~Jornalecos

Jornalecos
Nome: Chief
Status: Usuário
Sexo: Indisponivel
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Falando Sobre Yaoi - Parte 2 #Kpop


Postado

Falando Sobre Yaoi - Parte 2 #Kpop

No jornal anterior, falei sobre como as escritoras/leitoras enxergam os casais e estereotipam uke e seme, concluindo que muitas vezes Yaios não são para abordar um tema que seja relacionado aos homossexuais, sua problemática, os preconceitos que sofrem na sociedade, seu dia-a-dia ou um relacionamento amoroso real entre homens.
Na maioria das vezes os Yaois estão lá apenas para agradar vontades sexuais, fetiches de fujoshis, para que elas se deliciem em ver os bias se relacionando, estando juntos, interagindo, fazendo sexo.

Uma vez eu disse num chat que um amigo que é gay, muitas vezes preferia ler fics héteros, ele via mais realidade nelas do que nas Yaoi e uma menina o julgou sem nem conhecê-lo, dizendo que ele deveria gostar mesmo era de Yaoi. Essa menina, com certeza não conhece bem os gays e não sabe que, a maioria dos gays não gostam de Yaoi, não veem graça, acham aquilo nada a ver com o universo deles. Afinal, Yaoi não é para homens gays. Pasmem! Yaoi não é e nunca foi para homens gays e sim, para mulheres mesmo.
Um gênero para homens gays adultos é o Bara. Pesquisem um pouco sobre isso, mas, tem link aqui: http://www.timeout.com/seoul/lgbt/time-out-meets-lee-uin

Eu já li fic com tema de homossexualidade escrita por meninos. Uma delas era mais fofa, apenas com uma interação sucinta e sexo, outra abordava algo mais profundo e não tinha Lemon nem era Yaoi, apesar dos personagens serem gays (Pasmem!² Dá pra ter personagem gay – até com namorado – na sua fic e ela não vai ser Yaoi tá?). A última que eu li, o autor se identifica sempre falando no masculino, o que me fez deduzir que é um menino ou rapaz. Não sei. Mas, esse foi bem surpresa pra mim, os gays da fic dele são bem estereotipados também, principalmente os personagens principais (o seme frio e fodão, o uke delicado e doce). Não me perguntem de jeito nenhum, não vou dizer de qual fanfic se trata. Não sei se o menino é muito jovem ou algo do tipo, mas a fanfic tem total estilo de ser escrita por uma garota que não entende de nada ou tá com os olhos vendados, como muitas por aí.

“Ah porque você só ta falando de romance?”

É que o termo Yaoi já tá dizendo que é romance. Boys Love = romance entre garotos.
Eu poderia escrever todo um texto dizendo que podemos abordar casais gays em fanfics e, em fanfics as quais eu costumo definir como “tudo junto e misturado”, sem que ela seja definida como Yaoi, mas aí rola toda uma base de preconceito por outras partes, então deixarei para abordar em outro jornal.


Por que o Yaoi não ajuda em nada na luta contra a homofobia?


Essa imagem já diz tudo:
https://www.facebook.com/SobreFanfics/photos/a.843623332415388.1073741828.843539212423800/926037054174015/?type=3&theater
Muitos gays podem até achar divertidas algumas definições de purpurina, mas as coisas realmente ficam sérias quando a vida entra em jogo, quando eles ficam sérios. Para Fujoshis, ver Yaoi, gays e coisas purpurinadas pode ser divertido, mas não se esqueçam que isso se trata do mundo de pessoas e, abrange muito mais do que só "uke e seme", "rosa claro ou rosa pink", "Madonna ou Beyoncé".

Uma vez eu fiz uma pergunta a uma escritora a quem certo dia considerei madura porque ela havia escrito uma fic um pouco fora desses estereótipos.
A pergunta foi: "Por que existe essa dificuldade de colocar outras pessoas na fanfic ou que os outros garotos do grupo sejam héteros? O foco de romance vai ser exatamente o seu casal, o seu shipp, então porque os outros rapazes têm que ser gays ou existe a menção de que eles são gays?"
Pensei que ela fosse falar algo como: "faz parte do roteiro, teve que ser assim por causa disso ou daquilo", mas a resposta foi um pouco menos do que esperei:

"É bom tudo gay porque é diferente. As coisas já são tão héteros. Por que não podemos fazer algo gay e diferente?"

