~Videsa

Videsa
I'm a motherfucker unicorn
Nome: Ρυrρυriทα ♔ / srτα.αทτσทis ❥ / мαrsυρiαℓ ∞ / sυiทσ ❄
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Home — Interativa


Postado

ARONUI






Noмe & Sobяeƞoмe:

Aronui Read [ Aronui é um nome de origem maori, povos nativos da Nova Zelândia; Significa: Desejo, grande desejo ]

Noмe de Cяeeρeραsτα:

Tic-tac Lady [ Senhora do Tic-tac ]

Aρelɪdo:



Idαde:

Dezessete anos e meio

Nαcɪoƞαlɪdαde:

Neozelandesa - Nova Zelândia

Oяɪeƞταção Sexυαl:

Heterossexual

Peяsoƞαlɪdαde:

Aronui, após a morte de Harlen, tornou-se uma pessoa calada e fria. Qualquer pessoa que tente falar com a mesma, receberá uma resposta arrogante ou sarcástica de sua parte— claro que algumas palavras em seu dialeto indígena — e talvez até um imenso silêncio.
Prefere ficar na sua, quieta, sem ninguém lhe importunando. Lendo um bom livro de romance policial ou mexendo num relógio qualquer e brincando com o tempo ao redor de si.
Pode ser um pouco teimosa na maioria das vezes, tornando-se cética, ou seja descrente; Quase nunca eleva a voz, a não ser que lhe tirem realmente do sério, e sempre está tão calma que chega a irritar os outros.
Seu maior defeito é o ceticismo. Após o quê aconteceu com Harlen, não consegue confiar facilmente nos outros; não acredita nos outros.
Pode ser amigável, mas apenas com quem quer. Sorri duas vezes a cada ano — ela já contou — e sua risada é um mistério, apenas uma pessoa já a ouviu e esta se encontra morta.
Apenas fica mais mansa quando está comendo torta de nozes, parece uma criança na manhã de Natal, com um pequeno brilho nos olhos.
Se chora, fica em silêncio sentindo as lágrimas gordas escorrerem por sua face morena.
Pode fazer as coisas de modo estranho, já que seu jeito é o jeito dos maoris, e um pouco brutas — como comer despensando os talheres ou o modo em que devora os restos de seus inimigos — a cultura desses índios, fala que após derrotar um inimigo, eles comem o coração, os olhos e a língua do mesmo; para absorver sua essência. Sua mana, que significa honra.

Aραяêƞcɪα:



Aronui é uma mistura entre uma pessoa de cor e uma pessoa com uma porcentagem menor de melanina, um maori e uma inglesa. Sua pele é entre um tom de chocolate amargo e chocolate branco, tornando-se um tom moreno claro; sua face é completamente coberta por sardas — com mais na região de seu nariz e suas maçãs do rosto.
Suas íris possuem a coloração, estranhamente, azulada — herança de sua mãe — e suas orbes estão sempre com um olhar superior e frio.
As madeixas são suaves com algumas pontas duplas no final e assumem a cor do céu mais escuro e nebuloso. Seus fios também contém um leve odor de canela recém moída.
Seus lábios são um pouco grandes e carnudos, morenos como sua pele, e estão constantemente ressecados por conta do vento.
Não é muito alta, nem tão baixa, mede por volta de 1,70 cm e 1,83 cm — desde que se medira pela última vez. Não é completamente magra, tem algumas sobras pelos lados, os famosos pneus; e seu nariz pode ser um pouco abatatado, mas é uma "falha" bem pequena.

Hɪsτóяɪα¹:

Aronui é uma jovem meio maori do século XIX. Seu pai fazia parte de uma das subtribos da região e sua mãe, uma inglesa com sede de aventura, que quebrava todos os padrões. Ao se conhecerem, amaram-se por uma noite, contudo, os colonizadores descobriram tal "afronta" e o índio fora condenado — sua cabeça foi cortada fora e vendida para um comprador americano. A inglesa foi exilada do território neozelandês assim que deu à luz á pequena garota, a deixando a mercê de pessoas raramente bondosas, desse jeito aprendeu a viver sozinha nas ruas da colônia, surrupiando pão e água dos restaurantes.
Quando completara onze anos de vida, decidiu pegar algo maior numa confeitaria — um pedaço de torta de nozes —, mas, o dono a pegou no ato e quase a levou para as autoridades do lugar. Chorando e implorando por misericórdia, Aronui amoleceu o coração do homem, que decidiu a acolher como afilhada. Seu nome era Harlen, um homem de cabeleira dourada e olhos claros, um perfeito inglês.
Harlen tornou-se o protetor e a única pessoa em que Aronui confiava — até lhe ensinou a ver as horas em seu relógio de pêndulo. No início não falava muito, ficava mais na sua, devorando pedaços e mais pedaços de torta de nozes. Toda vez que Harlen ia até a cidade comprar tudo o quê era necessário para fazer seus quitutes elaborados haviam combinado o seguinte: todos os dias, Harlen chegava ás 03:34 — havia dito que chegaria quando o ponteiro menor estivesse no III e o maior antes do VII.
Contudo, num fatídico dia, Aronui esperou Harlen chegar na hora marcada; e esperou, esperou, esperou.

