede de procurar qualquer coisa nessa vida, ainda mais artigos.



Pra finalizar isso é mais um agradecimento. Não citarei nomes, por mais que não fossem muitos, não são necessários. Vocês sabem quem são. Obrigada por serem meus amigos.

Eu já disse uma vez durante uma conversa que não costumo dizer que amo as pessoas com muita frequência, não quero banalizar a frase que, pra mim, tem significado forte. Mas eu os amo, se nunca disse pra você diretamente, desculpe, mas eu sinto, só não falo muito. E se eu já disse que amo você, saiba que é de coração e nunca duvide da veracidade disso.

Não espero que nada dure pra sempre, por mais clichê que isso possa soar, só quero que seja verdadeiro pelo tanto que tiver de ser.

Bom, era isso. Acabou sendo um desabafo, sempre escorrego pra esse lado.

Desculpa o textão sem sentido e não desiste de mim. Não sei fazer jornal bonito.

Escutando: Alessia Cara - Here
Jogando: Meu tempo no lixo.
Bebendo: Queria, mas ta dificil.

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...