Essa declaração da garota não foi a única, mas naquela época em que li, a minha mente começou a interpretar de outro jeito, de outra maneira.
Eu me fiz a pergunta interna:
Será que ela é da comunidade LGBTTI?
Não... Ela é hétero, eu sei que é.
Será que ela sabe que sendo hétero, pensando em gays como um "algo diferente", ela está afirmando que ser gay é anormal, diferentão, colorido e de outro mundo? Será que ela entende como é ser gay? Realmente sentir medo de expressar isso muitas vezes, temer ser atacado na rua por ser essa "coisa" tão diferentona que ela acha que é?
Ela como uma pessoa hétero só acha divertido o mundo dos gays... Porque não faz parte do dela e, infelizmente, quanto mais as fujoshis pensarem assim, estarão insultando aqueles os quais acham que tão amando.

Não se enganem... Como já falei, os gays podem sim se divertir com coisas de purpurina, Madonna, Lady Gaga e Beyoncé... Mas há gays que não gostam e que não veem graça em nada disso também. E mesmo que boa parte da comunidade gay do estilo pop seja super acolhedora, há limites em tentar fazer com que o seu cérebro use o mundo deles para que você se sinta diferentona e divertida...


Grande maioria das vezes tudo na fanfic é Gay, porque ver o hétero de cada dia é cansativo.
Gente, o gay não deveria ser uma coisa exclusiva do universo gay onde tudo é gay, deveria ser inserido mesmo (mesmo que na fic seja abordado preconceito, dificuldade e tá aí um motivo pra escrever relações homossexuais).
Fora os pais dos garotos que são héteros, em muitas fics, todos os membros dos grupos são gays, eles não se envolvem com pessoas héteros, mesmo que o casal principal seja o foco e um deles seja o amigo, o amigo ou irmão não vai ser hétero, vai ser gay. Bissexuais, trans, lésbicas nem pensar em existir né? Fujoshis defensoras de LGBTTI na maioria das vezes só querem saber do "G" da sigla. Em muitas fics, para a maioria das leitoras e na mente da maioria das escritoras é inaceitável que algum dos membros do grupo seja hétero, já que o mundo já é hétero demais vamos fazer tudo gay.


Por que o Yaoi muitas vezes é uma propagação de machismo?

- Primeiramente porque, como já falei, a imagem de seme e uke é uma personificação de uma relação hétero, só que entre homens, isso intensificando que o Seme é a imagem masculina e forte e, o Uke é a imagem feminina e frágil; na mente das leitoras e da maioria das escritoras, um casal só funciona assim, porque é a visão de sociedade machista patriarcal que elas tem, onde a mulher sempre foi e ainda é subjugada pelo poder do homem.
- Em muitas fics Yaoi e para a maioria das leitoras de Yaoi, a presença de mulheres na fanfic já é sinônimo de mau agouro. Desde pequenas as meninas são ensinadas a serem inimigas umas das outras, não gostarem das outras, a ser a mais bonita e a que tem os olhares de todos os meninos, o que faz com que as mulheres acreditem quando adolescentes e adultas que, são inimigas. Muitas dessas meninas que leem fics Yaoi já têm a visão do ciúmes, da competição e do fato de que “homens são muito melhores do que as mulheres”, ver uma garota numa fanfic é um inferno e principalmente se ela estiver na interação com o bias. Sobre as escritoras de Yaoi que não escrevem mulheres, às vezes é por medo de aversão das leitoras, às vezes é por esse mesmo pensamento machistamente cego, ou, na maioria das vezes é falta de criatividade, mesmo... Criar originais pode ser tedioso para fanfiqueiros. ;)
- Quando há mulheres nas fanfics, normalmente é a mãe, claramente será amada pelas leitoras, já que colocou um deles no mundo. Às vezes, muito as vezes há também uma irmã, mas obviamente essa irmã ou será uma “vadia” ou uma garota “feia”, “masculina”, “totalmente desinteressante”. Quando tem mais mulher não é uma amiga, não é a namorada do amigo, se for a professora, é uma “bruxa” ou uma mulher que dará duas palavras, não é a prima distante, não é a irmã do outro boy magya, não é a colega de classe, não é alguma criatura importante que possa fazer algo de bom na história, é simplesmente: A VADIA.
- A vadia é o foco de maior emoção de quase todas as leitoras de uma fanfic Yaoi. A coitada da vadia é o alvo da maioria das escritoras de Yaoi, aquela menina que vai se apaixonar pelo seme(que muitas vezes pode até ser bissexual, mas mesmo sendo bi tem aversão a mulher(?) Oi?). Voltando: Ela vai se apaixonar pelo seme e tentar seduzi-lo, até porque a vadia é uma mulher sem escrúpulos, assim como qualquer uma que se aproxime do seme que muitas vezes é babaca com o uke. Mesmo o seme sendo um babaca, ele ainda é maravilhoso, enquanto a vadia é a grande culpada do sofrimento do uke. ~.~
- A imagem de que mulheres são inferiores é muito grande no meio das pessoas que curtem Yaoi, a maioria das vezes grande parte das leitoras. Algumas tentam se esquivar dizendo que não é bem assim, mas o comportamento em si não corresponde. Sabem porque estou falando essas coisas? Isso é algo que transborda das linhas para o dia-a-dia. As leitoras se identificam com o que elas têm ou sentem em seu coração, as escritoras põem pra fora o que elas têm ou sentem intimamente. E é essa a mensagem que além de as fanfics, esse pessoal acaba passando pras redes sociais, para os outros kpoppers e principalmente, quando algum k-idol aparece namorando... com uma garota.