Hɪsτóяɪα²:

Harlen não chegou no momento correto. Não chegou nem uma hora depois do momento correto. Nem duas horas depois do momento correto. Harlen não chegou uma semana depois do momento correto. Aronui não comeu no momento correto. Não se limpou no momento correto. Não viveu no momento correto.
Meses depois, a casa de Harlen fora revistada, Aronui ainda esperava pacientemente por sua chegada; tanto que pensou que era o mesmo chegando na confeitaria — onde morava fazia nove meses. Harlen fora condenado de traição por encobertar a "aberração" e morto em meio de praça pública. Para extravasar sua raiva, pegou uma faca de cortar torta enferrujada, e atravessou o corpo de um dos homens; Espremeu os olhos de outro e do último quebrou o pescoço.
Aronui desde então espera por Harlen do lado de fora do povoado, achando que um dia ele irá voltar e lhe fará mais tortas de nozes. Olha todas as noites para qualquer relógio que encontrar na marcação que haviam combinado.
Os anos passaram-se e Aronui se tornou a " Dona do Tempo " ou " Senhorita do Tic-tac ", vagueando sempre pela colônia, esperando o horário certo, esperando por Harlen e sua volta. Segundo relatos locais, ela não faz nada, apenas fica observando de longe o relógio — como se estivesse num transe — e depois volta para a mata alta.
Ninguém tenta chegar perto dela, mas se o fizerem, ela os mata de modo calmo e milimetricamente calculado, para os padrões maoris — pensando que é outro colonizador.

Aямαs:

— Chakram:

O círculo mortal de aço tem em torno de 30 centímetros de diâmetro. Extremamente afiado nas bordas, o quê permitia cortar braços e pernas com facilidade.



— Patu, mete ou wahaika:



Gosτos & Desgosτos:

— Chá de camomila, canela e hibisco; raposas; árvores de amendoeiras; romances policiais; pomar de maçãs; torta de nozes; relógios; biscoitos ( preferido: gotas de chocolate ); invenções novas — como é do século XIX, estava sempre surgindo novas geringonças —; cor carmim.
— Narguilé; colonizadores; café; coisas azedas, como limão; estampas floridas; fumantes; cor bege.

Qυαlɪdαdes & Defeɪτos:

— Prudente; afável; calma; minuciosa; caçar; matar; dançar o haka
— Cética; indiferente; arrogante; pessimista; desconfiada.

Medos:

— Fogo; barulhos altos; ser presa.

Pαя:

Soo Jon Pyo

Relαção coм...

• Ezeqυɪel Fosτeя:

Apesar do mesmo te-la recrutado, Aronui não possui nem um laço com o garoto — sempre o agradece pelo o quê o mesmo fez, mas, não procura ter um grau de companheirismo. Nunca fala com ele, a não ser que seja extremamente necessário e tenta nem cruzar com o mesmo nos lugares.
Seu objetivo é apenas cumprir seus objetivos e não ter amizades, ainda mais com Ezequiel — porque o jovem lhe lembra de Harlen —, mas, se o mesmo vier falar com ela, será a mais educada possível.

• Sleƞder Mαƞ:

Mesmo sendo a " Dona do Tempo ", a jovem tem alguns pés atrás com o homem. É o único ser neste plano material, e talvez em todos eles, que faz um arrepio correr por toda sua espinha. Procura ficar o mais longe possível dele.

• Iƞɪмɪgos:

Seus inimigos podem até correr, contudo, o tempo é como dezenas de fios de barbante e as pessoas as marionetes; diferentemente de outros creppepastas, que brincam com suas vítimas como gato e rato, Aronui vai direto ao ponto. Controlando os fios invisíveis do tempo, mexe com a mente das pessoas, deixando a parecer que mexe no tempo e pode até o contrair, acabando com sua existência. Apenas os vê como pequenos bonecos numa imensa maquete.

• Pαя:

Por ser um pouco descrente, pode ser considerada arrogante, porém quando estiver com o seu par, irá trazer seu espírito amigável novamente — poderá não demonstrar muito bem seu lado mais positivo, mas vai tentar. Seu par terá de aguentar também seu lado arrogante, sarcástico e cético.

• Aмɪgos:

Não irá tentar fazer amizades, mas tratará todos com educação — será inevitável construir uma relação com algumas pessoas.

Algo Mαɪs?

Sempre usa esta capa:




— Aronui tem esse nome, pois sempre teve o grande desejo de ser amada por alguém.



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...