Nós geralmente vemos uma pequena “guerra” onde pessoas dizem que Yaoi é tudo igual e onde pessoas dizem que Yaoi é o melhor e mais bem escrito gênero do K-Pop.
Lembram daquele meu Jornal Valor x Qualidade?
É bem isso... Uma coisa leva a outra e finalmente chegamos na ligação entre aquela jornal e esse aqui. Para os defensores(grande maioria dos kpoppers amam yaoi), o shipp se sobressaiu e tornou a fanfic mais interessante, só que para as pessoas que não estão interessadas no shipp talvez esse brilho todo não exista.
Há pessoas que leem qualquer fanfic se o conteúdo lhe agradar, há pessoas que não preferem Yaoi, Yuri ou Hétero, leem com qualquer relacionamento humano, na verdade gostam/preferem de outros gêneros como ação, fantasia, drama, ficção, violência, comédia, não necessariamente algo com romance. Isso faz com que muitas vezes essas pessoas achem a maioria das Yaoi iguais ou parecidas.



Conclusão:

1. Yaoi não ajuda em nada na luta dos homossexuais, amigas, pra vocês ficarem falando que quem só curte fic hétero é homofóbico;
2. Yaoi é um gênero de mulheres para mulheres, então qualquer alternativa de dizer que as pessoas estão sendo homofóbicas por não gostarem de Yaoi, é inválida;
3. Gostar de Yaoi não te dá direito de acreditar que todo casal gay é igual aos casais das fanfics que você lê, também não te dá a liberdade de ficar encarando casais gays na rua (por achar bonitinho), isso é falta de educação;
4. Ficar chamando o bias de bicha louca, viado com conotação ruim (porque no meio gay se eles se chamam de bicha não é uma ofensa, mas quando você usa isso de maneira para tentar ofender um deles, é sim uma ofensa), você está sendo homofóbica;
5. Escrever Yaoi não te torna desconstruidora bucetudona não, te torna mais uma escritora de Yaoi, já que você está fazendo um texto de mulher pra mulher/menina pra menina e o último foco é a causa dos gays;
6. Ler Yaoi não te faz diferentona no kpop, te faz inserida na maioria dos grupos de pessoinhas dentro do kpop;
7. Shippar o casal mais famoso do grupo não te faz melhor e shippar o casal mais flop do grupo, também não! Como escritoras, shippers de casais diferentes deveriam se respeitar e como leitoras, também. Essa falta de respeito é vergonhosa. Isso só torna tudo uma grande piada.
8. O seu shippe pode até ser real em amizade, mas enquanto seus bias dizem que são héteros, acreditemos neles e não queiramos tentar fazer com que ele pareça gay. Se quer escrever fic Yaoi com ele, escreva, mas (des)pense isso da realidade;
9. Dizer que o shippe da outra não é real, não te faz melhor, nem ela pior, te faz babaca;
10. Stop Homofobia enrustida, Stop dizer que Yaoi é algo diferentão, gay, cult e que quem lê e escreve é defensor de causa. A maioria dos que leem e escrevem Yaoi são defensores de causa nenhuma. Enquanto a causa que defenderem for só a de casais fofos, brancos, iguaizinhos e perfeitamente bonitos, é só fetiche e mais nada. Principalmente quando excluem lésbicas, bissexuais, pansexuais, assexuais, trans e toda uma diversidade de sua listinha de “diferentonas”.

Depois de passar um tempão escrevendo o jornal anterior e este, percebo que precisamos de uma reformulação no conceito e na visão da homossexualidade, tanto abordada nas fanfics(as quais influenciam potencialmente a maioria das leitoras) quanto no meio do kpop, tanto no visão de que homossexualidade só pode ser abordada em Yaoi quanto no fato de que nos Yaoi quase sempre se aborda uma homossexualidade e um mundo de mentira, muito injusto com os gays e que na verdade os exclui.

Falei.
E se eu me lembrar de algo, edito isso aqui.
Qualquer opinião contrária sujeita a debate, tamo ai colega!


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...